DJ Malvado: “Os lives têm ajudado, mas as festas com o calor e a vibração humana fazem parte da inspiração do artista no show”

É indubitavelmente um dos DJs mais conceitos de Angola, deu início à carreira com pseudónimo Cláudio Costelinha, mas foi como DJ Malvado que granjeou fama e conquistou o seu lugar ao sol.


A comemorar 28 anos de carreira, com um repertório irrepreensível, Cláudio Fernando da Costa Rodrigues, revela numa breve entrevista à Carga, como surge o apelido “DJ Malvado”, qual é o elixir para a longevidade da carreira, a falta que sente das festas e vaticina que “quando és original e tens identidade as coisas fluem muito melhor”.

Qual é o balanço que faz dos seus 28 anos de carreira?
Faço um balanço positivo dos meus 28 anos de carreira. E se pudesse faria uma festa enorme para celebrar bem, mas não dá, estamos numa situação de Pandemia mundial e temos que aceitar.

Qual tem sido o segredo para se manter no auge?

Acho que o maior segredo é a paixão louca que eu tenho com a música. Eu entrego-me muito, faço por amor, procuro sempre inovar. Nunca tenho pressa em querer aparecer, sei respeitar o próximo. E não interessa se é meu mais velho ou mais novo. E para mim o que me fez e ficar no auge sempre é a minha linha musical, pois independentemente de me sentir um cidadão do mundo, pelas viagens que faço levando a minha música, conheço outras músicas e estilos no mundo.

Eu não esqueço nunca as minhas origens, sou africano, sou Palop e sou angolano e aonde quer esteja, levo sempre os nossos ritmos. E acredito eu que quando és original e tens identidade as coisas fluem muito mais.

Qual é a maior lembranças que guarda dos seus tempos de “Cláudio Costelinha”?

Tenho boas lembranças dos Tempos de Cláudio Costelinha, desde as festas no meu bairro Valódia, as primeiras festas no Lubango, e as idas à África do Sul, onde foi, com toda a certeza, que dei o pulo para o mundo me conhecer.

A partir de que momento passa a ser o DJ Malvado?

Passo a ser Dj Malvado em 1999, foi precisamente na África do Sul num concerto com o malogrado MGM Zangado, que realizou um show lá e fui o DJ. A seguir começaram a dizer que o show do MGM Zangado foi muito bom, mas que o Costelinha asseguro estava muito Malvado a tocar. E assim surgiu a troca de nome.

A maior parte dos DJs sobrevive de eventos, neste ano atípico como avalia esta classe artística?

A classe artística está completamente sem trabalho, tem sido duro. Não tem sido fácil sobreviver. Os lives têm me ajudado, mas não é a mesma coisa. Festa com presença de pessoas é completamente diferente, pois o calor humano e a vibração fazem parte da inspiração de um artista num show.

O seu caso em particular, 2020 foi um ano frutífero?

O ano de 2020 para mim e para todos tem sido um ano duro. Estamos a perder muita gente próxima, dentre eles, ícones da nossa cultura. Mas é um ano que também tem ajudado a algumas coisas. Nos aproximou de pessoas que a gente ama e que muitas das vezes por questões de trabalho nos distanciamos.

as cargas mais recentes

Reptile: “Considero-me um artista bem-sucedido e sei que muitos se revêm na minha história”

há 5 meses
No dia 27 deste mês, o rapper vai colocar mais um álbum no mercado. Intitulado I.C.O.N (Invejosos Continuam a Odiar o Nikka), a obra produzida pelo moçambicano Ell Puto e Alleny. Além de Preto Show, Rui Orlando e Tchoboli, reúne importantes artistas da nova geração.

Morreu Paolo Rossi

há 4 meses
O ex-futebolista italiano Paolo Rossi, “herói” da vitória italiana no Mundial de 1982, morreu esta quinta-feira aos 64 anos, vítima de um câncer no pulmão, anunciou o diário desportivo italiano la Gazzetta dello Sport.

Chitãozinho e Xororó com música nova para o Live

há 10 meses
A dupla sertaneja Chitãozinho e Xororó apresenta-se aos fãs na quarta-feira (17), num Live que deverá ficar marcado pelo lançamento da nova música “Voltei para o mato”.

