Conheça Triple Star C, o músico nigeriano que decidiu fazer carreira em Angola

O seu sucesso começou na Nigéria, pisando palcos com artistas como Davido, para além de actuar em festivais na África do Sul, Gana e RDC. Mas é em Angola que Triple Star C quer fazer a carreira e, aos poucos, vai ganhando título de promotor e representante do Afro Naija em Angola.

A aventura sempre esteve nos seus planos e pelo que tem conseguido parece que está a resultar, antes de optar por construir a carreira, já esteve no nosso país por duas vezes para estudar o mercado. Tal como os outros, Triple Star C tem conquistado seu espaço mercado angolano, actuando com nomes como MC Cabinda, e não pára de lançar novidades. O artista de 27 anos traz um naija cantado na sua língua nacional Igbo e Yoruba e também Inglês e assume-se como o representante do Afro Naija em Angola.

Como é que começa seu envolvimento com a música?
Comecei a carreira em 2011 na Nigéria, quando lancei o meu primeiro single “Balance Question”. Depois dei uma pausa. Em 2012 vim a Angola e em 2015 votei à Nigéria. Dois anos mais tarde voltei a Angola e comecei a cantar de novo.

Teve que interromper a carreira por algum tempo. Por que motivo?
Tive que parar de cantar por causa da escola e de algumas  dificuldades da língua, entre outros.

O que veio a Angola fazer?
Primeiro vim visitar o meu irmão que vive cá já há um bom tempo. Mas agora estou cá mesmo para a música.

Que estilo de música canta e quantas canções já cá gravou?
Faço vários estilos de matriz africana, com destaque para o Afro Naija, que é o que mais me identifica. São mais de 20 músicas gravadas em Angola.

O que fez com que decidisse seguir a carreira a partir de Angola realmente?
Amei mesmo Angola e vi também que eu tenho muito para dar aos angolanos. Trago uma vibe nova e diferente, quero apostar no negócio da música.

Pelo número de música que possui não pensa em gravar um EP com participações?
EP ainda não. Quero trabalhar mais. Tenho umas participações. Know You ft Khally 2manos, Minha Diva ft Kletuz e Gabeladas, Baby Bia ft Tino HD, Uami Ndongadas etc.

Como foi e com que músicos estabeleceu os primeiros contactos cá?
Nos primeiros anos foi muito difícil, mas depois começou a se tornar muito interessante. Tive algumas barreiras, mas graças a Deus são as situações que me meteram onde estou.

E onde é que está agora?
Não muito longe, mas já participei em muitos shows, começando lá na Nigéria, fui ao Ghana, Congo, África do Sul. Actuei com mesmo palco que Davido, Mc Cabinda e tantos outros artistas.

Qual é o seu maior sonho como músico?
O meu maior sonho é ser legendário na música, um lenda que pode ajudar muitos novos talentos. Quero ser o representante do Naija em Angola.

Vê-se que ainda não domina bem o Português, além do Inglês, em que outras línguas canta? 
Neste momento não faço músicas completas em Português, mas em Inglês e na minha língua Igbo e também Yoruba, por isso é que insisto em ter muitas participações nas músicas.

Isso de vir cá fazer Naija é apenas estratégico ou continuará a expandir este estilo em Angola?
Por ser nigeriano, às vezes muito gente cofunde minhas músicas com outros artistas que estão  lá na Nigéria, a minha maior preocupação agora  é vincar a minha marca. A ideia é conquistar o mercado como nigeriano depois e pode começar a fazer músicas em Português e Inglês. A minha música é para todo o mercado africano e mundial

Com quem é que trabalha e com que artistas angolanos sonha gravar algum projecto?
Trabalho de forma independente, não estou em nenhuma produtora. Gostaria de gravar projectos com artistas como Anselmo Ralph e Matias Damásio.

O que tem agendado para as próximas semanas?
Ainda esta samana, tenho a gravação da nova música que já está em estúdio e um vídeoclipe para se fazer.

Está cá há três anos consecutivos, mas as suas redes sociais ainda não há muitos fãs angolanos…
Sim, estamos a conquistar. não está fácil para a nossa parte, mas estamos a conseguir. Estou a completar dois anos no mercados angolano e estou a ver feedback.

as cargas mais recentes

Galeria Tamar Golan apresenta “Nutrição Espiritual” da autoria de SBI

há 12 meses
A Galeria Tamar Golan vai apresentar “Nutrição Espiritual” do artista angolano SBI, uma exposição individual online a inaugurar-se na Sexta-feira, dia 02 de Outubro de 2020, às 18h00.

