Edson Narciso: “Quero mudar a consciência de quem me ouve”

Diferente de Bob Marley, Edson Narciso quer cultivar o amor, a paz e o respeito pela diferença, por meio do Rap, num estilo que apelida de Hard Trap. Já várias vezes tentou uma carreira profissional, e não teve sucesso. Depois de um longo intervalo, aparece com os primeiros projectos musicais.

São vários os projctos, mas o primeiro será lançado no dia 1 de Janeiro de 2021. Depois disso, o músico de 20 anos disponibilizará mais dois EP inéditos com participações de peso.

Edson ainda passa despercebido dos ouvidos de muitos, contudo, reúne vasta experiência no mundo da música. Do seu longo percurso artístico registam-se trabalhos com músicos como Lawílca.

Foi na infância que adquiriu a paixão pela música e aos 10 anos, participou no Canta Com Blue. Aos 15 surgiu com a sua primeira música. O single foi preferência em vários ambientes festivos. O Real Nigga, como é conhecido nos palcos por onde passa, apresenta-se ao mundo.

O quê que vai caracterizar a nova fase da sua carreira?

É mesmo recomeço de tudo, passo apenas a me considerar agora. Tenho cinco músicas gravadas, e quatro projectos novos.

Edson Narciso:  “Quero mudar a consciência de quem me ouve”

Que lições tirou deste “insucesso” da carreira e daqui para frente como vai agir?

Aprendi que a humildade realmente é uma forte chave, ainda que exista dinheiro, sem ela não há passos; e que devemos também respeitar o trabalho alheio para que o nosso possa ser respeitado. Vou trabalhar muito na promoção da minha imagem. Não tive no passado um público muito amplo.

Não conseguiu ter nenhuma música em destaque?

Quando comecei investi pouco em divulgações. Mas tive alguns destaques em músicas como “Tamu Bué Fumado” (2015) e “Gangsta 4Life (2016)”, todas elas podem ser encontradas na página do Facebook Oov´s Records.

O que mais contribui para que decidisse retomar a carreira profissionalmente?

Na música encontro um grande refúgio, e nela deposito os meus problemas. E quero que um dia, a partir das minhas letras, consiga mudar a consciência de quem me ouve e possa também fazer da música o meu ganha pão (valores) para ajudar a minha mãe.

Que tipo de abordagens traz?

História sobre o que vivi, sobre o que vivo e também me baseio em fatos reais. Quero abranger a faixa etária juvenil e adulta. Quero fazer que, quando ouvido possa influenciar todas as idades.

Se antes já havia queixas das dificuldades de começar a carreira, hoje os entraves sãos os próprios talentos, que diariamente nascem mais de cem. Como é que se posiciona em relação a isso?

Sim. Tenho tido muita a atenção com o conteúdo, a dinâmica e o humanismo. Pois, não gosto de arrependimentos, então procuro estar sempre convicto sobre aquilo que expresso nos instrumentais.

Que valores poderá agregar à música angolana?

Eu apelo para o respeito às diferenças, principalmente as de carácter cultural. Sou rastafári e sofro preconceitos pela decisão que tomei.

Vai apresentar o seu primeiro projecto oficial. De que se trata?

Sim. Dia 1 de Janeiro, pretendo lançar a primeira música promocional do EP “Ajuste De Contas”. O tema intitula-se “Recomeço”. Depois disso, seguir-se-ão os EPs “Ajuste de Contas”, “Sagacidade No Amor” e uma mixtape “Narciso”.

Quais são as características deste projecto?

O tema “Recomeço” é um Hard Trap, que expressa a minha vida no Rap depois de 4 anos parado. Já “Ajuste de Contas” vem para dar respostas a determinadas questões que de alguns familiares, amigos e até os que não apoiam. 

as cargas mais recentes

Novo álbum de Don Kikas sai em Março

há 10 meses
Depois dos sucessivos adiamentos, o artista confirmou, esta semana, que o sétimo e tão aguardado álbum será lançado no próximo mês, mas antes, promete abrir o ano com um novo single no Dia dos Namorados.“Meu Paraíso” é o título do tema que dá boas-vindas ao seu sétimo álbum.

Fotogaleria: Phathar Mak homenageia Mamborrô em concerto intimista

há 1 ano

Acossados pelo Covid-19, músicos pretendem mais rendimentos nos royalties

há 3 anos
A pandemia Covid-19 está a ter consequências nefastas para qualquer negócio que implique aglomerado de pessoas. A indústria da música ao vivo é uma das maiores vítimas deste isolamento social que o contágio do coronavírus obriga.

