Coréon Dú: “Em três décadas de vida, notei que existe uma forte crise de auto- estima sobre a negritude”

É um dos poucos artistas angolanos da sua época que vê a música como o instrumento ideal para firmação da sua identidade e promoção das raízes africanas.

Nos seus versos complexos, Coréon Dú vai apresentando preocupações para a construção de um mundo melhor, tendo o amor romântico, próprio, espiritual ou sombrio como a base de sustentação das suas letras.

Seu sucesso artístico ultrapassa a dimensão musical. Pois, além de marcar presença no topo da Bilboard e ser nomeado para vários prémios nacionais e internacionais, suas coleccões de roupas são das mais raras peças inspiradas na cultura e tradições africanas destacadas nas maiores passarelas do mundo.

É um artista autêntico e multifacetado cuja carreira musical pode ser resumida nos álbuns The Coréon Experiment,The Love Experiment, Binário e, mais recentemente, The Love Infinity, disponível em todas as plataformas de streaming.

Numa conversa livre e aberta com a Carga, Coréon Dú mostrou que tem muito mais para contribuir em prol da africanidade do que tudo aquilo que já fez. O autor de Pele Café fala das últimas novidades.

Coréon Dú: “Em três décadas de vida, notei que existe uma forte crise de auto- estima sobre a negritude”

É uma personalidade com várias facetas, mas a música parece ocupar mais espaço na sua vida. Porquê?

Apesar de não ter o privilégio de poder ter a música como a minha única profissão, a música vive em mim e sempre viverá.

Como funciona o seu processo criativo?

Não creio que tenha um único processo criativo, particularmente com a música, pois não pertenço a uma editora musical. Habitualmente os artistas em grandes editoras tem uma maior pressão para desenvolver um processo criativo concreto, pois têm obrigações comerciais e prazos de
criação e lançamento traçados de forma mais rigorosa. Como ainda não tive esta oportunidade, continuo a criar música de forma bastante orgânica e sem o mesmo grau de pressão para seguir procedimentos específicos a uma estrutura comercial.

O que normalmente envolve suas criações artísticas?

Nos meus outros compromissos profissionais, tenho estes processos e
procedimentos por haver essa exigência . Mas, felizmente, não sucede o mesmo com a música até ao momento.

A única coisa que acho importante para a boa criação musical é pesquisar
constantemente e manter a mente e ouvido abertos a novas ideias .

O amor está quase sempre no centro das suas temáticas. Que tipo de mensagens quis transmitir no tema Pele Café?

Acho que o romantismo no sentido amplo  esteve mais presente do que o amor nas minhas obras passadas. Decidi dedicar-me analisar o amor a nível musical, pois é um tema com infinitas possibilidades e que no
século XXI precisa de ser revisitado.

Quanto ao Pele Café?

Pele Café recflete um tipo de amor que as vezes é esquecido, o amor próprio. Isto é comum no geral, mas principalmente para pessoas de origem negra. Nasci em Angola , cresci principalmente nos Estados Unidos
da América e trabalho um pouco por vários países dentro e fora do continente africano. Em três décadas de vida, notei que existe uma forte crise de auto-estima de muitas pessoas sobre a sua negritude e auto-
rejeição. Até a pessoa aparentemente mais confiante acaba por sentir-se diminuída por um factor que deve ser celebrado .

Que mensagem quis que se retivesse da letra?

O Pele Café é exactamente para comemorar todos tons de pele café, todas as pessoas que tem pele café e a todos que querem bem as pessoas com pele café na sua vida. É uma mensagem que acho importante para todas as faixas etárias. Temos de incentivar-nos a nós mesmos e aos demais para mais amor próprio. Se não formos gentis e bondosos connosco mesmos ,
será difícil retribuir isso com quem nos ama .

Por que motivo decidiu trazer este assunto para a música?

Foi uma criação espontânea . Eu e o Mallaryah desenvolvemos esta canção
de forma bastante orgânica. Com o vídeo, tentei ver a melhor forma de celebrar e transmitir esta mensagem de incentivo ao auto-amor e autoestima que devemos ter todos os dias.

Sempre se preocupou em elevar a cultura africana, a angolana em
particular, através da música, basta recordar o Binário ou o The Coréon
Expriment. Até onde vão suas “lutas”

Tento apenas ser autêntico e focar-me em projectos criativos em que  os meus talentos ou  experiência técnica possam complementar.

Depois do lançamento do Pele Café, o que podemos esperar de si ainda este ano?

