Chakuisa, um filho da Huíla com versatilidade para conquistar Angola

São poucos os músicos capazes de assumir e embelezar suas canções com a dor por que foram vítimas na infância, tal como faz Chakuisa, antes MC Chakuisa. O músico usa arte como instrumento de revolta e apelo à mudança de atitude, ainda que de forma dançante.

É um velho amigo da música. Começou no Hip Hop/ Rap e tem dois trabalhos no mercado, incluindo participações de peso, só que desta vez, reestruturou a sua carreira e anuncia “O Filho da Mapunda”, um Ep rico em sonoridades e com uma variedade de línguas, que homenageia o bairro onde nasceu, na Huíla.

A obra inédita e transversal é um resumo sobre o desenvolvimento artístico deste filho de Mapunda. Reúne, entre outras, participações de Nicol Ananás e retrata sobre a fuga à paternidade, a prostituição, o amor, a fraqueza e a falsidade.

Parte das letras do EP Chakuisa escreveu num momento de angústia, dor, amargura, agonia e revolta.

Chakuisa, um filho da Huíla com versatilidade para conquistar Angola

Foi pelo Rap que se tornou conhecido. Gostaria de partilhar os motivos que o fizeram mudar de estilo?
Na verdade, o Rap ou melhor o Hip Hop como movimento social e cultura foi a minha primeira escola de música. O rap foi o estilo que me fez conhecer palavras porque era necessário ler muito para se fazer uma boa composição, com o rap aprendi a ser mas interventivo.

Em 2012 quando me inscrevi na Casa da Musica (Escola de Música ) aprendi que a música era muito mais complexa que o Rap, que o Rap era um grande estilo, mas para ser completo precisava aprender mais sobre técnicas musicais. Aprendi muito na escola de música que revolucionou muito a minha musicalidade .

Nesta obra decide falar das suas lutas, derrotas e vitórias, porquê?
A vida foi sempre boa para mim porque eu nasci ,cresci e hoje sou um homem. A minha mãe não me abortou, criou-me, deu- me formação, amor e fez de mim um homem. Meu pai abandonou-me criança, nunca vi o rosto dele, passei muitas dificuldades e a primeira foi a ausência paterna, isso revoltou-me muito. Nunca vivemos no berço de ouro, mas sempre tivemos firmeza. Nesta minha obra falo muito sobre a fuga à paternidade, a prostituição, o amor, a fraqueza e a falsidade.

Eu fui abandonado e infelizmente estava a abandonar o meu filho também, eu mudei o rumo para que o meu filho não passasse o que passei, um filho nunca tem culpa pelos erros dos pais .

Se considera um homem de muitas derrotas?
A maior derrota foi quando meu pai me abandonou (emoções), isso dói-me muito e não quero que ninguém um dia passa por isso. Quando tens Deus, nunca te podes sentir derrotado, hoje digo o derrotado é meu pai porque hoje sou vencedor.

Chakuisa, um filho da Huíla com versatilidade para conquistar Angola

Diferente do anterior, neste EP reúne o RnB, Zouk, Soul e o Trap. O que quer transmitir com isso?
Quero expressar o meu crescimento musical, quero convidar vários ouvintes de diversas idades e de diversos gostos para poderem desfrutar de tudo um pouco, até porque as minhas composições dependem muito do momento que me encontro a viver .

Acompanhou quase todos os últimos desenvolvimentos da música angolana. Até que ponto isso influenciou esta obra?
Este EP, praticamente, vem mostrar que um artista nunca pode ficar estático em um só estilo; vem para provar que podemos diversificar a nossa arte, hoje a música angolana esta dinâmica como de outros países com a chegada da Internet, temos a facilidade de podermos fazer chegar mais longe nossa música apenas em um click. Está a chegar um momento melhor para a música em angola, antes dependíamos muito das rádios, tvs e blogs, hoje nós podemos gerenciar nossa carreira digitalmente podemos vender nossas músicas a distribuidoras digitais ou operadoras telefônicas em angola e Moçambique .

Em termos temáticos e produção, em que aspectos acha que esta obra poderá beneficiar a música angolana?
Trago temas como “Yena Mwana” com participação de Nicol Ananaz . É um tema que trago uma junção do Cokwe e Umbundu- uma forma de incentivar a juventude a valorizarem as nossas línguas. Músicas como “Vencedor”, que é um incentivo para as pessoas lutarem pelos seus sonhos, porque acredito que um sonho nunca morre, mas sim o sonhador, entre outros.

