DJ Malvado: “Os lives têm ajudado, mas as festas com o calor e a vibração humana fazem parte da inspiração do artista no show”

É indubitavelmente um dos DJs mais conceitos de Angola, deu início à carreira com pseudónimo Cláudio Costelinha, mas foi como DJ Malvado que granjeou fama e conquistou o seu lugar ao sol.


A comemorar 28 anos de carreira, com um repertório irrepreensível, Cláudio Fernando da Costa Rodrigues, revela numa breve entrevista à Carga, como surge o apelido “DJ Malvado”, qual é o elixir para a longevidade da carreira, a falta que sente das festas e vaticina que “quando és original e tens identidade as coisas fluem muito melhor”.

Qual é o balanço que faz dos seus 28 anos de carreira?
Faço um balanço positivo dos meus 28 anos de carreira. E se pudesse faria uma festa enorme para celebrar bem, mas não dá, estamos numa situação de Pandemia mundial e temos que aceitar.

Qual tem sido o segredo para se manter no auge?

Acho que o maior segredo é a paixão louca que eu tenho com a música. Eu entrego-me muito, faço por amor, procuro sempre inovar. Nunca tenho pressa em querer aparecer, sei respeitar o próximo. E não interessa se é meu mais velho ou mais novo. E para mim o que me fez e ficar no auge sempre é a minha linha musical, pois independentemente de me sentir um cidadão do mundo, pelas viagens que faço levando a minha música, conheço outras músicas e estilos no mundo.

Eu não esqueço nunca as minhas origens, sou africano, sou Palop e sou angolano e aonde quer esteja, levo sempre os nossos ritmos. E acredito eu que quando és original e tens identidade as coisas fluem muito mais.

Qual é a maior lembranças que guarda dos seus tempos de “Cláudio Costelinha”?

Tenho boas lembranças dos Tempos de Cláudio Costelinha, desde as festas no meu bairro Valódia, as primeiras festas no Lubango, e as idas à África do Sul, onde foi, com toda a certeza, que dei o pulo para o mundo me conhecer.

A partir de que momento passa a ser o DJ Malvado?

Passo a ser Dj Malvado em 1999, foi precisamente na África do Sul num concerto com o malogrado MGM Zangado, que realizou um show lá e fui o DJ. A seguir começaram a dizer que o show do MGM Zangado foi muito bom, mas que o Costelinha asseguro estava muito Malvado a tocar. E assim surgiu a troca de nome.

A maior parte dos DJs sobrevive de eventos, neste ano atípico como avalia esta classe artística?

A classe artística está completamente sem trabalho, tem sido duro. Não tem sido fácil sobreviver. Os lives têm me ajudado, mas não é a mesma coisa. Festa com presença de pessoas é completamente diferente, pois o calor humano e a vibração fazem parte da inspiração de um artista num show.

O seu caso em particular, 2020 foi um ano frutífero?

O ano de 2020 para mim e para todos tem sido um ano duro. Estamos a perder muita gente próxima, dentre eles, ícones da nossa cultura. Mas é um ano que também tem ajudado a algumas coisas. Nos aproximou de pessoas que a gente ama e que muitas das vezes por questões de trabalho nos distanciamos.

as cargas mais recentes

Yola Araújo e LS Republicano rompem contrato por alegada “incompatibilidade”

há 10 meses
Depois de pouco mais de 10 anos de trabalhos, a cantora deixa de pertencer a LS Republicano, por causa de “incompatibilidades”.

Companhia Cubico Mwangole representa Angola no projecto do Mandela Day

há 8 meses
Promovido pela organização ONE.org para África, o projecto está agora na sua segunda fase, que compreende desafios entre grupos de dança de renome do continente Africano.

Black Album: Heavy C apresenta novo álbum à Carga Magazine

há 9 meses
Depois de vários interregnos, Heavy C confirma a chega do “Black Álbum”, um disco “louco” em que o músico, produtor e compositor mistura Rap, Trap e Pop e traz participação de uma das maiores referências da Old School.

