Dennis Samaya: voz do World Music em Angola na mira de produtora internacional

Além de cantor e letrista, é multi-instrumentista. Em 2018 co-fundou Etno N’gola, banda de World Music criada para ajudar a divulgar as línguas nacionais de Angola através da música, e gora soma e segue.

Dennis Samaya reinventou-se e tem em mesa um contrato com uma grande produtora internacional com a qual vai lançar, ainda este ano, um LP.

Com previsão para tiragens físicas limitadas, o disco traz participações das referências da música angolana e, também, será cantado em Cokwé, numa fusão entre Txianda sintético Jazz e World Music.

O artista luandense de 25 anos apresenta seus projectos, suas visões e tendências que podem transformá-lo numa das grandes revelações do World Music no país.

Estava nos Etno N’gola. Por que decidiu optar pela carreira a solo?

Sem o Jack ou o Etno N’gola sempre existiu um Dennis Samaya. Na verdade, cada elemento da banda sempre levou a carreira a solo. Só que esses dois elementos deram valor ao meu trabalho.

Mas diz que agora vai dar mais espaço à sua carreira. O que foi que aconteceu com a banda?

O grupo vive uma fase muito conturbada e difícil.

Quer explicar melhor isso?

Posso sim explicar: a banda está passar por momentos não bons, na minha opinião. Estamos parados. Até então a banda esteve em estúdio a preparar algum material bom e consumíveis, eu acho que, em alguns pontos, nós não estamos de acordo. E por isso estamos parados.

Quer dizer que já não há Etno N’gola?

Estamos sempre em choques. Eu acho que não é isso que eu quero na minha carreira. O Etno é um bebé no meio de tudo isso.

Como vai fazer para gerir a carreira a solo com o grupo?

É simples. Não seria o primeiro caso de um artista estar em um grupo e a carreira a solo, mesmo que, às vezes, as pessoas não conseguem difundir muito. 

E em que fase está a sua carreira neste preciso momento?

Nessa fase da carreira, tenho estado em estúdio, uma vez que não somos permitidos fazer shows. E tenho também aproveitado para melhorar uns aspectos nos meus trabalhos a solo: cuidados na linguagem e pronúncia das palavras, porque, até então, tem sido uma das coisas que muita gente tem reclamado.

Que estilo caracterizará este novo Dennis Samaya?

Os estilos variam desde o Txianda sintético ao jazz contemporânea, as suas maiores variações como Neosoul e um pouco Fusion, que sempre foram a minha paixão. Há uma música intitulada Matamba-ka, que também fará parte desse projecto.

É uma reinvenção…

Chamaria de fase delta. Estou a me reinventar, a reinventar os meus conceitos musicais e harmónicos. Também estou a lutar para uma carreira internacional.

Que projectos tem em carteira e quando os vai lançar?

Estou em uma fase de pré agenciamento. Tenho trabalhado muito no que respeita a organização e gestão de carreira, uma coisa que aqui não se faz muito.

De que produtora se trata e em que se vai basear o contrato?

É uma internacional. Vai basear-se em cuidar da gestão jurídica da carreira, que para mim é muito importante e indispensável. Por agora não quero adiantar nada apenas posso dizer isso.

Que músicas vai lançar para marcar o seu novo aparecimento? 

Numa primeira fase serão lançadas 5 músicas em várias plataformas digitais de musicais atualmente. E, talvez vá se pensar também em vender alguns CDs só, por questão de estética.

Se são os primeiros trabalhos com a sua actual produtora. Quando é que vai apresentá-los?

Sim, e será um LP. Está para final deste ano, em Dezembro, no caso.

Para termos uma ideia sobre o trabalho que está a preparar, quais são as vozes que participaram?

Tudo que eu posso adiantar é que estou em estúdio a longo prazo e pretendo ter artista como Nanuto nos próximos trabalhos. Carlitos Timóteo – baixista com uma estrada longa passada pelos Jovens do Prenda e Kiezos. Zé Mwaleputo, um dos gigantes da guitarra solo no país.

as cargas mais recentes

George Floyd era rapper e membro do mesmo grupo de DJ Screw nos anos 90

há 2 anos
À medida que mais informações começam a surgir sobre a morte de George Floyd, um homem negro que recentemente se mudou para Minneapolis e foi morto sufocado por um policial, tornou-se público que Floyd era na verdade um membro do lendário grupo de rap de DJ Screw, Screwed Up Click.

