Artista Ricardo Fanju transforma blindados e tanques de guerra em belas obras de artes no Bailundo

O artista espanhol Ricardo Fanju começou no Bailundo, província do Huambo, o projecto de transformação dos blindados e tanques de guerra em belas obras de artes, trazendo para o mundo e para os angolanos a mensagem de uma Angola sem guerra e, transformar o que noutrora seria motivo de tristeza em verdadeiros pontos turísticos.

A ideia de pintar os tangues surgiu depois de o artista ver os tanques, sujos, feios, estragados, formando parte da paisagem. Imaginou que podiam ser um “reclame” atrativo, um ponto de interesse turístico, o país dos tanques pintados.

O projeto consiste em pintar os blindados e tanques de guerra abandonados, que estão espalhados por todo o país, mas dando começo na sede do Bailundo, zona onde a guerra golpeou muito. Pretende-se para isso reunir os esforços, os de artistas angolanos emergentes e os artistas já consolidados, e os esforços que o artista considera mais importantes, os das crianças angolanas a pintar um blindado, dando vida a esta nova etapa de Angola.

Pretende-se ainda dar a conhecer ao mundo que a etapa da guerra e dor em Angola já foi superada, que Angola está realmente a mudar, e não há nada melhor que uma imagem que vale mais que mil palavras, uma imagem que é capaz de transformar uma lembrança desse passado obscuro e sombrio em algo bonito e alegre.  É dizer ao mundo, “Sim, em Angola ouve muita guerra e destruição, mas isso já é parte do passado, hoje você pode vir ao nosso país com total tranquilidade, será bem recebido”.

“Nas minhas viagens pelo país sempre encontrei a mesma imagem, blindados ao longo da estrada, como se fosse algo normal, quando é algo totalmente anormal, que em poucos lugares do mundo acontece. Sendo uma visão desoladora, vamos pelo menos torna-la bonita e atrativa”, disse o artista Ricardo Fanju.

Colocar Angola no mapa já que, de acordo com o artista, na Europa quase ninguém sabe aonde fica Angola, sendo que a única coisa que conseguem imaginar são “minas, miséria, guerra e catanas”, não obstante as valências que Angola tem; fechar feridas, promover a arte como veículo de integração, figuram-se entre os grandes objectivos do projecto.

“No meu país, ainda se fala da guerra civil que terminou no ano 1936!!! Ainda há velhos ressentimentos entre os dois bandos antigamente enfrentados. Queremos aprender dos nossos erros, e tratar que não se repitam cá. Os que têm talento podem se expressar, dando valor ao país com as suas contribuições”, destaca Ricardo Fanju.

O projecto está em fase embrionária e já foram pintados dois tanques de guerra. O artista receia descarta o risco pelos engenhos explosivos, porquanto receia mais das abelhas que encontra nos blindados e nos sucateiros que estão a cortar os tanques aos bocados para vender como ferro velho. “Agora a sério, sempre vamos pelo lado seguro, sabemos aonde podemos entrar, são zonas de transito habitual das pessoas”.

as cargas mais recentes

Kanye West declara guerra à indústria musical

há 2 anos
Alguns dias depois de ter duramente criticado a indústria musical, o rapper partilhou, ontem, um vídeo a urinar numa estátua dos Grammy, a mais importante distinção da música nos Estados Unidos da América.

16 anos depois, Sagrada volta a bater Petro na última jornada do Girabola

há 2 anos
Com estilos de jogo completamente diferentes, as duas equipas entraram no jogo igualadas a 67 pontos nas primeiras posições, sendo que na final da jornada o Sagrada levou o melhor com 70 pontos, com golo apontado aos 22 minutos por Luís Taty, ainda na primeira parte.

Megan The Stallion é eleita a rapper do ano pela GQ

há 2 anos
A rapper está numa das três versões da capa da revista ao lado de George Clooney e Trevor Noah. Na entrevista, The Stallion fala sobre crescer cercada por mulheres negras fortes em Houston e os desafios que todas enfrentaram.

