Nayo Crazy já pode voltar a cantar

Depois de algum tempo a enfrentar graves problemas de saúde, devido a uma lesão ocular, provocada por três tumores na cabeça, a kudurista de 36 anos já pode, finalmente, voltar a cantar e pisar os palcos.

Apesar de ainda não se recuperar totalmente da visão perdida em 2013, Nayo Crazy já consegue enxergar minimamente e, segundo ela, os médicos que a operaram já a autorizaram a voltar a cantar e subir aos palcos. A recuperação, narra a kudurista, tem sido lenta por causa das dificuldades que tem em adquirir medicamentos, que custam 40 mil Kwanzas.

Conhecida desde 2004 com a música “Kibolobolo” e “Chão”, ao lado de Naveia, a artista tem música nova e diz que também está disponível para participar em projectos de quem estiver interessado, mesmo que não seja Kuduro, tal como havia feito no álbum “Pico” dos Irmãos Almeida.

Recentemente voltou a entrar em estúdio e gravou um tema novo. Já se sente melhor? 

Neste momento, só estou a precisar de fazer certos exames e o acompanhamento do controle, porque, fui operada na cabeça, então, às vezes, tenho dificuldades, ainda mais com este nosso Coronavírus. Para aminha medicação preciso de 40 mil  para os exames de tac são 100 mil Kwanzas.

Essas serão as últimas análises?

Sim, serão. E vai terminar em Junho. Porque eu fui operada em Dezembro e os mesmos doutores estão sempre a me fazer controle.

O quê que os médicos dizem sobre o seu estado de saúde? ainda não é muito cedo para voltar a cantar?

Como os doutores admitiram que eu já posso voltar a gravar, então decidi fazer este novo trabalho, para ver também se consigo angariar alguma coisa e gravar mais coisas para poder meter no mercado.

Quer dizer que não perdeu a vontade de cantar…

É tanta a vontade de cantar. É o que eu quero mesmo, porque se aparecer alguém que quer que eu participe no seu som, para eu meter minha voz, eu já estou disponível. Os doutores já me disponibilizam que eu possa aparecer novamente em palco e nas gravações. É só mesmo falta de apoio.

Se a convidassem agora mesmo para entrar num estúdio e gravar, estaria disposta?

Eu estaria.

Já tem alguma coisa preparada?

Não tenho. Vou me basear na letra da pessoa que eu vou fazer participação. Posso participar noutras músicas. Eu também não participei naquela dos irmãos almeida!?. Nunca me convidaram para outras participações, mas eu posso participar.

Neste exacto momento consegue enxergar?

Nayo Crazy já pode voltar a cantar

Eu consigo. Os  doutores disseram-me quando fui operada que não ia ver na totalidade, é paulatinamente, porque eu demorei muito tempo com os tumores na cabeça.

Como é que tem sido o seu dia-a-dia? Escreve um bocadinho ou ainda não dá por causa dos olhos?

Nunca fui muito de escrever música. Eu dependo do que me bate na mente e faço. Anteriormente, estava muito em baixo, mas agora já tenho o astral levantado. Nunca fui de escrever música o que me aparece na mente é o que eu faço.

O que mais a preocupa neste momento?

O que mais me preocupa mesmo é a compra dos medicamentos e os últimos exames que tenho de fazer. Os medicamentos são 40 mil Kwanzas. Quem quiser ajudar, pode ligar para o meu número: 923331805.

Em 2004 antes do incidente, cogitava-se que estava a preparar o primeiro álbum, não era mais fácil arranjar patrocínio para lançá-lo ao invés de cantar?

As pessoas nunca mais escutaram a Nayo Crazy, então, decidi colocar este novo trabalho no mercado. É mesmo música nova. Nao me vem o título na cabeça!

Já tinha um álbum a caminho sim. Estávamos a pretender meter umas 12 ou 10 faixas. Eu estava a trabalhar aí na BMax e ainda não tínhamos decidido o título.

as cargas mais recentes

Idris Elba volta a protagonizar o papel que o consagrou em novo filme derivado de `Luther´

há 11 meses
A série de TV que teve cinco temporadas no período compreendido entre 2010 a 2019, foi adaptada ao cinema patenteada pela Netflix e a BBC e traz no roteiro o DCI John Luther (Elba), “um policial britânico forte e altamente capaz da Unidade de Crimes Graves que confunde os limites entre seu trabalho e sua vida pessoal”.