Antes da data de lançamento, como vai alimentar a curiosidade dos fãs?
Tenho estado a lançar singles soltos, mas ainda em julho, lanço mais um single com um vídeoclip já está tudo pronto para o lançamento.

Que Chakuisa teremos nessa nova etapa da sua carreira?
Um Chakuisa com maturidade vocal e técnica , terá Rap, bom rap neste álbum, com duas produções e participação de dois produtores rappers do Brasil, muito bom Trap Soul e Zouk.

as cargas mais recentes

DMX não recuperou nenhuma actividade cerebral até ao momento

há 1 ano
A Complex noticiou que os testes de actividade cerebral não mostram nenhuma melhoria, o que pode forçar a família do rapper a ter que tomar uma decisão, de mantê-lo ou não, ligado a aparelos de suporte vital.

TYKID apresenta `Imaturidade´, o segundo single do seu EP de estreia

há 2 anos
Com uma sonoridade melodiosa e doce o artista consegue-nos levar ao cenário que desenha com as suas palavras num instrumental trap-soul recordando igualmente o neo-soul do início do século de Musiq ou Joe.

Artista recebe ameaça de morte após sua música tocar no desfile de Rihanna

há 1 ano
Apesar de um pedido público de desculpas de Rihanna, após a repercussão, a lesada está a processar a marca Fenty e afirma que foi forçada a se esconder por causa das constantes ameaças.

As 10 músicas de amor para ouvir no Dia de São Valentim

há 2 anos

Nas revela sentir-se honrado pelo beef que teve com Jay-Z

há 2 anos

Cinco boas razões para não sair de casa

há 3 anos
Escritora Rosa Soares disponibiliza quatro livros para download gratuito, e dá aulas de escrita no Instagram.

Prodígio fala sobre o álbum com Paulo Flores “é o maior prémio que já recebi”

há 2 anos
Disponível a partir de amanhã nas plataformas digitais e em simultâneo em formato físico, mas em Portugal,” Bênção e Maldição” também será comercializado em Luanda e é o maior prémio que o rapper recebeu ao longo da carreira.

Globos de Ouro já tem indicados e será realizado em duas cidades

há 2 anos

Sabias que mesmo sendo protagonista, Daniel Kaluuya não foi convidado para a estreia de “Get Out”?

há 2 anos
A estreia mundial de Get Out, coincidiu com a época filmagens de Pantera Negra , em 2017, mas enquanto protagonista, Kaluuya revelou não ter tido a oportunidade de justificar a ausência por incompatibilidade na agenda, pois nem sequer teve a honra de receber o convite.

Funkeiro Mc MM mostra-se disponível para fazer participações com artistas angolanos

há 5 meses
O artista brasileiro com uma carreira envolta de curiosidades, Mc MM revela-se como um daqueles que detém “o segredo do sucesso” no mundo da música, pelo menos é o que se vê no seu país, e procura “fazer” o mesmo em Angola.

Clássico “O padrinho” de volta às telas

há 2 anos
A NBCUniversal anunciou que o seu próximo serviço de streaming assinou um contrato de licenciamento de conteúdo com a ViacomCBS. A grande novidade é que a trilogia “The Godfather” e “O Talentoso Sr. Ripley”, “Ray Donovan”, “Undercover” Chefe “,” Todo mundo odeia Chris “e” Maridos reais de Hollywood “, estarão disponíveis a título exclusivo de 2021 até 2023.

Morreu o jornalista Edgar Cunha

há 2 anos
Morreu hoje, em Portugal, vítima de doença, o jornalista da Televisão Pública de Angola (TPA) Edgar Cunha, um dos principais rostos dos serviços noticiosos na estação.

Críticas forçam Cardi B a excluir a sua conta do Twitter

há 2 anos
A cantora apagou a sua conta oficial no Twitter, após ter-se dirigido de forma meio agressiva aos fãs, durante um directo no Instagram este final de semana, onde também se insurgiu contra Ariana Grande.

Netflix retira 112 filmes e séries do catálogo e em compensação divulga novidades

há 2 anos
“Corra!”, “As Branquelas” e “Brilho Eterno de uma Mente sem Lembranças” são algumas das produções que serão retiradas da plataforma. O novo catálogo que estreia amanhã está recheado de novidades e dentre os destaques, as séries Dark, The Umbrella Academy, Modern Family e 13 Reasons Why, estreiam novas temporadas no serviço de streaming.

Maya Cool abre oitava temporada do Show do Mês

há 2 anos

Killarmy está de volta

há 3 anos
“Full Metal Jackets” é o disco que vai marcar o retorno antecipado da prole da Wu-Tang Clan.