Luso: “Os rappers acabam por depender das acções do político para poder fazer música”

Luso está no Hip Hop desde os seus 15 anos. Tem um álbum e um EP lançados e está a concluir o segundo álbum. Além disso, o músico desenvolve o projecto “Ilusionista”. Esta semana disponibilizou um novo vídeo clípe e agendou vários outros lançamentos.Nostálgico, o rapper lembra à Carga sobre o início da carreira e fala sobre como está a lidar com o desmembramento da Cave Play, e deixa algumas impressões sobre o Hip Hip angolano.

Como é que decide levar a carreira profissional?

Decido cantar profissionalmente após a morte do meu irmão, o Vitó, ele foi uma das pessoas que mais me influenciou a cantar quando eu tinha apenas 14 ou 15 anos. De regresso a Angola, em 2010, parei de cantar porque não  tinha um emprego fixo e os custos de gravação eram muito elevados.

E retoma as actividades com o álbum Lusolândia em 2019.

Na verdade, retomo a actividade em 2018 com a mix tape 255 Quadro 82, uma homenagem ao meu irmão. O álbum Lusolândia surge como o segundo projecto e primeiro álbum em formato digital em 2019. Ambos saíram com o selo da Cave Play. No álbum “Lusolândia”, o tema esteve centrado na corrupção e as principais faixas assim o demonstram, enquanto na mix tape “255 Quadro 82”, os temas foram mais virados ao passamento físico de pessoas que em vida nos foram próximas.

Após o primeiro álbum surgiram vários outros projectos, como é que se procedeu isso?

Com o lançar das obras que fui disponibilizando fui conquistando algum espaço no mundo do Rap nacional, o KID deu-me abertura para alguns canais televisivos e radiofónicos. Felizmente, tenho uma capacidade de criação muito fértil e tento trazer um projecto diferente ano após ano.

Em que consiste o projecto Ilusionista?

Ao Projecto Ilusionista não chamo de álbum, porque não tem as características de um álbum nem de mixtape, porque as faixas não estão mixadas entre si, dei-lhe o nome de projecto porque tem o princípio de serem lançadas faixas mensal ou quinzenalmente até se totalizarem 10 músicas. Neste momento, conta já com 8 faixas, maior parte delas centradas em demonstração de skills, métricas e habilidades únicas de encaixe no beat.

Há três dias lançou um novo vídeo clípe. Como agendou outros lançamentos?

Os próximos vídeos serão das faixas “Vitó Style” e “Refrões da Minha Vida”. Com certeza um sai este mês e outro sai no final de Agosto, todos com o selo da minha produtora Colírios Studios, tal como foi o anterior. Comecei já também a preparar o meu próximo álbum intitulado “Laços de Família”. 80% das faixas já estão escritas e desenhadas, todas inéditas.

Que temas vai explorar no novo álbum?

Temas relacionados com o desenvolvimento social e pessoal. O meu maior ídolo no Rap chama-se Chullage e quando comecei a cantar vi-o várias vezes ser activista nas músicas e no seu dia-a-dia, hoje tento ser um espelho do professor que ele foi para mim mesmo sem ter me dado aulas directamente.

A actual situação político-económica deixa pouca margem de manobra para os rappers  underground. Por que acha que isso tem acontecido?

Tal como frisado no ponto anterior, para mim o activismo social não deve passar só pelo relatar de factos ou erros de certos políticos, existe uma gama de temas que podem ser debatidos e trazidos à música, infelizmente a nossa parte defensora de direitos através da música foca-se mais nos erros do governo e pouco na edução mental de quem nos ouve, talvez este seja o nosso calcanhar de Aquiles.

Qual é sua opinião sobre o estado actual do Rap Underground no país ?

Sou amante de rap under, mas infelizmente os temas andam muito centrados no político e não na política e assim acabam por depender das acções do político para poder fazer música, claro que não devemos generalizar porque existe muitos bons rappers nesta vertente que não se centram apenas em relatar os factos e acontecimentos que os políticos lhes têm apresentado.

Agora que a Cave Play fechou, que produtora aceitaria assinar sem olhar atrás ? 

Sim infelizmente a Cave Play fechou a parte agenciamento de artistas e direcionou o foco na produção de vídeos. Aceitaria qualquer uma que me desse mais estabilidade do que a que consegui criar com fundos próprios, patrocínios são bem vindos e trabalhar em equipa sempre nos torna mais fortes.

Tem alguns prémios na galeria. Até que ponto isso lhe é importante?

Na verdade tenho prémios conseguidos bem lá no princípio da cena da música, mas isso em mim pouco influencia. Prémios sim são bem vindos e gratificam o nosso esforço, mas não são o foco principal, se o fossem há muito que teria mudado as minhas abordagens.

Quando é que se vai sentir no auge da carreira?

Quando um dos meus ouvintes me disser que a vida dele se tornou melhor depois de seguir os ensinamentos que lhe fui passando nas músicas.

Ao longo desses anos de carreira, o que de mais importante e marcante aconteceu ?

Ter conhecido o Kid Mc na primeira pessoa e saber que esse encontro foi possível depois de ele ter ouvido a minha música “Prenda Para Vocês”.

Que Luso os fãs pode esperar daqui para frente?

No meu próximo álbum encontrarão um Luso bem melhor que o Luso dos projectos anteriores, por enquanto fica em segredo mas aguardem por mim quando eu chegar com os meus “Laços de Família”.

as cargas mais recentes

DJ Znobia cria espaço on-line para divulgação de Disc jockeys

há 10 meses
O espaço denominado `Kubata da música´, foi criado para dar visibilidade a “bons DJs”, que além ressentirem o recesso das actividades culturais, também não dispõem de condições de técnicas para se mostrar.

