Dog Murras e Bonga programam encontro histórico

São duas figuras distintas que, sem medir esforço, vêem a música o capital simbólico para içar a bandeira da resistência cultural, inspirando, deste modo, os demais a exaltar as cores da cultura angolana.

Desta vez, os músicos voltam a encontrar-se, para uma reunião fora da música. Dog Murras vai receber no dia 3 de Maio, Barceló de Carvalho ” Bonga”, na rubrica TerrATerra, para falarem sobre os nossos valores culturais, as tradições africanas e os destinos dos angolanos, numa conversa aberta à moda angolana, despida de cores partidárias.

Dog Murras entende que chegou o momento de os angolanos perceberem o seu valor pluriticultural e que é um povo multiétnico. O músico está a preparar o seu segundo livro intitulado “Todos Contra Todos” e aproveitou esta entrevista para falar do seu próximo álbum.

Como é que nasce o programa Pensar Angola?

Pensar Angola com Dog Murras” é um canal de mídia digital alternativa de opinião pública e o “TerrATerra” é uma rubrica de debates interactivos, uma linha aberta de conversas descontraídas, sem truques e pimpas, sem fato e gravata, natural, tipo aquelas que temos nos sábados, em mesa redonda no quintal dos nossos musseques, regada com funjada, kissangua e o mote principal é a preocupação com a nossa cultura, os nossos valores, as nossas tradições africanas, os nossos destinos, de modo aberto e claro, despidos de cores partidárias, sem ofensas e faltas de respeito.

Por que razão decidiram abrir a edição com Bonga?

Nestes encontros teremos a participação especial de angolanos, homens e mulheres do universo cultural, desportivo, religioso, político, social etc. Vamos contar com gente que ama Angola e luta por ela, cada um à sua maneira.  O Kota Bonga foi o convidado especial deste pontapé inicial por ser uma referência incontornável e incontestável do “bem-querer” para a nossa gente.

Dog Murras e Bonga programam encontro histórico

O que espera que se retenha dos pontos aí abordados para a elaboração das políticas públicas ligadas ao sector cultural?

Eu sou um objector de consciências. Todos os trabalhos em que me envolvo, tenho, à partida, a preocupação fundamental de deixar o meu recado aberto, por isso utilizo o linguajar da “buala”, o português de Angola, com a necessidade de ser entendido e compreendido por todos os extractos da nossa sociedade e com a finalidade de evitar distorções na minha fala. Essa é a minha parte, o meu contributo como filho desta terra, depois cabe a cada um dos outros filhos d´Angola entenderem as suas partes e darem sequência, contribuírem com os seus actos, cumprindo as suas obrigações, sejam elas morais ou profissionais.

O que isso quer dizer?

Ainda é cedo para avançarmos. Tanto eu, como a equipa que me acompanha, esperamos, com esse projecto, iluminar vias alternativas, que permitam aos nosso governantes olharem para Angola sem peneiras na frente dos olhos e que façam mais pelo nosso povo que sofre incessantemente sem necessidade.

Será um encontro memorável por aquilo que se conhece de Dog  Murras e do mais-velho Bonga. O que gostaria que os jovens aprendeseem com este encontro?

Este é acima de tudo um encontro e um debate que se faz necessário, porque ambos somos filhos desta terra que utilizamos a nossa arte, a nossa voz e o nosso capital simbólico como bandeira de resistência. O resultado esperado desse encontro é inspirar outros angolanos a fazerem parte de uma corrente do rio que desagua no mar, e não se transformarem naquela gota d´água estática, estagnada num charco. Está na hora de os angolanos perceberem o nosso valor como povo pluriticultural e multiétnico, vamos nos assumir assim, respeitando a nossa maior riqueza, que é o facto de sermos várias etnias que formam um só povo e daí formamos uma só Nação, respeitando os vários grupos e os seus modos diferentes de criar, agir, pensar e viver.

Forjava o lancamento do álbum “Argola de Ouro no Focinho do Porco” e, depois do livro ‘Matematica da Coerência’, prometeu que publicaria um outro livro…

Artísticamente falando, continuo a escrever alguns temas para o meu álbum “Argola de Ouro no Focinho do Porco”, ao mesmo passo que tenho juntado algumas notas para a minha segunda obra literária, “Todos Contra Todos”, onde revelo o meu ponto de vista profundo sobre o quanto perdemos, pelo facto de hoje o angolano ser o maior empecilho para o próprio angolano. Mas, tanto o Cd como o livro estão sem data de lançamento previsto, eu já não coloco data nem pressing sobre o meu trabalho, porque a arte deve surgir da espontaneidade. Agora, como empreendedor e motivador social, estou presente no canal Pensar Angola com Dog Murras e nas redes sociais de Dog Murras Angolano, todos os dias compartilhando experiências e a mostrar para quem quiser, onde está o rio e que é possível cada um de nós pescar e comer o seu peixe sem prejudicar a pesca do “zotro”.

as cargas mais recentes

Como está o mundo 11 anos após a morte de Michael Jackson?

há 2 anos
Passados 11 anos após a sua morte, o sucesso de Michael Jackson é ainda um mistério, se estivesse em vida, Jackson estaria a celebrar 62 anos.

