A partir de agora todo músico que animar a plateia com canção alheia pagará 20% do cachet ao visado

A medida surge para salvaguardar o direito do autor, seja ele cantor, intérprete, dj, produtor ou letrista, desde que esteja inscrito e tenha suas obras declaradas na SADIA. O órgão afecto ao Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente monitora mais de três mil autores e controla cerca de 120 milhões de músicas, 30 mil das quais angolanas. Para ter seus direitos salvaguardados, basta fazer a inscrição, que é grátis.

De acordo com Lucioval Gama, representante da SADIA, Sociedade Angolana dos Direitos de Autores-instituição pública sem fins lucrativos, o artista também poderá ganhar, quando a sua obra for executada publicamente, quer seja em rádios, tvs, restaurantes, shoppings, etc.

Qual é a lei que atribui à SADIA competência para controlar tudo que tem que ver com o autor?

Eu diria que não é exctamente a lei que dá competência, mas a lei regulamenta os direitos autorais e conexos, que é a Lei 15/de 31 de Julho. Quem dá competência à SADIA para a cobrança e distribuição- fiscalização dos direitos autorais- é o Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente, através do departamento SINADEAC-Sitesma Nacional Dos Direitos de Autores e Conexos.

A partir de que momento é que a SADIA começou a actividade?

A SADIA como instituição de utilidade púbica sem fins lucrativos, foi fundada em 1990 autores angolanos, mas durante o período não se fez sentir muito essa lei, porque o país passou por alguns momentos e a prioridade não eram muito os direitos autorais. Em 2003, sofreu uma restruturação para a revitalização dos direitos autorais, que funcionou até 2013. De 2013 até 2019 trabalhou-se numa nova lei, que esta lei que eu disse 14/15. Entretanto, só em 2019 é que o Ministério da Cultura deu a licença à SADIA para cobrar e distribuir os rendimentos autorais.

Desde essa altura até agora qual tem sido o impacto da restruturação no seio artístico?

O impacto tem sido bom para os artistas, e para alguns não tem sido uma boa notícia porque vai acabar por destruir aqueles maus hábitos do mercado. Tem sido um feedback muito bom porque a SADIA tem estado todos os dias a apostar nos novos recursos humanos e tecnológicos para salvaguardar os direitos dos seus associados.

A partir de agora todo  músico que animar a plateia com canção alheia pagará 20% do cachet ao visado

Até agora quantos artistas estão licenciados e quais os segmentos com mais inscritos?

O segmento mais licenciado é a música, seguido do teatro-actores de cinemas, telenovelas. O Rap e o Kuduro lideram. De forma individual, estão 1490 autores, entre compositores, artistas plásticos, escritores.

Quanto a concessionárias, temos três: 1860 artistas da Go Edições, 3100 autores da Intervox e 30 mil da Sony Music.

De que forma o artista é beneficiado?

Para frisar aqui são duas coisas que existem: o autor e o artista. O autor ganha direitos autorais e o artista ganha direitos e conexos. O autor ganha a partir da execução pública ou mecânica das sua obra. Execução pública de uma obra é quando essa obra, no caso de música, é tocada numa rádio, shopping, concertos, restaurantes, por exemplo. Execução mecânica é quando a obra é vendida a nível físico ou digital. Isto é para o autor. Para o artista, ele ganha direitos e conexos sempre que a sua imagem aparecer na televisão e ganha direitos de conexos, porque ele está “conexado” a uma obra. Tudo isso é possível com base o sotfware que usamos.

Que rádios estão licenciadas ?

Todas as rádios do país estão licenciadas no sistema. As televisões temos a TPA e depois outras, teremos também restaurantes, supermercados. Com o sistema, a SADIA consegue identificar onde a música tocou; onde o artista passou e em que Tv se apresentou. Atenção que as rádios são obrigadas a pagar. Não é um a opção, mas é obrigatório por lei, que todas as rádios que fazem execução publica são obrigadas a pagar uma taxa, de acordo o instrutivo nº 1/18. de 2018. A sincronização de obras, no caso dos gingles, deve ser pago todas as vezes que for utilizado.

