Irina Vasconcelos: “O nosso rock lá fora já é conhecido”

Em Angola, o Rock é cultivado desde os anos 60 através d’ Os Kríptons e Brucutus e foi se firmando com os Café Negro, Nvula e Black Soul. Hoje, evolui com os Ovelha Negra, Kishi e  Kozmik. Apesar do reconhecido papel na consciencialização do homem, no país o Rock ainda é marginalizado. Irina Vasconcelos apresenta à Carga o verdadeiro ponto de situação do estilo no Dia Internacional do Rock. A Rainha do Rock angolano fala das suas experiências como impulsionadora do movimento e recomenda…

O Rock entra em Angola na década de ’60 com os Rocks, Vum Vum, Os Kríptons e Os Brucutus. De lá para cá o quê que mudou?
Novos angolanos foram nascendo. Existem ene jovens no país que adoram rock ultimamente mais ligados ao Heavy Metal feito cá.

Com o nascimento de bandas como Café Negro (que ajudou a fundar), Tiranuz, Ovelha Negra ou Kishi observou-se uma mudança de paradigma. Como caracteriza este período?
A banda Café Negro, depois de termos ganho o Angola Music Awards em 2014, foi o impulsionar da minha carreira a solo. As restantes bandas Tiranuz e Ovelha Negra são bandas de que gosto bastante, são jovens com garra e a suas sonoridades dark e letras muito me cativam. Já tive o prazer de produzir alguns concertos deles e assistir… A banda Kishi tem tudo para dar certo. O mote é continuar a produzir por via da qualidade para inspirar outros.

E como descreve o actual estado do Rock no país?
Existem bandas novas que financiam seus próprios projectos, como é o meu caso, e assumem as suas formas sem quaisquer preconceitos e o seu público gosta. Há que criar mais canais de divulgação a nível nacional, pois o nosso rock lá fora já é conhecido nomeadamente no Brasil, Portugal, South Africa…

Quando bandas como Black Soul é nomeada para o Angola Music Awards ou Nvula a ser reconhecida no AFRIMA, quer dizer que aos poucos o movimento vai se firmando?
Com certeza. E fiquem atentos à Banda Kozmik eles irão levar-nos longe.

O que acha que tem faltado para o firmamento definitivo do estilo?
Na verdade, o movimento de rock está aí e firme. Já se firmou.Talvez falte apoio de algumas divulgadoras de rádio em abraçar novamente este estilo.

Neste quesito, parece que as rádios, jornais e televisões desempenham papel crucial?
Fica a oportunidade para congratular as rádios RFM, LAC, Rádio Mais, Jornal OPaís, o Jornal de Angola e vocês por se permitirem celebrar connosco este estilo.

O que o movimento podia fazer para ajudar os meios de comunicação a promoverem o estilo?
Eu trabalhei em alguns festivais, pois sou igualmente directora de arte e reparei que sofremos bastante no passado com a corrupção, ter de  pagar para que os sons passassem em algumas divulgadoras. Não foi só o rock que sofreu, mas outros estilos feitos em Angola também. O que o movimento sempre fez foi partilhar o nosso e romper barreiras.

Urge a necessidade de Luanda acolher festivais como o Rock In Rio Catumbela ou o Lalimwe Eteke Ifa. Até que ponto isso não dificulta a expansão do movimento?
Em Luanda ocorrem os eventos mais pequenos em bares, pois é onde está concentrado o maior número de fazedores. Não obstante as dificuldades para que nos cedam espaços caros em Luanda. Então, os festivais vão ocorrendo mais por outras províncias e há anos. O espectacular é ser de entrada livre os outros governadores talvez devem arriscar, pois é maravilhoso ver milhares de pessoas em fenómeno solidário rugindo rock.

Se por um lado, houve multiplicidade de bandas, por outro, bandas como Fios Eléctricos, Velório, Necrotério Vazio ou Via Sacra desapareceram. Como se podia evitar isso?
Estas são ou foram as bandas mais corajosas. Eu lembro-me da primeira vez que ouvi Fios Eléctricos, o meu coração parou. Sou amiga do vocalista e penso que é chegada a altura de vocês levantarem o som deles passem nas rádios entrevistem-nos todos eles foram e são uma inspiração o nosso sucesso é deles.

Amanhã, 13, é o Dia Internacional do Rock em memória ao Live Aid de 1985. O que preparou para esta data?
Este ano, tenho o meu álbum a solo para partilhar em celebração. Kai-Filhos do Mar- é um álbum que já chegou via Internet, dada a covid-19, a países como Alemanha, França, Índia, Itália, África do Sul, Namíbia e Brasil, Portugal e o objectivo é continuar.

Para além dos ideais de liberdade e irmandade, o rock é psicadélico. Como é que o estilo nos ajudaria a enfrentar um momento como este, o do Covid-19?

