Livro “O bolseiro- Desafios pós formação” chega às bancas no 1ª Trimestre de 2021

Da autoria de Mateus Steita -um engenheiro que se forja na literatura, “O bolseiro- Desafios pós formação” é o sucessor do livro “O bolseiro- A vida de um sonhador”, que tal como o título deixa adivinhar, versa a história de um estudante em busca de realizações. Ao passo que o segundo título, traz as adversidades pelas quais o autor e os co-autores vivenciaram, apresentando-se como uma exposição da verdade da realidade de milhares de pessoas pelo mundo, o livro será lançado no princípio de 2021, podendo também ser lido em russo e inglês.

Sete perguntas a Mateus Esteita

Com a obra “O bolseiro- A vida de um sonhador” deu início a carreira de escritor. Como avalia esta estreia?
A estreia no mundo da literatura superou as minhas expectativas, apesar de que tinha noção que estava a escrever sobre um assunto que interessa muito a juventude angolana.

E qual o balanço que faz sobre o impacto da obra?
Balanço super positivo, estamos na segunda edição do livro e temos tido feedback super positivo, sobre a obra e testemunhas de pessoas que foram impactadas pela mesma.

“O bolseiro- A vida de um sonhador” versou basicamente a sua experiência enquanto estudante bolseiro, o que o inspirou a escrever “O bolseiro- Desafios pós formação”?
“O bolseiro- Desafios pós formação” vai seguir a mesma linhagem do primeiro livro, onde vamos trazer experiências de estudantes bolseiros e não só, sobre os desafios que enfrentam após a formação na diáspora e em Angola.
Vamos trazer algumas dicas sobre marketing pessoal e empreendedorismo para que os estudantes enfrentem da melhor forma o mercado de trabalho.

Esta será sempre a sua linha de abordagem?
Após a formação os estudantes enfrentam vários desafios. Desde o primeiro emprego, aos longos anos de experiência profissional que se exige, a ideia do padrinho na cozinha e acima de tudo a utopia da meritocracia.

Vai optar pela publicação clássica que é o papel ou já vai adaptar-se ao digital?
Estamos nesta fase a traduzir para o inglês e o russo, o primeiro livro que disponibilizaremos em formato digital, mas este último só estará numa primeira fase no formato físico.

Livro “O bolseiro- Desafios pós formação” chega às bancas no 1ª Trimestre de 2021

Vivenciou algum destes desafios que retrata?
Muitas das experiências que coloco nos livros são vividas por mim ou pelos co-autores, os dreamers, porque nós acreditamos na seguinte filosofia, “Escreva algo que vale a pena ler ou viva algo que vale a pena escrever”.

Qual é a maior lição que se pode tirar desta fase?
Nesta fase que vivemos, a nível profissional tiramos muitas lições, desde a adaptação a um mundo que mudou e que vai mudando em termos de tecnologias, forma de trabalho, estudo e até mesmo a forma de se relacionar com as outras pessoas.
É preciso ter disciplina, foco e criatividade para se sair vitorioso nesta fase pandêmica.

Sobre o autor
O seu nome já figurou em diplomas de distinções dos melhores estudantes na Rússia, esteve entre os voluntários da Brics e foi orador de fóruns juvenis líderes de países membros da mesma organização.
Após terminar a formação e construir um legado enquanto estudante de mérito, o engenheiro de “Refinação de Petróleo” e Mestre em “Segurança de Processos na indústria de Petróleo e Gás”, regressou à Angola perspectivando contribuir positivamente e, assim tem feito com brio na área que lhe compete.
Na primeira pessoa, Mateus Esteita, imortalizou num livro, estas e outras odisseias da sua trajectória enquanto estudante bolseiro num país vizinho. Intitulado “O Bolseiro- a vida de um sonhador”, traz toda a verdade “nua e crua” das adversidades que teve que enfrentar desde o clima, a língua, até a adaptação ao meio social Russo.

as cargas mais recentes

Morreu Amaro Fonseca, a voz do programa “Balumuka”

há 10 meses

Ministério Público acusa equipa médica de homicídio doloso de Diego Maradona

há 8 meses
De acordo com notícias, o agravamento das acusações está ligado à publicação, no início de Maio, de um relatório da perícia, que concluiu que Maradona tinha sido “abandonado à própria sorte” pela equipa de saúde, cujo tratamento “inadequado, deficiente e temerário” levou a uma agonia lenta.

Coronavírus: Yanick prevê maus momentos para os músicos

há 2 anos
Sem “papas na língua”, falando para a Revista Carga, o rapper Yanick Ngombo “Afroman” reconheceu que se a situação do Coronavirus se prolongar os músicos vão passar maus momentos.

Próximo 007 será uma mulher negra

há 1 ano
A actriz britânica Lashana Lynch foi confirmada para suceder Daniel Craig como agente 007 em “007: Sem Tempo Para Morrer”, da Saga James Bond.

Expo–Ribas 2021 marca as celebrações do 112º aniversário de Óscar Ribas

há 5 meses
O certame multidisciplinar que vai se prolongar até ao dia 28 do mês corrente e, visa assinalar o 112 aniversário natalício do escritor, ensaísta e etnólogo, Óscar Ribas ‐In memoriam.

Invisíveis: “O que nos caracteriza é um Rap sem preocupação com os holofotes”

há 2 anos
Lançaram ontem o álbum `O Culto´, uma obra no verdadeiro sentido da palavra, que além de quebrar o silêncio de 8 anos, é uma viagem às origens do Hip Hop e um compromisso com o “abandonado” Boom Bap.

