Dino Ferraz: “Não me rotulo, seja a nível de estilos ou de mercado. Sou aberto a fazer música da maneira que sentir”

Dino Ferraz é um artista multifacetado, mas a voz e a composição são seus maiores instrumentos. Além de cantar e escrever, produz, toca e interpreta. Conquistou várias edições do Festival da Canção de Luanda, destancando-se na escrita, interpretação, composição e produção.

Depois de uma trajectória coroada de prémios e várias distinções e nomeações, assinou com a Milionário Records. O contrato já começou a dar os primeiros frutos. Dino conversou com a Carga e apresentou os projectos que tem com a sua nova produtora, a Milionário Records, a começar pelo single ‘Sintomas’, disponibilizado hoje.

Em Julho assinou com a Milionário Records. Em termos concretos, que vantagens já tirou desta parceria? 

As vantagens são visíveis e palpáveis, tanto para quem acompanha a minha carreira de perto como para quem acompanha à distância, mesmo em tempo de pandemia, consegue perceber que houve uma grande evolução na minha carreia. As vantagens começam obviamente pela parte do investimento. Eu hoje tenho um investimento maior e melhor, que me permite fazer mais e melhores trabalhos. Outra grande vantagem  cinge-se no aspecto organizacional, hoje tenho uma equipa que me permite trabalhar de forma mais profissional.

Após assinar, disse que começava uma nova era. O que queria dizer com isso? 

Sim, começou, de facto, uma nova era da minha carreira desde que me uni à família Milionário. Coincidentemente também era uma nova era para a Milionário. Como devem imaginar, andou durante algum tempo a fazer reestruturações e eu entro nessa fase em que a Milionário se está a erguer.

Que projectos têm em carteira neste momento?

É prematuro ainda dizer se depois do single ‘Sintomas’ lançado hoje, teremos novos trabalhos este ano, mas por agora este é o projecto que temos: lançar o vídeo e o single da música “Sintomas”, que é o meu segundo oficial depois de “A Minha Amada”.

Tem uma trajectória que passa pela produção, composição e interpretação. O quê que o público desconhece de si? 

É por esta trajectória que sou conhecido como um cantor, produtor e compositor que prima muito pelos aspectos estéticos. Não costumo fazer tudo nos meus trabalhos, firmo-me mais naquilo que eu acho que posso fazer com maior competência.

Em termos participativos. Que novidades traz nesses projectos ? 

Não terei participação no “Sintomas”, pelo menos a nível de intérpretes. Mas em termos de instrumentos, trago muitos bons artistas. Mas claro, terei músicas com participações de outros cantores.

O que gostaria de conseguir com a Milionário que não obteve antes? 

O que eu gostaria de conseguir com a Milionário é chegar onde eu, eventualmente, não chegaria enquanto artista independente. Com a Milionário, eu tenho certeza absoluta que vou chegar, todos os dias, reinventamo-nos. Não olhamos só para o mercado de Angola, olhamos para o mercado global.

Se tivesse que se lembrar como e onde começou, em que posição colocaria a sua carreira agora?

A retrospectiva que eu faço do antes e depois é muito positiva. Neste momento, apesar de serem só três meses, eu sinto que houve uma grande evolução.

Quais as maiores conquistas que já obteve desde que começou a cantar? 

Das conquistas que já obtive desde que comecei a cantar, claramente a minha entrada para a Milionário. Estou muito feliz, este contrato é o resultado de todo um trabalho árduo, que não foi só meu, foi dos meus amigos ao longo desses anos todos. Agradeço a Milionário por ter investido num artista, que na visão de muitos, é improvável.

Suas composições destacaram-se em vários concursos. Quando olha para essas nomeações, não lhe passa à cabeça que devia ficar só pela escrita?

Já ganhei sim vários prémios com composições, mas não só ganhei também como intérprete. Venci o Festival da Canção 2015, como intérprete, cantando uma canção composta por Totó ST e voltei a ganhar o Festival em 2018 como compositor com o tema Se For a Eu, interpretada por Carla Moreno.

Toca, canta, produz e escreve. Nos projectos que tem em carteira, haverão músicas em que vai  empreender todas essas competências? 

Compor e cantar são as duas zonas que me sinto bastante confortável e vou continuar a investir em ambas as partes e apostar em outras áreas que as pessoas não conhecem, a produção, por exemplo.

Quanto a ter que fazer uma música em que faço tudo, eu raramente faço isso, apesar de ser compositor, intérprete, instrumentista e também produtor. Penso que duas “cabeças” pensam melhor.

Para que mercado direccionou a sua carreira? 

