10 anos depois Diff regressa ao game para revolucionar o Rap

É dos rappers mais modernos da actualidade e só não deu cartas porque esteve dez anos fora do mainstream, mas, está de volta e desta vez com um EP de 4 faixas musicais, incluindo os respectivos vídeoclips. Além da obra, o músico preparou uma “bomba” com Anselmo Ralph e fala à Carga sobre o seu regresso.

Por que razão abandonou o mercado e o que o fez regressar?
Tive que abandonar a música para dar seguimento a projectos que garantem o futuro de um ser humano, como me formar, construir um tecto, ter uma família, e ter as mínimas condições para a vida de um homem, agora com esse objectivo realizado estou de volta para fazer a outra parte que me completa: música.

Como é que encontrou o mercado?
Antes o movimento era menos competitivo, eramos mais unidos, falo de há 10 anos. Hoje há muitos a fazerem música, todos querem ser o rei, daí a união ser esquecida. O nível de exigência é maior, refiro-me na maneira de cantar e de compor, bem como na qualidade de música, qualidade de vídeo, hoje não é só pegar e fazer uma música, tem de pensar em muitos factores tema, publico alvo, para saber qual o caminho certo a seguir.

E como é que se preparou para isso?
Tive tempo suficiente para poder adquirir mais melodias, mais visão de como colocar e fazer a mesma frase de várias formas e estilo, e ver qual das fica melhor.

Lançou recentemente um EP. De que obra se trata?
Uma obra simples, com temas fáceis, mas que tem haver com a realidade de muitos, mensagens boas, sonoridade agradável, letras bem estruturadas. O tema “Minha Maria” e “Amo-vos de Milhões” são os que mais as pessoas se identificam. São temas cheios de emoções fortes, fazem chorar, faz amar mais. Só ouvindo para tirar as conclusões.

10 anos depois Diff  regressa ao game para revolucionar o Rap

Não é muito frequente um rapper assumir que canta sobre amor Eros. Será este um assunto que se devia explorar mais no movimento ou estamos perante uma revolução no movimento?
Amor é o dia-dia que as pessoas vivem, então é um tema em que se for bem feito as pessoas vão se rever nele. Não há ninguém que não ama, é quase impossível não amar nessa vida.

Como é que se apercebe que carrega a veia artística?
Acho que tenho algum jeito para tal e também por gostar da minha voz. Gostar de me ouvir.

A que produtora está associado?
Estou na produtora Diffmusic. Mas também estou na produtora The Plus Record.

Se está a dizer que a música não garante o futuro, que posição gostaria de ocupar na música angolana?
Poderia dizer a melhor posição, ser melhor, mas para mim basta saber que gostam da minha música já é suficiente, até porque não vejo a música como uma fonte de rendimento segura, para mim só preciso fazer boa música.

Depois do projecto “Deixo Cair”, que outros trabalhos está a preparar?  Já estou a preparar nosso trabalho para o próximo ano, em princípio EP de 6 faixas, onde terei algumas participações de outros artistas. uma das faixas do novo trabalho já esta feita, com a participação do Anselmo Ralph.

as cargas mais recentes

Músicos reagem à morte de Silvio Dala: “Na América atribuímos ao racismo. Aqui vamos dizer que é o quê?”

há 2 anos
O caso do médico Silvio Dala está a causar uma corrente de protestos, até aqueles músicos que pareciam mais reservados estão a ser obrigados a soltar a voz. “Se quiserem, matem-me também”.

Masta: “Eu gostaria muito de ver ruas no país onde nasci com o nome Força Suprema”

há 2 anos
Em conversa com a Carga hoje, o músico apresentou as características da sua nova faixa “Rebobina”, falou dos seus projectos a solo, incluindo da actual produtora e “abriu-se” sobre o próximo álbum e a ligação à Força Suprema.

