Do Kuduro ao Rap: Alé G Fiigura mostra o quanto vale

Foi a dançar Kuduro que Alé G Fiigura descobriu a veia artística e hoje está a solidificar a carreira no Hip Hop, transformando-se numa das vozes  promissoras do Trap no país.

Alé G Fiigura não é um músico de rótulos, mas é no Trap que se tem notabilizado. Já lançou um EP com o seu grupo Fiigura, ao lado de Jay C & Young Bang, e  uma mixtape DNMC. Ambos disponíveis no YouTube e na sua página oficial do Facebook. 

Começou a cantar em 2014, e só este está a dar passos largos na carreira, uma caminhada influenciada por Jay-Z, Lil Wayne e Sérgio Figura. Agora, o rapper soma e segue. A 30 deste mês, colocará mais um EP no mercado. A obra intitula-se EP 2.6 e traz conteúdos motivadores e contextuais.

 O artista não só canta, também dança, compõe, produz e é o CEO da Right Time Records, uma produtora independente que vai atraindo outros nomes. Alé G Fiigura fala sobre o futuro da sua carreia.

Do Kuduro ao Rap: Alé G Fiigura mostra o quanto vale

 Como se deu a transição da dança para o Rap?

A transição chegou por ser muito fácil. Comecei no estilo Rap, mas dançava o Kuduro. Nunca cheguei a actuar em palcos como dançarino, era algo que praticava dentro do condomínio e no colégio.

Por que razão optou por seguir a carreira como rapper e não como kudurista? 
Em casa, sempre ouvimos rap e sempre fomos amante desse grande estilo. O Kuduro é algo da nossa terra, que merece muita valorização de todos nós.

Depois disso, lançou dois projectos. Fale-nos um pouco sobre essas obras.
Sim. Lancei o DNMC-Deus No Meu Caminho. O segundo foi o EP Bustle, com os Fiigura, que é o meu grupo. Bustle é o primeira do grupo Fiigura.

Neste momento, o que tem estado a preparar para a sua carreira a solo?
Estou a preparar um EP “ com 4 faixa, que sai a 30 de Dezembro, dia do meu aniversário. Uma forma de brindar a vida. A obra chama-se EP 2.6. Neste EP, quero valorizar a vida e mostrar o que realmente sou e o que quero alcançar. Terá uma participação do Odecenas.

Possui uma produtora. Que outras competências artísticas traz?
Sou compositor e motivador social e dono de um estúdio de música. Isso me dá mais competência e força para trabalhar.

Que palcos já pisou e qual a maior lembrança que carrega sobre eles?
Somente este ano a minha carreira começou a dar passos largos. Não tenho muita história marcantes em relação à shows ou palcos.

Que futuro antevê para a sua carreira pelo que tem feito?

Antevejo uma boa entrada em 2021. Terei novos projectos e quero dar grandes passos na música.

Nome completo: José Malundama dos Santos Panzo

Local de nascimento: Uíge

Idade: 26 anos 

Residência Actual: Luanda 

Estilo de música : Hip Hop/Rap

Instrumento: Voz 

Influências: Jay C , Sérgio Figura, Young Bang , Jay Z.

Desejo: continuar a ter saúde e dinheiro. 

as cargas mais recentes

Banda angolana de Rock contratada pela principal companhia de música da África do Sul

há 10 meses
Trata-se dos Porta Magna, uma banda angolana de Rock criada em menos de nove meses. O grupo foi hoje apresentado como a mais nova aposta da Just Music, produtora que também agencia músicos como Adele.

Rui Veloso: “A ouvir hip hop não aprendo nada musicalmente”

há 2 anos
Em 2018 Rui Veloso foi mal concebido pela comunidade hip hop por ter afirmado que o Rap não era bem música. Durante uma entrevista esta semana na BLITZ, Posto Emissor, Rui Veloso esclareceu os comentários que em tempos teceu sobre o hip hop.

Adolescente que filmou a morte de Floyd é homegeada com Pulitzer, a mais alta distinção do Jornalismo

há 11 meses
De nome Darnella Frazier, a jovem tinha apenas 17 quando sacou o telefone para gravar o fatídico episódio, que culminou com a morte por sufocamento, e posterior condenação do seu autor, Derek Chauvin.

