Irina Vasconcelos: “O nosso rock lá fora já é conhecido”

Em Angola, o Rock é cultivado desde os anos 60 através d’ Os Kríptons e Brucutus e foi se firmando com os Café Negro, Nvula e Black Soul. Hoje, evolui com os Ovelha Negra, Kishi e  Kozmik. Apesar do reconhecido papel na consciencialização do homem, no país o Rock ainda é marginalizado. Irina Vasconcelos apresenta à Carga o verdadeiro ponto de situação do estilo no Dia Internacional do Rock. A Rainha do Rock angolano fala das suas experiências como impulsionadora do movimento e recomenda…

O Rock entra em Angola na década de ’60 com os Rocks, Vum Vum, Os Kríptons e Os Brucutus. De lá para cá o quê que mudou?
Novos angolanos foram nascendo. Existem ene jovens no país que adoram rock ultimamente mais ligados ao Heavy Metal feito cá.

Com o nascimento de bandas como Café Negro (que ajudou a fundar), Tiranuz, Ovelha Negra ou Kishi observou-se uma mudança de paradigma. Como caracteriza este período?
A banda Café Negro, depois de termos ganho o Angola Music Awards em 2014, foi o impulsionar da minha carreira a solo. As restantes bandas Tiranuz e Ovelha Negra são bandas de que gosto bastante, são jovens com garra e a suas sonoridades dark e letras muito me cativam. Já tive o prazer de produzir alguns concertos deles e assistir… A banda Kishi tem tudo para dar certo. O mote é continuar a produzir por via da qualidade para inspirar outros.

E como descreve o actual estado do Rock no país?
Existem bandas novas que financiam seus próprios projectos, como é o meu caso, e assumem as suas formas sem quaisquer preconceitos e o seu público gosta. Há que criar mais canais de divulgação a nível nacional, pois o nosso rock lá fora já é conhecido nomeadamente no Brasil, Portugal, South Africa…

Quando bandas como Black Soul é nomeada para o Angola Music Awards ou Nvula a ser reconhecida no AFRIMA, quer dizer que aos poucos o movimento vai se firmando?
Com certeza. E fiquem atentos à Banda Kozmik eles irão levar-nos longe.

O que acha que tem faltado para o firmamento definitivo do estilo?
Na verdade, o movimento de rock está aí e firme. Já se firmou.Talvez falte apoio de algumas divulgadoras de rádio em abraçar novamente este estilo.

Neste quesito, parece que as rádios, jornais e televisões desempenham papel crucial?
Fica a oportunidade para congratular as rádios RFM, LAC, Rádio Mais, Jornal OPaís, o Jornal de Angola e vocês por se permitirem celebrar connosco este estilo.

O que o movimento podia fazer para ajudar os meios de comunicação a promoverem o estilo?
Eu trabalhei em alguns festivais, pois sou igualmente directora de arte e reparei que sofremos bastante no passado com a corrupção, ter de  pagar para que os sons passassem em algumas divulgadoras. Não foi só o rock que sofreu, mas outros estilos feitos em Angola também. O que o movimento sempre fez foi partilhar o nosso e romper barreiras.

Urge a necessidade de Luanda acolher festivais como o Rock In Rio Catumbela ou o Lalimwe Eteke Ifa. Até que ponto isso não dificulta a expansão do movimento?
Em Luanda ocorrem os eventos mais pequenos em bares, pois é onde está concentrado o maior número de fazedores. Não obstante as dificuldades para que nos cedam espaços caros em Luanda. Então, os festivais vão ocorrendo mais por outras províncias e há anos. O espectacular é ser de entrada livre os outros governadores talvez devem arriscar, pois é maravilhoso ver milhares de pessoas em fenómeno solidário rugindo rock.

Se por um lado, houve multiplicidade de bandas, por outro, bandas como Fios Eléctricos, Velório, Necrotério Vazio ou Via Sacra desapareceram. Como se podia evitar isso?
Estas são ou foram as bandas mais corajosas. Eu lembro-me da primeira vez que ouvi Fios Eléctricos, o meu coração parou. Sou amiga do vocalista e penso que é chegada a altura de vocês levantarem o som deles passem nas rádios entrevistem-nos todos eles foram e são uma inspiração o nosso sucesso é deles.

Amanhã, 13, é o Dia Internacional do Rock em memória ao Live Aid de 1985. O que preparou para esta data?
Este ano, tenho o meu álbum a solo para partilhar em celebração. Kai-Filhos do Mar- é um álbum que já chegou via Internet, dada a covid-19, a países como Alemanha, França, Índia, Itália, África do Sul, Namíbia e Brasil, Portugal e o objectivo é continuar.

Para além dos ideais de liberdade e irmandade, o rock é psicadélico. Como é que o estilo nos ajudaria a enfrentar um momento como este, o do Covid-19?

A consciencialização e prevenção são o mote para todos nós. Há poucos dias em parceria com a VOA, Voice Of América, deixei uma mensagem trabalhada sobre como nos devemos prevenir. O confinamento é a altura ideal para lermos um livro ou finalizarmos aquela pesquisa. Mas a música rock é alimento do intelecto, pelo que recomendarei sempre Scorpions, Sting, Janis Joplin, BB King, Block Party…

Em que tem estado a trabalhar ultimamente?
Depois de ter criado o Etimba Festival, um festival de músicas do mundo com três edições, mudei-me para Zâmbia, onde vivo com a família. Hoje, desenvolvo conteúdos de TV em português e inglês, foi uma área onde já trabalhei na altura. Interrompi para seguir carreira da música, mas agora de volta à concepção.Também estamos a preparar a minha participação em festivais. Tínhamos quatro fechados para este ano, mas retardou-se tudo para 2021.

as cargas mais recentes

Nélia Dias: Do Top Rádio Luanda rumo ao topo da música angolana

há 2 meses
Nélia Dias é um nome a se ter em conta no music hall nacional, por ser das poucas que conseguiu colocar o seu nome no Top Rádio Luanda com a música de estreia. A sua carreia ficou marcada por duetos com Young Double, Mona Nicastro, mas agora tem em carteira um novo projecto musical com o qual se quer lançar ao mundo.