Internet volta a “matar” mais um artista e desta vez, Justino Handanga foi a vítima

há 11 meses
Os falsos rumores sobre o suposto falecimento do cantor oriundo do Centro Sul de Angola, ganharam força na noite de ontem, nas redes sociais. Porém o desmentido não tardou a surgir e, pela mesma via tomámos conhecimento que “Justino Handanga está bem de saúde e disponível para qualquer actividade.”

Sintoniza 96.1 FM: O LIVRO “Vida em Papéis e Letras”

há 10 meses
O LIVRO “Vida em Papéis e Letras”, é descrito como um programa que expõe o livro na sua plenitude: Edição, Pesquisas, Ilustrações, em suma, tudo o que faz parte da constituição de cada livro publicado. No ar todas as quartas-feiras, das 15 as 16 horas, o espaço está focado nos Autores, Editores, Críticos e Leitores.

C4 Pedro é o único artista dos Palop no “Africa Day Benefit Concert at Home”

há 2 anos
O artista acaba de confirmar que está tudo a postos e em contagem decrescente para começar o grande show em alusão ao dia de África. Marcado pela diversidade e união, o concerto congrega grandes nomes da música africana, sendo C4 Pedro o único artista oriundo dos PALOP.

Kamy Lara entre as três melhores realizadoras de África

há 2 anos
Kamy Lara ficou classificada em 3ª lugar no Prémio Adiaha, na distinção para o melhor filme realizado por uma mulher africana no Encounters-Festival Internacional de Documentários da África do Sul.

Novo livro biográfico “alega” que Aaliyah foi levada inconsciente ao voo que a vitimou mortalmente

há 11 meses
Volvidas duas décadas desde a morte de Aaliyah, o fatídico acidente que a vitimou continua envolto em mistérios. Eis que surge, por meio de um livro, um chocante testemunho que vem contrariar todos os relatos da época, que afirmavam que a artista “insistia em embarcar no voo”.

PLASTICIDADES Anti-Covid-19: Exposição em homenagem a Paulo Jazz pode ser vista até ao dia 31

há 1 ano
A exposição que memora a vida e obra de Paulo Jazz, foi inaugurada no passado dia 4 de Janeiro e insere-se nas celebrações do Dia da Cultura.

Nas relembra desentendimento com Tupac

há 11 meses
A música faz parte do álbum “King’s Disease II”, lançado na passada sexta-feira e, já vem sendo considerada a melhor do álbum. Ao contrário do que se pode imaginar ao ler o título do artigo, `Death Row East´ não é uma música insultuosa à memória de Tupac Shakur.

Dog Murras desmente saída da TV Zimbo

há 2 anos

Maya Cool e Matias Damásio apresentam “Minha Princesa” aos fãs

há 1 ano

C4 Pedro é o artista angolano que mais vende nas plataformas de streaming

há 12 meses
O relatórios do Spotify, Apple Music, Boom Play e Deezer indicam que, o autor de “Pele Negra” é angolano que mais vendeu nas plataformas de rscuta, com mais de 7 milhões de streamings, só no primeiro trimestre de 2021.

Kuta: O artista plástico que leva a herança espiritual angolana ao mundo

há 11 meses
Kuta entrou no mundo das artes muito jovem e tornou-se agora o mensageiro da espiritualidade ancestral negra “nkissi”. Está neste momento a preparar uma nova exposição, que inclui esculturas, pinturas e documentário.

Oito vítimas de alegados crimes sexuais se manifestam contra a soltura de Bill Cosby

há 12 meses
Bill Cosby recebeu mais de 50 acusações de estupro, agressão sexual e má conduta sexual em 2015 e cumpria a pena de 10 anos, desde 2018. Eis que no passado dia 30 de Junho, o actor teve a condenação anulada e recebeu soltura da prisão estadual da Pensilvânia.

Fundação cultural eterniza nome de Wyza

há 2 anos

Foste Waldemar, mas cantaste livremente no teu país

há 2 anos
A morte do músico Waldemar Bastos foi um duro golpe às nossas emoções, um soco no “estômago” da cultura e quase um K.O técnico aos amantes da música com qualidade.

Damásio Brothers apresentam primeiro fruto da internacionalização da carreira

há 1 ano