Depois de vários anos a produzir, Mestre Freddy apresenta-se como cantor

Mestre Freddy é dos nomes mais importantes no que toca a produção musical em Angola. Já trabalhou com Matias Damásio, Anna Joyce, Pérola, Gabriel Tchiema, Kyaku Kyadaff e tantos outros, para além de escrever para vários artistas. Após longos anos, explica porquê decidiu conciliar a carreira de produtor com a de cantor e apresenta as suas primeiras músicas com sonoridade diferenciada. Já tem o primeiro álbum à vista e deixa todas as impressões da “nova carreira” nesta entrevista.

Como descobre o lado de cantor?
Antes de ser produtor, fui cantor mas não profissional, aos meus 15 anos. Primeira coisa que eu fiz foi catar. Fui percussionista, tocava numa banda. Não é coisa que eu descobri agora, nasci numa família onde todos cantam. Não é novidade!

E porquê só agora decide explorar a faceta?
Não é uma ideia que caiu da chuva. Sempre soube que algum dia seguiria a carreira de cantor. Tinha de ter um nome no mercado, e fi-lo como produtor. Hoje Mestre Freddy é uma referência e as pessoas poderão associar o meu nome ao cantor a solo. Precisamos de dar boa educação musical à nova geração.

O que vai caracterizar o cantor Mestre Freddy?
Já escrevi para muita gente. Agora estou a atentar conquistar… não será um disco, quero ainda lançar alguns trabalhos e conquistar os fãs. Vou fazer um bom trabalho. Trago músicas que vão permanecer no tempo, música para a vida toda.

De que género?
Sou conhecido como um músico de Afro Jazz., Kizomba e Semba. Vou trazer um estilo africano misturado com os nossos. Não quero fazer música só por fazer, estou a fazer também para a minha vida mudar. Eu não vou trazer um estilo do Tchiema, Damásio ou Ndaka, vou juntando toda minha experiência, vou trazer um álbum para dançar, para ouvir, vou trazer melodias, eu tenho de fazer chorar as pessoas. Vou cantar em várias línguas, em homenagem a todas as línguas que eu falo: lingala, francês, português, cokwé, umbundu, swahili.

Como se intitulam as músicas experimentais e quando estarão disponíveis?
A primeira é “Cecília”, uma homenagem à minha primeira filha, onde trago histórias que incentivam as pessoas a conquistarem seus sonhos. A segunda é “Mwakie”, significa sozinho, e mostro que na vida tem de se lutar e traz participação de Kyaku Kyadaff. Tenho mais uma outra que será lançada depois, e terá participação de Ivan Alexey.

Depois de vários anos a produzir, Mestre Freddy apresenta-se como cantor

Até quando teremos as primeiras duas músicas de Mestre Freddy?
Vou dizer a realidade, até final de Setembro vamos ter as músicas, porque quero lançar com um vídeoclipe. Até lá teremos tudo, portanto, até final de Setembro.

Neste momento como está a correr a produção?
Por agora estamos a fazer as bases das músicas cá e depois vou a Portugal e concluirei em Paris. Caso não consiga ir por causa da pandemia, vou fazer algumas coisas aqui e depois eu mando para lá e eles me enviam, mas estando presente é sempre melhor.

Mas vai apenas cumprir um desejo ou pretende mesmo seguir a carreira de cantor?
Não serão apenas duas músicas. Vou gravar disco, com 7 a 10 músicas. Vou seguir a carreira de cantor. Será um prazer termos esse disco. Sei que não será fácil seguir a carreira, mas vou continuar a mostrar esse meu lado.

Que tipo de sonoridades lhe caracterizarão?
Primeira coisa, as músicas vão ser 100% acústica. Vou usar cordas, sopros, bateria, piano acústico, guitarra, baixo, coro. Eu quero coisa boa. É um investimento da Kissanji Produções. Não vejo a hora de começar. Quero deixar meu carimbo na voz.

Que influências da produção poderá trazer à carreira?
Isso a gente vai saber no terreno. Produzir é algo do escritório e cantar é para o mundo. Haverá músicas que eu vou começar com o Blues, mas virado para a África. Estou a pensar diferente, música mexida, mas com boas sonoridades.

Está na música há vários anos. Sabe melhor do que ninguém cantar requer tempo e dedicação. Como vai fazer para conciliar as duas carreiras?
Eu sempre vou tocar e cantar, isso fará a minha imagem. Terei sempre suporte dos instrumentistas atrás e vou impressionar.

