Bú Cherry- Uma voz conhecida com talentos desconhecidos: “Não havia espaço para mostrar esse outro talento”

Poucos ou quase ninguém sabe que, se tivesse oportunidade, Bú Cherry já seria hoje uma das grandes vozes do Kizomba nacional e vai concretizando sua paixão na Milionário Records.

No Kuduro, Bú Cherry já mostrou que não tem nada a provar, basta recordamos seus principais sucessos, e procura fazer o mesmo com o Kizomba. Diferente das batidas fortes acompanhadas de coreografias “exóticas” por cima dos versos, o Kizomba apresenta cadência lenta e o seu público é um pouco mais exigente, e Bú diz estar ciente disso.

Tem um percurso de aproximadamente 8 anos. Começou na Guetto Produções, passou pela Power House, hoje assume-se como uma “milionária” e decidiu exprimentar um outro estilo de música. Será que Bú Cherry vai abandonar o Kuduro, um estilo que a tornou conhecida no mundo da música?

Esta e outras perguntas, a artista responde nesta entrevista, onde também fala em álbum.

Bú Cherry- Uma voz conhecida com talentos desconhecidos: “Não havia espaço para mostrar esse outro talento”

Teve que fazer uma grande mudança na carreira: desde as letras, beats ao vestuário. Como fez para conseguir se adatar? 

Sim, tive mesmo que fazer uma grande mudança devido ao novo estilo que agora apresento aos meus fãs, não foi fácil, mas eu sou muito receptível a mudanças, então consegui me enquadrar!

Estava ciente de que a troca de estilo, implicaria muita coisa. Por que razão aceitou o desafio?

Para já, não troquei de estilo, estou a apresentar algo diferente aos meus fãs, que muitos não sabiam que existia esse meu lado e os poucos que sabiam apoiavam muito. Aceitei o desafio porque, além de gostar de desafios na minha vida profissional, eu estava ciente de que os meus fãs gostariam dessa nova “Bu Cherry”

Além das letras caracterizadas pela agressividade, o Kuduro é acompanhado pela batida forte e dança exóticas, contrário do Kizomba. Que caractericas do Kuduro levará para o teu kizomba?

A Atitude! Certeza absoluta! (Risos), tanto que em algumas actuações (quando a adrenalina tá no auge), tenho que me comedir porque agora faço kizomba! E nem de propósito, costumam me chamar “Pérola Mini” pela grande atitude e perfomance que a nossa diva tem.

O quê que está a marcar esta mudança ?

Está a marcar uma nova fase na minha fase. Faz-me ver muitas coisas de outra forma, ter ideias muito criativas e faz-me ser um ser humano multifacetado, e eu gosto disso, ( risos).

Quer dizer que ainda voltará a cantar Kuduro?

Claro que vou cantar. Vem aí um feat com uma kudurista angolana conceituada!

O que realmenten a influenciou a cantar Kizomba?

Desde sempre fiz canto, desde os meus 10/11 anos de idade! Mas, fiquei conhecida pelo Kuduro e muita gente não sabia que existia essa musicalidade dentro de mim, então, decidi começar a explorar esse outro lado.

A música “Nakuzanga” revela-a como boa compositora. Como escreveu este tema?

(Risos), com sentimento de amor que tenho pela arte, sempre!

Quem a vê cantar “És Tu” pela primeira vez, jamais pensará que cantava Kuduro. Porquê que não optou em se dedicar ao Kizomba no início de carreira?

Como já tivera dito antes, fiquei muito conhecida só pelo Kuduro e, na altura, não havia ainda espaço para mostrar esse outro talento.

Diferente do Kuduro, o público do Kizomba é mais exigent e gosta de álbuns. Quando pensa lançar o seu primeiro álbum?

Por conta dessas exigências, penso em firmar melhor o meu nome no mundo da Kizomba e quando Deus quiser, lançarei.

Para quando o álbum e que projectos tem em carteira este ano?

Muitos. Quais não posso dizer, mas rezo para que as doenças no mundo não piorem porque é só coisa boa.

Que experiências viveu e não gostaria de voltar a viver nesta nova fase da sua carreira?

Olha, graças a Deus sempre fui tão bem acompanhada profissionalmente que, sinceramente, não me lembro de viver experiências dolorosas e não as querer voltar a viver.

Qual é o seu grande objectivo com na Milionário Records?

Quero chegar ao mais alto nível possível da minha carreira, para que eu possa levantar o nome da produtora e o meu!

as cargas mais recentes

Primeira edição do Sambizanga Ritmo & Poesia será lançada no dia 24 deste mês

há 6 meses
Concebido apenas para a geografia do histórico distrito, o projecto abriu na semana passada homenageando Dom Caetano, Prado Paim, Carlos Lamartine, a escritora Yola Castro, o humorista Costa Vilola, o jornalista Ernesto Bartolomeu e o grupo carnavalesco União Kiela do Sambizanga.

