Michaela Coel, a autora de uma história de superação digna de um Emmy

A actriz fez história na 73ª edição do Emmy Awards ao se tornar a primeira roteirista negra a vencer o galardão com a série `I May Destroy You´, uma metáfora sobre o abuso sexual sofrido na primeira pessoa.

Escrita, dirigida e protagonizada pela própria Michaela, “I May Destroy You” estreou em Junho de 2020, com sucesso de audiência e retrata a vida de uma jovem mulher negra em fase de reconstrução da sua vida, carreira e relacionamentos após uma agressão sexual.

A série de 12 capítulos, mostra Coel o papel de “Arabella Essiuedu, uma escritora famosa que passa pelo mesmo trauma sofrido por ela, onde em uma saída com amigos, é drogada e abusada sexualmente. A profundidade dramática desta personagem não poderia ser mais verossímil, original e desafiadora do que esta.”
 
Aquando da estreia de `I May Destroy You´ em 2020, a actriz partilhou com a imprensa internacional, que não tem muitas memórias do sucedido, porém, encontrou na escrita um refúgio e uma forma de lidar com o trauma que acaba de ser transformado numa história de superação.

Ao receber o galardão, durante a cerimónia do Emmy, Coel dedicou o prémio aos sobreviventes de agressões sexuais e teceu algumas palavras a outros escritores: “Eu te desafio a escrever uma história que te assusta, que te faz sentir incerto e que seja incômodo. Num mundo que nos seduz a navegar pela vida de outras pessoas para nos ajudar a determinar melhor como nos sentimos sobre nós mesmos e, por sua vez, sentir a necessidade de estarmos constantemente visíveis, pois visibilidade hoje em dia parece de alguma forma ser sinónimo de sucesso.”

Disponível na HBO Max, além do tema central, a série discute temas como racismo e LGBTfobia.

as cargas mais recentes

“Kings Of Afro House” completa um ano de existência

há 2 anos
O projecto MUSIC BOX, criado pela Sodiba e patrocinado pela Sagres, dedicou uma atenção especial neste último ano ao género do Afro House, e produziu e realizou, com o apoio da BMWorkz, o documentário Kings of Afro House, que junta alguns dos melhores Djs e produtores do género no mundo.

Conheça Roger Linn, o responsável pela revolução do Hip-Hop

há 2 anos
Aos 22 anos, Roger Linn inventou o LM-1 Drum Computer, a primeira bateria eletrônica para sampler de bateria real. Depois criou o MPC, amostrador que viria revolucionar toda a história do Hip Hop.

Ndaka Yo Wini canta no festival internacional de Montreal

há 10 meses
O músico angolano Ndaka Yo Wini é uma das figuras de cartaz da 35ª edição do Festival Internacional de Montreal/Quebec (Canadá), denominado “Nuits d´Afrique”, que decorre desde o dia 08 de Julho.

Yola Semedo anuncia novo EP

há 2 anos
A obra contará com cinco a seis músicas inéditas. Sem revelar a data de lançamento e nem o título, garante que sai ainda este ano.

Indecisão dos herdeiros inviabiliza construção do Museu Cesária Évora

há 4 meses
A falta de consenso nos diálogos entre o Ministério da Cultura de Cabo Verde e a família da cantora está a causar atraso na construção da Casa Museu Cesária Évora, em Mindelo.

Délcio Dollar surpreende com revelações bombásticas

há 2 anos

Quarteto Fantástico apresenta “tour Palavras, palavrinhas, PALAVRÕES para voz”