Já escreveu para alguns músicos. Suas letras chegaram a “bater”?
Escrevi para Anabela Aya, Yuri da Cunha, Titica com Ary, são várias… não dá para citar mais… é muita coisa: Semba Kizomba, Rumba, Afro Jazz.

as cargas mais recentes

Patrícia Faria é o novo rosto da Zap Viva

há 2 anos
Depois de três anos a dirigir o “Calientíssimo”, na rádio MFM, Patrícia Faria prepara-se para mais um desafio. Brevemente, a cantora vai conduzir um novo programa de TV, no canal Zap Viva.

J. Rule combinou com Fat Joe para não tocar músicas em que participa R. Kelly

há 1 ano
As explicações sobre o assunto vieram agora a público, através de Ja Rule. O músico revelou ao episódio Drinks Champs que, antes de entrarem para a batalha, ele e Fat Joe, combinaram não tocar músicas com participação de R. Kelly, porque queriam evitar e ficar longe do “cantor problemático” considerado culpado dos crimes de exploração sexual a menores.

Bola de Ouro 2021: Afinal, nem sequer Portugal votou em CR7

há 10 meses

Bruno Mars responde ao pé da letra ao ser conotado como apropriador cultural em programa ao vivo

há 2 anos
Há anos que Bruno Mars vem sendo apontado por críticos de aproveitar-se da ambiguidade racial para cruzar gêneros historicamente negros e, mal regressou à ribalta, já se viu na “boca do vulcão” por conta dos obstinados questionamentos sobre apropriação cultural.

Young Thug diz que Jay-Z teria dificuldades em apresentar 30 hits num show ao vivo

há 2 anos
No seu registo fonográfico conta nove álbuns, sendo So Much Fan, lançado no ano passado, o mais recente. Ao contrário de Jay-Z que possui 15 álbuns publicados, sem contar com outros registos. Mas Thug afirma que JAY-Z não tem 30 canções que o público conseguiria imitar palavra por palavra num espectáculo ao vivo.

Adriano Tchitacumula: “Estrelas ao Palco é apenas um concurso, a verdadeira demonstração do meu talento começa agora”

há 1 ano

Lewis Hamilton eliminado do Q1 da Arábia Saudita com a pior classificação

há 6 meses
O piloto britânico da Mercedes, Lewis Hamilton, foi eliminado, este sábado, do Q1 do GP da Arábia Saudita. O heptacampeão obteve a pior classificação ao ficar fora em 16° posição.

Covid-19: Primeiro cobaia humano tomou a vacina hoje

há 2 anos
Ian Haydon, de nacionalidade norte-americana, é o primeiro humano a receber a vacina que pode “salvar a humanidade”.

Angola pretende elevar o Semba a Património Cultural da Humanidade

há 9 meses
Numa altura em que se aguarda pelo anúncio da elevação do estilo a Património Imaterial Nacional pelo Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente, o país está a preparar os documemtos que justifiquem, junto da UNESCO, a  classificação do Semba a Património Cultural Imaterial da Humanidade.

Ashanti e Keyshia começam 2021 com um frente a frente

há 2 anos
Remarcado para nove de Janeiro de 2021, depois de Ashanti ter testado positivo, em Dezembro, para o Covid-19 ( horas antes do encontro), a organização anunciou hoje que as duas artistas vão desafiar-se na próxima semana.

Hoje é o dia da rádio. Qual é a música que só te cuia ouvir na rádio?

há 2 anos

Focada nos biliões da Fenty Beauty, Rihanna volta a arquivar novo álbum

há 2 anos
O facto é que há tempos Riri vem focando a maior parte das energias em empreendimentos nos ramos da moda e costméticos, e parece que essa mentalidade empreendedora está a fazer com que o seu próximo album continue engavetado.

Kiluanji Kia Henda constrói memorial da escravatura em Portugal

há 2 anos
A imponente obra do artista plástico angolano simboliza a “reconciliação com o passado” da escravatura e é uma contribuição para a História de Portugal. A instalação será concluída no primeiro trimestre de 2021.

Cinco modalidades representam Angola nos Jogos Olímpicos de Tóquio

há 1 ano
A delegação angolana para os Jogos Olímpicos de Tóquio será constituída por 39 elementos e cinco modalidades, naquela que será uma das caravanas mais reduzidas.

Yuri da Cunha festeja aniversário com Show em Portugal

há 2 anos
O Casino Estoril (Portugal) será palco do grande show de Yuri da Cunha, dia 13 de Setembro (Domingo), em comemoração do seu 40 º aniversário.

NGA assume responsabilidade do Rap angolano nos Bet Awards

há 12 meses