Arquivo Mestre: Primeira exposição individual de Januário Jano está patente em Frankfurt e pode ser vista até Agosto

Patente desde o passado dia 18 de Maio, `Arquivo Mestre´ é a primeira exposição individual do artista Januário Jano na Alemanha, em exibição na galeria JeanClaude Maier em Frankfurt até ao dia 14 de Agosto.

Especialmente produzidas para a exposição, as obras oferecem uma experiência estética marcante, ao mesmo tempo que convidam a uma exploração mais profunda, com trabalhos que incluem instalação sonora, vídeo, têxteis, esculturas e fotografias que abordam o processo de construção e desconstrução do arquivo, memória e identidade.



Cada olhar, cada audição promete uma nova descoberta, outra pista para algo anteriormente escondido: o chilro dos pássaros saúda os visitantes dentro da exposição. Não há animais vivos, mas as gravações sonoras de espécies longínquas emanam através altifalantes. Para a instalação sonora Dusky Dorky – À Procura de Dodo, Jano mergulhou no arquivo de sons do Museu Britânico em Londres, conhecido pelas suas extensas colecções de artigos coloniais deslocados.

A deformação torna-se uma voz fantasmagórica que fala de tempos passados, um “Kazumbi”, um espírito de outro mundo, como no sistema de crenças tradicional do Ambundu. No museu, os chamamentos das aves tornam-se material de arquivo: documentado, inventariado, retirado à força do seu ambiente natural. “Kazumbi” é também o título da obra vídeo exposta.

Jano move-se nos ecrãs para sons respiratórios rítmicos, como se fosse apanhado por uma força estranha. Ele usa um vestido branco, que as suas avós também poderiam ter usado nos tempos coloniais. Não um traje tradicional, mas sim um à moda dos governantes coloniais, reminescente também de traje clerical.

A roupa do homem branco, da mulher branca, foi um primeiro passo no processo de assimilação cultural, um passo longe da própria narrativa, da memória colectiva, longe da “Mponda”, como são chamados os sacos de algodão em forma de cinto, nos quais as mulheres Ambundu preservavam as suas histórias.

As obras têxteis de Jano parecem ser uma expansão do próprio espaço: comprimentos de tecido, bolsos, estampados, formas e fotografias, costuras e fios coloridos formam um “Mponda” invertido. Sem narrativa linear, mas sim memória à medida que funciona: enredada, saltando, arrastando, meandros, repentinamente, mudando constantemente com a sobreposição de outras narrativas.

Com o `Arquivo Mestre´ , a Galeria Jean-Claude Maier contribui para os debates actuais sobre memória, privilégio de interpretação, multi-perspectiva e identidade cultural. Como o Norte Global pode viver sua responsabilidade nos tempos pós-coloniais? Até que ponto o colonialismo ainda afeta as interações globais hoje? Como pode uma coexistência no nível dos olhos se tornar concebível? Os trabalhos fotográficos de Jano revelam vestígios de violência colonial.

As cruzes cristãs serviram os conquistadores como marcadores do trabalho missionário bem sucedido, ou seja, também o deslocamento de práticas culturais, tradições e artesanato indígenas. Na Praça De Escravos as pessoas foram escravizadas sob a cruz.

“Not Stolen Goods” é uma instalação em seis partes, constituída por caixas de transporte e fotografias mostrando objectos de Angola que foram saqueados durante a época colonial, e que se encontram hoje em dia nos museus europeus. Foram transportados em tais caixotes? Serão devolvidos nestas mesmas caixas, ou será que apenas a sua documentação fotográfica, o seu pseudónimo digital, permanece?

Estima-se que mais de 80% do património cultural africano é conservado em museus e colecções privadas fora do continente. Uma geração jovem de europeus, descendentes de origem africana, está cada vez mais a levantar questões, entre outras, sobre uma identidade cultural partilhada para além da alienação e da cultura do domínio branco.

Através de obras artísticas, mitos e histórias dos seus antepassados são reavivados e fundidos com a vida quotidiana contemporânea, criando novas realidades híbridas que já não podem ser divididas num aqui e num ali.

A exposição`Arquivo Mestre´ tem o apoio da Fundação Stiftung Kunstfonds através do programa NeuStart Kultur.

as cargas mais recentes

Linkin Park: Reeditam “Hybrid Theory”, 20 anos depois do lançamento

há 2 anos
Ao longo de hora e meia de conversa Mike Shinoda, Brad Delson, Dave Farrell e Joe Hahn responderam a questões oriundas dos quatro cantos do mundo – da Tailândia e Indonésia aos Estados Unidos e Austrália, passando por Portugal – e falaram especialmente sobre o álbum que deu início ao percurso dos Linkin Park.