A consciencialização e prevenção são o mote para todos nós. Há poucos dias em parceria com a VOA, Voice Of América, deixei uma mensagem trabalhada sobre como nos devemos prevenir. O confinamento é a altura ideal para lermos um livro ou finalizarmos aquela pesquisa. Mas a música rock é alimento do intelecto, pelo que recomendarei sempre Scorpions, Sting, Janis Joplin, BB King, Block Party…

Em que tem estado a trabalhar ultimamente?
Depois de ter criado o Etimba Festival, um festival de músicas do mundo com três edições, mudei-me para Zâmbia, onde vivo com a família. Hoje, desenvolvo conteúdos de TV em português e inglês, foi uma área onde já trabalhei na altura. Interrompi para seguir carreira da música, mas agora de volta à concepção.Também estamos a preparar a minha participação em festivais. Tínhamos quatro fechados para este ano, mas retardou-se tudo para 2021.

as cargas mais recentes

Após desmentir informações sobre “fim da carreira” Anna Joyce anuncia dois concertos

há 9 meses
Considerada uma das maiores referências da música angolana dos últimos tempos, Anna Joyce estará no palco do Club S, em Luanda, nos dias 17 e 18 para protagonizar os seus primeiros espectáculos desde o início da pandemia.

Ajax da Holanda lança equipamento de futebol em homenagem a Bob Marley

há 2 meses
As camisolas serão o equipamento alternativo do clube para a temporada 2021/22 e são oficialmente apresentadas no dia 11 de Maio, data em que se assinala 40 anos desde que a lenda do Reggae deixou o mundo dos vivos.

Criadora de Matrix revela verdadeira origem do filme

há 1 ano
Em entrevista ao Hollywood Reporter, a cineasta que com a irmã criou a franquia Matrix disse que a vontade de fazer a saga surgiu da “opressão” que sentia antes de assumir a sua verdadeira natureza transsexual.

DH substitui Condutor na estreia de #Repertório

há 1 ano

Rick Ross coloca 50 Cent “entre a espada e a parede”

há 10 meses
No mês passado, 50 Cent disse, durante uma entrevista, que pretendia adaptar uma das músicas do rival Rick Ross na sua nova série de crimes Black Mafia Family. Em resposta, Ross concordou, mas com uma condição “difícil” e inesperada.

Jay Pallmer apresenta-se ao mercado musical com EP `MySelf´

há 2 meses
Contrariando todas adversidades da época pandémica, o 2020 vem se revelando frutífero para muitos artistas e, a EP `MySelf´ é mais uma prova desta teoria.

Billy Porter vaticina que estigma do HIV seja ultrapassado e assume seropositividade

há 1 mês
O comediante aponta que se sente mais saudável do que nunca e tem esperança de que o estigma em torno do HIV possa se tornar uma coisa do passado.

Ministro da Cultura, Turismo e Ambiente anuncia apoio social aos artistas angolanos

há 6 meses
Jomo Fortunato deu a boa nova, durante uma visita à casa do músico Anselmo Júnior, Marito, lendário guitarrista do agrupamento Kiezos.

No Dia Mundial da Voz, entenda a importância de cuidar da saúde vocal

há 1 ano
À semelhança de outros cantores, Selda e Sandra Cordeiro têm que fazer sacrifícios para manter intactas e puras suas cordas vocais. Apenar de nunca ter passado por uma experiência igual ao do britânico Helton Jonh, que teve que interromper o concerto por conta da voz, Morena de Cá confessa que já foi forçada a dar uma pausa na música por causa da voz.

Covid-19: Lewis Hamilton testa positivo e adia o sonho de alcançar Schumacher

há 7 meses
Lewis Hamilton testou positivo para o Covid-19 e está fora da corrida da temporada, que será realizado já neste final de semana, em Bahrein. Uma situação que acaba com a possibilidade de o inglês alcançar a marca de Schumacher e de Vettel.

Mito Gaspar defende a “transformação” da obra de Teta Lando em objecto de estudo

há 3 meses
A saga de espectáculos `Yuri Canta Teta Lando´, cujo primeiro encontro está marcado para hoje, a partir das 20 horas, no Royal Plaza, será dirigida artisticamente pelo músico Mito Gaspar.

Convidados num show? Um desafio sem precedentes para a Força Suprema

há 1 ano

Dj Erick Morillo, um dos melhores do mundo no estilo House, encontrado morto

há 10 meses
O DJ e produtor norte-americano Erick Morillo foi encontrado morto na manhã de ontem, em Miami Beach. Conhecido como um dos melhores djs de House do mundo, Morillo já esteve em Angola também já esteve em Angola.

Bob da Rage Sense: Na linha da frente dos protestos

há 1 ano
Ao contrário de muitos artistas que se limitam a “protestar” nas redes sociais, o rapper saiu às ruas para também dar voz às palavras de ordem: “Vidas Negras Importam”, “Justiça, justiça, nós queremos justiça” e “Só queria respirar, mas até para isso tenho que suplicar”.

`Ar Condicionado´ chega às telas angolanas

há 1 ano
O filme angolano `Ar Condicionado´ foi seleccionado para o `We Are One: A Global Film Festival´, festival de cinema online gratuito em todo mundo através do youtube, de 29 de Maio a 7 de Junho.

Yuri da Cunha: “Eu podia ter nacionalidade portuguesa, mas nunca tive. Vou tentar ao máximo viver aqui”

há 1 mês
Sobre a garantia da sua reforma, uma vez que é visível o seu sucesso, o artista admitiu que, apesar de ganhar mais, tal como os demais angolanos, também lida com questões de água e luz, mas ama a sua terra e, embora tenha várias possibilidades de adquirir a nacionalidade portuguesa, nunca pensou nisso.