Dino Ferraz: “Não me rotulo, seja a nível de estilos ou de mercado. Sou aberto a fazer música da maneira que sentir”

Dino Ferraz é um artista multifacetado, mas a voz e a composição são seus maiores instrumentos. Além de cantar e escrever, produz, toca e interpreta. Conquistou várias edições do Festival da Canção de Luanda, destancando-se na escrita, interpretação, composição e produção.

Depois de uma trajectória coroada de prémios e várias distinções e nomeações, assinou com a Milionário Records. O contrato já começou a dar os primeiros frutos. Dino conversou com a Carga e apresentou os projectos que tem com a sua nova produtora, a Milionário Records, a começar pelo single ‘Sintomas’, disponibilizado hoje.

Em Julho assinou com a Milionário Records. Em termos concretos, que vantagens já tirou desta parceria? 

As vantagens são visíveis e palpáveis, tanto para quem acompanha a minha carreira de perto como para quem acompanha à distância, mesmo em tempo de pandemia, consegue perceber que houve uma grande evolução na minha carreia. As vantagens começam obviamente pela parte do investimento. Eu hoje tenho um investimento maior e melhor, que me permite fazer mais e melhores trabalhos. Outra grande vantagem  cinge-se no aspecto organizacional, hoje tenho uma equipa que me permite trabalhar de forma mais profissional.

Após assinar, disse que começava uma nova era. O que queria dizer com isso? 

Sim, começou, de facto, uma nova era da minha carreira desde que me uni à família Milionário. Coincidentemente também era uma nova era para a Milionário. Como devem imaginar, andou durante algum tempo a fazer reestruturações e eu entro nessa fase em que a Milionário se está a erguer.

Que projectos têm em carteira neste momento?

É prematuro ainda dizer se depois do single ‘Sintomas’ lançado hoje, teremos novos trabalhos este ano, mas por agora este é o projecto que temos: lançar o vídeo e o single da música “Sintomas”, que é o meu segundo oficial depois de “A Minha Amada”.

Tem uma trajectória que passa pela produção, composição e interpretação. O quê que o público desconhece de si? 

É por esta trajectória que sou conhecido como um cantor, produtor e compositor que prima muito pelos aspectos estéticos. Não costumo fazer tudo nos meus trabalhos, firmo-me mais naquilo que eu acho que posso fazer com maior competência.

Em termos participativos. Que novidades traz nesses projectos ? 

Não terei participação no “Sintomas”, pelo menos a nível de intérpretes. Mas em termos de instrumentos, trago muitos bons artistas. Mas claro, terei músicas com participações de outros cantores.

O que gostaria de conseguir com a Milionário que não obteve antes? 

O que eu gostaria de conseguir com a Milionário é chegar onde eu, eventualmente, não chegaria enquanto artista independente. Com a Milionário, eu tenho certeza absoluta que vou chegar, todos os dias, reinventamo-nos. Não olhamos só para o mercado de Angola, olhamos para o mercado global.

Se tivesse que se lembrar como e onde começou, em que posição colocaria a sua carreira agora?

A retrospectiva que eu faço do antes e depois é muito positiva. Neste momento, apesar de serem só três meses, eu sinto que houve uma grande evolução.

Quais as maiores conquistas que já obteve desde que começou a cantar? 

Das conquistas que já obtive desde que comecei a cantar, claramente a minha entrada para a Milionário. Estou muito feliz, este contrato é o resultado de todo um trabalho árduo, que não foi só meu, foi dos meus amigos ao longo desses anos todos. Agradeço a Milionário por ter investido num artista, que na visão de muitos, é improvável.

Suas composições destacaram-se em vários concursos. Quando olha para essas nomeações, não lhe passa à cabeça que devia ficar só pela escrita?

Já ganhei sim vários prémios com composições, mas não só ganhei também como intérprete. Venci o Festival da Canção 2015, como intérprete, cantando uma canção composta por Totó ST e voltei a ganhar o Festival em 2018 como compositor com o tema Se For a Eu, interpretada por Carla Moreno.

Toca, canta, produz e escreve. Nos projectos que tem em carteira, haverão músicas em que vai  empreender todas essas competências? 

Compor e cantar são as duas zonas que me sinto bastante confortável e vou continuar a investir em ambas as partes e apostar em outras áreas que as pessoas não conhecem, a produção, por exemplo.

