Em cada espectáculo o cantor ganha 200 mil Kwanzas por música. Isto compensa o investimento feito num álbum?

Um cantor profissional em Angola gasta entre 500 a 1 milhão e 500 mil Kwanzas para produzir uma música. Por conseguinte, num espectáculo, o músico cobra, em média, 200 mil kwanzas por cada interpretação. Este valor dá para cobrir o investimento feito em cada música? A Carga apresenta algumas reacções de músicos, produtores e alguns dos artistas que mais gastaram com a produção.

Os produtores e músicos são unânimes em afirmar que o custo de produção de uma canção depende da sonoridade e da exigência do artista. Nos últimos dias, Ndaka Yo Wini, Matias Damásio e Don Caetano foram dos que mais investiram. O álbum “Olukwembo”, de Ndaka, por exemplo, ultrapassou os 50 mil dólares. Cada música num álbum tem o seu preço.

O ouvinte normalmente não tem noção o quanto se gasta para uma música com qualidade chegar ao seu dispor. Parte do processo da produção, como a captação, a masterização e a mistura é feita no estrangeiro e chega a custar 200 a 300 Euros, o que, somado com o que se gasta no país, ultrapassa os 2 milhões de Kwanzas.

Um canção com cinco ou seis instrumentistas, incluindo sopro, mistura e masterizacão chega-se a pagar até 2 milhões Kwanzas, em média, segundo Mestre Freddy. Já uma música com programação, em que se paga apenas o produtor mais um ou dois instrumentistas, cobra-se 500 mil Kwanzas.

Consequentemente, cada vez que o cantor é contratado para um espectáculo exige por cada interpretação, ou seja por cada música, 150 a 200 mil Kwanzas ou mais, caso a música esteja a “bater”. Mas se o artista não for contratado, não há retorno. Por isso, Sandra Cordeiro pensa que os preços praticados são elevados.

“No meu caso, 2 músicas a 3, sem banda cobro 350 a 500 mil kzs, com alguns instrumentistas: piano ou guitarra  e voz. Com banda, fica mais caro. Agora, se a música está a bater é mais cara. Mas produzir é realmente caro”, disse.

Contudo, Mestre Freddy é de opinião que o valor cobrado por produção musical não é elevado, dada a qualidade e a exigência dos artistas.

“Não existe uma tabela fixa, mas também não podemos dizer que é caro. Dos que já trabalhei, o Matias investe muito. O álbum do Ndaka ficou nos 50 mil dólares e o” Vizinho”, de do Don Caetano, também se gastou muito.

Há muito tempo a trabalhar como profissional, Mestre Freddy precisa de duas horas ou um dia para concluir uma música. Para ele, a qualidade da canção depende do artista. “O Ndaka é um tipo de artista que opinou e me ajudou muito a produzir o álbum”, partilha.

Quase da mesma opinião é Totó ST. Para o músico, a tabela de preço deve-se muito ao tipo de produção e adianta que não paga o mesmo preço para cada música, por isso, a Carga vai perguntar novamente, o que se ganha com cada música compensa o investimento feito?

as cargas mais recentes

Snoop Dogg e DMX confrontam-se em batalha de hits

há 3 meses
Snoop Dogg e DMX vão confrontar-se na próxima quarta-feira na batalha de hits do Live Verzuz. O encontro está a ser apelidado como “A batalha dos cães” e Snoop Dogg pede que Jay-Z esteja presente para testemunhar o acto e justifica.

Guitarra de Kurt Cobain torna-se a mais cara da história

há 4 meses
A guitarra utilizada por Kurt Cobain na gravação do célebre álbum “Unplugged” dos Nirvana, em 1993, foi leiloada este sábado, nos EUA, por seis milhões de dólares, feito nunca antes atingido por uma guitarra.

Concerto no formato “Drive in” com Valete no cartaz

há 4 meses
Como alternativa ao Festival da Juventude em Benfica (Lisboa/Portugal), cancelado por conta do Covid-19, vem aí outro evento semelhante, mas no formato “Drive In”. Trata-se do “Monsanto Fest”, com Valete como cabeça de cartaz e sem Sam The Kid.

Geração 80 lança playlist para ouvir durante o Isolamento social

há 6 meses
A ideia é partilhar diferentes trabalhos que mostram a diversidade de produção e de parceria com artistas angolanos.

Heavy C: “Só estamos à espera da oficialização do tribunal para encerrarmos a Bué de Beats”

há 3 meses
A Bué de Beats produziu e lançou os principais rostos da música angolana. Depois de 20 anos de actividade, decide encerrar as portas. Em entrevista à Carga, Heavy C explica como começou o colapso financeiro e revela que já tentou alienar alguns activos da empresa, mas não teve sucesso.