Como é que se procede em caso de programas independente, como é o Show Time?

Atenção que a SADIA não cobra os programas, mas a estação de rádio. O que interessa é que a rádio pague. A taxa é uma percentagem da receita do ano anterior.

E os espectáculos qual será o procedimento?

A delegação provincial da Cultura, Turismo e Ambiente deve passar um visto para esse show. A lei diz que não se deve passar o visto sem antes o promotor apresentar o pagamento dos direitos autorais. A nível de fiscalização do show, a SADIA instala um aparelho que manda para o nosso sistema todas as músicas veiculadas no show.

Sabe-se que é frequente os improvisos, os casos em que o artista chama um colega para fazer um duo. Com a lista das músicas previamente acordada com a Sadia como fica acautelado isto?

O promotor deve ter a certeza do que está a fazer: se vai fazer improviso ou concerto. No caso de o artista querer animar o público e cantar a música do outro sem autorização é obrigado a pagar 20% do cachet a este artista, de acordo com a lei, por isso é que os artistas internacionais não fazem bis nem cantam músicas do outro.

E no caso dos espectáculos de interpretação, que é muito comum em Luanda, como por exemplo ‘cantar X’ ?

Neste caso, já não é improviso. Antes de um concerto a SADIA pede o setlist. O dinheiro vai para o dono da música. Se é Tim Maia, vai para o Tim Maia. A SADIA cobra e repassa a estes artistas, porque a SADIA é membro da Confederação Internacional dos Direitos de Autor e Compositores.

Os táxis são os maiores veículos e promotores de música. Como é que a SADIA autua?

Em relação aos táxis, é uma questão que nós ainda não temos preparado. Mas é uma questão de A SADIA sentar com as associações dos taxistas e negociados. Os táxis são particulares, é preciso ser bem estudado para não causar desentendimento. Não adianta falar deste processo agora.

Não era melhor estudar tudo para depois passar à pratica ?

A lei não se implementar de uma vez. Nesse escritório, por exemplo toca música, mas ainda não vamos autuar. É tudo por fase. A primeira fase, estão os shopping, restaurantes, dancing.

Quantas músicas é que monitoram neste momento?

São 120 milhões de músicas, entre nacionais e internacionais. Estes são aqueles que suas músicas estão declaradas na Base Internacional de Música. São quase 30 mil músicas angolanas declaradas.

Quais são os requisitos para o artista se inscrever?

Basicamente, preencher uma ficha; entrega um copia; o NIF… Mas para ter os rendimentos deve declarar a obra. Não se paga nada para inscrever. Tudo grátis. O beatmaker ganha, intérprete ganha, o compositor ganha, o letrista ganha. Mas todos eles devem declarar a obra. Mesmo que ele pague «aquando da composição», o autor «da composição» deve continuar a ganhar. No caso de se detectar que a obra inscrita constitui plágio, resolve-se em tribunal.

O que se tem feito para que o SINADIAC consiga fazer chegar a mensagem a sociedade?

Temos programado actividades para dar a conhecer ao público. Quem alegar falta de conhecimento e veicular uma música, primeiro a SADIA interpela. Caso insista, vamos accionar os mecanismo legais. A SADIA tem feito um processo de sensibilização porta a porta usuários. Nós conseguimos identificar as músicas que passam em todas as plataformas digitas.

as cargas mais recentes

T-Pain lamenta que músicos recebam só 12% dos USD 17 bilhões dos lucros das produtoras

há 1 ano
O músico considera absurdo o facto de parte dos lucros provenientes da música ficar com as gravadoras e aponta solução para acabar com isso, referindo que no ano passado as produtoras tiveram 17 bilhões de dólares de lucro, mas apenas 12% deste valor ficou para os músicos.

“Kings Of Afro House” completa um ano de existência

há 3 anos
O projecto MUSIC BOX, criado pela Sodiba e patrocinado pela Sagres, dedicou uma atenção especial neste último ano ao género do Afro House, e produziu e realizou, com o apoio da BMWorkz, o documentário Kings of Afro House, que junta alguns dos melhores Djs e produtores do género no mundo.

