Invisíveis: “O que nos caracteriza é um Rap sem preocupação com os holofotes”

Lançaram ontem o álbum `O Culto´, uma obra no verdadeiro sentido da palavra, que além de quebrar o silêncio de 8 anos, é uma viagem às origens do Hip Hop e um compromisso com o “abandonado” Boom Bap. O quarteto constituído por Denéxl, Aluno Mestre, Levell Khróniko e Xtygmaxx traz mensagens que se enquadram no tempo que quisermos e conserva as características do underground, e de afronta numa perspectiva da diferença de filosofias de vida que se pode notar na abordagem de cada um dos elementos do grupo.

A propósito porquê `Invisíveis´?
Invisíveis porque o que nos caracteriza é um rap sem preocupação aos holofotes. Um rap mais preocupado em expor a beleza das palavras e do pensamento com a música rap, sem ter que necessariamente vender a imagem.

A que se deveu o interregno de 8 anos?
O álbum foi gravado maioritariamente em 2012. Após as gravações tivemos um problema técnico com o HD onde tínhamos todo projecto do álbum e isso deixou-nos de alguma forma desmoralizados. Só conseguimos depois de 8 anos recuperar alguns dos ficheiros e assim levamos o projecto para os arranjos, mistura e masterização.

Consideram este momento o mais certo para quebrar o silêncio?
Sim, cada momento é um momento e este em particular que estamos confinados e com algumas limitações decidimos oferecer aos amantes da cultura Hip Hop e de boa música este álbum que esteve engavetado por tantos anos. Na verdade, a forma como nós escrevemos este álbum ele poderia ser lançado a qualquer momento, mesmo dentro de outros 8 anos, as nossas letras são intemporais e os instrumentais boom bap nunca deixarão de ser RAP.

Que filosofia norteia o quarteto?
O quarteto é liberal, cada um tem a liberdade de escrever e dropar o que sente nas suas letras. 

Do que é feito o álbum `O Culto´?
O Culto é um álbum de rap Hip Hop underground. Todos os sons foram escritos no estúdio e gravados naquele mesmo momento, mas nem por isso deixamos de preocupar-nos com a qualidade do que dropamos. Falamos da nossa afirmação no rap, falamos do nosso comprometimento com o Hip Hop, falamos da sociedade, falamos de introspecção, falamos de África.  A instrumentalização é totalmente boom bap rap.

Ao ouvir `O culto´ o que nos remete? 
O culto é uma viagem às origens do Hip Hop um compromisso com o Boom Bap que tem se tornado cada vez mais escasso na questão de produção, a predominância do Trap e outros estilos diante da influência mainstream internacional tem norteado a sonoridade do Rap. O Culto vem justamente prestar culto a esta sonoridade ao compromisso que o Hip Hop tem com a consciência social, artística  e cultural.


Individualmente mantém um estatuto respeitável no Hip Hop angolano. Qual o segredo desta longevidade?
O segredo é simplesmente ser nós mesmos dentro daquilo que nos propusemos a fazer, fora de estereótipos e de seguir ondas. Procuramos actualizar a nossa sonoridade e a estética do que escrevemos, mas sem esquecer que temos uma cultura, fãs e um legado que devemos respeito.

De que modo podemos distanciar esta individualidade no `O culto´?
Cada membro do quarteto Invisíveis tem a sua própria característica e essa diferença é que faz com que o álbum sucedesse desta forma majestosa e habilidosa. 

Disponibilizaram o álbum ontem, já é possível avaliar o feedback?
Sim, muito bom feedback do pessoal. O número de download é positivo para a pouca promoção feita e até já estamos a receber exigências de shows e videoclipes. 

Ficarão apenas nos áudios ou já prevêem alguns vídeos? 
Faremos vídeos sim, bem underground risos.

E quanto a versão física, faz parte dos vossos objectivos também?
Já pensamos nisso. Acreditamos que quando apresentarmos o álbum ao vivo teremos cópias físicas, embora que limitadas, para o pessoal poder ter literalmente o álbum em suas mãos.

Voltaremos a aguardar por 8 anos para ver um mais trabalhos dos Invisíveis?
Risos, o tempo dirá.

as cargas mais recentes

Anitta lança nova música com participação de Cardi B

há 4 meses
Depois de algumas especulações e mistérios, agora é oficial. A cantora brasileira fará parceria com Cardi B. A faixa sai a 18 de Setembro e fará parte do seu próximo álbum.

