Em cada espectáculo o cantor ganha 200 mil Kwanzas por música. Isto compensa o investimento feito num álbum?

Um cantor profissional em Angola gasta entre 500 a 1 milhão e 500 mil Kwanzas para produzir uma música. Por conseguinte, num espectáculo, o músico cobra, em média, 200 mil kwanzas por cada interpretação. Este valor dá para cobrir o investimento feito em cada música? A Carga apresenta algumas reacções de músicos, produtores e alguns dos artistas que mais gastaram com a produção.

Os produtores e músicos são unânimes em afirmar que o custo de produção de uma canção depende da sonoridade e da exigência do artista. Nos últimos dias, Ndaka Yo Wini, Matias Damásio e Don Caetano foram dos que mais investiram. O álbum “Olukwembo”, de Ndaka, por exemplo, ultrapassou os 50 mil dólares. Cada música num álbum tem o seu preço.

O ouvinte normalmente não tem noção o quanto se gasta para uma música com qualidade chegar ao seu dispor. Parte do processo da produção, como a captação, a masterização e a mistura é feita no estrangeiro e chega a custar 200 a 300 Euros, o que, somado com o que se gasta no país, ultrapassa os 2 milhões de Kwanzas.

Um canção com cinco ou seis instrumentistas, incluindo sopro, mistura e masterizacão chega-se a pagar até 2 milhões Kwanzas, em média, segundo Mestre Freddy. Já uma música com programação, em que se paga apenas o produtor mais um ou dois instrumentistas, cobra-se 500 mil Kwanzas.

Consequentemente, cada vez que o cantor é contratado para um espectáculo exige por cada interpretação, ou seja por cada música, 150 a 200 mil Kwanzas ou mais, caso a música esteja a “bater”. Mas se o artista não for contratado, não há retorno. Por isso, Sandra Cordeiro pensa que os preços praticados são elevados.

“No meu caso, 2 músicas a 3, sem banda cobro 350 a 500 mil kzs, com alguns instrumentistas: piano ou guitarra  e voz. Com banda, fica mais caro. Agora, se a música está a bater é mais cara. Mas produzir é realmente caro”, disse.

Contudo, Mestre Freddy é de opinião que o valor cobrado por produção musical não é elevado, dada a qualidade e a exigência dos artistas.

“Não existe uma tabela fixa, mas também não podemos dizer que é caro. Dos que já trabalhei, o Matias investe muito. O álbum do Ndaka ficou nos 50 mil dólares e o” Vizinho”, de do Don Caetano, também se gastou muito.

Há muito tempo a trabalhar como profissional, Mestre Freddy precisa de duas horas ou um dia para concluir uma música. Para ele, a qualidade da canção depende do artista. “O Ndaka é um tipo de artista que opinou e me ajudou muito a produzir o álbum”, partilha.

Quase da mesma opinião é Totó ST. Para o músico, a tabela de preço deve-se muito ao tipo de produção e adianta que não paga o mesmo preço para cada música, por isso, a Carga vai perguntar novamente, o que se ganha com cada música compensa o investimento feito?

as cargas mais recentes

Dudu Sapate leva exposição “Gênesis” à Galeria Tamar Golan

há 6 meses
O artista angolano Dudu Sapate vai apresentar-se no próximo dia 1 de Abril, Sexta-feira, pelas 18 horas, na Galeria Tamar Golan com “Gênesis”, uma exposição individual que ficará patente ao público até ao dia 22 de Abril.

Beyoncé é eleita a melhor artista de tournée da última década

há 1 ano
A Pollstar, publicação especializada em shows ao vivo, decidiu honrar os artistas da década e Bey considerada a protagonista das melhores turneés.

Maya Cool e Matias Damásio apresentam “Minha Princesa” aos fãs

há 2 anos

Dr Romeu “traz” ritmo e poesia

há 2 anos
O rapper Dr. Romeu, também conhecido como Lapiseira Azul, prepara para Dezembro o lançamento do seu terceiro álbum de originais, intitulado “Ritmo e Poesia”.

