Bú Cherry- Uma voz conhecida com talentos desconhecidos: “Não havia espaço para mostrar esse outro talento”

Poucos ou quase ninguém sabe que, se tivesse oportunidade, Bú Cherry já seria hoje uma das grandes vozes do Kizomba nacional e vai concretizando sua paixão na Milionário Records.

No Kuduro, Bú Cherry já mostrou que não tem nada a provar, basta recordamos seus principais sucessos, e procura fazer o mesmo com o Kizomba. Diferente das batidas fortes acompanhadas de coreografias “exóticas” por cima dos versos, o Kizomba apresenta cadência lenta e o seu público é um pouco mais exigente, e Bú diz estar ciente disso.

Tem um percurso de aproximadamente 8 anos. Começou na Guetto Produções, passou pela Power House, hoje assume-se como uma “milionária” e decidiu exprimentar um outro estilo de música. Será que Bú Cherry vai abandonar o Kuduro, um estilo que a tornou conhecida no mundo da música?

Esta e outras perguntas, a artista responde nesta entrevista, onde também fala em álbum.

Bú Cherry- Uma voz conhecida com talentos desconhecidos: “Não havia espaço para mostrar esse outro talento”

Teve que fazer uma grande mudança na carreira: desde as letras, beats ao vestuário. Como fez para conseguir se adatar? 

Sim, tive mesmo que fazer uma grande mudança devido ao novo estilo que agora apresento aos meus fãs, não foi fácil, mas eu sou muito receptível a mudanças, então consegui me enquadrar!

Estava ciente de que a troca de estilo, implicaria muita coisa. Por que razão aceitou o desafio?

Para já, não troquei de estilo, estou a apresentar algo diferente aos meus fãs, que muitos não sabiam que existia esse meu lado e os poucos que sabiam apoiavam muito. Aceitei o desafio porque, além de gostar de desafios na minha vida profissional, eu estava ciente de que os meus fãs gostariam dessa nova “Bu Cherry”

Além das letras caracterizadas pela agressividade, o Kuduro é acompanhado pela batida forte e dança exóticas, contrário do Kizomba. Que caractericas do Kuduro levará para o teu kizomba?

A Atitude! Certeza absoluta! (Risos), tanto que em algumas actuações (quando a adrenalina tá no auge), tenho que me comedir porque agora faço kizomba! E nem de propósito, costumam me chamar “Pérola Mini” pela grande atitude e perfomance que a nossa diva tem.

O quê que está a marcar esta mudança ?

Está a marcar uma nova fase na minha fase. Faz-me ver muitas coisas de outra forma, ter ideias muito criativas e faz-me ser um ser humano multifacetado, e eu gosto disso, ( risos).

Quer dizer que ainda voltará a cantar Kuduro?

Claro que vou cantar. Vem aí um feat com uma kudurista angolana conceituada!

O que realmenten a influenciou a cantar Kizomba?

Desde sempre fiz canto, desde os meus 10/11 anos de idade! Mas, fiquei conhecida pelo Kuduro e muita gente não sabia que existia essa musicalidade dentro de mim, então, decidi começar a explorar esse outro lado.

A música “Nakuzanga” revela-a como boa compositora. Como escreveu este tema?

(Risos), com sentimento de amor que tenho pela arte, sempre!

Quem a vê cantar “És Tu” pela primeira vez, jamais pensará que cantava Kuduro. Porquê que não optou em se dedicar ao Kizomba no início de carreira?

Como já tivera dito antes, fiquei muito conhecida só pelo Kuduro e, na altura, não havia ainda espaço para mostrar esse outro talento.

Diferente do Kuduro, o público do Kizomba é mais exigent e gosta de álbuns. Quando pensa lançar o seu primeiro álbum?

Por conta dessas exigências, penso em firmar melhor o meu nome no mundo da Kizomba e quando Deus quiser, lançarei.

Para quando o álbum e que projectos tem em carteira este ano?

Muitos. Quais não posso dizer, mas rezo para que as doenças no mundo não piorem porque é só coisa boa.

Que experiências viveu e não gostaria de voltar a viver nesta nova fase da sua carreira?

Olha, graças a Deus sempre fui tão bem acompanhada profissionalmente que, sinceramente, não me lembro de viver experiências dolorosas e não as querer voltar a viver.

Qual é o seu grande objectivo com na Milionário Records?

Quero chegar ao mais alto nível possível da minha carreira, para que eu possa levantar o nome da produtora e o meu!

as cargas mais recentes

Yuri da Cunha festeja aniversário com Show em Portugal

há 2 anos
O Casino Estoril (Portugal) será palco do grande show de Yuri da Cunha, dia 13 de Setembro (Domingo), em comemoração do seu 40 º aniversário.

Ciclo de divulgação do funcionamento do Sistema Nacional dos Direitos de Autor e Conexos “passa” por Bié, Cuando Cubango e Cunene

há 1 ano
O encontro que visa massificar o conhecimento e aperfeiçoar os mecanismos para a protecção e o usufruto dos respectivos direitos económicos sobre a propriedade intelectual, já passou, na sua segunda fase pelas províncias do Cuanza-Norte (Ndalatando), Malanje (Malanje), Uíge (Uíge), Zaire (Mbanza Congo) e Bengo (Caxito).

