Cleyton M cria versão de James Brown e Michael Jackson no Afro House

Diferente dos anteriores sucessos, na nova música, Cleyton M (des)constrói sua personagem a partir do lendário James Brown e Michael Jackson num tema que versa bem os tempos actuais.

O cantor e dançarino da Power House efectua uma pequena viagem aos memoráveis anos 70 e 80, trazendo uma mistura de Afro, Kuduro, Tecno, com algumas animações do Blues de James Brown.

Mentalizado por Hochi Fu, o single foi escrito e coreografado por Cleyton M, sucedendo, assim, “Other Level” (Outra Dimensão, em português) e estará disponível hoje nas plataformas digitais de escuta, enquanto se aguarda pelo respectivo videoclip, a ser lançado brevemente.

“Terá um super vídeo jamais visto, e esse vídeo que está a rolar é apenas um ensaio”, informou.

Conhecido pelo seu estilo e modo de dançar e ‘reinterpretar’ a música Afro, o promissor artista está em estúdio a gravar o clip de Slow Motion e garante outras novidades para breve.

Com isso, Cleyton M dá mais um passo em busca do sonho de atingir o cantor e dançarino Chris Brown. ” Estou a vir nas calmas, ocupando o meu espaço na indústria. Nas calmas!”, avisa.

as cargas mais recentes

Rui Orlando encerra primeira temporada do Encontros à Quarta

há 12 meses
Rui Orlando é o músico convidado para encerrar, no próximo dia 15 de Dezembro, no Palmeiras Clube, a temporada 2021 do projecto cultural “Encontros à Quarta” e confirmar a efectivação da pretensão dos organizadores de fazerem do evento um momento único que proporciona ao público um encontro entre a música, as palavras e o artista.

Coroa de B.I.G e letras de Tupac Shakur serão leiloadas

há 2 anos
O evento será o primeiro da História dedicado à cultura Hip Hop e acontece a 15 do próximo mês em uma das maiores casas de leilões do mundo.

Mais um luto na música angolana. Morreu Zé Mweleputo, integrante dos Jovens do Prenda

há 2 anos

Wizkid torna-se o primeiro africano a entrar para o Top 10 da Billbord Hot 100

há 1 ano
O artista nigeriano voltou a fazer história esta semana. De 30 anos, Wizkid tornou-se o primeiro artista africano a entrar para a 10ª posição da principal tabela da indústria musiacal nos EUA, poucos dias depois de receber um certificado platina da Associação da Indústria Fonográfica (RIAA).

Tory Lanez pede desculpas à Megan The Stallion por alvejá-la e justifica “que estava muito bêbado naquela noite”

há 2 anos
Dois meses após alvejar a rapper Megan The Stallion, Tory Lanez reaparece para desmentir que as suas músicas tiveram uma queda nos streams como consequência do sucedido, e segundo noticiou o TMZ, Lanez também teria aproveitado para pedir desculpas à Megan Rhe Stallion.

Prodígio: “acredito que a arte tem que reflectir a sociedade, a minha vida, a dos meus e dos outros”

há 2 anos
Durante o longo vídeo nas suas redes sociais, sobre a morte do jovem de 23 anos no Prenda, o músico começou por esclarecer que não pretende defender qualquer artista, entretanto, realçou que é imprudente a sociedade olhar as coisas de um único ponto de vista, porque os músicos também têm liberdade de escolha.

Foi assim que nasceu a Música Angolana

há 2 anos
A Música Popular Angolana, que se actualiza no espaço urbano recebeu influências e absorveu, ao longo do seu processo de formação, técnicas de execução dos instrumentos musicais Ocidentais. Contudo, antes do seu surgimento já existia um segmento pré-urbano configurado no espaço rural.

Piqué compra direitos de transmissão da liga francesa para assistir Messi

há 1 ano
O defesa central do Barcelona, Gerard Piqué, através da sua empresa Kosmmos, com a Enjoy Television, adquiriu os direitos de transmissão da Ligue 1 e Ligue 2 francesas até 2024.

Depois de vários anos a produzir, Mestre Freddy apresenta-se como cantor

há 2 anos
Após longos anos, explica porquê decidiu conciliar a carreira de produtor com a de cantor e apresenta as suas primeiras músicas com sonoridade diferenciada. Já tem o primeiro álbum à vista e deixa todas as impressões da “nova carreira” nesta entrevista.

A maioria dos artistas angolanos consagrados paga para promoverem suas músicas em “CDs piratas”

há 1 ano
Actualmente os artistas consagrados são os que mais pagam aos “piratas” para promoverem suas obras discográficas, Eps ou singles, principalmente os que fazem Ghetto Zouk e Afro House. O fenómeno não é de hoje, só aumentou nos últimos tempos por causa da pandemia do Covid-19, e os preços variam a partir dos 200 mil Kwanzas.

Rick Baby × Márciouz “93” disponibilizam finalmente o EP `Naturalmente´

há 2 anos
À Carga Magazine, o integrante da produtora Combinasons, informou que por imperativos da pandemia, o aguardado EP, que foi anunciado no ano passado, vai chegar às plataformas de streaming na próxima sexta feira, dia 14 de Maio.

Nazarina Semedo se reinventa para atingir mercado internacional

há 2 anos
Não se pode falar de back vocals em Angola sem mencionar o nome de Nazarina Semedo. A cantora também leva a carreira a solo e já lançou dois CDS, só que mais tarde foi forçada a ausentar-se do mercado. Agora, regressa com a produtora MTC, traz um novo estilo de música e apresenta projectos focados ao mercado internacional.

Reptile: “Considero-me um artista bem-sucedido e sei que muitos se revêm na minha história”

há 2 anos
No dia 27 deste mês, o rapper vai colocar mais um álbum no mercado. Intitulado I.C.O.N (Invejosos Continuam a Odiar o Nikka), a obra produzida pelo moçambicano Ell Puto e Alleny. Além de Preto Show, Rui Orlando e Tchoboli, reúne importantes artistas da nova geração.

Diálogo ancestral norteia storyteller do primeiro videoclipe de Flagelo Urbano

há 2 anos
A escolhida para a “peripécia”, foi a música intitulada `Desapego´, por sinal, a primeira promocional do álbum `Desvio Padrão´, que já se sabe que será um trabalho afrocentrado, profundo e “pluriversalista”.

Snoop Dogg: “Rappers brancos têm zero de respeito no Rap”

há 2 anos
Snoop Dogg explica porquê não considera Eminem melhor rapper de todos os tempos.

Oluali Records: A label que promete conectar Angola ao mundo

há 2 anos
O ano 2020 está a ser marcado por várias adversidades a todos os níveis, obrigando os artistas e produtoras a reinventarem-se e a procurarem novas formas de trabalhar. E é neste um contexto que nasce a Oluali Records, uma label que se propõe a prepõe a criar pontes entre Angola e o mundo.