Quanto a ter que fazer uma música em que faço tudo, eu raramente faço isso, apesar de ser compositor, intérprete, instrumentista e também produtor. Penso que duas “cabeças” pensam melhor.

Para que mercado direccionou a sua carreira? 

Não costumo direccionar a minha carreira para um mercado específico, justamente para não rotular os meus trabalhos, as minhas músicas. Eu acho que é um grande prazer ver o “teu” trabalho ser consumido por um grande segmento e esse tem sido a minha luta, eu acho que a música não tem classe. Não me rotulo, seja a nível de estilos, ou de mercado. Sou um artista claramente aberto a fazer música da maneira que eu sentir.

as cargas mais recentes

Hochi Fu: “Apostei no Kuduro porque o Rap aqui era muito soft, dos betinhos”

há 4 semanas

Chadwick Boseman recebe Globo de Ouro a título póstumo como “Melhor Actor Dramático”

há 4 dias

Cardi B pede a Joe Biden para não fazer falsas promessas eleitorais

há 7 meses
Durante uma conversa que manteve com o candidato democrata à Casa Branca, Joe Biden, a cantora norte-americana foi frontal e pediu ao concorrente para não fazer falsas promessas eleitorais para conseguir votos.

Maya Cool abre oitava temporada do Show do Mês

há 2 semanas

Formiga: Trajectória da jogadora será contada em documentário

há 3 meses
A história da recordista mundial, será adaptada aos cinemas, num projecto que conta com o roteiro e direcção da cineasta Taís Amordivino.

GTA 6: Aumentam rumores sobre a estreia da primeira protagonista feminina

há 1 mês
Tom Henderson, conhecido por “furos” com novidades do Call of Duty e tido como um “vazador” confiável, informou que pela primeira vez na história da franquia, um dos protagonistas será uma mulher e que o GTA VI será lançado em 2022.

ZAP passará a atribuir prémios a músicos e apresentadores

há 6 meses
Artistas e personalidades que se destacam na área de televisão passarão a ser distinguidos anualmente com prémio Globos Zap. A iniviativa é oficializada hoje com a abertura das votações e o anúncio da lista dos primeiros 12 nomeados.

Chadwick Boseman: Após quatro anos, “astro” de Pantera Negra perde a batalha contra cancro no cólon

há 6 meses
Chadwick Boseman morreu na noite passada aos 43 anos, na companhia da família em casa. A notícia foi dada no Twitter oficial do actor.

FAF e clubes anulam Girabola

há 10 meses

Liz Lyrics apresenta ‘Studio Session’, uma incursão à realidade social

há 7 meses
Liz Lyrics canta Rap e R&B desde 2010 e está este momento em Portugal a construir a carreira profissional. O angolano está prestes a colocar no mercado mais um projecto musical intitulado ‘Studio Session’, de 6 músicas e 6 vídeoclipes.

Billboard elege melhores músicas e álbuns do K-Pop em 2020

há 2 meses
Na selecção de discos, a equipa do periódico escolheu 10 destaques para o ranking, que, surpreendentemente, não traz nem o BTS, nem o BLACKPINK, os dois maiores fenómenos do género actualmente.

Música “Blinding Lights” de The Weeknd torna-se o maior hit do século 21

há 3 semanas

John Dolmayan: “Black Lives Matter não passa de ferramenta de propaganda política”

há 8 meses
O baterista da banda de rock System Of A Down, John Dolmayan, considera o movimento Black Lives Matter ilegítimo e que não passa de uma “ferramenta de propaganda” política do Partido Democrata.

Snoop Dogg vai abrir liga de boxe para lutadores profissionais e músicos

há 3 meses
Denominada The Fight Club, a liga vai promover vários eventos por ano e terá Snoop Dogg como anfitrião e locutor.

Don Kikas descreve os “Lamentos de Agora” dos angolanos em novo projecto musical

há 2 meses
O novo single do músico está disponível desde ontem e será sucedido hoje de um outro, ambos farão parte do seu próximo álbum intitulado Livre, a ser lançado brevemente.

Cerimónia dos Globos de Ouro de 2021 já tem data

há 8 meses
A edição de 2021 dos prémios norte-americanos de cinema e televisão, conhecidos por Globos de Ouro, foi agendada para 28 de Fevereiro, um mês depois do calendário habitual, à semelhança do que aconteceu com os Oscar.