Arquivo Mestre: Primeira exposição individual de Januário Jano está patente em Frankfurt e pode ser vista até Agosto

Patente desde o passado dia 18 de Maio, `Arquivo Mestre´ é a primeira exposição individual do artista Januário Jano na Alemanha, em exibição na galeria JeanClaude Maier em Frankfurt até ao dia 14 de Agosto.

Especialmente produzidas para a exposição, as obras oferecem uma experiência estética marcante, ao mesmo tempo que convidam a uma exploração mais profunda, com trabalhos que incluem instalação sonora, vídeo, têxteis, esculturas e fotografias que abordam o processo de construção e desconstrução do arquivo, memória e identidade.



Cada olhar, cada audição promete uma nova descoberta, outra pista para algo anteriormente escondido: o chilro dos pássaros saúda os visitantes dentro da exposição. Não há animais vivos, mas as gravações sonoras de espécies longínquas emanam através altifalantes. Para a instalação sonora Dusky Dorky – À Procura de Dodo, Jano mergulhou no arquivo de sons do Museu Britânico em Londres, conhecido pelas suas extensas colecções de artigos coloniais deslocados.

A deformação torna-se uma voz fantasmagórica que fala de tempos passados, um “Kazumbi”, um espírito de outro mundo, como no sistema de crenças tradicional do Ambundu. No museu, os chamamentos das aves tornam-se material de arquivo: documentado, inventariado, retirado à força do seu ambiente natural. “Kazumbi” é também o título da obra vídeo exposta.

Jano move-se nos ecrãs para sons respiratórios rítmicos, como se fosse apanhado por uma força estranha. Ele usa um vestido branco, que as suas avós também poderiam ter usado nos tempos coloniais. Não um traje tradicional, mas sim um à moda dos governantes coloniais, reminescente também de traje clerical.

A roupa do homem branco, da mulher branca, foi um primeiro passo no processo de assimilação cultural, um passo longe da própria narrativa, da memória colectiva, longe da “Mponda”, como são chamados os sacos de algodão em forma de cinto, nos quais as mulheres Ambundu preservavam as suas histórias.

As obras têxteis de Jano parecem ser uma expansão do próprio espaço: comprimentos de tecido, bolsos, estampados, formas e fotografias, costuras e fios coloridos formam um “Mponda” invertido. Sem narrativa linear, mas sim memória à medida que funciona: enredada, saltando, arrastando, meandros, repentinamente, mudando constantemente com a sobreposição de outras narrativas.

Com o `Arquivo Mestre´ , a Galeria Jean-Claude Maier contribui para os debates actuais sobre memória, privilégio de interpretação, multi-perspectiva e identidade cultural. Como o Norte Global pode viver sua responsabilidade nos tempos pós-coloniais? Até que ponto o colonialismo ainda afeta as interações globais hoje? Como pode uma coexistência no nível dos olhos se tornar concebível? Os trabalhos fotográficos de Jano revelam vestígios de violência colonial.

As cruzes cristãs serviram os conquistadores como marcadores do trabalho missionário bem sucedido, ou seja, também o deslocamento de práticas culturais, tradições e artesanato indígenas. Na Praça De Escravos as pessoas foram escravizadas sob a cruz.

“Not Stolen Goods” é uma instalação em seis partes, constituída por caixas de transporte e fotografias mostrando objectos de Angola que foram saqueados durante a época colonial, e que se encontram hoje em dia nos museus europeus. Foram transportados em tais caixotes? Serão devolvidos nestas mesmas caixas, ou será que apenas a sua documentação fotográfica, o seu pseudónimo digital, permanece?

Estima-se que mais de 80% do património cultural africano é conservado em museus e colecções privadas fora do continente. Uma geração jovem de europeus, descendentes de origem africana, está cada vez mais a levantar questões, entre outras, sobre uma identidade cultural partilhada para além da alienação e da cultura do domínio branco.

Através de obras artísticas, mitos e histórias dos seus antepassados são reavivados e fundidos com a vida quotidiana contemporânea, criando novas realidades híbridas que já não podem ser divididas num aqui e num ali.

A exposição`Arquivo Mestre´ tem o apoio da Fundação Stiftung Kunstfonds através do programa NeuStart Kultur.

as cargas mais recentes

Kabudi Ely apresenta exposição “Intencidade Liberdades Individuais”

há 2 anos
O artista angolano Kabudi Ely vai apresentar-se na Galeria Tamar Golan com “Intencidade Liberdades Individuais”, uma exposição individual a inaugurar hoje, a partir das 18 horas.

