NÃO HÁ CURA: Galeria MOVART e Instituto Camões apresentam exposição colectiva

A MOVART e o Camões – CCP Luanda apresentam um novo projecto expositivo, “NÃO HÁ CURA”, onde artistas angolanas e portuguesas forjam um espaço de desconstrução livre para conceber uma mostra de obras inusitadas entre instalação, fotografia, vídeo e teatro de objectos. A mostra já está aberta ao público e poderá ser visitada até ao dia 11 de Agosto de 2021. 

Em nota, a MOVART fez saber que convidou Alice Marcelino (Angola), Carlota Bóia Neto (Portugal), Daniela Vieitas (Portugal), Indira Grandê (Angola) e Pamina Sebastião (Angola) para exporem as suas obras em diálogo com Keyezua, que se retirou das vestes de curadora para que cada visitante se reencontre nas diferentes expressões e faça releituras, sem interferências.

NÃO HÁ CURA: Galeria MOVART e Instituto Camões apresentam exposição colectiva

A conversa e a desconstrução são os pontos de partida desta mostra que questiona a imposição dos espaços, das diretrizes curatoriais e das convenções sociais. Um diálogo, por ora, sem fim à vista, que se propõe redescobrir e resignificar o eu, o corpo e a mulher, procurando relançar e repensar radicalmente o papel da arte.

A fotógrafa Alice Marcelino apresenta “MOTHER Untitled”, um projecto multimédia que usa fotografias e têxteis inspirados na sua experiência com a maternidade, esse que tende a ser um percurso avulto de altos e baixos, transversal a muitas mulheres, inundado de incertezas, medos e adaptação. Aqui a artista observa atentamente as representações tradicionais da Mãe, encontradas na cultura popular, questionando mitos e tabus que circundam a maternidade. 

Num exercício de repensar novas formas de apreensão do quotidiano e de objectos que fazem parte do seu imaginário, Carlota Bóia Neto apresenta-nos “Couldn’t afford a robot”. Uma obra que nos leva a debruçar sobre a materialização em desenho do movimento do vento, onde há também uma outra dimensão, que subverte a seriedade expetável com que nos relacionamos com os objetos.

Já Daniela Vieitas, actriz profissional, brinda-nos com a apresentação de teatro de objetos “Na Porta ao Lado”, que convida o espectador a mergulhar numa dimensão onde é possível estar a felicidade que se esperava encontrar no outro lado da porta. Uma experiência que nos transporta para uma posição “em frente ao espelho” e nos leva a questionar sobre o que realmente fazemos no mundo. Durante a o período da exposição, a artista está a apresentar uma performance de teatros de objetos, de segunda a quinta feira , entre as 16:30 e as 17:00 (3 a 5 pessoas por sessão), mediante marcação até 24 ou 6 horas antes.

Em Catumbela das Conchas, uma vídeo-instalação para assistir na sala multiusos do CCP, Indira Grandê leva-nos à experiência de viajar num comboio onde o destino é uma incógnita, um sopro no sufoco da imensidão do nada. “Qual é o teu destino?” Convidamos a descobri-lo. 

Será que ao movermos partes do corpo em que se inscrevem categorias outrora impostas, estas podem ganhar diferentes significados ou ocupar lugares socialmente distintos? Pamina Sebastião assim surge com um novo trabalho de instalações que representam categorias inscritas na construção de um corpo como elemento decisivo das relações de poder. 

As obras expostas acabam por tornar-se metodologias que ajudam a desenvolver uma compreensão abrangente da arte como sistema simbólico, usadas para mobilizar significados, valores e emoções num contexto social.

Ao ressurgir desta crise pandémica e das dificuldades que afetam, sobretudo as mulheres, as cinco artistas despertam um olhar crítico, mas urgente sobre a sociedade pós-pandemia (em construção), aspirando estabelecer uma nova ordem e recuperar um estado natural, humano, capaz de reconstruir as relações e um senso de coletivo equitativo.

Com “NÃO HÁ CURA”, a galeria MOVART pretende recolocar o foco de 2021 no empoderamento das mulheres, que foram ainda mais silenciadas durante a pandemia, pela eliminação de espaços de debate sobre o feminino na sociedade e nas artes, sendo este último um dos sectores mais afetados pelo Covid-19: “A nossa missão é elevar a estética artística pelo olhar feminino do que é ser mulher, irmã, mãe ou um corpo que ocupa o espaço e os papéis masculinos na sociedade”, defende a MOVART.

