Keita Mayanda: “O Homem e o Artista é um clássico, mas não me trouxe conforto material”

O álbum «O Homem e o Artista» de Keita Mayanda, representa a verdadeira face do Hip Hop angolano e define as várias etapas do desenvolvimento do homem, enquanto ser pensante. De igual modo, seu autor procura, através do mesmo, despertar a consciência do angolano, marcando seu posicionamento no Rap lusófono.

A referência é mais evidente no imaginário popular, dado que, a actual geração de rappers é menos focada na geração anterior e dela raramente aprende alguma coisa.

Hoje faz 15 anos desde que foi lançado. O disco continua a ser protótipo do Hip Hop nacional. Contribuiu para o bem imaterial, felicidade e educação do homem angolano.

Ao assinalar mais um aniversário, Keita preparou o lançamento / venda simbólica de t-shirt comemorativa e, acidentalmente, publicou álbum remixes do seu último lançamento “7 Momentos de Lucidez”.

Em entrevista à Carga, Mayanda conta se vai ou não reeditar a obra; em que aspectos mais o beneficiou; e da influência que «O Homem e o Artista» exerceu na actual geração de rappers.

Keita Mayanda: “O Homem e o Artista é um clássico, mas não me trouxe conforto material”

O Homem e o Artista” e os “7 Momentos de Lucidez” definem diferentes períodos da carreira de Keita. Por que razão juntar à celebração o seu novo álbum?

É mais uma coincidência do que um objectivo. O álbum de remixes estava na fase final de produção e faz sentido lançar em julho. O mês de julho é especial para mim, além do O Homem e o Artista, eu lancei nesse mês há 4 anos o EP, Músicas Para despertar e Motivar em Tempos de Incerteza e lancei a minha marca de roupa há 2 anos.

A obra define e traça bem as diferentes fases do desenvolvimento do homem enquanto ser pensante. Que opinião tem hoje sobre o homem e o artista angolano?

Isso é uma pergunta de um bilhão de kwanzas. O homem angolano ou melhor, o ser humano angolano é um ser perdido, com uma cultura que se desvaloriza e se perde porque não se ensina e, portanto, não se valoriza e não pode competir com o que há de melhor no mundo. É um ser faminto de tudo, sobretudo de boa governação e de perspectivas de um futuro melhor. Acho que colectivamente esse momento é um dos piores dos últimos 30 anos, social e  economicamente e em grande parte deve-se ao facto de termos tão maus governantes que tudo nos parece uma experiência dantesca. O artista angolano é um ser em experimentação, eu fico feliz por ser da minha geração de artistas. Experimentámos sonoramente, criámos uma escola de pensamento e estética musical, não sei o que vem aí, mas eu sei que na minha geração existem heróis da cultura angolana.

É um álbum que acabou por projectar ainda mais a imagem de Keita Mayanda. Em que aspectos mais o beneficiou ?

Eu não sei se realmente posso falar em benefícios, ser famoso ou conhecido em Angola nem sempre é uma bênção e isso é provavelmente a coisa mais evidente que resultou de eu ter lançado esse disco. O álbum é um clássico, mas não me trouxe riqueza ou conforto material. Acho curioso as pessoas sempre perguntarem a um artista pelo próximo disco, principalmente aquelas que o obtiveram de downloads ilegais ou porque um amigo deu num pen drive. Artistas serão sempre indivíduos com fome num país onde a iniciativa privada depende do dinheiro público, cultura é um bem imaterial, mas fundamental para a felicidade e educação de todos, choca-me como tão pouca gente se digna a pagar por shows ou comprar merchandising ou álbuns, principalmente de artistas não tão populares ou que não aparecem na grande mídia.

Olhando para o que se tem produzido actualmente, acredita que a nova geração aprendeu mais com o seu primeiro álbum?

A actual geração de rappers é menos focada na geração anterior e dela raramente aprende alguma coisa. Cada geração tem os seus heróis e os seus detractores. Há uma desconexão e não é apenas porque o novo se tenta sobrepor ao antigo, creio que existe mesmo um desconhecimento do que existe há 30, 20 anos na música rap nacional.

O álbum é um clássico para o Rap nacional e, obviamente, muitos desejavam obter uma cópia. Qual a possibilidade de voltarmos a tê-lo no formato físico?

Como muita gente deve saber, não se produzem cds em Angola, mesmo com o boom que se deu com o lançamento de cds e o surgimento de muitos novos artistas e editoras nos últimos 18 ou 20 anos , nunca se produziu cds em Angola. Actualmente com os entraves que existem a nível da banca para se conseguir moeda estrangeira; a desvalorização do Kwanza, a produção de um cd é um projecto hercúleo e que não compensa, na cabeça de muita gente um cd ainda deveria custar 1.000 kwanzas isso é impossível hoje, eu nem faço ideia de qual seria o preço final de um cd para que fosse realmente interessante passar por todas as dificuldades, principalmente falando de um álbum que foi lançado há 15 anos. Eu não sei quando será possível reeditarmos esse álbum.

