Dino Ferraz: “Não me rotulo, seja a nível de estilos ou de mercado. Sou aberto a fazer música da maneira que sentir”

Dino Ferraz é um artista multifacetado, mas a voz e a composição são seus maiores instrumentos. Além de cantar e escrever, produz, toca e interpreta. Conquistou várias edições do Festival da Canção de Luanda, destancando-se na escrita, interpretação, composição e produção.

Depois de uma trajectória coroada de prémios e várias distinções e nomeações, assinou com a Milionário Records. O contrato já começou a dar os primeiros frutos. Dino conversou com a Carga e apresentou os projectos que tem com a sua nova produtora, a Milionário Records, a começar pelo single ‘Sintomas’, disponibilizado hoje.

Em Julho assinou com a Milionário Records. Em termos concretos, que vantagens já tirou desta parceria? 

As vantagens são visíveis e palpáveis, tanto para quem acompanha a minha carreira de perto como para quem acompanha à distância, mesmo em tempo de pandemia, consegue perceber que houve uma grande evolução na minha carreia. As vantagens começam obviamente pela parte do investimento. Eu hoje tenho um investimento maior e melhor, que me permite fazer mais e melhores trabalhos. Outra grande vantagem  cinge-se no aspecto organizacional, hoje tenho uma equipa que me permite trabalhar de forma mais profissional.

Após assinar, disse que começava uma nova era. O que queria dizer com isso? 

Sim, começou, de facto, uma nova era da minha carreira desde que me uni à família Milionário. Coincidentemente também era uma nova era para a Milionário. Como devem imaginar, andou durante algum tempo a fazer reestruturações e eu entro nessa fase em que a Milionário se está a erguer.

Que projectos têm em carteira neste momento?

É prematuro ainda dizer se depois do single ‘Sintomas’ lançado hoje, teremos novos trabalhos este ano, mas por agora este é o projecto que temos: lançar o vídeo e o single da música “Sintomas”, que é o meu segundo oficial depois de “A Minha Amada”.

Tem uma trajectória que passa pela produção, composição e interpretação. O quê que o público desconhece de si? 

É por esta trajectória que sou conhecido como um cantor, produtor e compositor que prima muito pelos aspectos estéticos. Não costumo fazer tudo nos meus trabalhos, firmo-me mais naquilo que eu acho que posso fazer com maior competência.

Em termos participativos. Que novidades traz nesses projectos ? 

Não terei participação no “Sintomas”, pelo menos a nível de intérpretes. Mas em termos de instrumentos, trago muitos bons artistas. Mas claro, terei músicas com participações de outros cantores.

O que gostaria de conseguir com a Milionário que não obteve antes? 

O que eu gostaria de conseguir com a Milionário é chegar onde eu, eventualmente, não chegaria enquanto artista independente. Com a Milionário, eu tenho certeza absoluta que vou chegar, todos os dias, reinventamo-nos. Não olhamos só para o mercado de Angola, olhamos para o mercado global.

Se tivesse que se lembrar como e onde começou, em que posição colocaria a sua carreira agora?

A retrospectiva que eu faço do antes e depois é muito positiva. Neste momento, apesar de serem só três meses, eu sinto que houve uma grande evolução.

Quais as maiores conquistas que já obteve desde que começou a cantar? 

Das conquistas que já obtive desde que comecei a cantar, claramente a minha entrada para a Milionário. Estou muito feliz, este contrato é o resultado de todo um trabalho árduo, que não foi só meu, foi dos meus amigos ao longo desses anos todos. Agradeço a Milionário por ter investido num artista, que na visão de muitos, é improvável.

Suas composições destacaram-se em vários concursos. Quando olha para essas nomeações, não lhe passa à cabeça que devia ficar só pela escrita?

Já ganhei sim vários prémios com composições, mas não só ganhei também como intérprete. Venci o Festival da Canção 2015, como intérprete, cantando uma canção composta por Totó ST e voltei a ganhar o Festival em 2018 como compositor com o tema Se For a Eu, interpretada por Carla Moreno.

Toca, canta, produz e escreve. Nos projectos que tem em carteira, haverão músicas em que vai  empreender todas essas competências? 

Compor e cantar são as duas zonas que me sinto bastante confortável e vou continuar a investir em ambas as partes e apostar em outras áreas que as pessoas não conhecem, a produção, por exemplo.

Quanto a ter que fazer uma música em que faço tudo, eu raramente faço isso, apesar de ser compositor, intérprete, instrumentista e também produtor. Penso que duas “cabeças” pensam melhor.

Para que mercado direccionou a sua carreira? 