Manuel Kanza: “O Kuduro não morreu, apenas está a se transformar em Afro House”

há 12 meses
O dançarino de Kuduro Afro anuncia que vai abandonar os palcos em troca da produção de documentários e afirma que a dança Afro House e o Kuduro são a mesma coisa e fundamenta.

Idoso de 100 anos arrecada o equivalente a 30 mil milhões de Kwanzas ao cantar uma música

há 12 meses

Prodígio: “acredito que a arte tem que reflectir a sociedade, a minha vida, a dos meus e dos outros”

há 9 meses
Durante o longo vídeo nas suas redes sociais, sobre a morte do jovem de 23 anos no Prenda, o músico começou por esclarecer que não pretende defender qualquer artista, entretanto, realçou que é imprudente a sociedade olhar as coisas de um único ponto de vista, porque os músicos também têm liberdade de escolha.

Sandra Cordeiro anuncia EP mais comercial e menos clássico

há 12 meses
Trata-se de um maxi single com quatro faixas musicais nos estilos Kizomba, Afro Folclórica, Balada e Semba, que seria publicado no mês passado, mas que, devido à pandemia, estará à disposição dos fãs, por via digital, depois do levantamento do Estado de Emergência.

2020: Um ano trágico para a música angolana

há 4 meses
Calaram-se as vozes, mas as obras serão sempre lembradas. Exemplo disso, aconteceu sábado no encerramento da VII temporada do Show do Mês. O projecto da Nova Energia colocou Carlos Burity, Kweno Ayonda, Waldemar Bastos, Jivago e Teta Lágrimas nas estrelas.

Fundação Arte e Cultura encabeça festival cultural internacional de homenagem aos heróis da Covid-19

há 8 meses
O festival internacional de arte, em homenagem aos heróis da Covid-19 e de luta contra o racismo “Change is in Unity”, está ser encabeçado em Angola, pela Fundação Arte e Cultura e decorre na Ilha de Luanda, sob os valores Amor, respeito, resiliência, solidariedade, empatia e igualdade.

Paulo Flores homenageia Waldemar Bastos e Carlos Burity em novo álbum

há 8 meses
Intitulado ‘Independência’, no novo disco o artista “regressa às origens” do Semba e exalta o ritmo ancestral usado como instrumento de luta.

O novo álbum de Lady Gaga chegou e já conquistou o número #1 na Billboard 200

há 11 meses
`Chromatica´ assinala a sexta vez que um álbum de Lady Gaga figura no topo da lista, desde o lançamento de Born This Way em 2011. O trabalho era um dos mais aguardados dos últimos tempos, por representar o retorno da cantora ao dance pop.

Concerto dos Guns N´Roses já tem nova data

há 9 meses
Adiado este ano, devido à pandemia de covid-19, o espectáculo está agora agendado para 2 de Junho de 2021.

Disco que John Lennon assinou para seu próprio assassino vai a leilão

há 5 meses
Uma cópia do LP Double Fantasy , lançada em 1980 por John Lennon , vai a leilão por um valor inicial de 2 milhões de dólares. O disco, com autógrafo do ex-Beatle, pertencia a Mark David Chapman, que se encontra a cumprir prisão perpétua.

Banda dos filhos de Metallica e Guns N’ Roses é comparada com Velvet Revolver

há 5 meses
Os “Suspect208”, banda composta pelos filhos de Scott Weiland (falecido líder dos Stone Temple Pilots), Robert Trujillo (dos Metallica) e Slash (dos Guns N’ Roses), estão a ser comparados aos Velvet Revolver, banda que entre 2002 e 2008 juntou Weiland e Slash a Matt Sorum, Duff McKagan e Dave Kushner.

Ministra da Cultura de Portugal quer acabar com concertos online grátis

há 11 meses
A titular da pasta da Cultura de Portugal, Graça Fonseca, manifestou-se contra os concertos gratuitos nas redes sociais, ou até mesmo em varandas e defendeu que o trabalho na cultura deve ser pago.

Michel do Rosário abre musicalmente 2021 com “Olá Nina”

há 3 meses
Um pouco diferente daquilo a que é a sua identidade musical, este trabalho, mais ghetto zouk, é uma crítica construtiva para os que dão mais valor à beleza exterior e aos bens materiais do que a um amor verdadeiro, acabando muitas vezes por menorizar a relação e os intervenientes.