Arquivo Mestre: Primeira exposição individual de Januário Jano está patente em Frankfurt e pode ser vista até Agosto

Patente desde o passado dia 18 de Maio, `Arquivo Mestre´ é a primeira exposição individual do artista Januário Jano na Alemanha, em exibição na galeria JeanClaude Maier em Frankfurt até ao dia 14 de Agosto.

Especialmente produzidas para a exposição, as obras oferecem uma experiência estética marcante, ao mesmo tempo que convidam a uma exploração mais profunda, com trabalhos que incluem instalação sonora, vídeo, têxteis, esculturas e fotografias que abordam o processo de construção e desconstrução do arquivo, memória e identidade.



Cada olhar, cada audição promete uma nova descoberta, outra pista para algo anteriormente escondido: o chilro dos pássaros saúda os visitantes dentro da exposição. Não há animais vivos, mas as gravações sonoras de espécies longínquas emanam através altifalantes. Para a instalação sonora Dusky Dorky – À Procura de Dodo, Jano mergulhou no arquivo de sons do Museu Britânico em Londres, conhecido pelas suas extensas colecções de artigos coloniais deslocados.

A deformação torna-se uma voz fantasmagórica que fala de tempos passados, um “Kazumbi”, um espírito de outro mundo, como no sistema de crenças tradicional do Ambundu. No museu, os chamamentos das aves tornam-se material de arquivo: documentado, inventariado, retirado à força do seu ambiente natural. “Kazumbi” é também o título da obra vídeo exposta.

Jano move-se nos ecrãs para sons respiratórios rítmicos, como se fosse apanhado por uma força estranha. Ele usa um vestido branco, que as suas avós também poderiam ter usado nos tempos coloniais. Não um traje tradicional, mas sim um à moda dos governantes coloniais, reminescente também de traje clerical.

A roupa do homem branco, da mulher branca, foi um primeiro passo no processo de assimilação cultural, um passo longe da própria narrativa, da memória colectiva, longe da “Mponda”, como são chamados os sacos de algodão em forma de cinto, nos quais as mulheres Ambundu preservavam as suas histórias.

As obras têxteis de Jano parecem ser uma expansão do próprio espaço: comprimentos de tecido, bolsos, estampados, formas e fotografias, costuras e fios coloridos formam um “Mponda” invertido. Sem narrativa linear, mas sim memória à medida que funciona: enredada, saltando, arrastando, meandros, repentinamente, mudando constantemente com a sobreposição de outras narrativas.

Com o `Arquivo Mestre´ , a Galeria Jean-Claude Maier contribui para os debates actuais sobre memória, privilégio de interpretação, multi-perspectiva e identidade cultural. Como o Norte Global pode viver sua responsabilidade nos tempos pós-coloniais? Até que ponto o colonialismo ainda afeta as interações globais hoje? Como pode uma coexistência no nível dos olhos se tornar concebível? Os trabalhos fotográficos de Jano revelam vestígios de violência colonial.

As cruzes cristãs serviram os conquistadores como marcadores do trabalho missionário bem sucedido, ou seja, também o deslocamento de práticas culturais, tradições e artesanato indígenas. Na Praça De Escravos as pessoas foram escravizadas sob a cruz.

“Not Stolen Goods” é uma instalação em seis partes, constituída por caixas de transporte e fotografias mostrando objectos de Angola que foram saqueados durante a época colonial, e que se encontram hoje em dia nos museus europeus. Foram transportados em tais caixotes? Serão devolvidos nestas mesmas caixas, ou será que apenas a sua documentação fotográfica, o seu pseudónimo digital, permanece?

Estima-se que mais de 80% do património cultural africano é conservado em museus e colecções privadas fora do continente. Uma geração jovem de europeus, descendentes de origem africana, está cada vez mais a levantar questões, entre outras, sobre uma identidade cultural partilhada para além da alienação e da cultura do domínio branco.

Através de obras artísticas, mitos e histórias dos seus antepassados são reavivados e fundidos com a vida quotidiana contemporânea, criando novas realidades híbridas que já não podem ser divididas num aqui e num ali.

A exposição`Arquivo Mestre´ tem o apoio da Fundação Stiftung Kunstfonds através do programa NeuStart Kultur.

as cargas mais recentes

Já estão ocupados 1513 lugares para o show das Gingas

há 2 anos
Após finalizada a primeira sessão de venda de ingressos para Gingas, o Reencontro, o coordenador geral do concerto, Figueira Ginga, fez um balanço da adesão de fãs e avaliou que o resultado foi “um grande sucesso”.

“Mário Gomes e Dalú Roger são elementos que me dão o resultado que preciso em palco”

há 2 anos
Instrumentistas revelam cumplicidade em palco.

