Conheça Márcia Itchêlika, a nova promessa do Guetho Zouk

Começou no Kuduro e hoje constrói uma carreira sólida no Guetho Zouk. Já lançou quatro músicas e está neste momento a gravar um vídeoclipe, enquanto projecta o primeiro EP. ‘Dona de uma voz forte’, Márcia Itchêlika vem de uma família de sembistas, mas se assume como a esperança feminina do Zouk em Angola e elegeu o mercado internacional para começar suas conquistas.

Por que decidiu cantar?

O que me leva a cantar é a minha paixão e amor pela música, porque sempre sonhei em ser uma artista profissional.

Como é que começa a sua carreira?

Eu canto desde muito pequena. A minha carreira começou em 2008 a 2009 como kudurista do grupo os Bilhas, mas apenas há 2 anos comecei a seguir a carreira profissional no Guetho Zouk.

O que aconteceu para mudar de estilo?

Foi repentino. Fui convidada para integrar um grupo que fazia Tarraxinha e com eles gravei uma música e continuo no Guetho Zouk até agora. Quero atingir o patamar mais alto da música com o Guetho Zouk.

A quantos passos está de lá?

Estou já a pensar em produzir um EP com diversos estilos. Neste momento, estou a analisar o título do mesmo, mas ainda não tenho uma data certa para o lançamento, tudo vai depender do meu trabalho.

Quantas músicas possui?

No total são quatro. Mas tenho contado apenas duas, a ‘Na Lua’ e ‘Nosso Casamento’, que estão no You Tube e em outras plataformas digitais. Estou também a produzir o vídeoclipe de “Nosso Casamento”.

Que participações traz neste EP?

Irei contar com a participação do Jandir Three, Nelly Da Bulls e outros músicos que ainda não posso revelar.

Com que músicos gostaria de partilhar a mesma canção?

Gostaria de estar no mesmo palco e a cantar a mesma música com o mais velho Pedrito, Yola Semedo, C4 Pedro, Baló Januário, Dodó Miranda e Totó.

No mesmo ano em que se preparava para estoirar, de repente, aparece a pandemia. Como tem lidado com esta situação?

Na verdade, há mal que vem para bem, não está a ser fácil para mim e, de certeza, para todos nós. A sensação não é boa, porque estamos muitos limitados. Mas graças a Deus estamos a trabalhar muito.

Que planos traçou para se impor no mercado? 

Na verdade, os planos são segredos. A minha intenção é surpreender os ouvintes.

 Que ouvintes são esses?

O meu público. Não posso afirmar dizendo que é um, quando, na verdade, sinto o carinho e o apoio do pessoal de cabinda ao Cunene, da diáspora nas mais vaiadas idades.

Que valores traz para a música angolana?

As minhas sonoridades irão acrescentar bons valores à música angolana, porque já tenho alguns fãs que olham para mim como um espelho.

Para que mercados centrou a sua carreira?

A minha carreira esta focada para o mercado internacional.

Não é paradoxal, uma vez que vive e é angolana? Como pretende fazer isso?

Tenho talento e capacidade para transmitir boa música.

Que palcos já pisou?

Já pisei vários palcos, mas uma das melhores recordações que tenho foi quando participei no concurso Estrelas de Angola na Banda TV.

Qual é o seu maior sonho?

Ser conhecida internacionalmente.

É a única da sua família que canta?

Não. A Márcia do Carmo André Da Silva tem o tio Mig, Don Caetano e os Irmãos Kaffala.

as cargas mais recentes

Meninas do Maculusso preparam grande show

há 1 ano
O reencontro é um tributo aos 28 anos de existência do grupo.

Fundação Arte e Cultura encabeça festival cultural internacional de homenagem aos heróis da Covid-19

há 11 meses
O festival internacional de arte, em homenagem aos heróis da Covid-19 e de luta contra o racismo “Change is in Unity”, está ser encabeçado em Angola, pela Fundação Arte e Cultura e decorre na Ilha de Luanda, sob os valores Amor, respeito, resiliência, solidariedade, empatia e igualdade.

