Dj Mandas: “Eu represento e protejo a minha cultura”

Mandas é dos mais representativos djs de Afro House no mundo. Vive actualmente na China e é o dj residente da Play House, um dos mais importantes club daquele país. Conquistou o respeito dos filipinos, russos, guineenses e brasileiros, depois de começar a carreira no Brasil, influenciado pelo Kizomba, Zouk, Hip Hop e música electrónica. 

Intransigente, Mandas tem um estilo próprio e define-se como um artista autêntico e não mede esforço, todos os dias, trabalha arduamente para deixar um legado aos mais novos. 

Para melhor representar a sua cultura, está a desenvolver o Afro Tina, uma fusão da tina-que é um estilo musical e ao mesmo tempo dança tradicional da Guiné-Bissau-com o Afro House. 

Foi na Guine Bissau que nasceu. É fã e admirador confesso da música angolana e agendou alguns lançamentos este ano.

Foi uma grande virada. Estava na Guiné, depois vai ao Brasil para estudar e lá, começa a seguir a carreira musical. Conte-nos como é que isso se procedeu?
Sempre gostei muita de música, mas nunca tinha pensado em ser um artista, no caso um dj. Quando fui para Brasil, o objectivo era terminar a faculdade e voltar para a Guiné-Bissau, porém acredito que a minha trajectória na música já estava “escrita” as coisas foram acontecendo de uma forma natural. O amor à música levou a coragem de tocar em discotecas, quando começam a surgir oportunidades. Não tardou para que eu começasse a tocar na Zona Sul do Rio (Copacabana) e com o passar do tempo começam a surgir convites por todo o Brasil, toquei em São Paulo, Fortaleza, Belo Horizonte, Juiz De Fora.

Dj Mandas: “Eu represento e protejo a minha cultura”

 Foi em 2014 que decide apostar seriamente na música. A partir de que momento sentiu que valia a pena investir na carreira profissional?
Em 2014, terminei o curso de Direito. Como, aparentemente, já tinha diploma a que me propus alcançar, depois segui o meu coração, ser um artista a “full time”. Graças a Deus foi uma aposta ganha, vivo da minha profissão e o faço com amor.

Até que ponto as suas origens influenciam nos estilos musicais que toca?
A cultura e músicas africanas têm uma influência forte em mim, sou apaixonado pelas minhas raízes. Os instrumentos tradicionais, são uma fonte de inspiração ao qual junto os beats, falei da Tina, mas também há o Kora, entre outros que produzem sons extraordinários, acredito que ainda há muito por explorar no Afro house, e quero surpreender muito mais com este estilo.

E como é que vai parar à China?
Vim a convite do meu melhor amigo que tinha negócios aqui na China. No início, a intenção era passar uma temporada aqui, e depois voltar. Acabei por ficar até hoje (risos). 

Depois disso, começou a receber convites e actuou em países como Rússia, Filipinas, China e na Guiné. Como é que fez para conseguir estar nesses locais?
Sim, toquei na Rússia, embora não seja nenhuma novidade para as pessoas que me conhecem bem, porque eu sou casado com uma russa (risos). Sou dj residente de um dos melhores club da China “Play House”, o que acaba influenciando muito aqui na Ásia, e isso abriu portas.

Dj Mandas: “Eu represento e protejo a minha cultura”

Além de dj, tem algumas músicas lançadas com as quais tem conseguido algum sucesso. Que projectos musicais está a preparar? Sim, dei os meus primeiros passos como produtor em 2016. Meu primeiro Single foi a “No Money No Party”, que lancei junto com um amigo produtor em 2018. No início deste ano, assinei com uma nova Label, a “Kavi Music” e, desde então, não paramos! Esta Label dá-me o suporte que todo o artista gostaria de ter e permite focar-me no meu trabalho. Já lançámos três singles que incluem “Mantenha” com o grande Manecas Costa; “Human” com a diva Karyna Gomes” e “Nha Love” featuring Jalex.

