Artista português encontra alternativa em pássaros para contornar onda de cancelamentos de shows

Gohu, pseudónimo de Hugo Veiga, é um português que vive no Brasil há 15 anos. Desde cedo, esteve ligado à música, mas a profissão como publicitário não lhe permitia explorar esse talento. O artista tem agendado para 2021 o lançamento do álbum de estreia e, para contornar a situação dos cancelamentos de shows , foi obrigado a ser muito mais criativo.

Parece, de facto, uma obra de ficção. Os artistas actualmente encontram nos lives a melhor forma de proporcionar espectáculos, por que razão optou pelos pássaros?

A ideia inicial era de fazer um pequeno show de lançamento ao vivo. Como a quarentena o impossibilitou, poderia até fazer um live, como todos os artistas estão fazendo. Mas para um artista como eu, recém-lançado e parco em fãs, ficaria difícil. Assim, surgiu a ideia de fazer algo diferente. Como partilho o corpo com o publicitário Hugo Veiga, que entende bastante sobre como criar algo que saia do lugar comum, surgiu esta ideia de treinar passarinhos a cantar as melodias de músicas do álbum e lançá-los pelos ares de Portugal, Brasil e Angola. Já que os shows ao vivo estão proibidos, as pessoas poderão escutar as músicas ao vivo, por seres vivos. Pelo menos, essa é a história que se vê nas redes sociais.

Estes pássaros são seus? De que género se trata?

Assim como os humanos, que aprendem a falar imitando as palavras, os filhotes dos pássaros aprendem a cantar copiando a vocalização das aves adultas ao longo do seu desenvolvimento. Então, pegamos nas melodias chave das minhas músicas e, em pós-produção de áudio, criamos uma versão em canto de diferentes pássaros. A música foi gravada em loop e, durante semanas, os passarinhos foram escutando as músicas.

Para cada música, foram escolhidas espécies que melhor conseguem replicar a sua musicalidade. Em Angola, não tenho certeza de que pássaros foram usados, mas no Brasil, por exemplo, usamos bem-te-vi e pardais.

Como funciona o processo?

O processo de aprendizado foi rápido e nenhum pássaro foi maltratado.

E como é que percebe que a mensagem tem chegado aos destinatários?

A acção de lançamento do álbum é tão inusitada, que várias pessoas têm enviado mensagens “rachando o bico” (expressão brasileira que significa rir muito). Essa é a reacção principal. Crio numa indústria de entretenimento e surpreender as pessoas de uma forma positiva é o que me move. Quer seja pela música, quer seja pelo jeito de a trazer ao mundo.

Há quanto tempo começou e quais têm sido as dificuldades?

O projecto do Gohu começou a ser trabalhado há cerca de um ano, mas a vontade de lançar um projecto musical sempre esteve latente ao longo da vida. A maior dificuldade é tempo. O Hugo Veiga gere o escritório de uma agência de publicidade em São Paulo, que absorve muito do seu tempo.

O processo de criação até acaba por ser muito digital. A maioria das músicas é vocalizada em áudios de Whatsapp, acompanhada de referências, que são muito bem traduzidas pelo produtor musical e amigo, Emerson Martins da bamba Music.

Referiu que a mensagem já chegou a Portugal. Estas aves andam à solta?

Vários passarinhos têm surgido em stories de várias pessoas e influencers. Se os passarinhos são reais ou não, prefiro deixar a resposta no imaginário de cada um.

Também foi forçado a cancelar shows por causa do Covid-19?

Como ainda só tenho um single lançado, não tinha nenhum show marcado.

Já começa a haver menos espaço para o Hugo, como vai gerir isso?

Como em tudo nesta vida, sempre dá para achar um equilíbrio. Até hoje, o Hugo Veiga monopolizou a agenda do Gohu. Acredito que haja agora espaço para umas apresentações ao vivo no Brasil, Portugal e até em qualquer outro país de onde surja um convite.

Sabe-se que o álbum de estreia está previsto para o próximo ano. Como andam as coisas?