Músicos reagem à morte de Silvio Dala: “Na América atribuímos ao racismo. Aqui vamos dizer que é o quê?”

há 1 ano
O caso do médico Silvio Dala está a causar uma corrente de protestos, até aqueles músicos que pareciam mais reservados estão a ser obrigados a soltar a voz. “Se quiserem, matem-me também”.

Sexto aniversário do Village underground Lisboa é celebrado hoje no formato broadcast

há 2 anos
Esteja em casa e a partir das 17 horas (horário de Portugal) vista roupa confortável, calce os seus melhores sapatos de dança, e encontre um lugar com espaço na casa e a melhor forma de assistir a um broadcast, que teste e confirme o som das colunas e prepare-se para desfrutar de 7 horas de uma performance artística, no canal Youtube do VU.

Dois dias depois Sinéad O’Connor arrepende-se e anuncia regresso à música

há 8 meses
Dois dias depois de anunciar a sua retirada da música, a cantora irlandesa recuou na decisão, justificando que tinha tomado a atitude por causa de algumas entrevistas que cedeu aos meios de comunicação social britânicos.

Mike Shinoda diz que Linkin Park ajudaram a tornar o Rock “menos branco”

há 1 ano
O guitarrista dos Linkin Park afirmou, durante uma entrevista, sobre o impacto do álbum Hybrid Theory, o primeiro da banda lançado em 2000, que o surgimento do seu grupo ajudou a tornar o Rock “menos branco”.

Lawilca almeja voltar ao auge

há 1 ano
Lawilca já esteve no top do Hip Hop e R&B. Em 2005, depois de conquistar grande popularidade com o seu primeiro álbum “Se Diamé”, decidiu sumir para voltar a aparecer em 2014 com o CD “Não Sou o Mesmo Homem”. Desta vez reaparece reestruturado com novos estilos musicais e quer voltar a estar no auge.

Centro Cultural do Brasil em Angola anuncia oficina de Mímica Prática

há 7 meses
No âmbito do projecto SEXTARTE- Oficina de artes à sexta-feira, esta semana, o CCBA- Centro Cultural do Brasil em Angola promove workshop mímica, com o actor e mímico brasileiro, Edgar Bustamante.

Tributo a Waldemar Bastos marca a 10° edição do Festival Internacional de Jazz

há 9 meses
O Festival Internacional de Jazz, edição 2021, decorreu sexta-feira, em Luanda, sem Sam Mangwana e Ricardo Lemvo, músicos que estavam entre os convidados, mas com uma grande homenagem a Waldemar Bastos.

Desafio lançado por cientista social resulta na produção de um livro

há 2 anos
O desafio foi lançado no Facebook e Whatsapp e embora poucos participaram, muitos aderiram. Intitulado `Aforismos´, o livro é resultado de um mecanismo de quebra de monotonia em fase de isolamento social proposto por Catarino Luamba.

Chetekela: “Adrenalina do Amor é uma música em homenagem à Cláudia, a mulher que salvou a minha vida”

há 2 anos
Pouco menos de um ano após ser lançada, a música `Adrenalina do Amor´ já incrementou dois prémios à carreira de Chetekela, nomeadamente: o prémio internacional na categoria de Artista em ascensão nos AFRIMMA 2019, e mais recentemente o de Melhor música romântica do ano 2019, na 23ª edição do Moda Luanda. Ao qual afirmou, em breve conversa com a carga, que “o desejo dos fãs cumpre-se”, e fez ainda saber tem na forja o lançamento do álbum `superação´, bem como a realização de um live com banda.

Bricia Dias apresenta aos angolanos a nova maneira de cantar o amor

há 1 ano

Após reclamar falta de benesses, Spencer Elden acusa Nirvana de pornografia infantil

há 5 meses
Em vésperas das comemorações das três décadas do álbum, o jovem americano, agora com 30 anos, decidiu se rebelar contra o Nirvana, tendo inicialmente reclamado que não enriqueceu e na semana passada decidiu abrir uma queixa, alegando que o seu nome está associado à exploração comercial.

ZAP passará a atribuir prémios a músicos e apresentadores

há 1 ano
Artistas e personalidades que se destacam na área de televisão passarão a ser distinguidos anualmente com prémio Globos Zap. A iniviativa é oficializada hoje com a abertura das votações e o anúncio da lista dos primeiros 12 nomeados.

Sambieventos, Os Lambas, Luandina e BASEL juntos contra a crise e contra a pandemia

há 2 anos

Próximo 007 será uma mulher negra

há 1 ano
A actriz britânica Lashana Lynch foi confirmada para suceder Daniel Craig como agente 007 em “007: Sem Tempo Para Morrer”, da Saga James Bond.