MCK dará aulas aos reclusos

Além de formação sobre cultura jurídica aos reclusos, o rapper levará uma série de espectáculos, palestras e vai também fomentar a cultura do livro, com criação de salas de leitura nos 40 estabelecimentos prisionais do país.

O projecto chama-se livrar cadeias para pacificar as ruas e nasceu há 9 anos no Elinga Teatro, quando protagonizou o show do livro com Bruno M, onde, ao invés de dinheiro, o público acedia mediante doações de livro.

Uma iniciativa que nasceu com o Rap e Kuduro e ganha cada vez mais força com o centro de estudos UFOLO. Arranca esta segunda-feira (18) com diagnóstico aos estabelecimentos prisionais de Luanda e, mais tarde, seguem-se o Bengo, Kwanza Norte, Malanje, Lundas Norte e Sul, incluindo Benguela. O que se pretende é combater a criminalidade, focando-se nas causas.

Em breve entrevista à Carga, MCK apresentou o «seu» projecto cívico baseado na lógica invertida em observância às Regras de Nelson Mandela e que prevê ainda a elaboração de manuais de formação de direitos humanos e prémios.  

MCK dará aulas aos reclusos

Como é que pretendem actuar?
Pensamos em trabalhar dentro da cadeia para que, quem saia de lá, saia com alguma formação. Fazem-se muitas políticas de combate ao crime fora da cadeia, mas na prática isso não funciona. Temos um nível de reincidência muito forte. As pessoas que cometem crime voltam a cometer porque são inseridas no mesmo meio que as levou a delinquir.

Quer dizer que vão dar palestras à população penal?
Não só palestras, porque nós temos objectivos. Em termos de objectivos gerais, vamos fazer várias actividades dentro da cadeia; vamos fazer concertos, palestras, doar livros etc. O objectivo é fazer com que cada um dos 40 estabelecimentos prisionais tenha uma biblioteca de referência.

Queremos ainda fazer um gabinete de atendimento que vai velar por aquelas questões dos direitos humanos dentro da cadeia ou as de excesso de prisão preventiva, criando apoio jurídico para pessoas que estão numa situação de abandono ou cujos familiares não têm advogados, de tal sorte que, também consigamos fazer formações periódicas aos próprios agentes prisionais.

Que outros músicos estão envolvidos no projecto?
A Ufolo enquanto centro de estudo somos nós, eu, Rafael Marques, o investigador Paulo Faria e o Rui Verde, que escreve a partir da Inglaterra. Todavia, de evento a evento, nós convidamos um ou outro artista. Dos que têm trabalhado connosco com alguma regularidade estão a Renata Torres, Tiago Costa, Gilmário Vemba, Eva RapDiva. Na verdade, não é só artista, mas algumas personalidades da sociedade civil!

Sabe-se que estabeleceram um acordo com as instituições penitenciárias para a criação de bibliotecas...
Celebrou-se o protocolo com os serviços prisionais, que vai permitir termos essa relação institucional de actuar em vários estabelecimentos prisionais. Estamos numa fase em que estamos a concertar a agenda com os serviços prisionais. Não são propriamente bibliotecas, são salas de leitura.

Estamos a falar de estabelecimentos de todo o país, como vão fazer para reunir tantos livros?
O que vamos fazer fora das cadeias é recolher livros e estabelecer algumas parcerias com bibliotecas e livrarias, escritores nacionais e internacionais, que nos possam doar livros e nos eventos onde, por vezes as pessoas pagam dinheiro, podem passar a doar livros e esses livros serão revertido para os mais variados estabelecimentos prisionais.

Qual será o itinerário?

O primeiro passo a ser dado vai ser na segunda-feira. Na segunda, vamos começar por visitar os estabelecimentos prisionais de Luanda. As primeiras actividades é para sabermos qual é o estado que se encontram os estabelecimentos prisionais.

Depois pretendemos elaborar manuais de formação de direitos humanos para a população penal, queremos fazer uma formação de formadores, onde podemos, por exemplo, fazer uma premiação anual de um agente penitenciário e do estabelecimento abrangido pelo projecto.

as cargas mais recentes

Filho de Naya Rivera será indemnizado pelo Condado de Ventura

há 11 meses
Embora a causa da morte ainda não tenha sido conclusivamente esclarecida, o filho de seis anos da artista, será compensado financeiramente, pois a família de Rivera alega que o Condado de Ventura poderia ter evitado a sua morte com melhores medidas de segurança. 