Atrium promove show internacional em alusão ao Dia da Independência

há 3 meses
A ser realizado no próximo dia 8 de Novembro, simultaneamente em Cabo Verde e Angola (nas instalações do Atrium Nova Vida), o concerto alusivo ao 45º aniversário da independência de Angola será restrito ao grande público devido as medidas de prevenção à Covid-19.

LL Cool J junta-se a Swizz Beatz no plano de criar fundos para os ícones do Hip Hop

há 8 meses
Há pouco menos de uma semana,Swizz Beatz partilhou durante um live Beatz’s Zone Radio, que gostaria de arrecadar um milhão de dólares em “impostos” para cada membro fundador do Hip Hop. Mal-interpretada, a ideia do produtor criou um mal-estar entre os mais novos rappers, mas o apoio não tardou a chegar. LL Cool J não só aprovou a ideia, como também se prontificou a dar o seu contributo.

Muhatu: 4ª edição da maior competição de spoken word no feminino acontece já este sábado

há 4 meses
O campeonato feminino de Spoken Word “Muhatu” que para o ano 2020 adaptou-se as condições do novo normal social, teve o seu tiro de largada, “disparado” a 6 de Agosto.

Ashanti e Keyshia começam 2021 com um frente a frente

há 1 semana
Remarcado para nove de Janeiro de 2021, depois de Ashanti ter testado positivo, em Dezembro, para o Covid-19 ( horas antes do encontro), a organização anunciou hoje que as duas artistas vão desafiar-se na próxima semana.

Rappers angolanos serão eternizados no projecto ‘Ficheiros 2 Contra 1’

há 5 meses
Doravante, os rappers de todo o país passarão a estabelecer intercâmbio artístico, de modos a romper a barreira dos estigmas, preconceitos e dinamizar o movimento Hip Hop.

Morreu “Gigante” da música africana

há 8 meses
O músico guineense Mory Kanté, conhecido pelo sucesso mundial “Yéké yéké”, na década de 1980, morreu hoje aos 70 anos num hospital de Conacri, após doença prolongada, anunciou o filho.

House Dance, o improviso perfeito

há 9 meses
Afro-house é frequentemente comparado ao estilo Kuduro, pela sua forma de expressão, movimentos e ritmos. Podemos dizer que na classificação de dança, o Afro-house é um grupo de dança mais abrangente e engloba o Kuduro e outros estilos de dança africana, sendo o Kuduro daça especificamente angolana e tem as suas características diferenciadoras.

Cine Mundo vai deixar de exibir filmes da Universal Pictures

há 9 meses

Anna Joyce: A mais premiada do Globos de Ouro da Zap

há 3 meses
A cantora foi o destaque da primeira edição do Globos de Ouro da Zap ao levar para casa três prémios em três categorias, numa gala em que concorriam expoentes máximos da música angolana.

Ludmilla operada após problema com prótese de silicone

há 6 meses
A assessoria da cantora informou que Ludmilla “teve problemas com sua prótese de silicone e precisou fazer uma cirurgia. Ela passa bem e deve ter alta em breve”.

Yanick cancela nove shows e dois contratos

há 10 meses
Por causa do Covid-19, o rapper Yanick Afroman teve que cancelar nove shows e dois contratos com marcas diferentes para publicidade.

Prodígio: “acredito que a arte tem que reflectir a sociedade, a minha vida, a dos meus e dos outros”

há 6 meses
Durante o longo vídeo nas suas redes sociais, sobre a morte do jovem de 23 anos no Prenda, o músico começou por esclarecer que não pretende defender qualquer artista, entretanto, realçou que é imprudente a sociedade olhar as coisas de um único ponto de vista, porque os músicos também têm liberdade de escolha.

SSP: O grupo de Rap nacional mais ouvido actualmente

há 4 meses
Dados fornecidos pela Sadia, indicam que o grupo SSP são os artistas mais ouvidos, desde o dia 21 de Setembro, no `Top Nacional´ -−divulgado pela Carga Magazine−. A par desta “colocação”, são também os primeiros artistas do estilo Rap a entrar na lista de preferência dos ouvintes, de todas as rádios nacionais.

`Shyllaira´, uma música de inspiração para todos os pais de primeira viagem

há 2 meses
Trata-se de uma música em homenagem à filha de um amigo que completa, hoje, o primeiro ano de vida.

Especialistas dizem que Kanye West não conseguirá concorrer à presidência dos EUA

há 7 meses
As 59ª eleições nos Estados Unidos estão agendadas para 3 de Novembro de 2020 (numa terça-feira), o que leva especialistas a firmarem ser tarde demais para o rapper e empresário concorrer e, se o fizesse, West teria de desafiar o domínio democrático e republicano daquele país.