Cartas ao Pai Natal: Helena Dias publica já amanhã a sua primeira obra literária dedicada ao público infantil

A escritora e declamadora Helena Dias, apresenta amanhã, dia 18 de Dezembro, o seu primeiro livro infantil intitulado “Cartas ao Pai Natal”, num evento a ter lugar na Mediateca 28 de Agosto, às 10 horas.

Com 24 poemas e 24 cartas embuidas do espírito natalício, a publicação objectiva estimular a criatividade, a empatia, o raciocínio, o respeito, a imaginação e outros. A obra é o primeiro livro oficial produzido pela editora Caneta de Estilo, é um trabalho que visa apoiar o desenvolvimento da literatura infantil no país, primando sempre pelo rigor e aprendizagem dos pequeninos.

Cartas ao Pai Natal: Helena Dias publica já amanhã a sua primeira obra literária dedicada ao público infantil

Prefaciado pelo renomado Escritor e Jornalista angolano, Octaviano Correia, o livro “Cartas ao Pai Natal” explora temas como amor, caridade, honestidade, partilha, compaixão e outros, havendo a possibilidade de influenciar as crianças à aquisição destas virtudes. “O livro propõe ao imaginário infantil a importância de comportamentos positivos e a crença na festa da luz e incentiva as crianças a acreditarem na beleza do Natal, vivendo dentro da sua própria inocência, sem antecipar processos”, explica a autora em nota.

Inteiramente dedicado às crianças, o evento de lançamento vai contar com vários momentos lúdicos e não só: contação de histórias, música, declamação de poemas e outras surpresas, o espaço estará preparado para receber os pequenotes e os seus pais.

Natural de Luanda, Helena Dias é, além de escritora, professora, consultora de comunicação, declamadora, contadora de histórias e membro do movimento artístico Lev’arte e da União Brasileira de Escritores- UBE.

Do seu percurso literário, consta o lançamento da obra ‘Ressurreição’, em 2016 participou da antologia poética feminina “O Canto da Kianda”. Em 2019, participou da antologia de escritoras Negras de África e do Brasil “Negras de lá Negras daqui” e da antologia “A Poesia Multicultural”.

Quatro perguntas à autora

A partir de que momento surge esta veia para a literatura infantil?

Na verdade, a literatura infantil não é uma coisa nova, sempre fui apaixonada por banda desenhada, as histórias aos quadradinhos são fascinantes e quando assisto a TV, a minha preferência são os desenhos animados e as suas incríveis aventuras. O meu primeiro escrito infantil foi Yona e o Cavalinho dourado, uma história de aventura de um menino sonhador, que acabei por perder com o meu computador em 2013, fiquei triste claro e comecei a pensar noutras histórias, porque não tinha um registo em papel, apenas no computador, mas tenho lembranças muito vagas de Yona e as suas aventuras.

Qual é a maior diferença entre escrever para o publico adulto e o público infantil?

Há uma grande diferença ao escrever para estes dois públicos. Para crianças dá-se amor em forma de literatura e aos adultos dá-se conhecimento, é como se os estivéssemos constantemente a ensinar uma forma de vida por meio da literatura. A literatura para crianças é como um sonho, está-se sempre num ambiente de pura inspiração e aventura, é mais feliz e divertida. A outra não é sempre muito consciente e preza o conhecimento. Há também a diferença da adequação da linguagem, a literatura infantil requer muito cuidado linguístico, uma linguagem adaptada aos pequenotes.

Do que são feitas as cartas patentes no livro?Cartas ao Pai Natal é um livro carregado do bonito espírito natalício, com 24 poemas e 24 cartas, o livro representa a contagem do primeiro dia do Advento até a grande festa da luz e incentiva as crianças a adoptarem comportamentos positivos antes, durante e depois do Natal, estimulando a criatividade, a empatia, o raciocínio, o respeito, a imaginação e outros. Cada carta é inspirada numa virtude no formato de poema que pode incentivar a criança ao aprendizado da mesma. As cartas falam de amor, esperança, amizade, paz, humildade e o mais importante que é o grande mote do livro sobre semear o espírito natalício e celebrar o Natal.

Há quanto tempo vem preparando este livro, foi mais trabalhoso?