Sarissari traz clima de amor no seu novo single `Admite´

há 2 anos
Revelado pela primeira vez na segunda feira no canal Trace Toca, o single `Admite´ é o prenúncio da chegada do álbum a solo de Sarissari, sob chancela da sua própria produtora, a Hey Hey Heyyy. Disponibilizada hoje no Youtube, o love song é um esforço colaborativo entre Nikko, Sarissari e Joseane, e foi o pretexto para uma breve conversa com o artista.

Bonga é reconhecido em Portugal com “Prémio Prestígio”

há 9 meses
Bonga foi reconhecido ontem à noite com o “Prémio Prestígio”, na categoria de música durante a gala alusiva aos 25 anos da Rádio Difusão Portuguesa (RDP África).

Tal pai, tal filho

há 2 anos
Os caminhos de Maya Cool e Eduardo Paím estão quase sempre ligados. Não é novidade que viveram juntos durante anos em Portugal e que Paím foi o seu mentor naquele país.

Conheça os galardoados do Prémio Nacional de Cultura e Artes-edição 2021

há 2 meses
O Prémio Nacional de Cultura e Artes é a mais alta disntição do Estado angolano, atribuída a criadores nas disciplinas de literatura, cinema e áudio visuais, artes plásticas, artes de espectáculos e investigação em ciência sociais e humanas.

Rihanna é acusada de “roubar” ideias da filha de Lauryn Hill

há 1 ano
A jovem estilista Selah Marley, de 21 anos, acusa a autora de “Umbrella” de copiar as suas ideias para o desfile de Savage x Fenty apresentado no passado dia 2 pela cantora, e composto de roupas íntimas masculinas.

Alicia Keys surpreende fãs ao fumar maconha ao vivo, durante o podcast Drink Champs

há 1 mês
Conhecida pelo seu estilo de vida mais reservado, comparativamente com outras artistas e ovacionada pelos seus rituais de beleza holísticos e estilo de vida zen, Alicia Keys protagonizou o momento revelador que foi motivo de pasmo, por nunca ter mencionado o uso de maconha, durante os seus mais de 20 anos de carreira.

Quarteto Fantástico apresenta “tour Palavras, palavrinhas, PALAVRÕES para voz”

há 3 meses
A Art Sem Letra informa que o Quarteto Fantástico da poesia falada em Angola, regressa aos palcos quatro meses depois com mega tour Palavras, palavrinhas, PALAVRÕES para voz, nos dias 05, 13, 20, 26 de Novembro e 02 de Dezembro, no Camões, Casa da Juventude, Casa Rede, Zap Cinemas e Centro Cultural Brasil Angola, todos os espectáculos às 18 horas. Nas palavras dos protagonistas, “a tuor é resultado da reflexão de que as palavras são coisas vindas da boca e outras vindas do papel… os olhos e os ouvidos podem não concordar, mas insistimos. No papel as Palavras são sempre PALAVRINHAS já vindas da boca são PALAVÕES. Porque a voz lhe dá tamanho, a voz não tem a obrigação de economizar como as gráficas Conforme Fernando Carlos, um dos rostos do grupo “PALAVRÕES não é um espetáculo de PALAVRAS e PALAVRINHAS obscenas ou pornográficas… Não vamos sujar a boca nem envenenar ouvidos. PALAVÕES é uma matemática gramatical que nós decidimos experimentar aonde várias PALAVINHAS somadas umas com as outras resultarão em PALAVRAS energéticas, provocadoras, aliciantes e analgéticas como os verdadeiros PALAVRÕES” Com passagem nas principais salas de espetáculos de Luanda, o grupo Spoken Mais, formado por Irene A mosi, Fernando Carlos, Nzola Kuzidíua e Willi Ribeiro, encontra nesta tour de cinco (5) noites de poesia e performance a oportunidade ideal para fechar o ciclo que teve início à 26 de Fevereiro ano de 2021 de um projecto que redefiniu a poesia como um meio de atuação e cria um mundo onde a arte da palavra faça parte da vida diária e seja apreciada por todos e todas. Kiaco Zambo, produtor executivo do evento, falou para os nossos microfones que a “TOUR PALAVRÕES” é mais uma iniciativa inédita da Agência Criativa Art Sem Letra, que tem de forma constantes apresentar projectos de encher os olhos. “Teremos uma das melhores ou se não a melhor experiência artística em um espetáculo de poesia e performance produzida em Angola com várias razões para com solidar a poesia falada. O evento é uma produção da Art Sem Letra, Agência Artística e Criativa, educacional e sustentável, centrada na economia criativa com objectivo de ligar e libertar mentes por meio da arte.

Indecisão dos herdeiros inviabiliza construção do Museu Cesária Évora

há 2 semanas
A falta de consenso nos diálogos entre o Ministério da Cultura de Cabo Verde e a família da cantora está a causar atraso na construção da Casa Museu Cesária Évora, em Mindelo.

Nucho: “É muito estranho não termos agências que consigam apanhar um artista do anonimato e fazê-lo crescer”

há 7 meses
“O que se vê nas nossas produtoras é que, basicamente pegam artistas que já estão feitos e que já têm fama na rua e depois apenas metem mais algum combustível. E também sinto que falta um bocado de originalidade. Acho que poderíamos ter artistas mais ousados. resumindo, acho que temos uma cultura saudável, acho que temos muito talento, mas acho que falta um bocado de coragem e abertura e limar algumas arestas para atingir o nível seguinte, como o da Nigéria ou da África do Sul, não só na gravação das músicas, mas essencialmente nos espectáculos ao vivo que proporcionamos ao nosso público, acho que os nossos espectáculos ainda deixam muito a desejar”.

Rock in Rio terá réplica na cidade de São Paulo

há 1 ano
A organização do Rock in Rio informou hoje que está a criar um festival semelhante na cidade de São Paulo. O mega evento chama-se The Town e será acolhido no Autódromo Interlagos, alternando com o Rock in Rio.