Damani Van Dunem: “Defendemos o humanismo africano, o entendimento da nossa história e posicionamento no grande esquema mundial”

O álbum “Swahililândia”, Acto 1, ajudou Damani Van Dunem a perspectivar um novo lugar na música angolana. É uma obra com pensamentos sobre o humanismo africano; a preocupação com o próximo; o entendimento da nossa história e o nosso posicionamento face ao esquema mundial.

Disponível na Internet, é o primeiro disco com a sua antiga formação artística ´Swahili. No passado dia 11 de Novembro, assinalou um ano desde que foi lançado, e brevemente será contemplada com o terceiro videoclipe para o tema “ É Demais”, que conta com participações de Keita Mayanda e Kennedy Ribeiro.

Sobre álbuns não é tudo, Damani está em estúdio a produzir o próximo trabalho, com a participação de uma das referências da produção moçambicana, e deve estar disponível a partir do primeiro trimestre de 2022.

Com este álbum, o rapper angolano pretende estabelecer um novo círculo na sua carreira, que compreenderá em apoiar mais outros talentos da música angolana e elevar a marca ´´´´`’Swahili´’.

Damani Van Dunem: “Defendemos o humanismo africano, o entendimento da nossa história e posicionamento no grande esquema mundial”

“Swahililândia” surge na sequência de vários outros lançamentos, entre os quais Blu-Ray: Quid Pro Quo, Muzumbo e Mutatis Mutandis. Por que só em 2020 decidiu lançar uma obra com a sua primeira formação musical?

“Swahili” é uma forma de estar e, como tal, sempre sentimos que o nosso álbum teria que traduzir essa energia. Na abordagem, conceitos, materialização do som e isso foi conseguido com a adição do Elzo Sénior – que foi a minha motivação para fazer o álbum. Queria e quero dá-lo a conhecer ao mundo. O single “Glorioso” foi mais um passo nesse sentido. Música que, originalmente, fazia parte do álbum, mas achámos melhor usá-la como single. 

Que pensamentos sustentaram o Swahililândia?

Nós defendemos o humanismo africano – preocupação com o próximo, a solidariedade, a partilha e a vida harmoniosa em comunidade. “Nós”, ao invés de “eu”; o entendimento da nossa história e posicionamento no grande esquema mundial. Nesta ordem de ideias, centramo-nos neste Acto 1. 

Já é possível mensurar as influências que a obra exerceu no Hip Hop angolano?

É muito cedo para quantificar e a pandemia limitou bastante a promoção. Não fizemos shows de apresentação. Assim, retomámos este ano e será com vídeos, somando aos dois já lançados. Semeámos durante anos e já começámos a colher, mas temos noção de que a estrada é longa. 

Fale-nos um pouco deste novo clipe.

É o vídeo da música “É Demais”, com participações do Keita Mayanda e Kennedy Ribeiro. “É Demais” é o exemplo clássico de exaltação do povo originário. O povo africano.

Que paralelismo faz do álbum com a data da independência nacional?

Há cada vez mais um número crescente de africanos atentos na necessidade de se posicionarem, usarem as suas valências para alavancarem as suas comunidades. São os africanos que devem conduzir os seus destinos. A nossa independência não pode ser simbólica. Neste sentido, acreditamos que temos todos a responsabilidade de contribuir nessa edificação espiritual, socioeconómica nacional. De uma independência real. 

Está em estúdio a preparar novos trabalhos. De que projectos se trata?

Para já, posso adiantar que estou a finalizar um álbum colaborativo com um produtor moçambicano – Sigvh – com quem já trabalhei no Muzumbo e Blu-Ray: Quid Pro Quo. Deverá sair no primeiro trimestre do próximo ano. 

Com efeito, este projecto poderá marcar uma nova etapa na carreira de Damani Van Dunem, tendo em conta a epopeia que vem fazendo desde 2007. É isto que vai suceder?

Com certeza! O SwahiliLândia, Acto 1 ajudou-me a perspectivar o meu novo lugar na música é tenho abraçado este desafio com muito afinco. 

Em termos práticos, o que poderá caracterizar a próxima etapa da sua carreira?

Apoiar outros artistas  e fazer crescer a marca Swahili.

Como é que define o seu rap?

Nunca conseguiria responder a esta pergunta com certeza mas…Pan africanismo.

as cargas mais recentes

Fat Joe e Ja Rule protagonizam o próximo Verzuz battle

há 1 ano
Fat Joe e Ja Rule são os próximos MCs no frente a frente do Verzuz battle, que acontece no próximo dia 14 de Setembro em Nova York.