Estou focado em desenvolver mais ainda o meu estilo afro tina, uma fusão da tina-que é um estilo musical e ao mesmo tempo dança tradicional da Guiné-Bissau-com o Afro House. Espero lançar meu próximo single já no início de 2021.

É dos mais representativos djs no mundo do Afro House. O quê é que está a fazer para que o seu legado se perpetue?
Considero-me um artista autêntico e, para mim, esse é um factor importante para deixar legado no mundo da música. Eu represento e protejo a minha cultura, e dessa forma vou inspirando os mais novos.

Lançar um álbum é algo que já anda nos seus planos ou nem por isso?Sim, com certeza. Vários singles acabam transformando-se em álbum. Mas, no momento não estou a pensar em lançar álbum, porque, na verdade, não é uma decisão minha, tenho várias músicas prontas e se a Kavi Music achar que chegou o momento de lançarmos álbum, então que seja.

Como é ser dj na China? Sendo de um país com cultura e tradições totalmente diferentes?
O mundo da música mudou muito, hoje a China é um dos maiores mercados para os djs famosos da Europa e América. A China tem um dos melhores clubs do mundo, em termos de estrutura, e estão muito avançados. A música eletrônica invadiu o mercado chinês e o retorno é muito bom. No início foi difícil, mas graças a Deus a adaptação a este país e mercado, felizmente está a correr bem. 

Conhece alguns músicos ou música angolana?
Eu sou fã e admirador confesso da música angolana. Como todo amante da música, escuto Anselmo Ralph, Matias Damasio, Yuri Da Cunha, Paulo Flores, Anna Joyce, Don Kikas… A lista é longa (risos). 

Que músicos angolanos tem tocado com alguma frequência nos locais por onde passa?
Para ser sincero nenhum. Nos últimos anos, tenho tocado mais aqui na Ásia, mas espero poder trabalhar com alguns músicos angolanos em breve.

Que músicas ou artistas nunca podem faltar no seu performance e porquê?
Nomes como Djeff Afrozila, Prince Kaybee, Black Coffee não podem faltar, porque são artistas que me influenciaram muito.

Qual é a playlist que não pode esquecer de levar a um evento?
Todas as minhas músicas é claro (risos). 

as cargas mais recentes

Burna Boy apresenta detalhes do seu novo álbum produzido por P. Diddy

há 2 anos
Intitulado “Twice As Tall”, o novo álbum do músico nigeriano teve a produção executiva de Puff Diddy, Bosede Ogulu e o próprio Burna Boy.

Yuri da Cunha “mostra” como combinar a música às palavras

há 1 ano
Em véspera do desfecho das homenagens a Teta Lando, que acontece já este sábado (1 de Maio), Yuri da Cunha protagoniza, esta quarta-feira, em Luanda, um concerto para mostrar ao público como a música, palavra e o artista se combinam.

Fundação Arte e Cultura apresenta concerto online com o músico Totó

há 2 anos
Sob o lema, Fique em casa e proteja a sua vida, o concerto enquadra-se no âmbito do projecto Fundação Arte e Cultura Online, que visa incentivar as famílias a permanecer em casa, como forma de prevenção contra a Covid-19. Nesta senda, o concerto com o músico Totó será apresentado nesta sexta-feira, dia 24, pelas 19 horas.

Banda Maravilha “passeia” 28 anos de mestria no palco do `Ao Vivo´

há 1 ano
Emitido originalmente no passado dia 22 de Janeiro, o programa `Ao vivo´ da Zap vai brindar os fãs já este sábado, dia 25 de Setembro, com a reemissão do show protagonizado pelo quinteto que com o reconhecido contributo de antigos integrantes, há 28 anos moderniza o Semba sem deixar máculas.

Ex-craque do futebol mundial Drogba rendido ao talento de Cleyton M

há 1 ano
Cleyton M volta a ser notícia na revista angolana de música, porque este sábado, arrancou elogios do ex- internacional do futebol costa marfinense, Didier Drogba, pelo seu último lançamento “Girl Friend’.

