Dog Murras e Bonga programam encontro histórico

São duas figuras distintas que, sem medir esforço, vêem a música o capital simbólico para içar a bandeira da resistência cultural, inspirando, deste modo, os demais a exaltar as cores da cultura angolana.

Desta vez, os músicos voltam a encontrar-se, para uma reunião fora da música. Dog Murras vai receber no dia 3 de Maio, Barceló de Carvalho ” Bonga”, na rubrica TerrATerra, para falarem sobre os nossos valores culturais, as tradições africanas e os destinos dos angolanos, numa conversa aberta à moda angolana, despida de cores partidárias.

Dog Murras entende que chegou o momento de os angolanos perceberem o seu valor pluriticultural e que é um povo multiétnico. O músico está a preparar o seu segundo livro intitulado “Todos Contra Todos” e aproveitou esta entrevista para falar do seu próximo álbum.

Como é que nasce o programa Pensar Angola?

Pensar Angola com Dog Murras” é um canal de mídia digital alternativa de opinião pública e o “TerrATerra” é uma rubrica de debates interactivos, uma linha aberta de conversas descontraídas, sem truques e pimpas, sem fato e gravata, natural, tipo aquelas que temos nos sábados, em mesa redonda no quintal dos nossos musseques, regada com funjada, kissangua e o mote principal é a preocupação com a nossa cultura, os nossos valores, as nossas tradições africanas, os nossos destinos, de modo aberto e claro, despidos de cores partidárias, sem ofensas e faltas de respeito.

Por que razão decidiram abrir a edição com Bonga?

Nestes encontros teremos a participação especial de angolanos, homens e mulheres do universo cultural, desportivo, religioso, político, social etc. Vamos contar com gente que ama Angola e luta por ela, cada um à sua maneira.  O Kota Bonga foi o convidado especial deste pontapé inicial por ser uma referência incontornável e incontestável do “bem-querer” para a nossa gente.

Dog Murras e Bonga programam encontro histórico

O que espera que se retenha dos pontos aí abordados para a elaboração das políticas públicas ligadas ao sector cultural?

Eu sou um objector de consciências. Todos os trabalhos em que me envolvo, tenho, à partida, a preocupação fundamental de deixar o meu recado aberto, por isso utilizo o linguajar da “buala”, o português de Angola, com a necessidade de ser entendido e compreendido por todos os extractos da nossa sociedade e com a finalidade de evitar distorções na minha fala. Essa é a minha parte, o meu contributo como filho desta terra, depois cabe a cada um dos outros filhos d´Angola entenderem as suas partes e darem sequência, contribuírem com os seus actos, cumprindo as suas obrigações, sejam elas morais ou profissionais.

O que isso quer dizer?

Ainda é cedo para avançarmos. Tanto eu, como a equipa que me acompanha, esperamos, com esse projecto, iluminar vias alternativas, que permitam aos nosso governantes olharem para Angola sem peneiras na frente dos olhos e que façam mais pelo nosso povo que sofre incessantemente sem necessidade.

Será um encontro memorável por aquilo que se conhece de Dog  Murras e do mais-velho Bonga. O que gostaria que os jovens aprendeseem com este encontro?

Este é acima de tudo um encontro e um debate que se faz necessário, porque ambos somos filhos desta terra que utilizamos a nossa arte, a nossa voz e o nosso capital simbólico como bandeira de resistência. O resultado esperado desse encontro é inspirar outros angolanos a fazerem parte de uma corrente do rio que desagua no mar, e não se transformarem naquela gota d´água estática, estagnada num charco. Está na hora de os angolanos perceberem o nosso valor como povo pluriticultural e multiétnico, vamos nos assumir assim, respeitando a nossa maior riqueza, que é o facto de sermos várias etnias que formam um só povo e daí formamos uma só Nação, respeitando os vários grupos e os seus modos diferentes de criar, agir, pensar e viver.