Sobre o álbum

Lançado em 2006, O Homem  e o Artista é a obra de estreia de Keita Mayanda. Comporta 16 músicas resumidas em 51 minutos. Reúne participações de Edu ZP, MCK, Flagelo Urbano, Ikonoklasta, Leonardo Wawuti e produção de Leonardo Wawuti, Conductor e NK. 

as cargas mais recentes

“Nenhum de nós tem vaidade, não há egos aqui”

há 1 ano
Okwami ultimam os preparativos para o primeiro grande show, dia 26 de Março.

“Let’s Go Crazy: The Grammy Salute To Prince” transmitido na TV

há 1 ano
Quatro anos após a morte de Prince, o concerto de homenagem ao músico que juntou, na cerimónia deste ano dos Grammys, vários nomes do rock e da pop foi transmitido na televisão norte-americana.

Morreu o músico Tino Fortes

há 7 meses
O músico angolano Tino Fortes morreu segunda-feira em Portugal, aos 51 anos de idade, vítima de morte súbita.

Programa que memora a vida e obra de Amália estreia segunda temporada

há 4 meses
Intitula-se Em Casa d’Amália e foi criado em alusão ao centenário da icónica fadista, em 2020, numa parceria entre a Fundação Amália Rodrigues e a RTP.

Ashanti e Keyshia começam 2021 com um frente a frente

há 7 meses
Remarcado para nove de Janeiro de 2021, depois de Ashanti ter testado positivo, em Dezembro, para o Covid-19 ( horas antes do encontro), a organização anunciou hoje que as duas artistas vão desafiar-se na próxima semana.

Ajax da Holanda lança equipamento de futebol em homenagem a Bob Marley

há 3 meses
As camisolas serão o equipamento alternativo do clube para a temporada 2021/22 e são oficialmente apresentadas no dia 11 de Maio, data em que se assinala 40 anos desde que a lenda do Reggae deixou o mundo dos vivos.

Billboard Music Awards: The Weeknd rouba a cena como vencedor de 10 categorias, em noite dedicada a Drake

há 2 meses
Após ser ignorado pelo Grammy Awards, The Weeknd sagrou-se o grande vencedor do Billboard Music Awards 2021 e, acaba de entrar para o ranking dos mais premiados de todos os tempos, totalizando 19 troféus da Billboard.

AC Milan e Roc Nation unem-se para um grande espectáculo organizado por DJ Khaled

há 9 meses
O clube italiano AC Milan e a Roc Nation de Jay-Z uniram-se para protagonizar, no dia 20 deste mês, um grande concerto. Organizado por DJ Khaled o espectáculo visa recuperar a imagem e a posição da equipa entre a elite comercial do futebol.

Papekas: “Quero mostrar que o Rap pode ser a mistura certa para todo o tipo de género musical”

há 1 ano
Papekas é um rapper que ganhou notoriedade nos freestyles da escola e hoje invade os mercados moçambicano e sul-africano. O artista tem se dedicado ao Rap acústico. A partir de Johannesburg, deixa os primeiros registos de uma proposta inovadora para Rap angolano.

The Miseducation of Lauryn Hill: eleito o melhor disco de Rap da história

há 10 meses
O álbum de estreia de Lauryn Hill, The Miseducation Of Lauryn Hill, foi considerado um dos melhores álbuns de todos os tempos, e o melhor álbum de Rap, pela Rolling Stone.

‘Lose Yourself’ de Eminem atinge 1 bilhão de escutas no Spotify

há 5 meses

Bruno Fernando estreia nos play-offs da NBA

há 2 meses
O angolano Bruno Fernando, que actua nos Atlanta Hawks, estreou hoje nos play-offs da Liga norte-americana de basquetebol (NBA), ao jogar dois minutos na derrota da sua equipa diante dos Philadelphia76, por 118-102.

Show do Mês apresenta último grande show de Waldemar Bastos em Angola

há 12 meses
O Show do Mês leva este sábado as emoções do último grande espectáculo de Waldemar Bastos, músico falecido na passada segunda-feira e que foi ontem a enterrar no Cemitério da Galiza, em Portugal.

É oficial, Nigéria é a primeira selecção africana a destronar os Estados Unidos na história do basquetebol

há 3 semanas
A Nigéria acaba de quebrar o mito da invencibilidade dos Estados Unidos, ao vencer o jogo que conta para a pré-temporada dos jogos olímpicos de Tóquio, com o resultado final de 90 a 87.

Livro “O bolseiro- Desafios pós formação” chega às bancas no 1ª Trimestre de 2021

há 11 meses

T-Pain revela fase sombria depois de Usher o ter dito que ‘estragou a música’ usando o Auto-Tune

há 1 mês
O episódio remonta para 2013, mas só agora foi revelado trecho exclusivo da próxima série da Netflix, This Is Pop , o cantor revelou que caiu em depressão depois que Usher o ter dito que “estragou a música”.