Não levei muito tempo a prepará-lo, na verdade escrevi em 2019, em duas semanas. Com a graça de ter uma forte conexão com as emoções da época natalícia, não foi muito difícil escrevê-lo. Pretendia publicar em 2020, mas com o forte impacto da Covid-19, não foi possível, agora é o momento de partilhar as minhas cartinhas. Não foi nada trabalhoso, foi muito prazeroso e divertido. Tudo isso tornou o trabalho leve e menos trabalhoso que o anterior.

as cargas mais recentes

Carregadores de caixão “ameaçam” dançar para quem não ficar em casa

há 3 anos
Os dançarinos fúnebres ganenses, responsáveis pelo “meme” mais viral no mundo, durante a quarentena, fizeram um apelo para as pessoas ficarem em casa, sob pena de pagarem com a vida.

Masta: “Eu gostaria muito de ver ruas no país onde nasci com o nome Força Suprema”

há 2 anos
Em conversa com a Carga hoje, o músico apresentou as características da sua nova faixa “Rebobina”, falou dos seus projectos a solo, incluindo da actual produtora e “abriu-se” sobre o próximo álbum e a ligação à Força Suprema.

Filme sobre Murais da Leba disputa Grande Prémio de Cinema Brasileiro

há 3 anos
O filme torna-se assim no primeiro realizado em África a entrar no circuito comercial de cinema brasileiro. Intitulado ‘As Cores da Serpente’, a longa-metragem narra o desafiante processo artístico dos jovens grafiteiros sobre os Murais da Leba.

FIFA lança plataforma grátis para transmissão de jogos em directo

há 8 meses
O organismo do futebol mundial anunciou, ontem, o lançamento de uma plataforma digital gratuita para transmissão de jogos em directo, incluindo o acesso desde 1950, bem como as estatísticas e conteúdos originais em vídeo.

Acaba de nascer um projecto que passará a dar novas roupagens aos hits angolanos

há 2 anos

Bola de Ouro 2021: Afinal, nem sequer Portugal votou em CR7

há 12 meses

Cardi B vai a julgamento por colocar tatuagem de um homem na capa do seu álbum

há 2 anos
Cardi B usou no projecto Gangsta Bitch Music Vol. 1, lançado em 2016, como capa a imagem de Kevin Brophy Jr., o homem alega que a rapper retratou sua semelhança de “ forma enganosa, ofensiva, humilhante e sexual”.

Heavy C aposta em novos talentos e anuncia dois álbuns

há 3 anos
O objectivo da aposta em novos talentos é a passagem de experiência, porque, entende, a falta de qualidade nos artistas emergentes acontece por conta da não passagem de testemunho.

Polémico documentário sobre Michael Jackson terá continuação

há 2 anos
A primeira parte do documentário foi responsável por trazer, novamente, à tona toda a polémica envolvendo supostos assédios cometidos por Michael Jackson, além da suposta pedofilia.

Destiny’s Child actualiza páginas das redes sociais e fãs especulam retorno do trio

há 1 ano
O sinal foi mais uma prova de que quando os fãs querem alguma coisa, qualquer movimento resulta em especulações. Ao TMZ, Matew Knowles, pai de Beyoncé e empresário das Destiny’s Child, disse que actualização era apenas parte de um processo de rotina.

Don Kikas com novo álbum a caminho

há 3 anos
Nos próximos dias, o artista quer levar alegria aos fãs através de um concerto ao vivo e em directo nas suas redes sociais online.

`Arte ao Peito´ , para ver até ao dia 15 de Outubro

há 1 ano
Sob o lema “Há obras que valem muito. Estas valem vidas”, foi inaugurado o projecto expositivo que dá início às actividades do mês da luta contra o cancro em Angola.

China decide “castigar” Lady Gaga, Justin Bieber e BTS

há 2 anos
Os músicos Justin Bieber, Lady Gaga e a banda BTS terão sido ‘castigados’ por causa de atitudes em relação a assuntos considerados sensíveis pela China.

`Unitel Festa da Música´ migra para o digital e assume o formato multidisciplinar

há 1 ano
O festival que acontece pelo sexto ano consecutivo, é tido como um dos maiores a nível nacional e, tem na sua génese o reconhecimento da música como factor de desenvolvimento e enriquecimento cultural do público angolano.

Filme sobre o adultério estreia nos cinemas no final do mês

há 2 anos
O filme angolano “E se as mulheres fossem unidas?”, que retrata o adultério e uma possível união entre as senhoras, estreia no dia 30 de Abril nos cinemas angolanos.

Dicklas One: “Sendo o pioneiro, venho ajudar os colegas a perceberem e respeitarem os parâmetros do House Music”

há 1 ano
Nesta nova etapa da carreira, Dicklas tem agendado um novo álbum que, à semelhança, do Filho do Povo trará outros estilos. O músico tem novas ambições, assinou com duas produtoras de referência em África, está a apadrinhar um lar e fala sobre seus projectos.