Mantorras revela que Oliveira Gonçalves não o quis ver no Mundial de 2006

Os ex- internacional angolano decidiu “abrir as copas”, revelando que só não foi ao CAN do Ghana, em 2008, por vontatde do professor Oliveira Gonçalves e nem sequer teria ido ao Mundial de 2006.

Numa entrevista ontem ao “Recordar é Viver”, da Rádio Cinco, o antigo Internacional angolano revelou que os desentendimentos com o ex- selecionador nacional, Oliveira Gonçalves, fez com que ele não fosse convocado para CAN de 2008, que aconteceu no Ghana e a entrada de Flávio no jogo entre Angola e Irão, no Mundial da Alemanhã, aconteceu porque ele não ouviu quando foi chamado do balneário.

” O que me doeu mais não é eu não ter ido ao CAN, o que me doeu mais é que no momento em que foi feita a convocatória, havia jogadores que foram naquela convocatória que também não estavam a jogar nos seus clubes, mas foram, e vinham também no Alverca fazer o estágio, isto me doeu mais”, esgrimiu, realçando que não guarda mágoa.

Sobre a sua “forçada” ida ao Mundial de 2006, na Alemanhã, o ex-futebolista disse que não esteve na lista dos primeiros convocados porque o técnico Oliveira Gonçalves quis que ele não estivesse, porque na época tinha feito um jogo no campeonato português entre Benfica e Rio Ave , saiu 1-1 e foi ele que havia apontado do golo. “

“(…) depois as pessoas estavam comentar o porquê que o Mantorras não poderia ir no Mundial que é um dos avançados que estava disponível. Me ligaram, de novo, no treinador Oliveira Gonçalves, para eu se desculpar senão não poderia ir ao Mundial. E eu não fiz , eu disse não vou fazer”, contou.

“Eu quando cheguei ao Mundial 2006, eu e Flávio estávamos riscados para não jogar, nós não podíamos jogar!. O Flávio só entra naquele jogo (diante do Irão) porque eu não ouvi a me chamarem para entrar. Nem eu , nem Flávio, nem Love Cabangula podíamos jogar”, continuou

as cargas mais recentes

FIFA pretende alargar para 100 os minutos de jogo ainda este ano

há 6 meses

Um novo talento no nível dos “grandes” do Ghetto Zouk nacional

há 2 anos
Carlos Ernesto é dos poucos talentos que já não tem muito para provar. A forma como impõe sua voz nos instrumentais, leva-nos a pensar que está há vários anos na música, mas ainda é novo no mercado.

Chilola de Almeida: “Quero fazer o Semba atingir os palcos onde os mestres sempre desejaram”

há 2 anos
Como cantor pode não ser muito conhecido, mas como compositor, Chilola de Almeida escreveu sucessos de músicos como Filho do Zua, Ary, Puto Português, Carlos Burty e Banda Maravilha. Este ano, o músico vai dar o primeiro grande passo da carreira e assume-se como a continuidade de Bangão.

Morreu Michael Williams, actor do “The Wire”

há 1 ano

Trey Songz nega alegações de má conduta sexual

há 2 anos
Dois anos após ter sido denunciado por intimidação sexual, pela actriz Keke Palmer, o cantor tem enfrentado crescentes acusações e a mais recente veio à tona na passada quarta-feira.

Ludmila antecipa-se sobre o seu álbum que será lançado terça-feira

há 1 mês

Don Kikas descreve os “Lamentos de Agora” dos angolanos em novo projecto musical

há 2 anos
O novo single do músico está disponível desde ontem e será sucedido hoje de um outro, ambos farão parte do seu próximo álbum intitulado Livre, a ser lançado brevemente.

Depois de publicarem EP sobre Efeito da Força2 Extremo Signo anuncia novidades

há 2 anos
Já na semana passada, Extremo Signo & Ready Neutro disponibilizaram, para uso exclusivo no Kisom Unitel, duas faixas inéditas extraídas do álbum Efeito da Força 2. Extremo Signo anunciou hoje à Carga mais novidades para este ano.

Modo Prodígio: Iraquiano disponibiliza terceira mixtape

há 7 meses
Neste seu terceiro projecto a solo, o rapper traz rimas por cima do Boom Bap, Trap e Drill. Com 11 faixas musicais e instrumentais inéditos, ‘Modo Prodígio’ não só faz alusão a Pro2da como rapper favorito de Iraquiano, mas também traz uma faixa exclusivamente dedicada ao ídolo, a par de outras dedicadas à família, com destaque para a sua falecida Avó e a sua Irmã.

DJ René Bombástico desafia quatro vozes do Rap feminino angolano

há 2 anos
O DJ e produtor juntou as vozes representativas do rap feminino nacional num único projecto musical. A obra é o protótipo do terceiro álbum do disc jockey intitulado ‘Ideias Malucas Vol. 3’.

Making Of: Paulo Flores recria a própria infância em novo vídeo

há 1 ano
No clipe, Paulo Flores memora uma fase da sua infância, caracteriza-se como o “requisitado discotequeiro, Cabé” e relembra durante a storytelling a origem do seu amor pelo Semba.

Boss Alírio traz novo EP com participações surpreendentes

há 2 anos
Dois anos depois do lançamento do Focado Vol.2, Boss Alírio regressa à arena musical com novo EP. A terceira obra do rapper contém 12 faixas musicais e conta com participações inéditas.

Matrix Resurrections alimentou muitas expectativas e agora é um fracasso de bilheteria

há 8 meses
Dados de Janeiro indicam que a obra arrecadou, até o momento, 148 milhões de dólares pelo mundo. Os valores são bons, se não tivermos em conta que se trata de blockbuster de fama mundial, com um investimento de 190 milhões, ou seja, até agora, as despesas de Ressurections são superiores às receitas, 43 milhões de dólares a menos.

Paulo Flores na lista dos curadores da Apple Music

há 2 anos
Paulo Flores faz parte da limitada lista de músicos africanos convidados pela Apple para curadoria da playlist do aplicativo Apple Music. Disponível desde hoje, a lista de reprodução de Paulo Flores inclui músicas de artistas como Franco, Tubarões, Carlitos Vieira Dias e André Mingas.

MixedByAli afirma que Kendrick Lamar “tem material inédito e suficiente para seis discos”

há 2 anos
MixedByAli cedeu uma entrevista ao podcast de Kevin Durant e explicou poderia rapidamente montar seis discos inéditos, da autoria de Kendrick Lamar, mas que não o faz, porque o rapper acredita que pode sempre fazer melhor.

Piloto Rui Andrade coloca nome de Angola na história do automobilismo mundial

há 11 meses
Rui Andrade fez história este domingo ao sagrar-se campeão de automobilismo no Europeu de Endurance Le Mans 2021, na categoria LMP2, que aconteceu em Portugal. Com isso, o automobilista tornou-se no primeiro angolano a conseguir este feito e a participar numa prova mundial do sector.