Morreu Paulo Jazz, artista plástico e co-fundador da União Nacional dos Artistas Plásticos

há 8 meses
A confirmação da morte do também desenhista foi dada hoje pelo amigo e também homem das artes, Rui Nobre Garção, que, com o malogrado, trabalhou na comissão instaladora da fundação da UNAP, União Nacional dos Artistas Plásticos.

Rihanna volta a ser a artista com mais músicas certificadas pela indústria

há 6 meses

`Baza + 1 vez´ é a mais nova proposta musical do Rapper JLZ

há 1 ano
A preparar um novo trabalho, o Rapper JLZ lançou a música `Baza +1 Vez´ como a primeira proposta. O mais recente lançamento caracteriza-se como um som agressivo, egocêntrico e cheio de punchlines, de modo a fazer barulho na cena Hip Hop e preparar o caminho para a nova sonoridade, agora com a sua própria editora e sendo responsável pelos seus passos.

DJ Sidney: “O Hip Hop moçambicano é o melhor dos PALOP”

há 1 ano
DJ Sidney ou simplesmente Sidney Movie é o director-geral e executivo da GM Record, produtora que trabalha com nomes como Duas Caras, Hernâni da Silva, Azagaia e Escudo (Dinastia Bantu). Por outro lado, também dá oportunidade para jovens em início de carreira, ou menos conhecidos.

O Homem e o Artista: Uma das obras mais intemporais do Hip Hop angolano

há 1 mês
Com 16 faixas, o álbum começa por chamar a atenção já na capa, onde distante das normais caras que caracterizam os álbuns de Rap, vemos um busto ‘Artista’, de uma escultura tipicamente africana, imprensa em capa de plástico semi-transparente, tapando o rosto do ‘Homem’ na contra capa, dando assim resposta a pergunta de quem busca a justificação para o título.

Desporto norte-americano em “stand by”

há 11 meses
O boicote dos Milwaukee Bucks ao duelo com os Orlando Magic, no quinto jogo dos play-offs na NBA, motivou um protesto colectivo no universo desportivo norte-americano contra a injustiça racial e levou ao adiamento de todos os jogos da noite na NBA, estendendo-se à MLS, beisebol e ao ténis.

Para evitar pena de agressão sexual, Kodak Black se declara culpado por assédio

há 3 meses
As acusações estão relacionadas com o incidente que envolveu uma estudante do ensino médio, após um show no Condado de Florence, Carolina do Sul, em 2016.

Mais de 300 actores endereçam carta aberta a Hollywood

há 1 ano
Mais de 300 actores e realizadores, incluindo Idris Elba, Queen Latifah e Billy Porter escreveram uma carta para Hollywood a pedir que a empresa cinematográfica aposte mais em conteúdos anti-racistas e apelam para o fim do “legado da supremacia branca” na indústria.

Victor Silva: O primeiro angolano a dar carga no Mundial de moto Supersport

há 9 meses
Chama-se Victor Silva Barros e tem 36 anos. Natural do Sumbe, província do Kuanza Sul, o piloto começou a correr com “kupapata” e este final de semana estreou-se no Mundial de SuperSport em Estoril, Portugal.

Tudo Que Sei: Novo tema em Kizomba reafirma ecletismo de Sandra Cordeiro

há 1 mês

Filme`Tom and Jerry´chega aos cinemas em 2021

há 8 meses
A Warner Bros. divulgou esta semana o primeiro trailer do live-action `Tom & Jerry: O Filme´, trata-se da estreia das aventuras de Tom & Jerry nos cinemas desde que a animação foi lançada em 1992.

“In Da Club” atinge 1 bilião de views no Youtube

há 8 meses
50 Cent acaba de atingir os 10 dígitos de views. O vídeo datado de 2003, que teve a participação de Eminem e Dr. Dre entrou em “território” lendário.

Personagens “rasas” já não cabem no portfólio de Zendaya

há 7 meses
Em entrevista à revista GQ de Fevereiro, a actriz foi categórica ao afirmar que “papéis que giram em torno de homens e personagens femininas unidimensionais “, já não a desafiam e rejeitou vários contratos em 2020 por essa razão.