Actualmente presente em Luanda e Lisboa, a MOVART iniciou-se em Angola com projectos pop-up em 2015, abriu portas no início de 2017, na Marginal de Luanda, com a missão de revelar artistas que expressam realidades e discursos muitas vezes invisíveis ou sub-representados no cenário artístico internacional. Com foco em artistas luso-africanos, a MOVART está empenhada em elevar o seu perfil internacionalmente, expondo para uma audiência global a rica linguagem artística de uma realidade por vezes pouco conhecida.

as cargas mais recentes

BNG ultimam preparativos do álbum de estreia

há 1 ano
BNG é um grupo que, há cinco anos, procura introduzir no Rap angolano um “novo” modelo de rimas baseadas em laços de amizade.

Snoop Dogg é o mais novo consultor estratégico da Def Jam

há 4 meses
A Def Jam anunciou na segunda-feira que o papel recém-criado para o icónico rapper, o permitirá trabalhar estrategicamente com toda a equipa executiva e com a vasta lista de artistas da gravadora.

26 de Janeiro de 2020: O trágico dia que o mundo perdeu Kobe Bryant

há 9 meses
O dia 26 de Janeiro passou ter um significado fatídico, após a morte do astro da NBA, aos 41 vítima de um acidente de helicóptero nos arredores de Los Angeles (EUA). Além de Bryant, morreram mais oito pessoas, entre elas, a filha Gianna Bryant, aos 13 anos de idade.

Show do Mês adia concerto ‘Vozes de Março’

há 2 anos

Concurso para atribuição de bolsas de estudos nas áreas da Música e Artes Cénicas encerra dia 9 de Novembro

há 1 ano
No âmbito do projecto da União Europeia Procultura, o Camões, I.P. anuncia a publicação de um convite em duas fases à apresentação de propostas de projecto que tenham por objectivo criar emprego durável e rendimento sustentável nos setores da música, artes cénicas e literatura infantojuvenil nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) e Timor-Leste.

Chris Brown diz que “esmagaria” Quavo num jogo de basquete e Quavo responde

há 7 meses

Do piano aos instrumentos de sopro: Adimaldo, o autodidacta que Tok’Aki

há 8 meses

Rapper Scarface infectado por Corona vírus

há 2 anos

DMX revela que é tripolar

há 1 ano
A revelação foi feita durante o “Ruff Ryders Chronicles”, transmitido pelo canal BET. Durante a entrevista de Earl Simmons, nome de registo de DMX, que tomou um rumo mais emocional, por ser confrontado com o assunto das suas múltiplas personalidades.

Quincy Jones afirma que os Beatles “foram os piores do mundo”

há 1 ano
Numa entrevista que se tornou viral, e pode provocar alguma polémica, Quincy Jones, lendário produtor de Michael Jackson, afirmou que os Beatles não valiam nada.

Homenagem a John Bella marca retoma das Noites de Poesia na Fundação Arte e Cultura

há 6 meses
O regresso às Noites de Poesia acontece no próximo dia 28 de Abril, no Wyza Anfiteatro, além do tributo a John Bella, o acto vai ser marcado pela apresentação de um portal especializado de literatura, Clã da Literatura.

Hochi Fu lança plataforma para promover e ajudar os artistas a rentabilizarem seus singles

há 2 anos
Denominada Kwata singles, a mesma permitirá o artista ganhar dinheiro com o seu single, para além de ajudar a promover a sua música gratuitamente.

“Mulher Infinita” de Lourenço Mussango chega às bancas esta semana

há 11 meses
O escritor Lourenço Mussango, Prémio Literário António Jacinto 2020, vai autografar na próxima quinta-feira (10), no Memorial António Agostinho Neto, a sua primeira obra literária.

Álbum de Paulo Flores e Prodígio é o 23° Melhor Álbum de Portugal

há 10 meses
Bênção e a Maldição foi lançado em Novembro deste ano e ocupa o vigésimo terceiro lugar na lista dos melhores álbuns de Portugal lançados em 2020, numa selecção de 50 trabalhos, de acordo com Blitiz.

Mais de 300 actores endereçam carta aberta a Hollywood

há 1 ano
Mais de 300 actores e realizadores, incluindo Idris Elba, Queen Latifah e Billy Porter escreveram uma carta para Hollywood a pedir que a empresa cinematográfica aposte mais em conteúdos anti-racistas e apelam para o fim do “legado da supremacia branca” na indústria.

René Bombástico apresenta single inspirado no filme “Os Três Idiotas”

há 1 ano
Intitulada Baka Baka( idiota, em Japonês), está disponível desde hoje em várias plataformas digitais para download e, de acordo com os indicadores referenciados por Bombástico, está a ter boa aceitação.