Luís Mendonça rende-se à qualidade poética da música de Luso

Vencedor do Prémio SADC de jornalismo, escritor e poeta, José Luís Mendonça também foi professor na Universidade Agostinho Neto, leccionando a cadeira de Português e é respeitado nos círculos literários por causa do rigor estético que imprime nas suas obras.

O escritor teceu, esta semana, rasgados elogios à musicalidade de Luso, propriamente à faixa ” Soldado Desconhecido”, que se alinha na 12a posição do álbum Laços de Famílias, lançado em Dezembro do ano passado.

“Um libelo melódico contra a guerra” é desta forma que Luís Mendonça classifica a música que traz a participção de Sidjay.

Em longo texto, o escritor considerou  o tema ” uma composição engajada, na linha da chamada arte de intervenção social, que faz eco do silêncio a que estão votados os antigos combatentes angolanos”.

“Todos nós temos um avô, um pai, um tio ou um irmão que de corpo e alma lutou pela independência ou libertação da pátria mas hoje sobrevive com uma pensão que pouco passa a casa dos 20 mil kwanzas”, descreve o músico à Carga.

Para Luís Mendonça, a música “Soldado Desconhecido” é  voz dos que não a têm”, algo bem conseguido pelo rapper, que trouxe à tona dos sentidos, emoções fortes e criou “aquela catarse aristotélica, por via da empatia”, que, quando bem trabalhada, a canção neste género entra na medula social, principalmente da juventude.

Ainda de acordo com o poeta, em “Soldado Desconhecido”, Luso buscou a contribuição vocálica e o refrão de Sidjay, que é detentor de uma voz hídrica, fluvial, capaz de amenizar a acutilância do estilo combativo do RAP, com a sua ondulação romântica, para sustentar a entrada do verso. 

O escritor realça que em “Laços de Família” Luso persegue essa fusão entre o melódico e o coloquial.

Concebido originalmente por Desconhecido/Esquecido, a música, explica o rapper, não é uma história pessoal ou vivida na primeira pessoa, mas ao escrevê-la, vestiu-se a pele dos que muito fizeram pela pátria e hoje pouco ou quase nada são reconhecidos.

as cargas mais recentes

Morreu um dos criadores do “Afrobeat”

há 2 anos
O mítico baterista nigeriano Tony Allen, um dos criadores do género “Afrobeat”, morreu quinta-feira em Paris (França), aos 79 anos de idade.

Mito Gaspar defende a “transformação” da obra de Teta Lando em objecto de estudo

há 1 ano
A saga de espectáculos `Yuri Canta Teta Lando´, cujo primeiro encontro está marcado para hoje, a partir das 20 horas, no Royal Plaza, será dirigida artisticamente pelo músico Mito Gaspar.

Justin Bieber: “Eu amava a música, mas deixei-me levar pelo ego e o poder”

há 2 anos
Justin Bieber partilhou uma mensagem com os fãs no Instagram, falando sobre as “inseguranças e frustrações” que o afectaram quando era adolescente, reconhecendo que deixou-se levar pelo ego.

Carlitos Viera Dias em concerto no `Show do Mês´

há 2 anos
O músico Carlitos Viera Dias, filho do mítico Liceu Viera Dias, vai cantar no Live do Show do Mês, no próximo dia 11 de Julho (sábado).

Tina Turner despede-se da vida pública:” Não foi uma vida boa”

há 1 ano

Nova série da National Geographic dá a Aretha Franklin o ‘Respect’ que merece

há 1 ano
Aretha que já foi interpretada por Jennifer Hudson, desta vez, será “revivida” por Cynthia Erivo, como a Rainha da música soul.

Leonel Messi quer sair do Barça em 2021

há 2 anos
Nos últimos dias, instalou-se o mal-estar no balneário da equipa catalã, devido os maus resultados, sobretudo depois do reinício do campeonato. A Cadena SER avança que o avançado argentino pretende terminar o contrato e sair do Barça em 2021.

Mais de 300 actores endereçam carta aberta a Hollywood

há 2 anos
Mais de 300 actores e realizadores, incluindo Idris Elba, Queen Latifah e Billy Porter escreveram uma carta para Hollywood a pedir que a empresa cinematográfica aposte mais em conteúdos anti-racistas e apelam para o fim do “legado da supremacia branca” na indústria.

Dr. Dre inclui dois artistas surdos à sua performance no intervalo do Super Bowl

há 3 meses
Sean Forbes e Warren Snipe farão história no Super Bowl, já neste domingo. Ao lado Eminem, Snoop Dogg, Kendrick Lamar e Mary J. Blige, a convite de D. Dre, ambos rappers surdos tornar-se-ão os primeiros intérpretes da ASL a apresentar canções do segmento em Linguagem Gestual Americana, em 55 anos de história.

Dji Tafinha factura o equivalente a cerca de 15 milhões de Kwanzas em direitos autorais

há 10 meses
O músico é dos artistas angolanos que mais facturam com direitos autorais em Portugal e aproveita o dinheiro para reinvestir. E, enquanto os colegas se debatem com os problemas de divisas, o produtor facilmente dá a volta por cima, recorrendo-se aos rendimentos da Sociedade Portuguesa de Autores.

Young Buck explica os verdadeiros motivos e a génese da destruição da G-Unit

há 1 ano
Young Buck, ex-membro da G-Unit, decidiu abrir as copas e revelou que os verdadeiros motivos da destruição do grupo foram a demissão de Sha Money XL, o agente do grupo na época.

Por onde andam os Detroia?

há 2 anos
Depois do sucesso da música “Bela”, tida como “febre”, o tempo foi “tomando Paracetamol” e a febre passou. O grupo gravou outras músicas, como “Tubia”, “Envelheceu”, entre outras, mas sem o sucesso do “Bela” e nem serviram para manutenção do grupo na “boca do povo”.

Álbum de Paulo Flores e Prodígio é o 23° Melhor Álbum de Portugal

há 1 ano
Bênção e a Maldição foi lançado em Novembro deste ano e ocupa o vigésimo terceiro lugar na lista dos melhores álbuns de Portugal lançados em 2020, numa selecção de 50 trabalhos, de acordo com Blitiz.

Playlist de Mara D’Alva em 2020

há 1 ano
A radialista Mara D’Alva enviou-nos a sua playlist de 2020, onde constam os seus temas preferidos, ou sejam as músicas que mais ouviu este ano.

Actor angolano dá a “cara” na Globo

há 2 anos
O actor angolano Hoji Fortuna é uma das personagens da nova novela da Globo, intitulada “Nos tempos do imperador”, onde contracena com Selton Mello. A nova novela da Globo, das 18h00, retrata o Brasil nos anos 1800 e sua politica monárquica, dando continuidade a novela “Novo Mundo”, exibida em 2017.

Fast and Furious: Entre a decadência e o futurismo, franquia chega aos 20 anos com opiniões divididas

há 11 meses
Realista, começou por mostrar o “mundo” de rachas, as perigosas corridas de carros, volvidas duas décadas entre carros turbinados e sucessos de bilheteria, o respeito pela família foi implacavelmente ensinado.