Nazarina Semedo se reinventa para atingir mercado internacional

Não se pode falar de back vocals em Angola sem mencionar o nome de Nazarina Semedo. A cantora também leva a carreira a solo e já lançou dois CDS, só que mais tarde foi forçada a ausentar-se do mercado. Agora, regressa com a produtora MTC, traz um novo estilo de música e apresenta projectos focados ao mercado internacional.

Esteve ausente durante algum tempo. Como encontrou o mercado?
Estamos no bom momento, no que toca a evolução, crescimento musical. A nível da qualidade, sonoridade, marketing e vários aspectos  acabamos por nos destacar, não deixando a dever a outros continentes. Mas é preocupante o morrer da nossa essência musical, no que tange à nossa raiz musical. Estamos a perder

Começou como corista nos espectáculos de referência do país. Como é feita transição para a carreira a solo?
Comecei a cantar em 1995 /1996, mas profissionalmente em 1997. A transição partiu pelo princípio do aprendizado, sempre quis ganhar traquejo para encarar uma carreira a solo com bases.

Depois dos álbuns “Alguém Como Tu” e “Sem Igual”. O quê marcará o seu regresso?
Tenho inúmeros projectos hoje, porque  trabalho com uma equipa e temos estratégias  traçadas e metas a alcançar. Ter alguém que se dedica àquilo que o artista quer e ao que o mercado pede, são aspectos totalmente diferentes. A MTC tem projectos muito ambiciosos para minha carreira ,e lógico,a maturidade faz-me ver as coisas com maior coesão e desafios.

É possível observar as mudanças na carreira…
Tive de mudar a minha forma de ver a arte, não somente com amor, mas como um negócio. Hoje a preocupação maior de fazer aquilo que o mercado pede e não aquilo  que quero.Estava mais ligada a Kizomba, Semba, Balada, hoje a maturidade me permite ousar e me desafiar aos ritmos mais actuais com suas influências. 

Como se define actualmente?
Hoje defino-me como uma artista ousada, que sabe o que quer e aberta a evolução. Aprender até morrer. Madura.

Nazarina Semedo se reinventa para atingir mercado internacional

Cantava Kizomba, Semba e Balada. Que estilo vai se dedicar agora ?
Falo particularmente de fusões Gueto Zouk, o resto só esperarem para ouvir.

Que planos  definiu?
Estamos a trabalhar no produto Nazarina, a dar conhecer ao meu público aquilo que agora me proponho. Recentemente lancei um novo vídeo da música “Chupa no Dedo” e foi produzido em Portugal pela a minha produtora MTC produções.

Qual será a próxima surpresa?
Neste momento depois de ter lançado o CD, a prioridade é  fazer o que realmente eu amo que é cantar, com desafios de novas sonoridades e estilo, onde me tenho sentido um peixe no aquário.

Disse que está a preparar um projecto musical. De que se refere e quais serão as participações?
Tenho algumas participações, surpresas. Prefiro não adiantar, só posso garantir que fiz um dueto com um dos maiores artistas da nova geração que amo de paixão.

Como está a ser o seu regresso?
Tem sido uma fase boa, porque não obstante os anos de carreira ,tenho me sentido revigorada. Me sento eu mesma. Estive ausente do mercado e há necessidade de mantermos aquilo que sempre fiz.

Que impacto teve o Covid-19 na sua carreira?
A produtora tem agendados shows em Portugal, que foram adiados pela a situação actual.

É como se estivesse a reactivar a marca “Nazarina Semedo”. Quer contar-nos sobre os motivos desta ausência?
Com toda a certeza. Ou seja actualizar a marca dentro daquilo que sou ao mercado. Tive alguns interregno de dois anos  por conta da minha vida pessoal.

as cargas mais recentes

Vida e obra de Cesária Évora será contada em filme

há 3 dias
Grammy em 2004 pelo disco “Voz d’Amor”, a trajectória de Cesária Évora será narrada numa série documental intitulada “Sodade” interpretada pela cantora cabo-verdiana Eliana Rosa.

C4 Pedro é o artista angolano que mais vende nas plataformas de streaming

há 4 meses
O relatórios do Spotify, Apple Music, Boom Play e Deezer indicam que, o autor de “Pele Negra” é angolano que mais vendeu nas plataformas de rscuta, com mais de 7 milhões de streamings, só no primeiro trimestre de 2021.