Não costumo direccionar a minha carreira para um mercado específico, justamente para não rotular os meus trabalhos, as minhas músicas. Eu acho que é um grande prazer ver o “teu” trabalho ser consumido por um grande segmento e esse tem sido a minha luta, eu acho que a música não tem classe. Não me rotulo, seja a nível de estilos, ou de mercado. Sou um artista claramente aberto a fazer música da maneira que eu sentir.

as cargas mais recentes

Dr. Dre torna-se personagem da nova versão do jogo da GTA 5

há 1 ano
O lendário produtor será uma das personagens do GTA V, cuja actualização foi lançada ontem e apelidada de The Cayo Perico Heist, com várias novidades, como é o caso da ilha exótica, que abriga El Rubio, o traficante de drogas mais famoso do mundo.

Na primeira tentativa de cobrança Sadia arrecada 10 milhões de Kwanzas

há 11 meses

Kesha lança série sobre actividade paranormal

há 3 meses
Assim como Demi Lovato, Kesha anunciou que terá o seu próprio programa sobre actividades sobrenaturais (e ETs). A divulgação do novo programa da Discovery+, intitulado “Conjuring Kesha”, foi feita nas redes sociais da cantora.

O Homem e o Artista: Uma das obras mais intemporais do Hip Hop angolano

há 7 meses
Com 16 faixas, o álbum começa por chamar a atenção já na capa, onde distante das normais caras que caracterizam os álbuns de Rap, vemos um busto ‘Artista’, de uma escultura tipicamente africana, imprensa em capa de plástico semi-transparente, tapando o rosto do ‘Homem’ na contra capa, dando assim resposta a pergunta de quem busca a justificação para o título.

Kanye West acusado de “desrespeitar o Islão” com a sua colecção de ténis

há 1 ano
Yeezy Boost 350 v2 tornou-se tão popular que a Adidas não consegue desistir dele. Mantém a popularidade sem esforço, através dos anos e ganhou muitos modelos novos como a Asriel, que será apresentado oficialmente dentro de dias e que está a ser acusado de desrespeitar o Islão.

Covid-19: Espectáculos passam a ser permitidos ainda este mês

há 1 ano
Os concertos e actividades culturais em recintos fechados passam a ser permitidos a partir de 17 deste mês, durante a vigência da situação de calamidade pública.

Influência de Liceu Vieira Dias e os Ngola Ritmos na música popular angolana é retratada em documentário

há 1 ano
No mês de Novembro, o canal ZAP Viva celebra a independência de Angola com a exibição de documentários com o foco na sua herança cultural, e dia 4 de Novembro a partir das 21:30, poderá acompanhar “O Lendário Tio Liceu e os Ngola Ritmos”.

Kanye West promove imagem da Rainha N’zinga

há 1 ano
O músico e empresário usou ontem a sua conta do Twitter e publicou um conjunto de imagens de figuras históricas, entre os quais reformadores das religiões, santos católicos e filósofos.

Novo álbum de Nanuto já está disponível

há 2 meses

Música de Anitta entra para a lista oficial da presidência dos EUA

há 1 ano
A cantora brasileira consta da lista oficial dos artistas cujas músicas vão tocar amanhã na chegada de Joe Biden e Kamala Harris à Casa Branca. A cerimónia será assinalada com uma emissão de hora e meia.

Cine Janela exibe performance de Thó Simões amanhã

há 2 anos
Intitulada “Intocável” em projecto de projeção audiovisual durante quarentena, a performance e Thó Simões será exibida amanhã, às 20 horas, na página @cine.janela.

Desfile de hits “acorda” o hip hop em plena quarentena

há 2 anos
A nação hip hop “parou” para testemunhar a exibição dos hits de Raiva e DH, numa noite com todas as condições para ficar na história deste género musical.

DJ Nelasta: “Sofri bloqueio do DJ Malvado”

há 2 anos
Durante um “live” (conversa ao vivo nas redes sociais), terça-feira, o Dj Nelasta afirmou que foi bloqueado pelo DJ Malvado, para não tocar na festa da “Bohemia”, alegando que não tem estrutura para o efeito.

Telma Lee assina com a Milionário Records

há 2 anos
Telma Lee é a mais nova integrante da produtora e distribuidora musical Milionário Records. O anúncio sobre a contratação da cantora acabou por ser confirmado por Mi Mosquito, CEO da gravadora.

Entre bombos e tarolas, dance ao ritmo do Hip-Hop

há 2 anos
O Hip Hop nasceu juntamente com o estilo musical e toda sua as cultura. Refere-se aos estilos de dança sociais ou coreografados relacionados com a música e com a cultura Hip Hop: um género musical, com uma subcultura própria, iniciado durante a década de 1970, nas comunidades jamaicanas, latinas e afro americanas da cidade de Nova Iorque, e posteriormente desenvolvido por afro e latino-americanos.

Ouvir música através de um implante no cérebro é a mais nova proposta da Tesla

há 2 anos
Elon Musk, CEO da marca de automóveis Tesla e da empresa aeroespacial SpaceX, que colocou recentemente dois astronautas em órbita, afirma que vamos deixar de precisar de auscultadores em breve, porque vamos passar a ouvir música através de um micro-chip no cérebro.