Terá Fat Joe blasfemado ao chamar Drake de “Michael Jackson da actualidade”?

há 12 meses
Na última semana Fat Joe tem sido alvo de inúmeros ataques na internet, por ter comparado Drake ao astro da música Pop, Michael Jackson.

Diálogo ancestral norteia storyteller do primeiro videoclipe de Flagelo Urbano

há 8 meses
A escolhida para a “peripécia”, foi a música intitulada `Desapego´, por sinal, a primeira promocional do álbum `Desvio Padrão´, que já se sabe que será um trabalho afrocentrado, profundo e “pluriversalista”.

Exposição “Migrações e Coisas, Retalhos de uma História Só”, agora disponível em catálogo digital

há 1 ano
Em virtude das limitações impostas pela pandemia do coronavírus e do encerramento temporário da exposição de René Tavares, o Banco Económico e a This is Not a White Cube decidiram disponibilizar digitalmente um catálogo onde é possível conhecer a obra do artista santomense.

Documentário sobre a génese dos Racionais MC’s chega à Netflix

há 7 meses
A produção vai contar em detalhes como Ice Ble, Mano Brown, KL Jay e Edi Rock deram início ao mais bem sucedido projecto de Rap brasileiro, até então.

Landrick abre produtora e anuncia o primeiro agenciado

há 11 meses
Atrás dos holofotes dos media, Landrick vai projectando um futuro promissor. Para além da sua carreira, o músico criou uma produtora e prepara-se para anunciar o primeiro agenciado.

Mais de 35 músicos nacionais e internacionais juntam-se num espectáculo online

há 1 ano
Denominado Eu Fico No Kubico, o festival abriu ontem com a rapper Elisabeth Ventura e vai até 13 de Maio. Durante 28 dias, os músicos vão levar alegria às casas dos fãs. O objectivo é incentivar todos a não sairem de seus aposentos.

Muhatu: 4ª edição da maior competição de spoken word no feminino acontece dia 29 de Setembro

há 12 meses
Já com o processo de inscrições a decorrer, para a edição `MUHATU 2020´, a competição anual, que já conta com 3 edições realizadas (2017, 2018 e 2019), vai adaptar-se ao “novo” normal social, tendo a 4.ª edição realizada completamente on-line.

Ja Rule lança plataforma de criptomoedas para rentabilizar trabalhos dos artistas

há 1 ano
O rapper norte-americano lançou uma plataforma blockchain de criptomoedas baseada no Ethereum para fazer com que criadores de conteúdo músicais emitam tokens e rentabilizem seus próprios trabalhos.

Origem e evolução do Kuduro

há 1 ano
Kuduro é um género musical e sobretudo um género de dança originário de Angola, cidade de Luanda, que foi influenciado por outros géneros como Sungura e Rap. O Kuduro surge em finais dos anos 80, primeiro como uma dança e depois como música.

Spotify lança plataforma que permitirá valorizar o compositor, produtor e editoras

há 6 meses

Está aprovado: Break Dance será modalidade desportiva dos Jogos Olímpicos

há 8 meses
O COI, Comité Olímpico Internacional, confirmou que o Break Dance será uma das modalidades desportivas dos Jogos Olímpicos, e fará já parte das próximas Olimpíadas de 2024, em Paris.

Dr. Dre fala sobre a sua saúde: “Vou ter uma vida longa”

há 2 meses
A notícia sobre o seu estado de saúde, no princípio deste ano, mexeu com toda a classe artística. Passados cinco meses, Dre decidiu falar e dar mais detalhes sobre o assunto.

Pedrito comemora meio século de carreira com sabor a despedida

há 10 meses
O músico Pedrito começou ontem a caminhada para a despedida dos palcos, com um concerto no projecto musical “Show do Mês” onde viajou pelos 50 anos de carreira.

Jay-Z liga para governador de Minnesota a exigir justiça

há 1 ano
Muitos rappers participaram de protestos em várias partes dos Estados Unidos da América a exigir justiça pela morte de George Floyd. Os que não puderam, contribuíram para o Freedom Funds, que fornece dinheiro sob fiança para os presos manifestantes.