Mariah Carey revela que aos 12 anos a irmã tentou vendê-la

há 1 ano
A cantora conta que aos 12 anos a irmã drogou-a e depois tentou vendê-la a um chulo. Carey revela ainda que não teve uma boa relação com os seus irmãos mais velhos, por causa do tom da sua pele.

Jiffer Mc analisa a`Crise´em novo single

há 6 meses
Inspirado no facto social mais que mais pesa actualmente, Jiffer Mc, brinda os fãs com uma nova faixa musical, cujo abordagem abrange todas as classes sociais.

Dr. Dre diz que redes sociais destroem a mística da música e dos artistas

há 1 ano
Dre foi mais longe ao afirmar que, se estivesse no início de carreira, talvez odiasse as redes sociais, por elas destruírem a mística, que é a principal característica da música. “É prazeroso esperar o que está por vir”, disse.

Michigan aprova proposta de lei de reforma penitenciária de Meek Mill e Jay-Z

há 10 meses
A Legislatura do Estado de Michigan aprovou, esta segunda-feira, um conjunto de leis que vão remodelar o sistema de liberdade e liberdade condicional. A lei declara, num dos pontos, a redução das sentenças de liberdade condicional de crimes adultos de cinco para três anos.

Por onde andam os Detroia?

há 1 ano
Depois do sucesso da música “Bela”, tida como “febre”, o tempo foi “tomando Paracetamol” e a febre passou. O grupo gravou outras músicas, como “Tubia”, “Envelheceu”, entre outras, mas sem o sucesso do “Bela” e nem serviram para manutenção do grupo na “boca do povo”.

Vírus Inesperado: Filme de produção angolana é premiado em Londres

há 9 meses
O filme “Vírus Inesperado”, uma co-produção entre Henrique Sungo (produtor) e o santomense Felipe Anjos (editor), fala sobre o impacto do novo coronavírus na comunidade Palop no Reino Unido.

Já está disponível o segundo single da saga `Quarentena Rija´

há 1 ano
`Relationship Goals´ é cantada por Prodígio, Don G e Deezy e conta com a produção de Adjane Rafael e Juzicy, baixos de Ivo Magic e scratchs do DJ Fifty.

Tributo a Waldemar Bastos marca a 10° edição do Festival Internacional de Jazz

há 6 meses
O Festival Internacional de Jazz, edição 2021, decorreu sexta-feira, em Luanda, sem Sam Mangwana e Ricardo Lemvo, músicos que estavam entre os convidados, mas com uma grande homenagem a Waldemar Bastos.

Show do Mês comunica interregno do conceito `Hospitality´ mas garante continuidade das atracções

há 5 meses
`Hospitality´ consistia em receber público num espaço aberto, obedecendo a todas as medidas de segurança, mas acaba de ser descontinuado, para fazer face ao último decreto do estado de Calamidade.

C4 Pedro: “Zara é única no que faz. Não vai precisar competir com nenhuma cantora no mercado nacional ou internacional”

há 2 semanas
No que depender de C4 Pedro, a tradição de lançamentos ao sétimo dia do mês, vai se perpetuar, ainda que seja por meio dos associados da BLS. Hoje dia 7 de Outubro, foi feita a estreia da música Posa, a primeira de Zara como integrante da BLS.

Jovens do Prenda festejam 52º aniversário no Show do Mês

há 1 ano
Os Jovens do Prenda festejam sábado o seu 52º aniversário de existência no Show do Mês Live, num concerto aguardado com muitas expectactivas pelos fãs do conjunto.

Mariotti: Uma voz jovem ao nível dos grandes do Zouk angolano

há 5 meses
“Suco Love” e “Tamu Numa” são só músicas promocionais, porque o artista tem se preparado para, em data definida, anunciar outros lançamentos, que podem não ser necessariamente Extend Play.

Rapper e dj português morto à facada por ajuste de contas

há 7 meses

“No Kuduro as mulheres nos dão capote”

há 2 anos
Presidente Gasolina lamentou o conformismo com que vivem os kuduristas actualmente. Este ano, o cantor está de volta com várias novidades para quebrar o “gralho”.