Oito vítimas de alegados crimes sexuais se manifestam contra a soltura de Bill Cosby

há 7 meses
Bill Cosby recebeu mais de 50 acusações de estupro, agressão sexual e má conduta sexual em 2015 e cumpria a pena de 10 anos, desde 2018. Eis que no passado dia 30 de Junho, o actor teve a condenação anulada e recebeu soltura da prisão estadual da Pensilvânia.

1 de Junho: Filantropia junta artistas em prol da Aldeia de Criança SOS-Lubango

há 8 meses
Em comemoração ao Dia Internacional da Criança, um leque de artistas vai juntar-se amanhã no palco do Miami Beach, para uma live solidária em prol da Aldeia de Criança SOS do Lubango.

Titica desafia Karina Santos a cantar Kuduro

há 10 meses
“Da licença” é o título da música que junta Ticny e Karina Santos. Com estreia marcada para amanhã na plataforma do Kisom, a faixa fará parte da compilação “Encontro de Gerações Vol.2” da Unitel.

Morreu uma das figuras do Rock nos anos 60

há 1 ano
Spencer Davis, músico britânico fundador da banda The Spencer Davis Group, um dos responsáveis por êxitos como “Gimme Some Lovin’”, e do grupo Traffic, morreu esta terça-feira, aos 81 anos, num hospital em Los Angeles.

Chris Brown diz que “esmagaria” Quavo num jogo de basquete e Quavo responde

há 11 meses

Obras dispersas de Urbano de Castro e David Zé já começaram a ser resgatadas

há 1 ano
Ainda não se sabe sobre o número exacto das músicas a serem resgatadas, mas os países onde encontrá-las estão identificados, incluindo já se começou a resgatar e catalogar as canções de David Zé, cujos rendimentos vão para a família.

Britney Spears pede fim da curatela “abusiva” do pai

há 7 meses
Tudo começou em 2007 quando Britney sofreu um colapso público, tendo sido posta sob curatela legal, na qual os seus activos financeiros e bens passaram a ser controlados pelo seu curatelado, no caso, o pai James Spears, juntamente com um advogado.

Soulja Boy afirma que mudou toda indústria musical

há 1 ano
Embora já não tenha mais o mesmo sucesso no mainstream do que na década passada, Soulja Boy construiu um grande legado ao longo da sua trajectória de trabalho, o que não será facilmente esquecido.

Bonga abre espaço de discussões sobre a preservação da memória cultural africana

há 4 meses
O músico Bonga e o pesquisador e defensor da cultura angolana, Horácio Dá Mesquita, abrem hoje o “Conversas Entre Os Kotas”, um espaço de diálogo que permitirá criar ponte entre gerações por meio de narrativas de vivências de vida social e artística.

Globo aposta na união de estilos musicais de Angola e do Brasil na nova campanha de comunicação

há 2 anos
Há sensivelmente um mês, a Globo pôs a circular nos meios de comunicação locais, a campanha ‘Emoção Globo’. O objectivo é aproximar, cada vez mais, os talentos e produtos Globo ao público angolano com mensagens que lembrem personagens icónicas das novelas e programas de entretenimento e informação.

Travis Scott prepara-se para lançar sua própria marca de roupas

há 2 anos
Após outdoors, Air Force 1 personalizado e bonés da marca Travis Scott, o rapper prepara-se neste momento para o lançamento de uma marca de roupas de nome Cacti.

Morreu Amaro Fonseca, a voz do programa “Balumuka”

há 10 meses

Músicos do Reino Unido “vergonhosamente reprovados”

há 1 ano
Os músicos do Reino Unidos sentem-se “envergonhados” porque o governo decidiu abandonar a União Europeia, no passado dia 31 de Dezembro, sem ter acautelado um esquema de isenção que permitisse aos artistas britânicos viajarem pelos países europeus sem a necessidade de vistos, cadernetas e autorizações de trabalho.

Porquê que Angola celebra o 8 de Janeiro como Dia da Cultura Nacional?

há 1 ano
As celebrações abriram no dia 4 e terminam a 31 deste mês. A jornada contempla exposições, concertos, debates e hoje será marcada por um acto central, com outorga de diplomas de mérito personalidades que mais se destacaram no sector cultural no ano passado.

Ja Rule revela que no início da carreira quis fazer trio com JAY-Z e DMX

há 1 ano
Ja Rule, Jay-Z e DMX tinham condições reunidas para constituírem um trio, uma ideia motivada por Irv Gotti, da Murder Inc. Entretanto, os três músicos não conseguiram materializar o desejo porque dois dos rappers não mostraram interesse.