Alexandre Pires e Seu Jorge unem-se para um espectáculo solidário

há 2 anos
Os músicos brasileiros Alexandre Pires e Seu Jorge juntam-se para um espectáculo interactivo de carácter beneficente. O concerto será transmitido nas redes sociais de ambos os artistas.

Após denúncia de plágio, Taylor Swift muda logótipo do álbum

há 2 anos
Poucos dias depois das acusações sobre plágio no seu mais recente álbum “Folklore”,Taylor Swift mudou o logótipo da sua obra e de todos os produtos associados.

Em dia de aniversário Nankhova brinda os fãs com novo videoclip

há 1 ano

A partir de agora filmes angolanos passarão a ser premiados com até 13 milhões de Kwanzas

há 1 ano

Calema torna-se a primeira banda dos PALOP a atingir um milhão de ouvintes no Spotify

há 3 meses

Paulo Flores dirige show de Yuri da Cunha

há 2 anos
O show do músico Yuri da Cunha, agendado para no próximo Domingo, a ter lugar Casino Estoril (Portugal), será dirigido artisticamente por Paulo Flores.

Certified Lover Boy revela um Drake mais voltado para o R&B

há 1 ano
Com 21 músicas no total, CLB tem a duração de quase uma hora e meia e, dentro da sua longa tracklist há algumas revelações emocionantes e surpresas sugerindo uma nova direcção mais focada em R&B para o cantor/rapper.

Sintoniza 95.5 FM: Matabicho

há 2 anos
Quem sintoniza a LAC, ao Domingo, das 10 até às 12 horas, pode acompanhar um dos programas mais eclécticos da Antena Comercial. No ar desde 2015, o `Matabicho´, tem uma equipa de cinco apresentadores, nomeadamente: Jorge Guerra, Walter dos Reis, Rosário Rodrigues, Edilson de Almeida e Selma Simba, que funciona em regime de rotação anual. Quanto a pluralidade de conteúdos, o programa aspira explorar artes eruditas, entreter, educar e informar estando actualmente ao “comando” de Djanira Barbosa, que conta com o suporte de Mauro Costa.

Kid Cudi “clama” por nova música de Kendrick Lamar

há 2 anos
O rapper usou o Twitter para expressar a saudade que sente do colega, cujo o último trabalho lançado -DAMN-, completará quatro anos no próximo mês.

Rapper Mota Jr encontrado morto

há 2 anos
O rapper português Mota Jr foi encontrado morto segunda-feira, mas apenas ontem (terça-feira) o corpo foi identificado, pelo facto de estar em elevado estado de decomposição.

Kabudi Ely apresenta exposição “Intencidade Liberdades Individuais”

há 2 anos
O artista angolano Kabudi Ely vai apresentar-se na Galeria Tamar Golan com “Intencidade Liberdades Individuais”, uma exposição individual a inaugurar hoje, a partir das 18 horas.

Babu Santana: “Tenho muita curiosidade de conhecer Angola, e de chegar no meu ancestral africano”

há 2 anos
A presença marcante de Babu Santana na última edição do reality show despertou a atenção e curiosidade dos internautas sobre os pontos de vista relactivos a “pretitude”, tal como o próprio o diz, e às questões relaccionadas a identidade cultural dos povos negros que habitam o Brasil. Babu defende a necessidade de se conhecer o percurso da ancestralidade para a afirmação dos povos: ”hoje eu tenho um projecto pessoal que é fazer a pesquisa da minha ancestralidade”, afirmou. Uma vez ter conquistado a simpatia de muitos telespectadores do canal Globo, quer pela participação exitosa no BBB20, bem como a interpretação de Jacinto em ’Novo Mundo’, Babu Santana concedeu uma entrevista de abordagem variada onde manifesta o interesse de trabalhar em Angola.