DJ Emílio Mix: Da bateria à mesa misturadora

há 12 meses
A carreira de Emílio Mix teve início na igreja, há mais de uma década, o desfecho foi o mais imprevisível, porém satisfatório. Com o suporte da Produtora Rijura Records, acumula funções como: vocal coach, beat maker, drummer e Djing.

Guitarra de Kurt Cobain torna-se a mais cara da história

há 1 ano
A guitarra utilizada por Kurt Cobain na gravação do célebre álbum “Unplugged” dos Nirvana, em 1993, foi leiloada este sábado, nos EUA, por seis milhões de dólares, feito nunca antes atingido por uma guitarra.

Cardi B explica o que a impede de usar drogas

há 10 meses
Numa entrevista emparelhada com a mais recente capa da ‘Mulher do Ano’, eleita pela Billboard, Cardi B entrou em mais detalhes sobre um tema controverso, revelando que, embora ela não faça uso de drogas, fuma um cigarro, ou três ocasional.

A playlist de eleição de Luísa Damião em 2020

há 9 meses
Ano 2020 está no fim e chegou o momento, em várias áreas, de cada um indicar os melhores do ano. Sendo a Carga uma revista de música e natural apresentarmos os temas preferidos de algumas figuras durante o ano.

Megga Skills lança nova música com a participação de MCK

há 1 ano
Intitulada `Liga Inglesa Parte 2´, é a primeira música promocional da EP denominada `Marimbondo Número 1´. Trata-se de um remix da música `Liga Inglesa´ da autoria do consagrado MCK.

Maya Cool “dispara” indirectas e deixa músicos em alerta

há 1 ano
Depois das críticas de Mago de Sousa à Unitel, por não cumprir com o trabalho, acordado, de promoção do seu disco, é a vez de Maya Cool a juntar-se a causa, apelando aos fazedores de arte no geral a manifestarem-se a favor do colega.

Madonna junta-se aos protestos nas ruas de Londres

há 1 ano
Mãe de quatro filhos de raça negra, Madonna foi às ruas num protesto contra o racismo e a violência policial em Londres. A cantora foi aplaudida pelos participantes da manifestação e chegou a abraçar algumas pessoas presentes.

Desengane-se, liberdade provisória não foi concedida a R. Kelly

há 4 meses
Foi ontem posta a circular no Twitter, uma foto que deu azos a especulações, sobre a possível soltura de R. Kelly, o que não corresponde a verdade. O artista continua no Metropolitan Correctional Center de Chicago, onde permanecerá até ser julgado.

Bruno Fernando apresenta fundação direccionada à inclusão social

há 2 meses

O novo álbum de Lady Gaga chegou e já conquistou o número #1 na Billboard 200

há 1 ano
`Chromatica´ assinala a sexta vez que um álbum de Lady Gaga figura no topo da lista, desde o lançamento de Born This Way em 2011. O trabalho era um dos mais aguardados dos últimos tempos, por representar o retorno da cantora ao dance pop.

Adelásio Mwangolé está de volta com músicas novas e anuncia álbum

há 1 ano
Depois de algum tempo à procura de firmamento em uma produtora, o autor de temas como ‘Mwangolé’ está de volta com músicas novas e está em estúdio a preparar o primeiro álbum, sob o selo da Yalankuwu Music, com o qual quer internacionalizar a carreira.

Anderson .Paak e Bruno Mars lançam soul inspirado na década de 70

há 7 meses
Lançado na passada Sexta-Feira, o single que já atingiu números astronomicos nas plataformas de stream, é nada mais do que o eleito para apresentar o álbum de estreia da Silk Sonic´, banda liderada por Anderson .Paak e Bruno Mars

Álbum póstumo de DMX reúne participações de Alicia Keys, Jay-Z e Nas

há 4 meses
O álbum intitula-se Exodus, contém 13 faixas musicais e reúne, entre outras, as participações de Jay-Z, Nas, Snoop Dogg, Bono, Lil Wayne, Alicia Keys. A obra é totalmente inédita, segundo Swizz Beatz.

Conheça as surpresas do Festival Internacional de Jazz da Cidade do Cabo edição 2020

há 1 ano
O quarto maior evento de Jazz do mundo e o primeiro do continente africano, traz para a vigésima primeira edição uma diversidade de vozes. Nomes como Lira, Lady Zamar e o rapper norte-americano Earl Sweatshirt vão juntar-se a veteranos do Jazz.

Já começou o Festival #EuFicoEmCasa

há 2 anos
Serão no total 6 dias, 77 artistas e 40 horas de concerto transmitido em directo, pasmem… nas próprias contas de Instagram.