Laton dos Kalibrados decide abraçar a carreira gospel “Eu me encontrei”

há 2 anos

Paulo Alves entra para 2021 a dar carga com “sunset dos sonhos”

há 2 anos
O dj angolano vai abrir o 2021 com um “sunset dos sonhos”, na Marginal de Luanda. O evento acontece no dia 10 de Janeiro e terá duração de 8 horas.

Álbum de estreia de Wet bed Gang traz participação de Bonga

há 2 anos

Participação de cantoras angolanas no AFRIMMA vai de mal a pior

há 2 anos
A organização dos AFRIMMA, prémios africano de música, divulgou, na semana finda, a lista dos candidatos para a edição 2020, onde, diferente da anterior, os angolanos subiram dois degraus, mas a participação feminina continua um fracasso.

NBA All-Star 2022: Steph Curry vence All-Star MVP com recorde de 50 pontos

há 12 meses
Curry estabeleceu um recorde de All-Star Game ao drenar 16-de-27 tentativas de 3 pontos, quebrou o anterior recorde de Paul George, estabelecido em 2016. O armador terminou com 50 pontos em 17-30 remates do campo, cinco ressaltos, duas assistências, dois blocos e um roubo, quase igualou o recorde do All-Star Game, detido por Anthony Davis, que chegou aos 52 em 2017.

Morreu o último sobrevivente do Bob Marley & The Wailers

há 2 anos

Ciclo de divulgação do funcionamento do Sistema Nacional dos Direitos de Autor e Conexos “passa” por Bié, Cuando Cubango e Cunene

há 1 ano
O encontro que visa massificar o conhecimento e aperfeiçoar os mecanismos para a protecção e o usufruto dos respectivos direitos económicos sobre a propriedade intelectual, já passou, na sua segunda fase pelas províncias do Cuanza-Norte (Ndalatando), Malanje (Malanje), Uíge (Uíge), Zaire (Mbanza Congo) e Bengo (Caxito).

Eclosão: Leandro Marques inaugura primeira exposição individual na Galeria Tamar Golan

há 2 anos
A mostra ficará patente ao público até ao dia 26 de Abril, podendo ser visitada de Segunda a Sexta-feira, das 9h00 às 17h00, na galeria de arte contemporânea da Fundação Arte e Cultura, na Ilha de Luanda, junto à escola 1205, paragem da Casa Lisboa.

NGA lança “Duas no Cubico”

há 2 anos
Cinco meses depois do lançamento de “Se Der Pra Ser Feliz” e nove após o triplo “Só Se Vive Uma Vez”, “Por Nós” e “P’ra Nós”, o rapper da Força Suprema surge este sábado com mais um single intitulado “Duas no Cubico”

Emmanuel Adebayor recusa doar dinheiro para combater o Coronavírus

há 3 anos
Numa altura em que estrelas do futebol, da música e do cinema unem forças para ajudar governos de seus países com a compra de alimentos para acudir os mais necessitados ou adquirir equipamentos hospitalares, a antiga estrela do Real Madrid, Arsenal, Man City, Mónaco e Arsenal deixou claro que não vai doar nada.

Valete e vários músicos portugueses exigem a libertação do rapper espanhol Hasél

há 2 anos

Heavy C: “Só estamos à espera da oficialização do tribunal para encerrarmos a Bué de Beats”

há 3 anos
A Bué de Beats produziu e lançou os principais rostos da música angolana. Depois de 20 anos de actividade, decide encerrar as portas. Em entrevista à Carga, Heavy C explica como começou o colapso financeiro e revela que já tentou alienar alguns activos da empresa, mas não teve sucesso.

Kelly Rowland recorda “tortura” por ser constantemente comparada a Beyonce

há 3 anos
A cantora de 39 anos, -uma das pioneiras das Destiny Child, falou abertamente sobre a tortura psicológica resultante das constantes comparações, por viver na sombra de Beyonce, por uma década.

Morreu Amaro Fonseca, a voz do programa “Balumuka”

há 2 anos