Nas dá início hoje à MasterClass sobre “storyteller de hip hop”

há 9 meses
Nas aulas, o nativo de Queensbridge, além de ensinar a arte da narrativa do hip hop, também vai partilhar a filosofia sobre as suas habilidades líricas e composição.

Quincy Jones afirma que os Beatles “foram os piores do mundo”

há 2 anos
Numa entrevista que se tornou viral, e pode provocar alguma polémica, Quincy Jones, lendário produtor de Michael Jackson, afirmou que os Beatles não valiam nada.

Flávio e Bill Gonçalves “Seguem Em Frente” em novo vídeoclip

há 1 ano

#UsaMascara em exposição no Camões

há 2 anos
A exposição apresenta uma seleção de 33 obras, realizadas por 30 artistas angolanos, que têm como temática transversal a prevenção e o combate à pandemia da COVID-19 em Angola.

Tupac, Ice Cube, Snoop Dogg apresentados em versão animada

há 2 anos
A última criação do animador Alex Alvarado nos permite imaginar como o ícone do Hip-Hop Tupac Shakur ficaria se entrasse no mundo da Disney.

Black Coffee apresenta set especial para o famoso concerto Tiny Desk da NPR

há 1 ano

CR7 quer jogar no Barcelona, revela imprensa internacional

há 6 meses
Segundo o jornal espanhol Mundo Deportivo, editado em Barcelona, o craque português entrou em contacto com Xavi, via Piqué, e ofereceu-se para jogar no Barcelona.

José Luís Mendonça: “Não escrevam reportagens longas porque hoje em dia já ninguém lê”

há 10 meses
Durante uma intervenção na TPA, o literata apelou que se tire o máximo proveito dos três C´s da comunicação, sob pena dos artigos não serem lidos.

Emicida: “socar nazista não é crime, é um dever humanitário”

há 1 ano
A mensagen partilhada pelo rapper parece-se mais a ironia, entretanto, está a gerar interpretações diversas, já que socar é mesmo que dizer bater.

Kristof Degrauwe expõe `A Máscara Oculta´a partir de amanhã

há 1 ano
A Máscara Oculta é uma exposição que irá decorrer de 20 de Abril à 31 de Agosto e será uma mostra de 29 fotografias tiradas entre 1999 e 2000 em Lubumbashi ( República Democrática do Congo).

Projecto “Angola 45” aguarda grande espetáculo em Lisboa com edição de um álbum

há 2 anos
O “encontro da liberdade” visa celebrar a nossa independência. Além de Bonga, participam ainda Yola Semedo, Don Kikas, Eduardo Paim, Kyaku Kyadaff, Mago de Sousa, Klaudio Hoshai, Hélvio e instrumentistas como Carlitos Xiemba, Galiano Neto, Betinho Feijó, entre outros.

Pepetela acaba de vencer mais um prémio com a obra “Sua Excelência, de Corpo Presente”

há 1 ano

C4 Pedro é o artista angolano que mais vende nas plataformas de streaming

há 12 meses
O relatórios do Spotify, Apple Music, Boom Play e Deezer indicam que, o autor de “Pele Negra” é angolano que mais vendeu nas plataformas de rscuta, com mais de 7 milhões de streamings, só no primeiro trimestre de 2021.

Arrancam hoje as aulas online de percussão corporal na Fundação Arte e Cultura

há 2 anos
As aulas serão leccionadas online no horário das 15 horas, de segunda a sexta, com Gideão Zumba, professor do Centro Cultural, da Fundação. Durante a formação, os alunos poderão ver módulos como- A bateria e sua história; Constituição da bateria; Como se sentar na bateria; Como controlar as baquetas; Rudimentos e Ritmos para tocar as primeiras músicas e serão demonstradas várias obras para que os alunos possam aprender com facilidade.

Jeff Brown lidera projecto solidário para artistas em todo mundo

há 2 anos
O músico angolano Jeff Brown é um dos “rostos” do projecto “Souljah Warriors”, que visa ajudar os músicos que perderam os meios de renda durante situações catastróficas, como a Pandemia do Coronavirus entre outras.