Black Diamondz: Entretenimento negro conta com canal exclusivo na Zap

há 4 meses
Numa altura em que a televisão ocupa um lugar importante e de destaque para as famílias, a ZAP anunciou em comunicado que acaba de reforçar a sua oferta de canais com o lançamento do Black Diamondz e Cubayo, melhorando a sua extensa variedade de conteúdos musicais, com o objectivo de diversificar a oferta de canais de entretenimento.

Sam Smith está a enfrentar problemas mentais

há 1 ano
O cantor reiterou aos fãs que lida com questões de saúde mental no seu dia-a-dia, uma situação que caminha para o mais difícil “serão mais difíceis que os outros dias”, admite.

The Miseducation of Lauryn Hill: eleito o melhor disco de Rap da história

há 1 ano
O álbum de estreia de Lauryn Hill, The Miseducation Of Lauryn Hill, foi considerado um dos melhores álbuns de todos os tempos, e o melhor álbum de Rap, pela Rolling Stone.

Grão de Milho: Já está disponível o novo single de Eddie Pipocas

há 7 meses
Nesta faixa, Eddie volta a colaborar com Mister Isaac, e ambos conseguem resgatar um pouco das origens do blues, que se conecta com o Lo-Fi Hip Hop, e culmina na música urbana que facilmente ouvimos e consumimos.

Sabia que hoje comemora-se o Dia Internacional do DJ?

há 7 meses

Tropa Yogaa: Uma lufada de ar fresco para o Afro House

há 1 ano
Tropa Yogaa é uma dupla relativamente nova, mas está a chamar a atenção pela forma como combina a música e a dança ao fisioculturismo. Formada por Fredy Lück Toks e Yuri Paulo Betão, o duo está no Afro House desde 2016 e falam à Carga sobre como nasce a intenção de juntar a dança e música ao fisioculturismo.

Andrea Bocelli canta para uma catedral sem público

há 2 anos
O concerto a solo denominado Music for Hope realiza-se a 12 de Abril (Dia da Páscoa) na Duomo, a catedral de Milão e será transmitido, em directo no canal do YouTube do músico.

Lil Wayne disponibiliza terceira mixtape da saga `No Ceilings´

há 11 meses
Para Lil Wayne, `No Ceilings 3´ veio ressuscitar a cenas das mixtapes, que parecia já ser uma arte em extinção e, sendo um dos pioneiros, achou oportuno reoxigenar, uma vez que considera que a mesma ter um papel importante no apogeu da sua carreira.

História dos N´gola Ritmos e Banda Maravilha serão contadas hoje na Tv

há 8 meses

Rui Orlando canta na Casa 70

há 7 meses
O músico Rui Orlando vai reabrir a temporada musical na Casa 70 no dia 14 de Abril, dando sequência nos dias 15 e 16 do mesmo mês, num evento produzido pela LS Republicano.

Já está disponível o segundo single do álbum ‘Boyca 4 Life Vol. II’

há 1 ano
Intitulado ‘passado’, neste segundo single do próximo álbum, os Boyca fazem uma retrospectiva da sua carreira.

Já está disponível o segundo single promocional do Projecto ShowTimeCollection

há 10 meses
Da autoria de Gedson, `Hustler´ dá continuidade ao projecto ` ShowTimeCollection´, a música é lançada após Megga Skills, CEO da label, fazer as “honras da casa” com single `Tá Doce´.

Artistas poderão registar obras em Angola a partir de Maio

há 1 ano
A Sociedade Angolana dos Direitos de Autor (SADIA) apresenta no dia seis (6) de Maio a sua plataforma online, onde os artistas poderão registar as suas obras e protegê-las da pirataria e não só.

Álbum`Rough and Rowdy Ways´ marca o retorno de Bob Dylan

há 1 ano
O músico norte-americano Bob Dylan lançou o seu 39º álbum de originais, intitulado “Rough and Rowdy Ways”, no dia 19 de Junho, tratando-se do primeiro álbum de originais desde “Tempest”, de 2012. A obra remonta para os anos 60 e é a confirmação que Bob está longe da reforma.

Rihanna pode finalmente estar a preparar o seu retorno musical

há 5 meses
A espera de cinco anos, pode finalmente estar a chegar ao fim, quem o diz é o jornal The Sun, que noticiou com exclusividade que Rihanna contratou recentemente o director britânico Raja Virdi, para gravar um novo videoclipe em Julho.