Não costumo direccionar a minha carreira para um mercado específico, justamente para não rotular os meus trabalhos, as minhas músicas. Eu acho que é um grande prazer ver o “teu” trabalho ser consumido por um grande segmento e esse tem sido a minha luta, eu acho que a música não tem classe. Não me rotulo, seja a nível de estilos, ou de mercado. Sou um artista claramente aberto a fazer música da maneira que eu sentir.

as cargas mais recentes

2 Mundos: Novo filme de Hochi Fu estreia nos cinemas

há 7 meses
O filme estreia no dia 23 deste mês nas salas do Cine Max e traz à tona o drama amoroso vivido pela maioria dos artistas angolanos no início da carreira. Em breve entrevista à Carga, Hochi Fu fala das razões que o levaram a elaborar o roteiro.

Icónico golo de Maradona com a mão vai aos cinemas

há 10 meses
O cineasta italiano Paolo Sorrentino, vencedor do Óscar de Melhor Filme Estrangeiro por “A Grande Beleza” (2013), vai escrever e dirigir um filme sobre o ex-jogador de futebol Diego Maradona para a Netflix.

Fast & Furious 9: Ludacris deixa escapar em entrevista que o filme pode chegar ao “espaço”

há 10 meses
O nono episódio da franquia Fast & Furious, recentemente apelidado F9 poderá ter chegado ao espaço, o spoiller foi deixado Ludacris. O rapper e protagonista veterano do filme, ciou a possibilidade durante uma entrevista recente ao The Hollywood Repórter.

Para não repetir versos Lil Wayne e Eminem revelaram que recorrem a Google

há 1 ano
Para evitar repetir os próprios versos, os dois rappers vão a Google para rever suas letras. Embora admitam que várias vezes tenham tido brancos, consideram a repetição um desrespeito à arte, que tem como objecto a criatividade.

Swizz Beatz reafirma ser fã incondicional de Artur Nunes

há 12 meses
O produtor e esposo de Alicia Keys, Swizz Beatz, provou que é fã incondicional de Artur Nunes ao partilhar um vídeo a dançar o hit “Tia”. O gesto não vem à parte, recentemente, Snoop Dog exibiu sua playlist e Paulo Flores figurava, e no passado, Will Smith impulsionou as vendas de Bonga.

Após vencer adversidades do Moda Luanda, organização prepara-se para concretizar os Globos de Ouro em Outubro

há 11 meses
Passados alguns dias após a realização da 23ª Edição do Moda Luanda, a Carga Magazine falou com a organização do evento, não só para fazer um balanço do evento, como também perceber quais os maiores desafios da indústria do entretenimento nestes tempos de resguardo.

Petro “rouba” Aníbal ao 1º de Agosto

há 9 meses
O Petro de Luanda garantiu a contratação do técnico Aníbal Moreira, que até a semana pertencia ao quadro técnico do 1º de Agosto, num contrato válido por quatro anos.

Filme de Mawete Paciência entra no Amazon Prime Video

há 7 meses
O filme “Rasto de Sangue” do realizador Mawete Paciência estará disponível no Amazon Prime Video, tornando-se a primeira película nacional na plataforma de streaming.

Kristof Degrauwe expõe `A Máscara Oculta´a partir de amanhã

há 4 semanas
A Máscara Oculta é uma exposição que irá decorrer de 20 de Abril à 31 de Agosto e será uma mostra de 29 fotografias tiradas entre 1999 e 2000 em Lubumbashi ( República Democrática do Congo).

Onde te enquadras senhor “músico”?

há 1 ano

Conheça Tusse, o refugiado congolês que venceu a maior competição musical da Suécia

há 2 meses
No passado sábado, o artista de 19 anos venceu o concurso de canto Melodifestivalen, consolidando sua posição para representar a Suécia no Festival Eurovisão, que acontece no próximo dia 18 de Maio.

Por onde andam os Detroia?

há 11 meses
Depois do sucesso da música “Bela”, tida como “febre”, o tempo foi “tomando Paracetamol” e a febre passou. O grupo gravou outras músicas, como “Tubia”, “Envelheceu”, entre outras, mas sem o sucesso do “Bela” e nem serviram para manutenção do grupo na “boca do povo”.

Eminem celebra 12 anos longe das drogas

há 1 ano
O rapper recorreu às redes sociais para exibir um chip que recebeu depois de ficar sóbrio por 12 anos depois de batalhas passadas contra o vício.

Angolana eleita melhor jogadora da semana nos EUA

há 2 meses

The Weekend doa 1 milhão de dólares para ajudar Etiópia a comprar alimentos

há 1 mês

Fim-de-semana farto: Kid Cudi quebra o silêncio de 10 anos e Taylor Swift retorna após 5 meses

há 5 meses
Kid Cudi acaba de lançar o último álbum da trilogia `Man on the Moon´, enquanto que Taylor Swift apanhou todos de surpresa com um “ábum-irmão” de Folklore, lançado há cinco meses, ambos projectados para ocupar os primeiros lugares da Billboard.