Invisíveis: “O que nos caracteriza é um Rap sem preocupação com os holofotes”

Lançaram ontem o álbum `O Culto´, uma obra no verdadeiro sentido da palavra, que além de quebrar o silêncio de 8 anos, é uma viagem às origens do Hip Hop e um compromisso com o “abandonado” Boom Bap. O quarteto constituído por Denéxl, Aluno Mestre, Levell Khróniko e Xtygmaxx traz mensagens que se enquadram no tempo que quisermos e conserva as características do underground, e de afronta numa perspectiva da diferença de filosofias de vida que se pode notar na abordagem de cada um dos elementos do grupo.

A propósito porquê `Invisíveis´?
Invisíveis porque o que nos caracteriza é um rap sem preocupação aos holofotes. Um rap mais preocupado em expor a beleza das palavras e do pensamento com a música rap, sem ter que necessariamente vender a imagem.

A que se deveu o interregno de 8 anos?
O álbum foi gravado maioritariamente em 2012. Após as gravações tivemos um problema técnico com o HD onde tínhamos todo projecto do álbum e isso deixou-nos de alguma forma desmoralizados. Só conseguimos depois de 8 anos recuperar alguns dos ficheiros e assim levamos o projecto para os arranjos, mistura e masterização.

Consideram este momento o mais certo para quebrar o silêncio?
Sim, cada momento é um momento e este em particular que estamos confinados e com algumas limitações decidimos oferecer aos amantes da cultura Hip Hop e de boa música este álbum que esteve engavetado por tantos anos. Na verdade, a forma como nós escrevemos este álbum ele poderia ser lançado a qualquer momento, mesmo dentro de outros 8 anos, as nossas letras são intemporais e os instrumentais boom bap nunca deixarão de ser RAP.

Que filosofia norteia o quarteto?
O quarteto é liberal, cada um tem a liberdade de escrever e dropar o que sente nas suas letras. 

Do que é feito o álbum `O Culto´?
O Culto é um álbum de rap Hip Hop underground. Todos os sons foram escritos no estúdio e gravados naquele mesmo momento, mas nem por isso deixamos de preocupar-nos com a qualidade do que dropamos. Falamos da nossa afirmação no rap, falamos do nosso comprometimento com o Hip Hop, falamos da sociedade, falamos de introspecção, falamos de África.  A instrumentalização é totalmente boom bap rap.

Ao ouvir `O culto´ o que nos remete? 
O culto é uma viagem às origens do Hip Hop um compromisso com o Boom Bap que tem se tornado cada vez mais escasso na questão de produção, a predominância do Trap e outros estilos diante da influência mainstream internacional tem norteado a sonoridade do Rap. O Culto vem justamente prestar culto a esta sonoridade ao compromisso que o Hip Hop tem com a consciência social, artística  e cultural.


Individualmente mantém um estatuto respeitável no Hip Hop angolano. Qual o segredo desta longevidade?
O segredo é simplesmente ser nós mesmos dentro daquilo que nos propusemos a fazer, fora de estereótipos e de seguir ondas. Procuramos actualizar a nossa sonoridade e a estética do que escrevemos, mas sem esquecer que temos uma cultura, fãs e um legado que devemos respeito.

De que modo podemos distanciar esta individualidade no `O culto´?
Cada membro do quarteto Invisíveis tem a sua própria característica e essa diferença é que faz com que o álbum sucedesse desta forma majestosa e habilidosa. 

Disponibilizaram o álbum ontem, já é possível avaliar o feedback?
Sim, muito bom feedback do pessoal. O número de download é positivo para a pouca promoção feita e até já estamos a receber exigências de shows e videoclipes. 

Ficarão apenas nos áudios ou já prevêem alguns vídeos? 
Faremos vídeos sim, bem underground risos.

E quanto a versão física, faz parte dos vossos objectivos também?
Já pensamos nisso. Acreditamos que quando apresentarmos o álbum ao vivo teremos cópias físicas, embora que limitadas, para o pessoal poder ter literalmente o álbum em suas mãos.

Voltaremos a aguardar por 8 anos para ver um mais trabalhos dos Invisíveis?
Risos, o tempo dirá.

as cargas mais recentes

Lewis Hamilton é oficialmente condecorado com o título “Cavaleiro do Reino Unido”

há 4 meses
O piloto da Mercedes integra a lista de Honras de Ano Novo da Ordem do Império Britânico para receber, em Janeiro, o título de ‘Cavaleiro’ do Reino Unido pelo seu trabalho como desportista do país.