Katy Perry adia lançamento do disco

há 3 meses
Katy Perry comunicou aos fãs que seu álbum “Smile” vai demorar mais do que o esperado, para ser lançado. Numa publicação nas redes sociais, a cantora afirmou que o disco, que estaria disponível a partir do dia 14 de Agosto, sofreu alguns atrasos na produção e será “lançado” no dia 28 do mesmo mês.

Ministra da Cultura, Turismo e Ambiente encoraja profissionais a fazerem da música o baluarte da divulgação e representação da angolanidade

há 3 semanas
Para assinalar a data, a Ministra da Cultura, Turismo e Ambiente, Adjany Costa, endereçou uma nota à classe artísticas a “encorajar e ao mesmo tempo felicitar todos os músicos, associações culturais ligadas à arte musical, prestadores de serviços e similares a continuarem a fazer da cultura nacional e da música, em particular, o baluarte da divulgação e representação da angolanidade”.

Já é possível comprar o mais recente álbum de Bob da Rage Sense em Angola

há 5 meses
O álbum `As Aventuras de Robbie Wan Kenobie´ está disponível a partir de hoje na plataforma Soba Store, podendo ser comprado em Kwanzas e ao valor normal de mercado de uma obra discográfica. A notícia foi avançada pelo próprio Rapper nas redes sociais.

Will Smith no papel de escravo fugitivo

há 4 meses
O renomado actor, será o protagonista de ‘ Emancipation’, um filme de época, baseado na história real de Peter, -um escravo fugitivo que incentivou o Exército da União a combater os racistas no sul dos Estados Unidos-. O director do filme Antoine Fuqua, acredita que Smith foi a escolha perfeita, pois gosta de aprofundar o assunto, tanto que se propôs a produzir com os seus parceiros do Westbrook Studios James Lassiter e Jon Mone.

ZAP dá Carga no Apoio às Instituições Caridosas em tempos de COVID-19

há 6 meses
Com o avanço global do COVID 19, a ZAP tem vindo a tomar as medidas necessárias para apoiar as Instituições apadrinhadas pelo projecto de responsabilidade social VIDAS ZAP, na prevenção e não propagação do Vírus.

Ney Tavira: um nome para reter, um talento para ovacionar

há 3 meses
Numa altura em que os rappers da sua faixa etária limitam-se a cantar músicas “superficiais” e refrões de ostentação, Ney Tavira se apresenta como uma lufada de ar fresco para o movimento que tende a se tornar frívolo com o passar dos tempos.

Babu Santana: “Tenho muita curiosidade de conhecer Angola, e de chegar no meu ancestral africano”

há 4 meses
A presença marcante de Babu Santana na última edição do reality show despertou a atenção e curiosidade dos internautas sobre os pontos de vista relactivos a “pretitude”, tal como o próprio o diz, e às questões relaccionadas a identidade cultural dos povos negros que habitam o Brasil. Babu defende a necessidade de se conhecer o percurso da ancestralidade para a afirmação dos povos: ”hoje eu tenho um projecto pessoal que é fazer a pesquisa da minha ancestralidade”, afirmou. Uma vez ter conquistado a simpatia de muitos telespectadores do canal Globo, quer pela participação exitosa no BBB20, bem como a interpretação de Jacinto em ’Novo Mundo’, Babu Santana concedeu uma entrevista de abordagem variada onde manifesta o interesse de trabalhar em Angola.

Paulo Flores homenageia Waldemar Bastos e Carlos Burity em novo álbum

há 2 meses
Intitulado ‘Independência’, no novo disco o artista “regressa às origens” do Semba e exalta o ritmo ancestral usado como instrumento de luta.

Délcio Caiaia discorre sobre a Matriz Africana do Design Gráfico no seu primeiro E-Book

há 5 meses
O projecto literário Matriz Africana Do Design Gráfico, surge de um olhar crítico ao posicionamento de África na arena global do Design Gráfico. A supressão histórica fez desaparecer gradualmente muitos traços da arte visual africana.

Papekas: “Quero mostrar que o Rap pode ser a mistura certa para todo o tipo de género musical”

há 5 meses
Papekas é um rapper que ganhou notoriedade nos freestyles da escola e hoje invade os mercados moçambicano e sul-africano. O artista tem se dedicado ao Rap acústico. A partir de Johannesburg, deixa os primeiros registos de uma proposta inovadora para Rap angolano.

Embaixadores do Semba no Show do Mês

há 5 meses
A Banda Maravilha, conhecida como embaixadora do Semba, será o próximo cartaz do Show do Mês online, no sábado, num concerto que vai marcar o inicio da parceria entre a Nova Energia e TPA, que transmitirá todos os “Lives” no canal 2.