NÃO HÁ CURA: Galeria MOVART e Instituto Camões apresentam exposição colectiva

A MOVART e o Camões – CCP Luanda apresentam um novo projecto expositivo, “NÃO HÁ CURA”, onde artistas angolanas e portuguesas forjam um espaço de desconstrução livre para conceber uma mostra de obras inusitadas entre instalação, fotografia, vídeo e teatro de objectos. A mostra já está aberta ao público e poderá ser visitada até ao dia 11 de Agosto de 2021. 

Em nota, a MOVART fez saber que convidou Alice Marcelino (Angola), Carlota Bóia Neto (Portugal), Daniela Vieitas (Portugal), Indira Grandê (Angola) e Pamina Sebastião (Angola) para exporem as suas obras em diálogo com Keyezua, que se retirou das vestes de curadora para que cada visitante se reencontre nas diferentes expressões e faça releituras, sem interferências.

NÃO HÁ CURA: Galeria MOVART e Instituto Camões apresentam exposição colectiva

A conversa e a desconstrução são os pontos de partida desta mostra que questiona a imposição dos espaços, das diretrizes curatoriais e das convenções sociais. Um diálogo, por ora, sem fim à vista, que se propõe redescobrir e resignificar o eu, o corpo e a mulher, procurando relançar e repensar radicalmente o papel da arte.

A fotógrafa Alice Marcelino apresenta “MOTHER Untitled”, um projecto multimédia que usa fotografias e têxteis inspirados na sua experiência com a maternidade, esse que tende a ser um percurso avulto de altos e baixos, transversal a muitas mulheres, inundado de incertezas, medos e adaptação. Aqui a artista observa atentamente as representações tradicionais da Mãe, encontradas na cultura popular, questionando mitos e tabus que circundam a maternidade. 

Num exercício de repensar novas formas de apreensão do quotidiano e de objectos que fazem parte do seu imaginário, Carlota Bóia Neto apresenta-nos “Couldn’t afford a robot”. Uma obra que nos leva a debruçar sobre a materialização em desenho do movimento do vento, onde há também uma outra dimensão, que subverte a seriedade expetável com que nos relacionamos com os objetos.

Já Daniela Vieitas, actriz profissional, brinda-nos com a apresentação de teatro de objetos “Na Porta ao Lado”, que convida o espectador a mergulhar numa dimensão onde é possível estar a felicidade que se esperava encontrar no outro lado da porta. Uma experiência que nos transporta para uma posição “em frente ao espelho” e nos leva a questionar sobre o que realmente fazemos no mundo. Durante a o período da exposição, a artista está a apresentar uma performance de teatros de objetos, de segunda a quinta feira , entre as 16:30 e as 17:00 (3 a 5 pessoas por sessão), mediante marcação até 24 ou 6 horas antes.

Em Catumbela das Conchas, uma vídeo-instalação para assistir na sala multiusos do CCP, Indira Grandê leva-nos à experiência de viajar num comboio onde o destino é uma incógnita, um sopro no sufoco da imensidão do nada. “Qual é o teu destino?” Convidamos a descobri-lo. 

Será que ao movermos partes do corpo em que se inscrevem categorias outrora impostas, estas podem ganhar diferentes significados ou ocupar lugares socialmente distintos? Pamina Sebastião assim surge com um novo trabalho de instalações que representam categorias inscritas na construção de um corpo como elemento decisivo das relações de poder. 

As obras expostas acabam por tornar-se metodologias que ajudam a desenvolver uma compreensão abrangente da arte como sistema simbólico, usadas para mobilizar significados, valores e emoções num contexto social.

Ao ressurgir desta crise pandémica e das dificuldades que afetam, sobretudo as mulheres, as cinco artistas despertam um olhar crítico, mas urgente sobre a sociedade pós-pandemia (em construção), aspirando estabelecer uma nova ordem e recuperar um estado natural, humano, capaz de reconstruir as relações e um senso de coletivo equitativo.

Com “NÃO HÁ CURA”, a galeria MOVART pretende recolocar o foco de 2021 no empoderamento das mulheres, que foram ainda mais silenciadas durante a pandemia, pela eliminação de espaços de debate sobre o feminino na sociedade e nas artes, sendo este último um dos sectores mais afetados pelo Covid-19: “A nossa missão é elevar a estética artística pelo olhar feminino do que é ser mulher, irmã, mãe ou um corpo que ocupa o espaço e os papéis masculinos na sociedade”, defende a MOVART.