Vozes alternativas abrem Clássicos na Kwanza

há 2 anos

Bruno Fernando é transferido para os Boston Celtic

há 2 anos
O poste angolano Bruno Fernando, que jogou pelos Atlanta Hawks nas duas últimas épocas, vai representar na próxima temporada na NBA os Boston Celtic, depois de uma troca envolvendo Tristan Thompson, Kris Dunn e Delon Wright.

Twitter homenageia Pop Smoke com emojis

há 3 anos
Pop Smoke foi assassinado em fevereiro deste ano, o crime ainda não foi esclarecido. Na passada sexta-feira, foi lançado o álbum de estreia do rapper “Shoot For The Stars Aim For The Moon, a título póstumo e o músico ganhou homenagem especial.

Bonga, a lenda do Semba e símbolo da consciência africana, exaltado pela imprensa internacional

há 2 anos
Uma caminhada de quase meio século, que se traduz em álbuns, espectáculos, bibliografias, viagens e com um único objectivo: despertar a consciência africana por meio do Semba, género que se vai tornando na sua própria antonomazia.

Fãs insurgem-se ao saber que apenas homens foram convidados para o álbum póstumo de Aaliyah

há 1 ano
Os fãs insurgiram-se após o tio da artista, in memoriam, declarar que acha melhor trabalhar apenas “com pessoas como Ne-Yo e Snoop Dogg, Future e Drake.”

2°edição do Fest show no bar.deio acontece já amanhã

há 1 ano
O cartaz desta segunda edição traz: Rick Baby, Justin Weely e Enock. E também os seus convidados El Gino, Yuri Dumba, Junior Zy, José são Tomé, Mizta Flow e Wg.

Rock in Rio: Migos cancelam show por separação e Justin Bieber ‘exige’ staff com 70 pessoas

há 5 meses

“Mulher Infinita” de Lourenço Mussango chega às bancas esta semana

há 2 anos
O escritor Lourenço Mussango, Prémio Literário António Jacinto 2020, vai autografar na próxima quinta-feira (10), no Memorial António Agostinho Neto, a sua primeira obra literária.

Sentença de R. Kelly será lida em Maio de 2022

há 1 ano
O artista norte-americano foi condenado ontem, após ser considerado culpado de todas as acusações de tráfico sexual e aguarda pela leitura da sentença, que pode ditar ou não a sua prisão perpétua.

Sabia que “Despacito” é o clipe mais assistido da última década no Youtube?

há 3 anos
A plataforma divulgou uma lista com os dez clipes mais assistidos de cada década, na plataforma. Nos anos 2010, o grande vencedor foi “Despacito (Feat. Daddy Yankee)”, que atingiu a incrível marca de mais de 6,5 bilhões de visualizações.

Akon investe seis bilhões de USD para construção de uma “Wakanda” no Senegal

há 3 anos
O rapper senegalês Akon garantiu um contrato de USD 6 bilhões, para construir sua cidade temática no Senegal, com objectivo de ajudar no desenvolvimento da sua terra natal.

3ª Webinar da Universidade Hip-Hop discorre sobre o tema “Hip-Hop é uma Kultura Urbana e não um estilo de música”

há 3 anos
As actividades que começaram na passada segunda-feira, têm sido realizadas no âmbito do projecto “Semana de Apreciação da Kultura Hip-Hop”. Até ao dia 24 de Maio uma série de acções online estão programadas, e contemplam performances, fóruns de discussão e Webinars com distintos convidados dos 4 elementos núcleo da Kultura Hip-Hop. Cláudio Silva, ex-reitor da Universidade Hip-Hop, falou à Carga Magazine sobre as actividades que ainda estão por vir, em torno desta celebração.

Já está: Cleyton M entra na lista dos artistas mais ouvidos em Portugal

há 1 ano
Em todos os géneros musicais em Portugal, o jovem artista angolano ocupa, a 40° posição entre os 200 músicos mais ouvidos naquele país europeu, de acordo com um relatório do ITunes.

Sabias que a ciência diz que Freddie Mercury é o maior vocalista da História?

há 6 meses

Banda-relâmpago volta a despertar rock angolano com obra “arrepiante”

há 3 anos
Downstairs to Somewhere é um projecto colaborativo de rock que existe há menos de quatro meses. Após estrear-se com o single “Its Not About You”, a banda-Relâmpago suportada por Tipo Stereo e Manel Kavalera “Mankav” volta hoje à ribalta com mais uma obra “arrepiante” e anuncia trabalhos em carteira.