Tory Lanez pede desculpas à Megan The Stallion por alvejá-la e justifica “que estava muito bêbado naquela noite”

há 2 anos
Dois meses após alvejar a rapper Megan The Stallion, Tory Lanez reaparece para desmentir que as suas músicas tiveram uma queda nos streams como consequência do sucedido, e segundo noticiou o TMZ, Lanez também teria aproveitado para pedir desculpas à Megan Rhe Stallion.

Artistas mostram como a arte lhes ajudou a romper os estigmas

há 2 meses

BAI apresenta soluções práticas e acessíveis para os seus parceiros e clientes

há 1 ano
Actualmente, o BAI dispõe de opções de pagamento mais cómodas, económicas e de simples utilização, das quais destacamos os Terminais de Pagamento Automático (TPA) e o é-Kwanza.

Legado do rei Ngola Kilwanji será narrado em filme

há 2 anos

Músicos reagem à morte de Silvio Dala: “Na América atribuímos ao racismo. Aqui vamos dizer que é o quê?”

há 2 anos
O caso do médico Silvio Dala está a causar uma corrente de protestos, até aqueles músicos que pareciam mais reservados estão a ser obrigados a soltar a voz. “Se quiserem, matem-me também”.

Nas dá início hoje à MasterClass sobre “storyteller de hip hop”

há 12 meses
Nas aulas, o nativo de Queensbridge, além de ensinar a arte da narrativa do hip hop, também vai partilhar a filosofia sobre as suas habilidades líricas e composição.

Zap transmite mega espectáculo solidário

há 2 anos
Este sábado, 25 de Abril, a Zap vai levar todas as emoções do mega espectáculo solidário, que moveu o mundo inteiro e arrecadou cerca de 128 milhões de dólares para ajudar a OMS a combater o Covid-19.

C4Pedro faz Milagre

há 3 anos

“Músico mais querido” de Angola em 2021 será conhecido hoje

há 12 meses
Será conhecido hoje, a partir das 21 horas, o vencedor da edição 2021 do Top Dos Mais Queridos, durante uma gala, no Centro de Convenções de Talatona, em Luanda.

2 Mundos: Novo filme de Hochi Fu estreia nos cinemas

há 2 anos
O filme estreia no dia 23 deste mês nas salas do Cine Max e traz à tona o drama amoroso vivido pela maioria dos artistas angolanos no início da carreira. Em breve entrevista à Carga, Hochi Fu fala das razões que o levaram a elaborar o roteiro.

Músicos angolanos passam a ter um “passeio na Baía de Luanda”

há 10 meses

Destiny’s Child actualiza páginas das redes sociais e fãs especulam retorno do trio

há 1 ano
O sinal foi mais uma prova de que quando os fãs querem alguma coisa, qualquer movimento resulta em especulações. Ao TMZ, Matew Knowles, pai de Beyoncé e empresário das Destiny’s Child, disse que actualização era apenas parte de um processo de rotina.

Wu-Tang Clan prepara colecção em celebração ao 25º aniversário do álbum ‘Wu-Tang Forever’

há 5 meses
A Wu-Tang juntará um álbum em 4xLP com livreto de letras, um single prateado de 7 polegadas de ‘Triumph’ com ‘Heaterz’ no B -side, e uma reedição do álbum duplo em cassete, que vem em uma réplica do estojo original.

Luan Santana interrompe live para exigir respeito à Luisa Sonza após ataque de ódio massivo

há 2 anos
Em meio ao repúdio público, Luan Santana aproveitou o live que realizou no passado sábado, do qual Luisa também fez parte, para exigir respeito e mais empatia pela cantora, advogando que “ela pode ser o que quiser”.

Músicos homenageiam Jacinto Tchipa

há 8 meses
Sabino Henda, Flay, Zé Manico, Man Sambila e Bela Chicola subirão este domingo no palco do Live no Kubico para interpretar os principais sucessos de Jacinto Tchipa, músico falecido em Novembro último por doença.