Sambieventos, Os Lambas, Luandina e BASEL juntos contra a crise e contra a pandemia

há 10 meses

NGA disponibiliza hoje três novos projectos musicais

há 5 meses
Constituído por “Só Se Vive Uma Vez”, “Por Nós” e P’ra Nós”, o triplo lançado nas celebrações do 38.° aniversário do artista angolano radicado na Linha de Sintra representa a consistência lírica do vasto registo fonográfico, onde se destacam “Filho Das Ruas”, “King”, “Filho Das Ruas 2.

Floyd Mayweather anuncia retorno aos ringues

há 5 meses

Kid MC: “Os unders têm de deixar a mania de odiar, quando alguém no seu circuito atinge certo nível”

há 7 meses
Os rappers precisam ser mais justos. Os unders têm de deixar a mania de, quando alguém no seu circuito atinge certo nível odiá-lo.

Joker: Joaquin Phoenix em negociações para protagonizar mais dois filmes

há 7 meses
Fontes próximas das negociações, citadas pelo britânico “Mirror”, dão conta que o actor está a negociar dois possíveis novos filmes envolvendo a personagem -e a confirmar-se será mesmo o contrato mais bem pago da carreira do actor.

Malcolm & Marie: Críticos questionam diferença de idade dos actores e John David Washington rebate

há 3 meses
A pouco menos de um mês para a estreia do filme `Malcolm & Marie´, os 12 anos de diferença entre o casal protagonista, tem sido razão para fortes críticas.

Nameless e Sam The Kid juntos no tema “Houdini”

há 4 semanas
Já está disponível o novo single “Houdini”, de Nameless que conta com a produção inconfundível de Sam The Kid.

Anna Joyce: “Não existe a mínima possibilidade de parar de cantar”

há 7 meses
Após notícias em alguns sites sobre a intenção de pôr fim à sua carreira por motivos de saúde, Anna Joyce tranquiliza os fãs, esclarecendo que, apesar de estar acometida com uma doença do fórum neurológico, “não existe a mínima possibilidade de parar de cantar”.

Sintoniza 91.7 MFM: ShowTime

há 9 meses
Leonel Manuel ou simplesmente Megga Skills, como é conhecido nas lides do Hip Hop, é a uma das vozes mais sonante da Rádio MFM, na condução do programa ShowTime todos os Domingos, as 18 horas. Saiba mais sobre este programa, que nasceu por inspiração do extinto “Big Show Cidade”, mas que se apresenta como o programa de Rap “mais inclusivo” da actualidade, pois além de promover o Hip Hop, a música Rap e os seus fazedores, “abraçou” também a missão de “educar, informar”.

Dj Mandas: “Eu represento e protejo a minha cultura”

há 4 meses

Acção Jovem promove ciclo de aulas sobre historiografia africana

há 7 meses
Sob o mote “Mergulhando nas Artérias da História, Cultura e Tradição Africana”, o projecto nasce de uma conexão entre a Acção Jovem com o Professor, Historiador e Activista Social angolano, Pick Ngudi-A-Kazi e o Portal do Palestrante Africano no Brasil.

Keyshia Cole provoca potencial batalha de Verzuz contra Ashanti

há 11 meses
Enquanto DMX continua a “clamar” por uma batalha com Jay Z, e os fãs ainda estão extasiados com o confronto Verzus entre Ludacris e Nelly, que decorreu no passado sábado, dia 17, muitos se voltaram para confrontos hipotéticos que podem acontecer nas próximas semanas. Um dos mais recentes pares de fãs é entre Keyshia Cole e Ashanti.

Dj Erick Morillo, um dos melhores do mundo no estilo House, encontrado morto

há 8 meses
O DJ e produtor norte-americano Erick Morillo foi encontrado morto na manhã de ontem, em Miami Beach. Conhecido como um dos melhores djs de House do mundo, Morillo já esteve em Angola também já esteve em Angola.

Projecto “Angola 45” aguarda grande espetáculo em Lisboa com edição de um álbum

há 6 meses
O “encontro da liberdade” visa celebrar a nossa independência. Além de Bonga, participam ainda Yola Semedo, Don Kikas, Eduardo Paim, Kyaku Kyadaff, Mago de Sousa, Klaudio Hoshai, Hélvio e instrumentistas como Carlitos Xiemba, Galiano Neto, Betinho Feijó, entre outros.

C4Pedro transforma vida de um jovem em Viana

há 4 meses
Era para ser um dia como qualquer outro do final de ano, já que nesta fase, é frequente músicos e figuras públicas oferecem presentes e donativos a quem mais precisa. C4 Pedro viu-se no dever de alterar, ontem, seus objectivos, mudando a vida de um jovem, no município de Viana, em Luanda.