“Abençoado”, Nikko lança mais uma EP

há 1 ano
Depois da EP Kuzola Planet, Niiko apresentou há uma semana o seu novo trabaho intitulado ‘Abençoado’ feito de temas inéditos que reafirmam o seu voo solo, com abordagem musical distinta.

Ao Vivo Homenagem à Música, História da Música Popular e Estrelas ao Palco integram a programação da Zap em Janeiro

há 2 anos
O início do ano novo será marcado por um notável dinamismo na programação com a entrada de novos programas, novos rostos e horários bem como o regresso de grandes formatos a que a ZAP está habituada a presentear os seus telespectadores.

Kiki Versace: “A minha carreira está em ascensão”

há 2 anos
Kiki Versace introduziu no cenário musical o Kubanger, um estilo que resulta da combinação entre o Kuduro e o Trap Banger. Hoje a vertente é bastante cultivada. O kudurista veio à Revista Carga para apresentar o seu álbum de estreia e aproveitou para esclarecer dúvidas à volta da do tipo de Kuduro que inventou há 12 anos.

Coréon Dú: “Acredito que muitas vezes o nosso público confunde o não aparecer com o estar parado”

há 12 meses
Há pouco mais de uma semana, Coréon Dú fez o seu grande retorno aos palcos, após um ano de “afastamento” devido a pandemia. Não foi apenas mais um concerto, o artista subiu ao palco do Espaço Espelho d’Água para apresentar o seu mais recente trabalho, The Love Infinity. Com a produção a cargo da Bússola Rítmica, Coréon teve um único convidado além da sua banda, Shane Maquemba, um artista em ascenção. Na “ressaca” do evento, os dois artistas falaram à Carga, e numa demonstração mútua de respeito, Shane teceu rasgados elogios a acessibilidade do autor de Binário: “Coréon Dú é uma pessoa muito amável e muito acessível. Foi muito bom, saber que ele também gosta do meu trabalho, principalmente dessa nova ropagem que estou a fazer da minha carreira.”

50 Cent convida Riquinho para co-produzir seus espectáculos

há 1 ano
O homem forte da música angolana não só co-produzirá espectáculos do líder da G-Unit, como também direccionou seu core business e passará a promover a música nacional no mercado norte-americano, colocando nossos artistas a actuarem nos principais palcos internacionais.

Luciano di Camargo decide processar série de Zezé produzida pela Netflix

há 11 meses
Devido o impacto da dupla, a Netflix decidiu produzir uma série, para retratar a trajectória dos músicos, começando pela sua biografia. No entanto, tudo indica que Luciano não terá sido ‘tido nem achado’, e entrou com uma acção judicial para barrar a plataforma de streaming de usar suas imagens no documentário.

Rui Orlando em concerto no `Especial Tá Bater´

há 2 anos
É já neste sábado, dia 19 de Setembro, que todas as atenções estarão voltadas para o `Especial Tá Bater´, com Rui Orlando, a protagonizar uma incursão pelos maiores sucessos do seu repertório.

Séketxe estarão em live show esta noite

há 1 ano
Os Séketxe, grupo fenómeno do rap nacional, vai protagonizar hoje à noite um live show. Os jovens da Kuxilândia, autores dos temas “Kubeli” e “Nu Xtragó Nada”, apresentam-se em estúdio num ao “vivo” apoiado pela revista Carga e a produtora Chasing Dreams.

UEFA quer concluir Champions até final de Agosto

há 2 anos
O presidente da UEFA, Aleksander Ceferin, disse hoje que pretende encerrar a presente temporada da Liga dos Clubes Campeões, suspensa desde Março devido o Covid-19, em Agosto.

Abril, o mês da dança

há 2 anos

Duas semanas post mortem, Marília Mendonça é destaque na ForbesLife Fashion

há 11 meses
Pela primeira vez na história, a publicação brasileira traz o conceito sertanejo na capa e a “patroa da sofrência” é o grande destaque, ao lado de Maiara e Maraisa.