John Dolmayan: “Black Lives Matter não passa de ferramenta de propaganda política”

O baterista da banda de rock System Of A Down, John Dolmayan, considera o movimento Black Lives Matter ilegítimo e que não passa de uma “ferramenta de propaganda” política do Partido Democrata.

Para o instrumentista, o movimento anti-racismo é anti-fascismo não são “legítimos”. O “Black Lives Matter” “nunca teve legitimidade”. No seu Instagram, John Dolmayan partilhou uma mensagem junto com a fotografia de Secoreia Turner, a menina negra de 8 anos que foi morta no passado fim de semana em Atlanta, vítima de uma onda de violência popular.

“O suposto movimento ‘Black Livesatter’ nunca teve legitimidade, a meu ver, e foi sempre uma ferramenta de propaganda do Partido Democrata”, escreve o músico.

“Mostraram ser os inimigos do povo dos Estados Unidos e adoptaram uma postura sem lei, continua, engrandecida pelos meios de comunicação sensacionalistas e as elites idiotas de Hollywood. Quantos mais inocentes têm de ser assassinados antes de tomarmos consciência?”, questionou.

as cargas mais recentes

Alexandre Pires e Seu Jorge unem-se para um espectáculo solidário

há 1 ano
Os músicos brasileiros Alexandre Pires e Seu Jorge juntam-se para um espectáculo interactivo de carácter beneficente. O concerto será transmitido nas redes sociais de ambos os artistas.

Heloisa Jorge revisita legado de Njinga Mbade no Dia da Consciência Negra

há 12 meses
A história de Angola terá vez e voz no “Falas Negras”, o evento brasileiro que comemora o Dia da Consciência Negra e cuja primeira edição, memora célebres personagens de 1600 aos dias de hoje, pessoas que lutaram contra a escravidão, a segregação racial, o racismo e a intolerância.

Novo Samurai: Deejay Soneca rende tributo a Samurai com uma mixtape

há 3 semanas
Desenhada por Deejay Soneca, a nova mixtape é mais um reconhecimento ao trabalho de excelência realizado por Dj Samurai, com destaque para a saga de mixtapes “O Último Samurai”, bem como dar seguimento ao conceito “Street Rap”.

Entri Spada e Paredi: DJ Malvado reinventa clássico cabo-verdiano em parceria com Roxane

há 4 meses
A ser lançada hoje, a música Entre Spada e Paredi é um “prenuncio” do EP de Roxane Fernandez, a ser lançado em Julho/Agosto e mantém DJ Malvado conectado às suas raízes com a kizomba mais tradicional tal como nos tempos em que estava a iniciar a sua carreira.

House Dance, o improviso perfeito

há 2 anos
Afro-house é frequentemente comparado ao estilo Kuduro, pela sua forma de expressão, movimentos e ritmos. Podemos dizer que na classificação de dança, o Afro-house é um grupo de dança mais abrangente e engloba o Kuduro e outros estilos de dança africana, sendo o Kuduro daça especificamente angolana e tem as suas características diferenciadoras.

`Baza + 1 vez´ é a mais nova proposta musical do Rapper JLZ

há 1 ano
A preparar um novo trabalho, o Rapper JLZ lançou a música `Baza +1 Vez´ como a primeira proposta. O mais recente lançamento caracteriza-se como um som agressivo, egocêntrico e cheio de punchlines, de modo a fazer barulho na cena Hip Hop e preparar o caminho para a nova sonoridade, agora com a sua própria editora e sendo responsável pelos seus passos.

Paulo Flores homenageia Waldemar Bastos e Carlos Burity em novo álbum

há 1 ano
Intitulado ‘Independência’, no novo disco o artista “regressa às origens” do Semba e exalta o ritmo ancestral usado como instrumento de luta.

Dr. Dre diz que redes sociais destroem a mística da música e dos artistas

há 1 ano
Dre foi mais longe ao afirmar que, se estivesse no início de carreira, talvez odiasse as redes sociais, por elas destruírem a mística, que é a principal característica da música. “É prazeroso esperar o que está por vir”, disse.

Tory Lanez é preso por posse ilegal de arma

há 1 ano
O rapper canadense foi detido por de porte de arma na madrugada de domingo, após perseguição policial. Segundo sites internacionais, a polícia foi chamada para atender uma denuncia de perturbação na parte externa de uma residência em Hollywood Hills. Tory foi solto seis horas depois, tendo pago fiança de 35 mil dólares.

Em cada espectáculo o cantor ganha 200 mil Kwanzas por música. Isto compensa o investimento feito num álbum?

há 1 ano
Um cantor profissional em Angola gasta entre 500 a 1 milhão e 500 mil Kwanzas para produzir uma música. Por conseguinte, num espectáculo, o músico cobra, em média, 200 mil kwanzas por cada interpretação. Este valor dá para cobrir o investimento feito em cada música? A Carga apresenta algumas reacções de músicos, produtores e alguns dos artistas que mais gastaram com a produção.

27 anos após o lançamento clássico, Illmatic é adicionado ao acervo da Biblioteca do Congresso americano

há 7 meses
A 14ª bibliotecária do Congresso e primeira mulher a ocupar o cargo, Carla Hayden, classificou o disco como um “tesouro digno de ser preservado eternamente na herança fonográfica da nação por causa de sua importância cultural, histórica e estética”.

Fim-de-semana farto: Kid Cudi quebra o silêncio de 10 anos e Taylor Swift retorna após 5 meses

há 11 meses
Kid Cudi acaba de lançar o último álbum da trilogia `Man on the Moon´, enquanto que Taylor Swift apanhou todos de surpresa com um “ábum-irmão” de Folklore, lançado há cinco meses, ambos projectados para ocupar os primeiros lugares da Billboard.

Making Of: Paulo Flores recria a própria infância em novo vídeo

há 3 meses
No clipe, Paulo Flores memora uma fase da sua infância, caracteriza-se como o “requisitado discotequeiro, Cabé” e relembra durante a storytelling a origem do seu amor pelo Semba.

Rick Baby: Um rapper polivalente que augura um lugar entre os melhores

há 1 ano
Rick Baby é o pseudónimo de Luís Domingos Saviti, rapper e compositor de 27 anos de idade e já canta há 9 anos. Com uma carreira promissora, está associado a produtora CombinaSons, ao lado de nomes como: Enock, Itary, Justin Weely e Junior Zy.

Chitãozinho e Xororó com música nova para o Live

há 1 ano
A dupla sertaneja Chitãozinho e Xororó apresenta-se aos fãs na quarta-feira (17), num Live que deverá ficar marcado pelo lançamento da nova música “Voltei para o mato”.

Kid MC: “Os unders têm de deixar a mania de odiar, quando alguém no seu circuito atinge certo nível”

há 1 ano
Os rappers precisam ser mais justos. Os unders têm de deixar a mania de, quando alguém no seu circuito atinge certo nível odiá-lo.