Emanuel Mendes: Tenor angolano “mistura” Massemba e Fado

há 2 anos
Com saída inicialmente prevista para o final de 2020, o disco de estreia do tenor Emanuel Mendes foi adiado para o primeiro trimestre de 2021 por conta da pandemia. Entre os temas, destaque para fusão entre o Massemba (Angola) e o Fado (Portugal).

Agora já pode pausar na “placa” com o Naná

há 2 anos
O projecto, com finalidade de estimular a dinâmica comercial nos bairros, empregando jovens nas referidas localidades, conta agora com dois restaurantes informais, cuja imagem é o kudurista Nagrelha.

Um ano sem Carlos Burity

há 1 ano
A primeira quinzena de Agosto de 2020, foi uma das piores semanas para a cultura nacional. Enquanto a nação ainda enxugava as lágrimas pelo passamento físico de Waldemar Bastos, acontece outro infortúnio no mundo da música, Carlos Burity veio a falecer no dia 12 de Agosto de 2020, em Luanda, também vítima de doença, aos 67 anos de idade.

Diddy e Dr. Dre acertam detalhes para batalha de hits

há 3 anos

Filha de Lauryn Hill revela que teve infância marcada por violência e compara a educação que recebeu da mãe com “escravidão”

há 2 anos
Selah Marley usou as redes sociais para compartilhar o “trauma” que carrega há mais de uma década, por causa dos alegados espancamentos “enraivecidos” da mãe.

Ja Rule lança plataforma de criptomoedas para rentabilizar trabalhos dos artistas

há 3 anos
O rapper norte-americano lançou uma plataforma blockchain de criptomoedas baseada no Ethereum para fazer com que criadores de conteúdo músicais emitam tokens e rentabilizem seus próprios trabalhos.

Classe artística chora a morte de Galiano Neto

há 1 ano
Ocorrida na madrugada, desta quinta-feira, dia 3 de Fevereiro, em Lisboa, o tamborinista, cantor e compositor, Galiano Francisco Neto, artisticamente conhecido por Galiano Neto, morreu vítima de uma ataque cardíaco, aos 65 anos de idade.

Tributo a Waldemar Bastos marca a 10° edição do Festival Internacional de Jazz

há 2 anos
O Festival Internacional de Jazz, edição 2021, decorreu sexta-feira, em Luanda, sem Sam Mangwana e Ricardo Lemvo, músicos que estavam entre os convidados, mas com uma grande homenagem a Waldemar Bastos.

NBA retira cannabis da lista de substâncias proibidas

há 3 anos
Os exames antidoping na principal liga de basquete do mundo continuam, mas sem procurar cannabis, a notícia foi dada pela própria NBA no passado dia 10, indicando que a mesma deixa assim de ser uma substância proibida passível de punição.

Vocalista do “Roupa Nova” internado com Covid-19

há 2 anos
Após enfrentar um câncer e passar por um transplante de medula, o vocalista do grupo “Roupa Nova”, Paulinho, enfrenta uma nova batalha pela vida.

Black Eyed Peas e Post Malone lideram cartaz do Rock In Rio Lisboa

há 2 anos
A organização do Rock In Rio Lisboa divulgou, o “line-up” do Palco Mundo para a edição de 2021. O festival, que precisou ser cancelado este ano devido à pandemia mundial do novo coronavírus, acontecerá nos dias 19, 20, 26 e 27 de Junho.

Escritora Fátima Sampaio Fernandes será homenageada em Recital de Poesia na Fundação Arte e Cultura

há 1 ano
O projecto Noites de Poesia vai nesta quarta-feira, dia 27 de Outubro de 2021, pelas 18 horas, no Auditório Wyza Anfiteatro, homenagear a escritora Fátima Sampaio Fernandes, com recitais de poesia, música ao vivo e teatro.

Gabriel Tchiema apresenta novos projectos

há 2 anos
O músico está a preparar um novo álbum em que se esperam as participações de Rui Veloso, Salif Keita, Loko A Kanza e Edmazia Mayembe. Em conversa com a Carga, esta tarde, descreveu a obra e revelou que a mesma será antecedida de outro projecto inédito.

Anna Joyce e C4 Pedro integram lista dos artistas africanos que “todos devem ouvir”

há 2 anos
O site brasileiro Mundo Negro elegeu os oito artistas africanos lusófonos “obrigatórios” nas playlists da actualidade, dos quais figuram os angolanos C4 Pedro e Anna Joyce.

BNG ultimam preparativos do álbum de estreia

há 2 anos
BNG é um grupo que, há cinco anos, procura introduzir no Rap angolano um “novo” modelo de rimas baseadas em laços de amizade.