O álbum ainda não tem nome, mas já tem corpo e alma. Neste momento, tenho 10 músicas produzidas, mas pode ser que mude algumas e crie outras. Vai Ficar Fixe, por exemplo, teve que ter a sua letra reescrita para fazer sentido em tempos de pandemia. Estamos vivendo um período em que as coisas mudam da manhã para a tarde. Até ao começo de 2021, data que pretendo lançar o álbum, muita coisa pode mudar.

Antes disso, se prevê alguns concertos de apresentação do mesmo?

Estou aberto e ficaria feliz se isso acontecesse.

Quando seria a possibilidade de um concerto em Portugal?

Assim que as passagens de avião forem retomadas e haja interesse do público.

Depois da música ‘Vai Ficar Fixe’, o que seguirá nos próximos 40 dias?

Nas próximas duas semanas, irei lançar um remix de “Vai Ficar Fixe” por um grande DJ brasileiro. No final de Maio ou começo de Junho será lançado o segundo single ‘A Santa levantou a Saia’, que é um hino à liberdade e aceitação pessoal. 

Que participações reservam o álbum?

Até agora, tenho dois feats confirmados com dois amigos. Um de infância, que é cantor profissional, e outro de faculdade, que é um conhecido apresentador de TV. E claro, estou aberto a outras parcerias. Adoraria cantar junto com um artista angolano.

Que palco já passou e que reserva maiores recordações ?

Música sempre foi a minha maior paixão criativa. Aos 16 anos, com amigos do clube de Atletismo que frequentava, fundei os Moda Foca (Osvaldo Barbosa, Ricardo Correia, Nuno Trindade e o Adelino), uma banda sem fãs, nem talento, que levou os vizinhos que escutavam os nossos ensaios à loucura. Ainda assim, os Moda Foca ainda deram vários concertos/shows ao vivo. O primeiro deles, aconteceu no subsolo do Padaria Bar. Deviam estar uns 15 desconhecidos e uns 15 amigos. O palco era tão pequeno, que eu tive que cantar no meio da pista “protegido” por um segurança. Os Moda Foca tocavam grunge, e a primeira música era a mais forte de todas. Assim que “Dead or Alive” elevou a sua força, o pessoal todo começou ao mosh. O segurança tentava conter a multidão (eram 30, mas pareciam 300… 3 mil).

Este foi o momento criativo mais feliz da minha vida: partilhar a minha música com amigos e 15 desconhecidos. Quem sabe agora, vou recolher memórias tão enriquecedoras quanto esta.

as cargas mais recentes

Produtoras angolanas rejeitam pagar direitos autorais a seus artistas

há 3 meses
De acordo com o director geral da Sadia, os proprietários das produtoras, rejeitam pagar direitos de autor, e dizem que “não podem pagar”. Sem citar nomes, Lucioval Gama revela que o estranho é que são das mais conceituadas produtoras.

Melhores dançarinos de Kizomba e Semba de Luanda serão conhecidos este sábado

há 6 meses
Dançarinos de Kizomba e Semba serão distinguidos este sábado, no Centro Cultural Brasil Angola, em Luanda, durante uma gala para atribuição do título de Campeões de Dança Kizomba e Semba Municipal de Luanda 2021.

Rappers angolanos em destaque na revista científica brasileira

há 12 meses
A renomada revista científica brasileira de ciências humanas “Convergência Crítica” decidiu destacar na sua primeira edição Kid MC, MCK, Kamessu e Flagelo Urbano.

Chris Brown está a ser acusado de espancar uma mulher até deslocar a textura da cabeça

há 7 meses
De acordo com a suposta vítima, Chris Brown bateu-a na nuca com tanta força que a textura da parte de trás da cabeça saiu. Este final de semana, a polícia deslocou-se à casa do cantor.

Andrea Bocelli recua e pede desculpas por desincentivar o cumprimento das medidas de segurança

há 1 ano
Após comentários polémicos sobre a gravidade do Covid-19 durante uma conferência no Senado italiano, esta semana, dizendo que não conhecia pessoalmente ninguém que tivesse estado nos cuidados intensivos por causa do Covid-19 e incentivou cidadãos a não cumprirem as regras de combate à doença, Bocelli veio desculpar-se publicamente.