Maestro Félix Costa apresenta o `Coral Yellen´

há 2 anos
Formado no primeiro semestre deste ano, o Coral Yellen é a segunda iniciativa do género que Félix Costa dá a cara depois de se desvincular da Orquestra Kapossoca. O projecto de integração social, que já conta com 27 integrantes, engloba para além do grupo coral, a dança, teatro e futebol.

Lebron James acusado de ser o principal responsável pelo fracasso dos Lakers na NBA

há 9 meses

Gari Sinedima lança EP inédito e multicultural

há 2 anos
Disponível amanhã, dia da Dipanda, na plataforma digital Musickool, para Angola, e em outros meios de distribuição online espalhados pelo mundo.

Lourenço Mussango vence prémio literário António Jacinto

há 2 anos
O escritor e jornalista Lourenço Mussango venceu ontem a edição 2020 do prémio literário António Jacinto, com a obra “Mulher Infinita”.

Andrea Bocelli recua e pede desculpas por desincentivar o cumprimento das medidas de segurança

há 2 anos
Após comentários polémicos sobre a gravidade do Covid-19 durante uma conferência no Senado italiano, esta semana, dizendo que não conhecia pessoalmente ninguém que tivesse estado nos cuidados intensivos por causa do Covid-19 e incentivou cidadãos a não cumprirem as regras de combate à doença, Bocelli veio desculpar-se publicamente.

George Floyd era rapper e membro do mesmo grupo de DJ Screw nos anos 90

há 2 anos
À medida que mais informações começam a surgir sobre a morte de George Floyd, um homem negro que recentemente se mudou para Minneapolis e foi morto sufocado por um policial, tornou-se público que Floyd era na verdade um membro do lendário grupo de rap de DJ Screw, Screwed Up Click.

Lizzy Dreamz apresenta “Estado de Emergência”

há 2 anos
Tendo em conta a actual crise que se vive em função do Covid-19, o rapper Lizzy e o Site Cenas Que Curto lançam a EP Quarentena.

LIVE do Show do Mês

há 2 anos

Filme`Tom and Jerry´chega aos cinemas em 2021

há 2 anos
A Warner Bros. divulgou esta semana o primeiro trailer do live-action `Tom & Jerry: O Filme´, trata-se da estreia das aventuras de Tom & Jerry nos cinemas desde que a animação foi lançada em 1992.

Polémico documentário sobre Michael Jackson terá continuação

há 2 anos
A primeira parte do documentário foi responsável por trazer, novamente, à tona toda a polémica envolvendo supostos assédios cometidos por Michael Jackson, além da suposta pedofilia.

Apocalipse: Masta e Lokz lançam EP colaborativa amanhã

há 6 meses
O projecto conta com as participações de Deezy no tema “Rebobina” que foi capa da Playlist Editorial TIDAL Portugal “CENA RAP”, Liriany, na música que apresenta o EP com “Plena” que fala sobre o empoderamneto feminino, Laura Varges no piano do tema de introdução do EP e ainda DJ Nel Assassin.

Koffi Olomide assina com produtora dirigida por angolano e anuncia novo álbum

há 1 ano
O “Rei do Soukus” prepara-se para colocar “Légende” (lenda), no mercado. O álbum sai num momento em que acabou por assinar com a Goldmann, produtora gerida pelo angolano Mário Kiesse da Costa.

C4 Pedro: “Estou muito feliz por ter homenageado a beleza da pele negra”

há 2 anos
Datada de 7 de Julho de 2020, a música que faz ode à pele negra acaba de “ganhar” um videoclipe. Filmado em Moçambique pelas lentes de DJ Marcel, faz juz a beleza da pele negra em toda sua plenitude, quer pelo cenário idílico ou pela diversidade dos traços.

BET Awards prevê retorno ao vivo apenas com público vacinado

há 1 ano
A lista dos nomeados ao galardão foi tornada pública hoje, com Megan Thee Stallion e DaBaby a lideram as indicações, com sete cada. Em seguida, Cardi B e Drake, com cinco para cada.

Andebol dá a primeira vitória a Angola nas Olimpíadas

há 1 ano
A selecção angolana de andebol venceu, esta madrugada, a sua similar do Japão, por 28-25, em jogo da quarta jornada do grupo A do torneio olímpico de Tóquio 2020.