Prince é memorado como pioneiro do “som de Minneapolis” no sexto ano post mortem

há 3 semanas
Workaholic, Perfeccionista, Queer, Outsider, Freak, Genius… todos adjectivos lhe caíam como luva, o seu magnetismo e espírito livre foram relatos de autenticidade e fizeram reflectir sobre estereótipos no mundo da música e da moda. Na data em que se assinalou o sexto ano post-mortem, Minneapolis reoxigenou a imagem de Price, como majestade musical cujo ímpeto moderno e intemporal fica imortalizado.

Elton John: “The Weeknd merecia ganhar dois Grammys pela música Blinding Lights”

há 1 ano
Enquanto os fãs se mobilizaram rapidamente para apoiar o artista canadense, Sir Elton John, que anteriormente já comparou The Weeknd ao falecido Prince, juntou-se à avalanche de apoio.

De Mi Casa a Paulo Flores: Primeiro grande festival pós-confinamento abre amanhã em Luanda

há 2 meses
Não há festa sem música e a música soa sempre melhor se acompanhada de um bom prato. Foi nesta ordem de ideia que a Cloe Management, Nuno Manster e Henda Viegas decidiram unir-se para o Kamu Tupu, um festival gastronómico que vai reunir vários artistas angolanos e estrangeiros.

Wu-Tang Clan prepara colecção em celebração ao 25º aniversário do álbum ‘Wu-Tang Forever’

há 4 dias
A Wu-Tang juntará um álbum em 4xLP com livreto de letras, um single prateado de 7 polegadas de ‘Triumph’ com ‘Heaterz’ no B -side, e uma reedição do álbum duplo em cassete, que vem em uma réplica do estojo original.

Após destaque no Moda Luanda, Scró Q Cuia e Nerú Americano anunciam álbum de estreia

há 2 anos
Há dois anos era impossível pensar numa relação entre ambos. Scró Q Cuia e Nerú Americano vêm provando que são verdadeiros profissionais ao criarem os “Pintins”. A dupla anuncia o álbum de estreia, fala do tempo que vai durar a parceria, enumera as conquistas e desvenda os segredos da tamanha cumplicidade, deixando palavras de apreço para os angolanos.

Power House divulga primeiro álbum com novos agenciados

há 2 anos
Dos agenciados estão Cleyton M, Jakilsa, Laika, Dr. Smith, Chris Oliver, Anny, conhecidos pelas suas habilidades artísticas.

Artistas protestam contra o Spotify

há 1 ano
31 escritórios do Spotify em vários países foram surpreendidos por protestantes do sector da música.

Drake atinge feito inédito e ultrapassa Os Beatles, Michael Jackson e Madonna

há 2 anos
O rapper tornou-se o artista com mais músicas no Top da Billboard. O recorde pertencia durante anos a Madonna e Drake já havia empatado, mas esta semana atingiu 40 músicas na parada. Veja a lista completa dos artistas que mais colocaram músicas no do Top 10 dos EUA.

Afrikkanitha e Nanutu partilham o palco do ‘Conversas à Quarta’

há 7 meses
Volvidos quatro meses após a paralisação, devido às restrições impostas pela pandemia da Covid-19, o evento de música ao vivo, que tem como casa o Palmeiras Club, em Luanda, retoma no próximo dia 6 de Outubro com Afrikkanitha e Nanutu, a abrir com chave de ouro a segunda temporada.

Pai de Britney Spears não é o tutor da cantora

há 8 meses
Segundo a decisão de um tribunal de Los Angels, na semana finda, o acordo entre Britney e seu pai era “insustentável”, por isso decidiu-se ” suspender Jamie Spears do cargo de tutor da filha, uma decisão com efeitos imediatos.

Camarões e Cabo Verde triunfam na abertura do Campeonato Africano das Nações

há 4 meses
Na abertura do CAN, os Camarões entraram a vencer frente ao Burkina Faso, por 2-1 e passa a ocupar o primeiro lugar no grupo A com 3 pontos. Ao passo que a selecção de futebol de Cabo Verde venceu por 1-0 a Etiópia, em jogo da primeira jornada do Grupo A.

Angola pretende elevar o Semba a Património Cultural da Humanidade

há 5 meses
Numa altura em que se aguarda pelo anúncio da elevação do estilo a Património Imaterial Nacional pelo Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente, o país está a preparar os documemtos que justifiquem, junto da UNESCO, a  classificação do Semba a Património Cultural Imaterial da Humanidade.

Army Squad desafia Kalibrados num espectáculo solidário

há 2 anos
Os dois grupos de Rap vão protagonizar, no próximo sábado, 29 de Agosto, um espectáculo solidário de recolha de donativos para o Hospital Pediátrico de Luanda “David Bernardino”.

A’mosi Just a Label dá concerto em dose dupla

há 1 ano
A’mosi Just a Label em concerto, acontece nos dias 08 de Maio, na Casa das Artes no Talatona, pelas 19:00 e 09 de Maio, na Casa da Juventude, em Viana, às 19:00 horas.

Fundação Arte e Cultura encabeça festival cultural internacional de homenagem aos heróis da Covid-19

há 2 anos
O festival internacional de arte, em homenagem aos heróis da Covid-19 e de luta contra o racismo “Change is in Unity”, está ser encabeçado em Angola, pela Fundação Arte e Cultura e decorre na Ilha de Luanda, sob os valores Amor, respeito, resiliência, solidariedade, empatia e igualdade.