Sempre fui focado no presente, porque acho importante relembrar que ser artista como profissão requer muito pragmatismo aliado à criatividade. Nunca gostei de antever o que vou fazer, prefiro partilhar o que estou a fazer no presente, que de momento é a promoção do Álbum “ Love Infinity” lançado no fim de Novembro de 2020. Fora da área musical, este ano sai meu documentário “Bangaologia – A
Ciência do Estilo”

as cargas mais recentes

Meek Mill revela misteriosa doença por trás de sua dramática perda de peso

há 2 anos
O hitmaker da “Dreams and Nightmares” chocou os fãs recentemente na internet ao publicar uma foto no aeroporto de Teterboro, em Nova Jersey, demonstrando claramente que havia perdido muito peso. Após muitas especulações, usou o Twitter, para confirmar que anda acometido por problemas estomacais para os quais os médicos ainda não foram capazes de oferecer um diagnóstico viável.

Cláudio Rosário e Mamas Boy estreiam novo single

há 2 anos
“Não Tem Como” é o título do mais recente single de Cláudio Rosário e Mamas Boy. Do género Guetho Zouk, a faixa é um produto da Makas Produções e Plus Record e estreia na Carga.

A partir de agora artistas e autores angolanos já podem ganhar com Tik Tok, Spotify, Apple Music ou BoomPlay

há 8 meses
A monetização dos direitos autorais para compositores, artistas, autores e publisher angolanos resulta de um acordo rubricado no mês de Maio entre a SADIA e as respectivas plataformas digitais de streaming.

Rappers da CPLP unem-se e entram com “pé direito” para 2022

há 3 semanas
Rappers da comunidade dos Países de Língua Portuguesa fecharam 2021 em grande, com o lançamento de um projecto e a disponibilização de um vídeoclip, que conta com participação de artistas de Angola, Brasil e Moçambique.

Artistas brasileiros saem em protesto depois de Jair Bolsonaro ameaçar jornalista

há 1 ano
O presidente do Brasil ameaçou “encher” a cara de um jornalista do “O Globo” pelo facto do profissional ter questionado Jair Bolsonaro sobre os 89 mil que a primeira-dama da República terá recebido da Fabrício Queiroz entre 2011 e 2016.

Kendrick Lamar assina mega contrato com a Universal Music Publishing Group

há 1 ano
Segundo conta o Hot New Hip Hop, o músico assinou um acordo global com a Universal Music Publishing Group, o que pode indicar um movimento na direcção da chegada do álbum.

Curso de belas artes da Universidade de Howard passa a ser `Chadwick A. Boseman College of Fine Arts´

há 8 meses
A petição havia sido criada pelos estudantes da universidade desde a morte de Chadwick, sendo a mudança foi oficializada a partir de ontem.

UNAC quer aumentar espaços culturais no país

há 2 anos
Segundo o presidente da referida instituição de utilidade pública, José Fernandes, o aproveitamento dos espaços é a prioridade da UNAC, para ajudar a impulsionar o sector artístico, realçando que um melhor aproveitamento dos recintos culturais poderá garantir aos artistas, profissionais e amadores, mais espaços e oportunidades para apresentarem os seus trabalhos.

Beam Me Up Scotty: Nicki Minaj relança mixtape com faixas inéditas

há 8 meses

‘Old Town Road’ é oficialmente a música mais certificada pela RIAA

há 1 ano
Longe de ser um artista de “um só hit” , Lil Nas X continua a bater records, a faixa com a participação de Billy Ray Cyrus, é oficialmente 14 vezes platina. O maior número de certificações de platina para uma música.

Tupac, Ice Cube, Snoop Dogg apresentados em versão animada

há 2 anos
A última criação do animador Alex Alvarado nos permite imaginar como o ícone do Hip-Hop Tupac Shakur ficaria se entrasse no mundo da Disney.

Esta é a Nossa Memória: Dipanda é celebrada na TPA com a exibição de 5 documentários

há 1 ano
A Associação Tchiweka de Documentação e a Geração 80 em parceria com a TPA, a sesc digital e mostra de cinemas africanos celebram o mês da independência de Angola com exibição de 5 documentários.

Meduza escolhida para representar rappers angolanas no cypher do Dia Internacional da Mulher

há 11 meses

Vanda Pedro: “O teatro é ciumento, precisas de tempo para viver e aprender intensamente”

há 9 meses
“Uma mulher de acção e artista de grande potencial”, é como quer ser lembrada a profissional de 38 anos de idade, 25 dos quais dedicados a arte da representação. Uma trajectória que nas palavras de Vanda, foi pautada por muita intensidade entre “choros e risos” que, será imortalizada no livro.

Sabia que LL Cool J foi nomeado durante seis anos antes da indução no Rock & Roll Hall of Fame?

há 2 meses
Embora elegível desde 2010, LL Cool J entrou no Rock & Roll Hall of Fame apenas este ano, na categoria de excelência musical, porém, já havia sido nomeado outras seis vezes.

“Mário Gomes e Dalú Roger são elementos que me dão o resultado que preciso em palco”

há 2 anos
Instrumentistas revelam cumplicidade em palco.