DJ Malvado: “Os lives têm ajudado, mas as festas com o calor e a vibração humana fazem parte da inspiração do artista no show”

É indubitavelmente um dos DJs mais conceitos de Angola, deu início à carreira com pseudónimo Cláudio Costelinha, mas foi como DJ Malvado que granjeou fama e conquistou o seu lugar ao sol.


A comemorar 28 anos de carreira, com um repertório irrepreensível, Cláudio Fernando da Costa Rodrigues, revela numa breve entrevista à Carga, como surge o apelido “DJ Malvado”, qual é o elixir para a longevidade da carreira, a falta que sente das festas e vaticina que “quando és original e tens identidade as coisas fluem muito melhor”.

Qual é o balanço que faz dos seus 28 anos de carreira?
Faço um balanço positivo dos meus 28 anos de carreira. E se pudesse faria uma festa enorme para celebrar bem, mas não dá, estamos numa situação de Pandemia mundial e temos que aceitar.

Qual tem sido o segredo para se manter no auge?

Acho que o maior segredo é a paixão louca que eu tenho com a música. Eu entrego-me muito, faço por amor, procuro sempre inovar. Nunca tenho pressa em querer aparecer, sei respeitar o próximo. E não interessa se é meu mais velho ou mais novo. E para mim o que me fez e ficar no auge sempre é a minha linha musical, pois independentemente de me sentir um cidadão do mundo, pelas viagens que faço levando a minha música, conheço outras músicas e estilos no mundo.

Eu não esqueço nunca as minhas origens, sou africano, sou Palop e sou angolano e aonde quer esteja, levo sempre os nossos ritmos. E acredito eu que quando és original e tens identidade as coisas fluem muito mais.

Qual é a maior lembranças que guarda dos seus tempos de “Cláudio Costelinha”?

Tenho boas lembranças dos Tempos de Cláudio Costelinha, desde as festas no meu bairro Valódia, as primeiras festas no Lubango, e as idas à África do Sul, onde foi, com toda a certeza, que dei o pulo para o mundo me conhecer.

A partir de que momento passa a ser o DJ Malvado?

Passo a ser Dj Malvado em 1999, foi precisamente na África do Sul num concerto com o malogrado MGM Zangado, que realizou um show lá e fui o DJ. A seguir começaram a dizer que o show do MGM Zangado foi muito bom, mas que o Costelinha asseguro estava muito Malvado a tocar. E assim surgiu a troca de nome.

A maior parte dos DJs sobrevive de eventos, neste ano atípico como avalia esta classe artística?

A classe artística está completamente sem trabalho, tem sido duro. Não tem sido fácil sobreviver. Os lives têm me ajudado, mas não é a mesma coisa. Festa com presença de pessoas é completamente diferente, pois o calor humano e a vibração fazem parte da inspiração de um artista num show.

O seu caso em particular, 2020 foi um ano frutífero?

O ano de 2020 para mim e para todos tem sido um ano duro. Estamos a perder muita gente próxima, dentre eles, ícones da nossa cultura. Mas é um ano que também tem ajudado a algumas coisas. Nos aproximou de pessoas que a gente ama e que muitas das vezes por questões de trabalho nos distanciamos.

as cargas mais recentes

Euclides da Lomba: “Foi uma falha não atribuírmos nenhum prémio a Carlos Burity”

há 2 anos
A Direcção Nacional da Cultura diz sentir-se culpada e admite ter falhado pelo facto de não atribuir nenhum prémio a Carlos Burity e aventa a possibilidade de atribuição a título póstumo.

Dinheiro da FIFA já está em posse da Federação Angolana de Futebol

há 2 anos
Dos valores 216 mil dólares serão entregues às associações desportivas das 18 províncias e servirá para assistir e aliviar os efeitos do Covid-19.

Hochi Fu: “Apostei no Kuduro porque o Rap aqui era muito soft, dos betinhos”

há 1 ano

Paulo Flores em concerto no dia da Paz

há 2 anos
Quatro de Abril é o dia em que os angolanos festejam a Paz, mas o quatro de Abril de 2020 será diferente dos anteriores, tudo porque o mundo debate-se com a Pandemia do Covid-19.

Filme ‘King Richard’ dá a Will Smith o primeiro Globo de Ouro da sua carreira

há 4 meses

Consciência Corporal: o que é, e como influencia o nosso dia a dia

há 2 anos
Consciência corporal é um termo autoexplicativo que significa tomar consciência do corpo e mente, reconhecer e identificar os processos e movimentos corporais, internos e externos.

Banda Prontidão homenageia Luanda

há 1 ano
Dia 31 de Janeiro (domingo) será um dia especial para música angolana, particularmente para nova geração de artistas. A data ficará marcada pelo primeiro concerto ao vivo da Banda Prontidão.

Kiki Versace: “A minha carreira está em ascensão”

há 2 anos
Kiki Versace introduziu no cenário musical o Kubanger, um estilo que resulta da combinação entre o Kuduro e o Trap Banger. Hoje a vertente é bastante cultivada. O kudurista veio à Revista Carga para apresentar o seu álbum de estreia e aproveitou para esclarecer dúvidas à volta da do tipo de Kuduro que inventou há 12 anos.

Madonna junta-se aos protestos nas ruas de Londres

há 2 anos
Mãe de quatro filhos de raça negra, Madonna foi às ruas num protesto contra o racismo e a violência policial em Londres. A cantora foi aplaudida pelos participantes da manifestação e chegou a abraçar algumas pessoas presentes.

Colectivo Mulheres d’Palavras estreia ‘Loucas na Maternidade’

há 2 meses
O espectáculo busca na sua narrativa apresentar questões sobre género e saúde materno infantil de qualidade e seus efeitos nas unidades hospitalares num contexto factual em que a mortalidade infantil, gravidez na adolescência, fuga à paternidade, abuso sexual, economia desfavorável são algumas das preocupações apresentadas pelo colectivo.

Koffi Olomide assina com produtora dirigida por angolano e anuncia novo álbum

há 9 meses
O “Rei do Soukus” prepara-se para colocar “Légende” (lenda), no mercado. O álbum sai num momento em que acabou por assinar com a Goldmann, produtora gerida pelo angolano Mário Kiesse da Costa.

Phathar Mak “pede” socorro

há 2 anos
O vídeo da nova música do rapper Phathar Mak, intitulada “Socorro”, estreia hoje na página do músico no Youtube. A música é um pedido de socorro a Deus, apelando a sua intervenção na salvação da humanidade, além de passar a mensagem de igualdade entre os seres humanos, de forma a deixar de lado o complexo de superioridade.

Sambieventos, Os Lambas, Luandina e BASEL juntos contra a crise e contra a pandemia

há 2 anos

OG Vuino enaltece suas raízes em novo álbum ao lado de Boss AC

há 6 meses
“Fiz de Novo” é o título do novo álbum de OG Vuino. Neste disco, o rapper fundador dos Kalibrados, um dos mais proeminentes grupo de Hip Hop de sempre no país, lança-se numa nova aventura, propondo uma sonoridade mais próxima das suas raizes.

Cine Janela exibe performance de Thó Simões amanhã

há 2 anos
Intitulada “Intocável” em projecto de projeção audiovisual durante quarentena, a performance e Thó Simões será exibida amanhã, às 20 horas, na página @cine.janela.

Chris Brown diz que “esmagaria” Quavo num jogo de basquete e Quavo responde

há 1 ano