DJ Pelé, Flagelo Urbano e Ikonoklasta representam a classe artística na manifestação

há 2 anos
Os músicos Flagelo Urbano, Ikonoklasta, Ready Neutro, MCK e DJ Pelé representam, a classe artística na manifestação pacífica, que decorreu hoje, em Luanda, visando alertar ao governo para fim do elevado custo de vida no país, mas que terminou com a confirmação de mortes.

Vencedora do Festival da Canção de Luanda apresenta primeiros projectos

há 2 anos
Além do principal prémio, Heróide dos Prazeres foi considerada a melhor voz do ano do Festival da Canção de Luanda, mas não é só o timbre vocálico que chama atenção, ela também escreve, e foi com a sua própria composição que ultrapassou vozes de referência da música angolana.

René Bombástico apresenta single inspirado no filme “Os Três Idiotas”

há 3 anos
Intitulada Baka Baka( idiota, em Japonês), está disponível desde hoje em várias plataformas digitais para download e, de acordo com os indicadores referenciados por Bombástico, está a ter boa aceitação.

Waldemar Bastos e Carlos Burity homenageados na Galeria do Semba

há 2 anos
Volvido um mês após o passamento físico dos dois “astros” da música angolana, a Professora Rosa Roque concebeu um tributo para enaltecer os feitos de Waldemar Bastos e Carlos Burity.

Nayo Crazy já pode voltar a cantar

há 2 anos
Apesar de ainda não se recuperar totalmente da visão perdida em 2013, Nayo Crazy já consegue enxergar minimamente e, segundo ela, os médicos que a operaram já a autorizaram a voltar a cantar e subir aos palcos.

JP da Maika disponibiliza “Um Pouquito Para Cá Por Favor”

há 2 anos
A finalizar os últimos temas do álbum “DaMaika Season”, traz-nos uma versão mais moderna e arrojada da sua kizomba, sensual, urbana e atrevida.

Apple investe 50 milhões de dólares em plataforma de artistas independentes

há 2 anos
A distribuidora independente de música UnitedMasters anunciou que recebeu uma “rodada” de investimentos liderada pela Apple, que visa ajudar artistas independentes a ganhar uma posição e estabelecer uma carreira no negócio da música.

Jay-Z lança sua própria marca de canábis “Monogram”

há 2 anos
O rapper anunciou ontem o lançamento da sua marca de maconha chamada “Monogram”, um negócio pleanedo há muito, e só foi possível realizá-lo agora por causa do abrandamento das leis da distribuição do produto nos EUA.

Matias Damásio apresenta novo álbum no dia da Independência

há 2 anos
O CD será apresentado na plataforma “Kison”, da Unitel, no mesmo dia em que o país vai comemorar 45 anos de independência.

Filme sobre Murais da Leba disputa Grande Prémio de Cinema Brasileiro

há 3 anos
O filme torna-se assim no primeiro realizado em África a entrar no circuito comercial de cinema brasileiro. Intitulado ‘As Cores da Serpente’, a longa-metragem narra o desafiante processo artístico dos jovens grafiteiros sobre os Murais da Leba.

JLO felicita músicos angolanos

há 3 anos
O Presidente da República, João Lourenço, felicitou, neste domingo, os músicos angolanos por ajudarem a população, com a realização de shows live, a suportar a solitude do confinamento social imposto pela pandemia da covid-19.

Lil Saint falha no directo e Uami Ndongadas abre o #FestivalMúsicaNoKubico

há 3 anos

Chetekela: “Adrenalina do Amor é uma música em homenagem à Cláudia, a mulher que salvou a minha vida”

há 3 anos
Pouco menos de um ano após ser lançada, a música `Adrenalina do Amor´ já incrementou dois prémios à carreira de Chetekela, nomeadamente: o prémio internacional na categoria de Artista em ascensão nos AFRIMMA 2019, e mais recentemente o de Melhor música romântica do ano 2019, na 23ª edição do Moda Luanda. Ao qual afirmou, em breve conversa com a carga, que “o desejo dos fãs cumpre-se”, e fez ainda saber tem na forja o lançamento do álbum `superação´, bem como a realização de um live com banda.