This Is Not a White Cube anuncia participação na 8ª edição da 1-54 Contemporary African Art Fair

há 1 ano
A feira de arte que vai decorrer em Londres na Somerset House de 8 a 10 de outubro de 2020, será prestigiada com a presença da galeria angola, a ser representada pelos artistas: Alida Rodrigues, Patrick Bongoy, Pedro Pires e Nelo Teixeira.

In Memory We Trust: Exposição de René Tavares marca a abertura da nova galeria THIS NOT A WHITE CUBE

há 8 meses
A mostra integra mais de 30 obras produzidas entre 2012 e 2021, muitas das quais inéditas e expõe, através de dois núcleos distintos – divididos entre Lisboa e Luanda – uma variedade significativa de meios que vão da pintura ao desenho, passando pela fotografia e pela instalação.

Regina Duarte deixa “devolve” a pasta da Cultura brasileira

há 2 anos
O anúncio foi feito a partir do Twitter do Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro. O mesmo dava conta da demissão de Regina Duarte da secretaria especial da Cultura do Governo brasileiro, alegando motivos pessoais. A actriz que tomou posse no início de Março, deixou as pastas e, vai agora dirigir a Cinemateca de São Paulo.

Revanche do ‘Verzuz battle’ Swizz Beatz vs Timbaland acontece já amanhã

há 8 meses
Os dois co-fundadores do Verzuz vão defrontar-se mais uma vez, porém, ao contrário do que foi feito em Março de 2020, Swizz Beatz e Timbaland, sairão do Instagram para protanizar um battle ao vivo, a partir de Miami.

Ministra da Cultura, Turismo e Ambiente encoraja profissionais a fazerem da música o baluarte da divulgação e representação da angolanidade

há 1 ano
Para assinalar a data, a Ministra da Cultura, Turismo e Ambiente, Adjany Costa, endereçou uma nota à classe artísticas a “encorajar e ao mesmo tempo felicitar todos os músicos, associações culturais ligadas à arte musical, prestadores de serviços e similares a continuarem a fazer da cultura nacional e da música, em particular, o baluarte da divulgação e representação da angolanidade”.

Dog Murras: “ Em Angola a maioria dos músicos desconhece o seu papel e não tem noção do seu valor”

há 2 meses
O 22 de Novembro é conhecido como o dia do músico, sobretudo nos países de tradição católica, para lembrar Santa Cecília, padroeira da classe que, reja a estória, na noite de núpcias, recusou perder a virgindade, em troca, cantou para o esposo. Em torno da data, Dog Murras apresentou sua reflexão.

Morreu Serginho Trombone

há 2 anos
O artista era tido como um dos instrumentistas mais importantes da Música Popular Brasileira.

Somos Angola Somos Cultura: Jomo Fortunato reitera que o Palácio de Ferro está aberto a propostas culturais

há 7 meses
Numa altura em que a ala artística insurgia-se contra as medidas restritivas face à Covid-19, o Ministro da Cultura, Turismo e Ambiente, Jomo Fortunato, afirmou em entrevista ao Jornal da Zimbo que será inaugurado o Projecto `Somos Angola Somos Cultura´, justamente para ajudar a minimizar as dificuldades do sector cultural.

Kuta: O artista plástico que leva a herança espiritual angolana ao mundo

há 6 meses
Kuta entrou no mundo das artes muito jovem e tornou-se agora o mensageiro da espiritualidade ancestral negra “nkissi”. Está neste momento a preparar uma nova exposição, que inclui esculturas, pinturas e documentário.

Morreu Dj Pzee Boy após sofrer complicações no estômago

há 8 meses

Já está disponível o segundo single da saga `Quarentena Rija´

há 2 anos
`Relationship Goals´ é cantada por Prodígio, Don G e Deezy e conta com a produção de Adjane Rafael e Juzicy, baixos de Ivo Magic e scratchs do DJ Fifty.