há 7 meses
A Art Sem Letra informa que o Quarteto Fantástico da poesia falada em Angola, regressa aos palcos quatro meses depois com mega tour Palavras, palavrinhas, PALAVRÕES para voz, nos dias 05, 13, 20, 26 de Novembro e 02 de Dezembro, no Camões, Casa da Juventude, Casa Rede, Zap Cinemas e Centro Cultural Brasil Angola, todos os espectáculos às 18 horas. Nas palavras dos protagonistas, “a tuor é resultado da reflexão de que as palavras são coisas vindas da boca e outras vindas do papel… os olhos e os ouvidos podem não concordar, mas insistimos. No papel as Palavras são sempre PALAVRINHAS já vindas da boca são PALAVÕES. Porque a voz lhe dá tamanho, a voz não tem a obrigação de economizar como as gráficas Conforme Fernando Carlos, um dos rostos do grupo “PALAVRÕES não é um espetáculo de PALAVRAS e PALAVRINHAS obscenas ou pornográficas… Não vamos sujar a boca nem envenenar ouvidos. PALAVÕES é uma matemática gramatical que nós decidimos experimentar aonde várias PALAVINHAS somadas umas com as outras resultarão em PALAVRAS energéticas, provocadoras, aliciantes e analgéticas como os verdadeiros PALAVRÕES” Com passagem nas principais salas de espetáculos de Luanda, o grupo Spoken Mais, formado por Irene A mosi, Fernando Carlos, Nzola Kuzidíua e Willi Ribeiro, encontra nesta tour de cinco (5) noites de poesia e performance a oportunidade ideal para fechar o ciclo que teve início à 26 de Fevereiro ano de 2021 de um projecto que redefiniu a poesia como um meio de atuação e cria um mundo onde a arte da palavra faça parte da vida diária e seja apreciada por todos e todas. Kiaco Zambo, produtor executivo do evento, falou para os nossos microfones que a “TOUR PALAVRÕES” é mais uma iniciativa inédita da Agência Criativa Art Sem Letra, que tem de forma constantes apresentar projectos de encher os olhos. “Teremos uma das melhores ou se não a melhor experiência artística em um espetáculo de poesia e performance produzida em Angola com várias razões para com solidar a poesia falada. O evento é uma produção da Art Sem Letra, Agência Artística e Criativa, educacional e sustentável, centrada na economia criativa com objectivo de ligar e libertar mentes por meio da arte.

Heavy C: “Só estamos à espera da oficialização do tribunal para encerrarmos a Bué de Beats”

há 2 anos
A Bué de Beats produziu e lançou os principais rostos da música angolana. Depois de 20 anos de actividade, decide encerrar as portas. Em entrevista à Carga, Heavy C explica como começou o colapso financeiro e revela que já tentou alienar alguns activos da empresa, mas não teve sucesso.

Yola Semedo regozija-se após firmar parceria com a Clé Entertainment

há 11 meses
Depois das recentes contratações de Yola Araújo, Noite e Dia e Ivan Alekxei, a produtora musical Clé Entertainmente anunciou o vínculo contratual com a cantora Yola Semedo.

Morreu um dos criadores do “Afrobeat”

há 2 anos
O mítico baterista nigeriano Tony Allen, um dos criadores do género “Afrobeat”, morreu quinta-feira em Paris (França), aos 79 anos de idade.

G-Unit: Adeus para sempre

há 2 anos
Depois das especulações sobre o possível reencontro entre Lloyd Banks, Tony Yayo, Young Buck e 50 Cent está definitivamente consumado, já não há esperança de ver os antigos membros da G-Unit juntos.

Orquestra Camerata de Luanda e governo da Venezuela organizam Festival de Música Clássica em Angola

há 5 meses
Após regressar aos palcos, no passado mês de Setembro, vindo de um interregno, a orquestra angolana prepara-se para realizar um festival de música clássica, no próximo ano, e que contará com o apoio do governo venezuelano.

Chadwick Boseman: Após quatro anos, “astro” de Pantera Negra perde a batalha contra cancro no cólon

há 2 anos
Chadwick Boseman morreu na noite passada aos 43 anos, na companhia da família em casa. A notícia foi dada no Twitter oficial do actor.

Flagelo Urbano protagoniza concerto de “retorno” já este domingo

há 1 mês
A ter lugar no dia 10 de Abril, pelas 17 horas, no Bar 106 Cazenga, o show que será garantidamente acústico, por imposição do próprio Flagelo, será feito de um repertório variado que ainda não foi tornado público, mas será norteado por faixas como: Infinito, Demo sem cracia e Louco por opção.

Estes são os artistas mais ouvidos do mundo em 2021 no Spotify

há 5 meses
Tal como faz habitualmente no final de cada ano, o Spotify disponibilizou, esta quarta-feira “Spotify Wrapped”, uma retrospectiva das músicas e artistas mais escutadas no mundo em 2021. 

Há 10 anos, morria André Mingas

há 7 meses
Foi precisamente a 11 de Outubro de 2011, quando o relógio marcava 20 horas, que a Rádio Nacional de Angola dava conta do falecimento do músico e compositor André Mingas, no Brasil aos 61 anos de idade.