Actualmente presente em Luanda e Lisboa, a MOVART iniciou-se em Angola com projectos pop-up em 2015, abriu portas no início de 2017, na Marginal de Luanda, com a missão de revelar artistas que expressam realidades e discursos muitas vezes invisíveis ou sub-representados no cenário artístico internacional. Com foco em artistas luso-africanos, a MOVART está empenhada em elevar o seu perfil internacionalmente, expondo para uma audiência global a rica linguagem artística de uma realidade por vezes pouco conhecida.

as cargas mais recentes

Duas semanas post mortem, Marília Mendonça é destaque na ForbesLife Fashion

há 10 meses
Pela primeira vez na história, a publicação brasileira traz o conceito sertanejo na capa e a “patroa da sofrência” é o grande destaque, ao lado de Maiara e Maraisa.

Arlindo Bizerra e Horácio Katchanja levam “Diálogos entre Gerações” à Galeria Tamar Golan

há 2 anos

Elias Dya Kimuezu recebe certificado de mérito pelo seu contributo na música angolana

há 1 mês

Mais um artista angolano deixa o mundo dos vivos

há 2 anos
Calou-se a bateria de Paulo Van-Dunem “Paulo Rymy”, Conhecido por tocar ao lado de artistas como Bonga, Eduardo Paim e Banda Canna D’Açucar, o músico morreu hoje vítima de cancro da pele.

Estreia do vídeo oficial de “No Woman No Cry” marca o Dia do Reggae

há 2 anos
Hoje é Dia Internacional do Reggae. Este género musical contribuiu para a consciencialização sobre questões de injustiça, resistência, amor e irmandade. A data está a ser marcada com reedições dos trabalhos de Bob Marley, cujo destaque recai para o vídeo clípe oficial de “No Woman No Cry” e a venda do álbum “Legend”.

Eto’o reage à escolha dos melhores 11 da história do futebol: “Nós, africanos, não existimos”

há 2 anos
O antigo avançado camaronês, Samuel Eto’o, que brilhou com as camisolas do Barcelona e Inter do Milão, está revoltado com a escolha da France Football para os melhores onze da história do futebol.

‘Emoção Globo’ é estar live em casa de Paulo Rocha

há 2 anos
O talento Globo Paulo Rocha é o próximo convidado ao LIVE ‘Emoção Globo’ que acontece nesta quinta-feira, dia 23, às 20 horas de Angola no perfil de Instagram do canal Globo ON.

O Semba e a coroa da discórdia

há 1 ano
O ministro da Cultura, Ambiente e Turismo, Jomo Fortunato, cometeu uma das maiores gafes do seu mandato, ao coroar o músico Eddy Tussa como príncipe do Semba, sem antes definir os critérios para o efeito.

Já está: Cleyton M entra na lista dos artistas mais ouvidos em Portugal

há 1 ano
Em todos os géneros musicais em Portugal, o jovem artista angolano ocupa, a 40° posição entre os 200 músicos mais ouvidos naquele país europeu, de acordo com um relatório do ITunes.

Will you be Afraid of Internet dating?

há 9 meses

Burna Boy rubrica acordo de representação directa nos Estados Unidos

há 2 anos
O cantor e compositor nigeriano assinou esta semana um contrato com a Society of European Stage Authors & Composer para representação directa nos Estados Unidos da América.

Lançada plataforma de streaming tChill para monetizar todo o tipo de conteúdo audiovisual do país

há 1 ano
A plataforma de streaming pretende dinamizar o mercado cinematográfico do país e monetizar conteúdos audiovisuais como sitcoms, reality-shows, talk-shows, showcases de música, stand up comedy e spoken word.

Após anunciar que está com Covid, Kaysha partilha progressos do tratamento

há 2 anos
Mantendo a sua linha de interacção com os seguidores, o artista tem estado a usar o Instagram para dar notícias sobre a evolução do seu tratamento.

Tina Turner vende direitos musicais à BMG

há 12 meses
Entre os temas, cujos direitos passam para a BMG, estão clássicos como “What’s Love Got to Do With It” e “Private Dancer”. Os valores envolvidos não foram revelados, mas o “Guardian” escreve que este é o maior negócio de sempre da BMG com um artista solo.

Dr. Dre não levou o holograma de Tupac, mas deu em 15 minutos um dos concertos mais épicos do Super Bowl

há 7 meses
Dr. Dre, o grande maestro da noite, apresentou-se como na vida real, imponente e no controle do seu estúdio dando início ao show, por onde também passou Eminem, Mary J. Blige, Kendrick Lamar, Snoop Dogg e Anderson. Paak e 50 cent, como convidados surpresa.

Nobody Pray For Me: Álbum de estreia de Seaan Tiller já está disponível

há 8 meses
Depois de duas mixtapes, Seaan Tiller decidiu finalmente oferecer aos seus fãs o seu primeiro álbum. N.P.F.M (Nobody Pray For Me) chega assim ao mercado com 13 faixas e as participações de nomes de peso da música urbana em português.