“The Rock é o unificador que Os Estados Unidos da América precisa”, diz lenda do WWE

há 2 anos

Projecto ‘Poetas do Bairro’ junta Rappers da New e Old School

há 3 anos
Poetas de Bairro é um projecto que passará a fazer com que a Velha e Nova Escola do Rap angolano cantem numa mesma música. Lizzy, Hustla King, Leonardo Freezy, Wilson Puma, Fkruma e Dj Sipoda vão estrear com um tema inédito intitulado “Infância”.

Bruno M ressurge em novo projecto colaborativo com a cantora israelita Noa Zulu

há 11 meses
O projecto musical voluntário que vai juntar vozes angolanas como Bruno M, Glória da Lú e Cleyton M, de Israel Noa Zulu e Avner Hodorov, de Tel Aviv, será apresentar em conferência de imprensa, no próximo dia 22, pela Fundação Arte e Cultura.

Covid-19: ‘Jay-Z’s Made in America 2020’ está oficialmente cancelado

há 3 anos
O festival anual do Rapper Jay-Z na Filadélfia, ‘Made in America’, já não será realizado. Em comunicado divulgado nesta quarta-feira, a empresa Roc Nation do magnata do rap disse que planeia produzir o festival popular em 2021.

Show do Mês apresenta último grande show de Waldemar Bastos em Angola

há 2 anos
O Show do Mês leva este sábado as emoções do último grande espectáculo de Waldemar Bastos, músico falecido na passada segunda-feira e que foi ontem a enterrar no Cemitério da Galiza, em Portugal.

Samuel Eto’o irritado com clubes franceses

há 2 anos

16 anos de “Artes ao Vivo”

há 3 anos
A efeméride é marcada com uma exposição online que imprime a historiográfica do projecto, bem como um debate entre Lukenny Bamba e Kool Klever, cujo tema será a “Existência, persistência e a criação do Artes ao Vivo”, amanhã, a partir das 14 horas no Eclético FM.

Eduardo Paim faz vibrar Angola e o mundo com show nostálgico

há 2 anos
Com um percurso artístico invejável, de mais de 40 anos, o músico Eduardo Paim mostrou mais uma vez, no Show do Mês, que é um dos artistas com mais sucessos em Angola.

Mambos da Banda: Plazza enaltece Angola em nova EP

há 1 ano
Com músicas e letras do próprio, a produção é de Mad Superstar, que participa em cinco featurings neste EP que também conta com o toque qualitativo de Filipe Mukenga, no sexto tema. A EP transmite uma parte importante das vivências do autor e memórias de Angola, que lhe serviram de base e inspiração para a criação das 6 músicas que compõem este EP, daí o nome “Mambos Da Banda”.

SENADIAC realiza Fórum Provincial sobre a Protecção da Propriedade Intelectual por via do Sistema dos Direitos de Autor e Conexos

há 1 ano
O Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente, através do Serviço Nacional dos Direitos de Autor e Conexos (SENADIAC), realiza até ao dia 19 de Novembro de 2021, o segundo ciclo de divulgação do funcionamento efectivo do sistema nacional dos direitos de autor e conexos, desta feita, nas províncias do Cuanza-Norte (Ndalatando), Malanje (Malanje), Uíge (Uíge), Zaire (Mbanza Congo) e Bengo (Caxito).

Tory Lanez pede desculpas à Megan The Stallion por alvejá-la e justifica “que estava muito bêbado naquela noite”

há 2 anos
Dois meses após alvejar a rapper Megan The Stallion, Tory Lanez reaparece para desmentir que as suas músicas tiveram uma queda nos streams como consequência do sucedido, e segundo noticiou o TMZ, Lanez também teria aproveitado para pedir desculpas à Megan Rhe Stallion.

Osvaldo Aprumado: “As produtoras de renome em Angola vendem falsas esperanças aos novos talentos”

há 2 anos
Natural do Rangel, em Luanda, canta há 9 anos e, apesar de não conseguir uma “daquelas” oportunidades, lançou um EP e em breve vai colocar no mercado mais um novo projecto musical acompanhado de vídeoclipe. O jovem de 25 anos conta à Carga como está a desenvolver a sua carreira musical.

Wu-Tang Clan prepara colecção em celebração ao 25º aniversário do álbum ‘Wu-Tang Forever’

há 9 meses
A Wu-Tang juntará um álbum em 4xLP com livreto de letras, um single prateado de 7 polegadas de ‘Triumph’ com ‘Heaterz’ no B -side, e uma reedição do álbum duplo em cassete, que vem em uma réplica do estojo original.

Wilson Puma diz que rappers angolanos preocupavam-se mais com o “flow”

há 3 anos
O rapper Wilson Puma, cujo sonho é apertar a mão do rapper norte-americano Eminem, afirmou que este género musical em Angola está a subir de nível, depois de um momento menos bom.