Black Coffee consquista Grammy pela primeira vez em 19 anos de “luta”

Na sua primeira indicação ao principal prémio da indústria norte-americana de música, o renomado dj e produtor sul africano levou ontem para casa um Grammy ‘Melhor Álbum’ Dance/Eletrónico pelo álbum Subconsciously, durante a cerimónia em Las Vegas.

Acompanhado do filho, Coffee de 46 anos agradeceu a Deus por lhe ter dado o dom da música e poder compartilhá-lo com o mundo, para sarar almas e ajudar as pessoas a passarem por tudo o que estão a passar.

19 anos após sua primeira grande aparição no evento Red Bull Music Academy, em 2003, o sul africano reconheceu, também, o apoio dos fãs ao redor do mundo por acreditarem em si ao bater na concorrência Illenium, Marshmello, Sylvan Esso e Dez Cidade.

Depois de dois anos seguidos sem edições, por causa  do Covid-19, das 11 categorias deste ano, Jon Batiste ( que entrou nas 11 indicações) levou o melhor, ao arrebatar 5 prémios, inclusive o mais importante da noite, o de “Álbum do ano”.

Outro grande destaque caíu para Silk Sonic, formada por Anderson .Paak e Bruno Mars, que levou três prémios nas categorias canção do ano, gravação do ano e melhor performance de R&B.

Os Foo Fighters também venceram em três categorias: álbum de rock, música de rock e performance de rock. A banda faria apresentação no evento, mas cancelou a ida ao Grammy após a morte do seu baterista Taylor Howkins.

O sistema de indicações deste ano mudou. Antes, as decisões eram tomadas por 15 a 30 especialistas, cuja identidade era desconhecida. Agora, as indicações foram feitas após votações dos 11 mil integrantes da academia. As mudanças vieram após as críticas feitas pelo cantor The Weeknd, que não havia sido indicado em nenhuma categoria na edição passada. Além disso, o número de indicados nas categorias principais aumentou de oito para dez.

as cargas mais recentes

Covid-19: Músicos e realizadores de eventos descrevem os prejuízos da semana

há 2 anos

Swizz Beatz agradece reconhecimento do Grammy, mas desaconselha artistas a se iludirem por premiações

há 1 ano
O mega produtor usou a conta oficial do Instagram para partilhar uma reflexão sobre o Grammy: “Um troféu de 200 dólares não define quem somos”.

Karen Pacheco traz o “Colar de Pérolas” à Angola

há 2 anos
Depois de tê-lo feito em Portugal, ao vivo, a escritora angolana Karen Pacheco apresenta no dia 23 deste mês (quinta-feira), a partir das 21 horas, no seu instagram, o seu livro intitulado “O Meu Colar de Pérolas”.

Governo britânico homenageia banda “Queen” nos selos

há 2 anos
Uma série de 13 selos personalizados do “Queen” serão vendidos no dia nove (9) de Julho, em comemoração aos 50 anos de uma das bandas mais icónicas de sempre.

Coréon Dú denuncia que há promotores de eventos a roubarem sua marca “I Love Kuduro”

há 3 meses

Advogado se retrata após prestar informações erradas sobre o estado de saúde de DMX

há 1 ano
Ontem a noite, parecia que a comunidade Hip-Hop tinha recebido um vislumbre de esperança após a notícia assustadora de que DMX estava em estado vegetativo. No entanto, a informação que X já respirava sem a ajuda de aparelhos, era falsa.

Dupla Tieijci & Vilson lançam ‘Café’, a EP que começa já a “somar”

há 6 meses
O tema Somar, além de ser o cartão postal do projecto, é uma música que traduz a motivação dos artistas, em ir atrás do que pretendem ser e ter, e ao mesmo tempo, traz linhas de ataque para artistas que não pratiquem a mesma arte com a mesma seriedade.

Justin Bieber: “Eu amava a música, mas deixei-me levar pelo ego e o poder”

há 2 anos
Justin Bieber partilhou uma mensagem com os fãs no Instagram, falando sobre as “inseguranças e frustrações” que o afectaram quando era adolescente, reconhecendo que deixou-se levar pelo ego.

Big Nelo e Prodígio ministram aula magna sobre o segredo do sucesso

há 1 ano
Os músicos Big Nelo e Prodígio vão partilhar, nos dias onze e doze de Dezembro, experiências e segredos que os levaram ao sucesso, através de um masterclass.

Sabia que num dia como hoje uma festa inspirava o surgimento do Hip Hop?

há 2 anos
Tudo aconteceu há 47 anos atrás, no dia 11 de Agosto de 1973, quando o jamaicano, DJ Kool Herc organizou uma festa, no Bronx em Nova Iorque, que mudou para sempre a história da música pop. A festa que foi inicialmente organizada para a celebração do aniversário de Cindy Campbell, irmã do DJ, ganhou outros contornos tendo reunido no mesmo espaço os quatro elementos da kultura Hip hop e desde então, os irmãos passaram a ser considerados os pais do movimento.

Escritor Lourenço Mussango reage à decisão do INIC sobre a retirada do Prémio António Jacinto

há 1 ano
Em reacção à decisão, Lourenço Mussango afirmou que tanto o júri como o INIC não fizeram nenhuma avaliação das provas materiais para se chegar à conclusão sobre quem plagiou quem.

Tiffany Haddish rejeita dirigir o Grammy Awards

há 1 ano
Apesar de estar indicada ao Grammy 2021 na categoria melhor álbum de comédia – por “Black Mitzvah”, seu trabalho para a Netflix, Tiffany Haddish não aceitou apresentar o evento, pese embora a organização ter esclarecido ser uma instituição sem fins lucrativos.

Covid-19: Trey Songz anuncia que está infectado e pede que fãs tenham mais cuidado

há 2 anos
Após anunciar que lhe foi diagnosticado o novo Coronavírus, Trey Songz pediu aos seguidores para que encararem a doença a sério e “não sejam como o presidente”, porque no início deste ano, seu avô morreu da pandemia.

Netflix anuncia produção de documentário sobre Emicida

há 2 anos
Intitulado ‘Amarelo – É tudo para ontem’, contém entrevistas e cenas de bastidores, de um show no Theatro Municipal de São Paulo em 2019.

Netflix narra história da vida real do primeiro samurai negro

há 1 ano
O pano de fundo da vida do guerreiro está envolto em mistério, mas ele provavelmente terá passado a maior parte do tempo pré-samurai no território indígena de Goa, controlado por portugueses, como um escravo treinado em combate.

Amosi Just A Label e Paulo Flores representam o país no Sons de África

há 2 anos
Descrita como a primeira série regular de concertos ao vivo pan-continental a emergir em África, o espectáculo reúne artistas de 17 países africanos e Angola estará representada por Amosi Just A Label e Paulo Flores.