Covid-19: Espectáculos passam a ser permitidos ainda este mês

há 2 anos
Os concertos e actividades culturais em recintos fechados passam a ser permitidos a partir de 17 deste mês, durante a vigência da situação de calamidade pública.

Francisco Vidal enaltece Bruno Candé na exposição `Maka´

há 2 anos
`MAKA Lisboa´ é uma conversa construtiva sobre o assassinato racialmente motivado do actor Bruno Candé, na qual, o artista plástico Francisco Vidal, ajuda a percepcionarmos o trabalho e a sua presença de Bruno.

Jay-Z liga para governador de Minnesota a exigir justiça

há 2 anos
Muitos rappers participaram de protestos em várias partes dos Estados Unidos da América a exigir justiça pela morte de George Floyd. Os que não puderam, contribuíram para o Freedom Funds, que fornece dinheiro sob fiança para os presos manifestantes.

Benguela acolhe a gala de abertura do Circuito Internacional de Teatro

há 10 meses
A sexta edição do Circuito Internacional de Teatro começa dia 30 de Julho e, vai até ao dia 16 de Setembro em Luanda e Benguela, sendo Maria João Ganga a homenageada escolhida do certame.

Jay-Z torna-se o artista com mais indicações na história dos Grammys

há 6 meses
O rapper acumula um total de 23 troféus e é agora o mais indicado de todos os tempos na história dos Grammys, ultrapassando Quincy Jones, com quem dividia a liderança de 80 indicações duarante anos.

Martírio: OPPY narra cenário actual de Angola na primeira obra discográfica

há 1 ano
Numa breve entrevista, o rapper independente confirma que o álbum Martírio estará disponível hoje a partir das 18 horas e conta as vantagens de ser um artista não residente em Angola.

Lou Ottens, precursor da portabilidade musical morre aos 94 anos

há 1 ano
Conhecido como o “Pai” da cassete de fita, o engenheiro holandês, foi nada mais que um inventor revolucionário na década de 1960, cuja criação democratizou o sector musical, facilitando a portabilidade e alcance.

NGA lança “Duas no Cubico”

há 10 meses
Cinco meses depois do lançamento de “Se Der Pra Ser Feliz” e nove após o triplo “Só Se Vive Uma Vez”, “Por Nós” e “P’ra Nós”, o rapper da Força Suprema surge este sábado com mais um single intitulado “Duas no Cubico”

Chloe estreia single e videoclip de “Upgrade”

há 12 meses
“Upgrade” fala sobre o poder feminino e pretende transmitir uma mensagem de empoderamento da mulher como um ser humano forte e independente que entende o seu valor.

Por onde anda o Bruno M?

há 1 ano
Da mesma forma que surgiu, Bruno M “desapareceu” do mapa musical sem dar satisfações. Nos últimos anos especulou-se muito sobre os motivos da sua ausência dos grandes palcos e de um disco novo, como resposta apareceu em pequenas actividades (sun7) em 2019, mas nada daquilo que os fãs esperavam.

Sandra Cordeiro anuncia EP mais comercial e menos clássico

há 2 anos
Trata-se de um maxi single com quatro faixas musicais nos estilos Kizomba, Afro Folclórica, Balada e Semba, que seria publicado no mês passado, mas que, devido à pandemia, estará à disposição dos fãs, por via digital, depois do levantamento do Estado de Emergência.

FIFA aprova regras que permitem jogadores representar mais de uma selecção

há 2 anos
A Federação Internacional de Futebol aprovou ontem durante o seu 70.º Congresso, em Zurique, uma alteração nos regulamentos para a mudança de federações por parte dos jogadores que podem representar mais do que um país.

“Rocha negra” parte para a eternidade aos 73 anos

há 8 meses
O ex-internacional francês, sobreviveu até a manhã de hoje, em coma profundo desde os seus 34 anos, quando sofreu um broncoespasmo, em 17 de Março de 1982.