Galeria Tamar Golan apresenta “CaDespedida” da autoria de Mauro Sérgio

há 2 anos
“A CaDespedida é aquele momento nostálgico de um fim de dia bem passado. Termo cunhado nas eternas idas à praia na Luanda, Benguela e Porto Amboim do antigamente, onde passar um dia na praia era um evento preparado com cuidado, antecipado e esperado com ansiedade.

Covid-19 força adiamento do primeiro grande festival de Kizomba

há 3 anos
O primeiro grande festival de Kizomba passaria também por outras províncias e alguns países da Europa. Mas, caso se registe algum caso em Angola, o evento já não se vai realizar. Acompanhe o que pensam os músicos em cartaz.

Tropa Yogaa apresenta último vídeo da saga “Tá Rebolar”

há 2 anos
No próximo sábado, a dupla vai apresentar o último dos três videoclipes do novo projecto “Tá Rebolar”, um projecto em que pretende provar que é muito mais fácil combinar o fisioculturismo à música e à dança.

SSP: O grupo de Rap nacional mais ouvido actualmente

há 2 anos
Dados fornecidos pela Sadia, indicam que o grupo SSP são os artistas mais ouvidos, desde o dia 21 de Setembro, no `Top Nacional´ -−divulgado pela Carga Magazine−. A par desta “colocação”, são também os primeiros artistas do estilo Rap a entrar na lista de preferência dos ouvintes, de todas as rádios nacionais.

Denzel Washington quebra o seu próprio recorde como actor negro mais nomeado no Oscar

há 12 meses
Denzel Washington concorre para Melhor Actor na cerimónia deste ano, referente a 94° edição do Oscar. O actor de 67 anos, foi indicado ao prémio pela décima vez, graças ao seu trabalho no papel principal de ‘A Tragédia de Macbeth’.

Single ‘Alquimia’ marca regresso de Idelsa

há 12 meses
O single lançado na passada sexta-feira, já conseguiu destaque nas Playlist Editoriais, Spotify: New Music Friday Portugal e Apple Music Portugal: Novidades Do Dia.

Show do Mês adia concerto ‘Vozes de Março’

há 3 anos

Selda põe fim ao hiato e anuncia novidades

há 2 anos

Sankofa representa Angola no concurso Internacional de Rap Slam

há 3 anos
Em companhia de Zola Kuzedíua, vencedora da última edição do ‘Luanda Slam’, Sankofa vai representar o país no Festival Internacional de Rap Slam do espaço lusófono, a ser acolhido pelo Brasil no próximo dia 29 de Julho a 2 de Agosto deste ano.

Tropa Yogaa: Uma lufada de ar fresco para o Afro House

há 2 anos
Tropa Yogaa é uma dupla relativamente nova, mas está a chamar a atenção pela forma como combina a música e a dança ao fisioculturismo. Formada por Fredy Lück Toks e Yuri Paulo Betão, o duo está no Afro House desde 2016 e falam à Carga sobre como nasce a intenção de juntar a dança e música ao fisioculturismo.

Luy M: “EP ‘2.3.6’ chega às plataformas digitais no próximo dia 26 de Dezembro”

há 1 ano

Governo português autoriza festivais a partir de Setembro

há 3 anos
O Governo português autorizou realização de festivais de música a partir de 30 de Setembro. Uma medida anunciada esta quinta-feira, justificada com a pandemia de Covid-19.

“Fiéis e Infiéis” chega ao Wyza Anfiteatro da Fundação Arte e Cultura com os Jovens da Mulemba

há 2 anos
Abordamos de forma crítica a tendência de associar o pagamento do dízimo e os ofertórios como o principais veículos do estreitamento da relação com Deus, onde os responsáveis vivem no luxo e os fiéis numa autêntica indigência, apesar de serem os principais contribuintes.

Sara Adriana e Mr. Carly apresentam `Tamos a Deixar´

há 1 ano
O tema estreou ontem e já faz parte das Playlists do Spotify: Dancing Kizomba e da Apple Music: A Viagem.