Forjava o lancamento do álbum “Argola de Ouro no Focinho do Porco” e, depois do livro ‘Matematica da Coerência’, prometeu que publicaria um outro livro…

Artísticamente falando, continuo a escrever alguns temas para o meu álbum “Argola de Ouro no Focinho do Porco”, ao mesmo passo que tenho juntado algumas notas para a minha segunda obra literária, “Todos Contra Todos”, onde revelo o meu ponto de vista profundo sobre o quanto perdemos, pelo facto de hoje o angolano ser o maior empecilho para o próprio angolano. Mas, tanto o Cd como o livro estão sem data de lançamento previsto, eu já não coloco data nem pressing sobre o meu trabalho, porque a arte deve surgir da espontaneidade. Agora, como empreendedor e motivador social, estou presente no canal Pensar Angola com Dog Murras e nas redes sociais de Dog Murras Angolano, todos os dias compartilhando experiências e a mostrar para quem quiser, onde está o rio e que é possível cada um de nós pescar e comer o seu peixe sem prejudicar a pesca do “zotro”.

as cargas mais recentes

Morreu Sean Connery, actor do “Agente 007” e “O Nome da Rosa”

há 2 anos
Sean Connery é considerado o actor que melhor interpretou o Agente 007 da saga James Bond. O escocês protagonizou o filme por seis vezes. Morreu esta noite aos 90 anos, em Nassau, Bahamas.

Etno N’gola anuncia show alusivo ao dia de África

há 2 anos
Para celebrar África, a Etno Ngola, banda que se tem mostrado uma promessa da música angolana reaparece com um grande live show no dia 25 de Maio às 19 horas na página facebook do Goethe-Institut Angola.

Internet Dating Sites — Don’t Trust Someone Who Would like to Talk Clearly

há 1 ano

Ndaka Yo Wini representa o país no festival internacional da afrodescendência

há 2 anos

Uma voz de Portugal que canta Angola: Clarah Helen lança nova música

há 9 meses
Em 2014, lançou os primeiros temas “ Se Xota e Kel Dj” e, três anos depois, apresentou “Segundo plano”, uma composição de CEF Tanzy, com a qual alcançou grande protagonismo e veio a figurar, inclusive, no Top 10 do Mais Kizomba. Clarah Helen aparece agora em grande estilo com uma nova música intitulada “Meu Sonho”.

Taylor Swift cancela toda a digressão pela Europa

há 2 anos

Elias Dya Kimuezo fala sobre a função que sua música desempenhou no Início da Luta Armada

há 2 anos

Eddie Pipocas lança experimento para delinear como promover música na Internet

há 2 anos
O maior objectivo deste processo é perceber o quanto custa, seja em questões financeiras ou temporais, meter um projecto musical “nas ruas”.

Stevie Wonder vai viver no Gana para evitar que sua família sofra de racismo

há 2 anos

Lançamentos dos álbuns de Cef Tanzy e Projecto Comboio terão sido adiados devido ao show de Gerilson Insrael?

há 1 ano
O anúncio sobre o cancelamento, a menos de 24 horas, das vendas e sessões de autógrafos dos álbuns “The Coach” do músico Cef Tanzy e “Comboio Vol.1” terá deixado, na última sexta-feira, os fãs e os amantes da música sem palavras. Mas, e como dizem os peritos, qualquer acção comunicativa movida sobre um produto acaba sempre por promovê-lo.

Francisco Vidal enaltece Bruno Candé na exposição `Maka´

há 2 anos
`MAKA Lisboa´ é uma conversa construtiva sobre o assassinato racialmente motivado do actor Bruno Candé, na qual, o artista plástico Francisco Vidal, ajuda a percepcionarmos o trabalho e a sua presença de Bruno.

Melhores dançarinos de Kizomba e Semba de Luanda serão conhecidos este sábado

há 2 anos
Dançarinos de Kizomba e Semba serão distinguidos este sábado, no Centro Cultural Brasil Angola, em Luanda, durante uma gala para atribuição do título de Campeões de Dança Kizomba e Semba Municipal de Luanda 2021.

Tal pai, tal filho

há 3 anos
Os caminhos de Maya Cool e Eduardo Paím estão quase sempre ligados. Não é novidade que viveram juntos durante anos em Portugal e que Paím foi o seu mentor naquele país.

Toty Sa’med

há 3 anos
Parece ter chegado o momento de Toty Sa’med brindar os fãs com um álbum, depois de um percurso de mais de 10 anos.

Segundo álbum póstumo de Pop Smoke já está disponível

há 2 anos
Faith é disponibilizado um ano após ao lançamento primeiro álbum póstumo de Pop Smoke, Shoot for the Stars, Aim for the Moon.

“A Nossa Kizomba” está de volta

há 2 anos
Com um cartaz irresistível, os amantes do estilo Kizomba, um dos ritmos mais consumido no nosso país, poderão reviver momentos marcantes, com artistas de peso, durante o mês de Outubro.