Sarissari traz clima de amor no seu novo single `Admite´

há 6 meses
Revelado pela primeira vez na segunda feira no canal Trace Toca, o single `Admite´ é o prenúncio da chegada do álbum a solo de Sarissari, sob chancela da sua própria produtora, a Hey Hey Heyyy. Disponibilizada hoje no Youtube, o love song é um esforço colaborativo entre Nikko, Sarissari e Joseane, e foi o pretexto para uma breve conversa com o artista.

Revista científica abre edição exclusiva para Rap

há 2 meses
Esta semana, a revista científica brasileira “Convergência Crítica” fomenta acções para perceber a ligação entre o Rap e a pesquisa científica, que vai culminar com abordagens sobre o Rap e o activismo político em Angola e Moçambique.

Katy Perry reage pela primeira vez às acusações de abuso sexual

há 2 meses
A cantora norte-americana vem sendo acusada de má conduta sexual em duas situações. Numa recente entrevista, Katty Perry comentou, primeira vez, sobre os alegados abusos movidos por um homem e uma mulher.

Public Enemy anuncia novo álbum

há 2 meses
A banda Public Enemy está de regresso com um novo álbum, cujo alinhamento conta com uma extensa e luxuosa lista de convidados. Com 17 faixas musicais, a obra será publicada ainda este mês.

Flor de Raiz: “Não temos produtoras sérias”

há 7 meses
Irreverente e muito frontal, a kudurista Flor de Raiz afirmou que não há nenhuma produtora séria ou capacitada, em Angola, para elevar os kuduristas a patamares mais alto.

Afeni e Tupac Shakur documentados em nova série

há 4 meses
Em cinco episódios, `Outlaw: The Saga Of The Shakurs´ traz um retracto íntimo e amplo da dupla mãe e filho, mais inspiradora e perigosa da história americana, cuja mensagem unificada de liberdade, igualdade, perseguição e justiça é mais relevante hoje do que nunca.

Hannah Gomez quer conquistar o “Top dos Mais Queridos”

há 5 meses
A antiga estrela do “Unitel Estrelas ao Palco” soma e segue. Assinou com a Quebra Galho e gravou o seu primeiro álbum. A jovem de 22 anos quer pisar os maiores palcos do mundo e revela a ambição de conquistar o Top dos Mais Queridos ou o Angola Music Awards.

Joker: Joaquin Phoenix em negociações para protagonizar mais dois filmes

há 1 mês
Fontes próximas das negociações, citadas pelo britânico “Mirror”, dão conta que o actor está a negociar dois possíveis novos filmes envolvendo a personagem -e a confirmar-se será mesmo o contrato mais bem pago da carreira do actor.

“Quarantine Radio” de Tory Lanez é banida do Instagram

há 6 meses
De acordo com o CEO daquela rede social, o Quarantine Radio ficará fora do ar até ao dia 14 de Abril, Adam Mosseri, os convidados não respeitaram as regras da comunidade e a nudez foi a razão da suspensão.

Homem invade apartamento de Eminem e diz que foi “para matar o rapper”

há 1 mês
Um vídeo divulgado mostra que Mathew Hughes, o homem que no passado mês de Abril invadiu a mansão de Eminem, em Michigan, disse que estava lá para matar o rapper.

Especialistas dizem que Kanye West não conseguirá concorrer à presidência dos EUA

há 4 meses
As 59ª eleições nos Estados Unidos estão agendadas para 3 de Novembro de 2020 (numa terça-feira), o que leva especialistas a firmarem ser tarde demais para o rapper e empresário concorrer e, se o fizesse, West teria de desafiar o domínio democrático e republicano daquele país.

Lady Gaga acolhe membros da equipa em casa para os proteger do Covid-19

há 1 mês
Lady Gaga concedeu uma longa entrevista à Billboard, na qual comparou, bem humorada, o período de quarentena imposto pela pandemia da Covid-19 à sua própria experiência como estrela pop.

Google coloca Mbira “Kisanje” no motor de busca

há 5 meses
O instrumento musical originário do Zimbábue, conhecido em Angola como Kisanje, está a ser exibido desde ontem na página inicial do motor de busca e permite os usuários executá-lo. O objectivo é marcar a “semana cultural do Zimbábue”.

Xutos e Pontapés testam prontidão dos fãs pós confinamento

há 4 meses
Depois da paragem por conta da pandemia do Covid-19 o Teatro Tivoli (Lisboa/Portugal) reabre as portas em Julho, com destaque para o concerto dos Xutos e Pontapés, no dia nove (9).

Covid-19: Cardi B doa 20 mil garrafas de bebida vegana aos médicos de Nova York

há 7 meses
Dias após desmentir que estava infectada com Coronavírus, a rapper estendeu a mão aos profissionais que estão na linha da frente do combate à pandemia e se comprometeu a fazer doações frequentes doravante.