Nas revela que Jay-Z lhe tinha dito que rimava melhor que Tupac e B.I.G.

há 1 ano
Foi desenterrada, na semana finda, uma conversa entre Nas e Jay-Z. Segundo Nas, Jay-Z lhe tinha contado que se considerava melhor rapper que os falecidos Notorious B.I.G., 2Pac e DMX, mas Nas discordou.

Elton John perde a voz, deixa o palco aos prantos e revela que está doente

há 3 anos
O cantor britânico foi obrigado a suspender o show na Nova Zelândia, e pedir ajuda para sair do palco, depois de perder a voz em decorrência de uma pneumonia diagnosticada horas antes.

“Hino milionário” continuará como a música oficial dos 45 anos da independência

há 2 anos
A informação consta de uma deliberação da comissão, que esteve reunida em sessão ordinária, para apreciar, entre outros, a proposta de reestruturação do acto central.

Rodrigo Lombardi encerra campanha Live `Emoção Globo´

há 2 anos
O actor será o último convidado Live da campanha no Instagram do canal Globo ON, embora a campanha ‘Emoção Globo’ continue com outras facetas, como é o caso agora do desafio de dança #EmoçãoGlobo. Não perca, hoje a partir das 21 horas, Sofia Lucas vai entrevistar o talentoso Rodrigo Lombardi, na página oficial da Globo On .

Maya Cool “dispara” indirectas e deixa músicos em alerta

há 3 anos
Depois das críticas de Mago de Sousa à Unitel, por não cumprir com o trabalho, acordado, de promoção do seu disco, é a vez de Maya Cool a juntar-se a causa, apelando aos fazedores de arte no geral a manifestarem-se a favor do colega.

Félix Tshisekedi atribui título de embaixador da cultura do Congo ao músico Koffi Olomide

há 10 meses
O presidente da República Democrática do Congo, Felix Tshisekedi, recebeu em audiência Antoine Christophe Agbepa Mumba, conhecido nas lides musicais como Koffi Olomidé, e atribuiu-lhe o título de embaixador da cultura congolesa. O músico dispõe agora de um passaporte diplomático para o exercício da sua missão.

Soulja Boy compra briga com lutadores após afirmar que o “Rap está mais falso que o WWE”

há 2 anos
O facto é que a troca de Twittes ofensivos não determina que a rivalidade vai se desenrolar futuramente, mas os lutadores não descartaram uma luta corpo a corpo se Soulja Boy não for cuidadoso.

Mostra “Boa Noite às Coisas de Aqui em Baixo” chega a Galeria Tamar Golan

há 1 ano
O artista angolano Evan Clever vai apresentar-se na Galeria Tamar Golan com “Boa Noite às coisas de aqui em baixo”, uma exposição individual a inaugurar no próximo dia 09 de Julho de 2021, pelas 16 horas.

Eclosão: Leandro Marques inaugura primeira exposição individual na Galeria Tamar Golan

há 2 anos
A mostra ficará patente ao público até ao dia 26 de Abril, podendo ser visitada de Segunda a Sexta-feira, das 9h00 às 17h00, na galeria de arte contemporânea da Fundação Arte e Cultura, na Ilha de Luanda, junto à escola 1205, paragem da Casa Lisboa.

Academia dos Óscares aceita pedido de demissão de Will Smith, mas avisa que inquérito vai continuar

há 8 meses
O actor de 53 anos demitiu-se, ontem, da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas cinco dias depois dos escandâlo provocado pela bofetada que deu ao também actor e comediante Chris Rock.

Netflix adiciona categoria “Black Lives Matter”, que traz narrativas sobre experiência negra

há 2 anos
A Netflix a dicionou à colecção de 24 géneros o Black Lives Matter, uma nova categoria que vai trazer poderosas e complexas narrativas sobre a experiência negra. A mudança ocorreu após o icônico filme” The Help”se ter tornado o título mais transmitido na plataforma.

7 de Setembro de 1996: O dia em que Tupac foi baleado e não mais voltou aos palcos

há 2 anos
apesar de existirem vários suspeitos e teorias, a polícia nunca chegou em uma conclusão oficial sobre quem teria disparado os 13 tiros contra o carro do rapper em 1996.

Africanos aspirantes a cineastas são postos à prova pela Netflix e Unesco

há 1 ano
Em análise serão postas sinopses e currículos, dos quais, os melhores receberão a quantia de 75 mil dólares, oportunidade de receber formação de experts, bem como a estrear na Netflix, com a ‘Antologia de Contos Africanos’.