Né Gonçalves lança nova música e anuncia álbum com participações inesperadas

A riqueza poética patente na música de Né Gonçalves alterou recentemente as listas de produção da Apple Music, Spotify e New Music, em Portugal.

Por este motivo, o artista continua a actualizar a sua discografia. Ontem, por exemplo, lançou mais single Menino De Rua, extraído do álbum Luanda, Meu Semba – Instrumental, publicado em 2012.

Pela sua especificidade, o tema pode constituir um documentário musical de sensibilidade clássica, por ter sido seleccionada de um álbum com fusões da música tradicional, Semba, Jazz e a música clássica orquestrada pela Sinfónica Nacional da República Checa.

De álbuns não é tudo, o músico tem produzido um novo, que poderá contar com participações de Selda, Yuri da Cunha e Tito Paris e resume nesta entrevista o essencial da obra.

Passados seis anos desde o lançamento do seu terceiro álbum, Sembamar, confirma os sinais que vêm das redes sociais de que um novo álbum está a caminho?

Sembamar tem-me pedido um irmão mais novo. Pede através das pessoas que reconhecem o sucesso que teve e reclamam novos sucessos. Sembamar teve cinco nomeações no Top Rádio Luanda (Semba, Kizomba , Música Folclórica, Melhor Produção Discográfica e Balada do Ano) e venceu na categoria “Melhor Produção Discográfica” de 2016. A música Nhami, foi escolhida pela voz de Sílvia Liberal para concorrer e venceu “Gentes e Música” da Rádio Benguela em 2018 e, no mesmo ano, a música Sembamar integrou a trilha sonora do filme Kalunga, o mar de Angola. Os resultados do Luanda Meu Semba, nas versões cantada e instrumental, foram igualmente interessantes. Por isso, é natural que os fãs exijam novidades.

Neste momento, apenas posso dizer que estamos a trabalhar para que este ano chegue ao público a obra que, muito provavelmente, se chamará Undengue Uetu.

É um artista cujo nível estético e poético evidenciam os tempos áureos da música angolana. Teremos um álbum diferente?

Pretendo manter a diversidade de estilos que caracteriza os CDs já lançados, a mesma tonalidade poética e melódica e a beleza dos arranjos está garantida pelo talento e cuidado máximo de Jorge Cervantes. De diferente, teremos algumas participações de artistas cujo nível vai, sem dúvida, agregar valor estético às obras. Veremos se será concretizada a ideia de Selda, Yuri da Cunha e Tito Paris estarem no CD ao lado da hipótese de outras igualmente importantes participações.

A música tradicional e aspectos da tradição angolana sempre foram exaltados na sua obra. O que doravante passará a caracterizar a carreira de várias décadas de Né Gonçalves?

Costumo dizer que não tenho propriamente uma carreira mas, apenas, um caminho musical, percorrido desde os 7 anos a pegar num violão, passando aos nove anos pela primeira banda infantil – os Mini Craques – e lançando esporadicamente CD’s essencialmente de composições próprias. A par de canções mais universais, o semba e outros estilos nacionais como a rebita e o kilapanga têm estado presentes e as temáticas abordadas têm muita relação com o que é nosso, no que temos e no que somos. A música é o meu hobby de eleição que sigo a par de outras actividades principais. Creio que o futuro vai se caracterizar por maior equilíbrio entre essas actividades e a música, sem prejuízo de nenhuma.

Pertence a um tempo em que imperavam os CDs. Até que ponto a pandemia, as novas tecnologias de informação e comunicação influenciaram as suas abordagens?

Vivemos uma era completamente nova a influenciar os modelos de distribuição e de comunicação da música. Hoje fazemos uma aposta forte nessas tecnologias que fez com que os CDs Luanda Meu Semba e Sembamar estejam presentes em mais de 150 plataformas digitais, criando uma relação de proximidade muito maior com o público interessado. A 7 de Maio teremos todo o álbum nessas plataformas. Dessa forma, estamos a preparar o terreno para o surgimento de novidades musicais.

Ao longo da sua actividade artística, como se adaptou às “atrocidades” do mercado?

Por não se tratar da minha actividade profissional, sou um artista livre, não dependente do mercado. Faço o que a inspiração ou a vontade ditam, sem estar amarrado ao que o mercado quer. É sempre um risco mas enfrento-o, sujeitando-me muito serenamente ao julgamento do público. Sei dos enormes sacrifícios por que passam os meus colegas que se dedicam exclusivamente à música. Mesmo quando se tem muito talento, é difícil encontrar espaços de oportunidade, crescer, afirmar-se, ter sucesso e manter-se no pódio. E em condições de pandemia, há muitas situações de sobrevivência e os músicos têm sido verdadeiros heróis ao continuar a trabalhar e contribuir para o equilíbrio emocional da população, sujeita a fortes pressões psicológicas por causa das restrições económicas e às

as cargas mais recentes

Live de Marília Mendonça bate recorde mundial 3,2 milhões de espectadores em simultâneo

há 2 anos
A cantora celebrou o recorde com um post no Twitter com a foto do exacto momento em que atingiu a marca de 3,2 milhões de views, superando o recorde mundial do Youtube anteriormente conquistado pela dupla Jorge e Mateus com 3,1 milhões.

Luandina faz aposta na arte urbana

há 2 anos
A marca angolana, Luandina, está a desenvolver uma campanha de promoção e divulgação do graffiti, pintando os principais pontos de concentração de pessoas, tal como aconteceu com a paragem dos taxistas do Nova Vida, em Luanda, inaugurada esta semana.

Cerca de 70 mil fãs assinam petição para remover Kylie Jenner do videoclipe Wap

há 2 anos
As razões para a aversão, têm sido relactadas pela imprensa internacional como uma consequência do episódio que aconteceu no princípio deste ano, quando Kylie foi acusada de apropriação cultural.

Morreu o músico Tino Fortes

há 2 anos
O músico angolano Tino Fortes morreu segunda-feira em Portugal, aos 51 anos de idade, vítima de morte súbita.

Lady Gaga revela que por pouco quase tirou a própria vida

há 2 anos
A cantora falou sobre um período difícil e de profunda depressão por que atravessou. Afirmou que odiava o seu alter ego, e pensou diversas vezes em tirar a própria vida. O apoio de Elton Jonh e de Ariana Grande foram fundamentais.

Médico legista revela a verdadeira causa de morte de DMX

há 1 ano
Até então a causa de morte do músico e actor de 50 anos, depois de vários dias internado em morte cerebral, não era oficial. Foi agora revelado que, desde que deu entrada ao hospital White Plains, de Nova York, no dia 3 de Abril, o rapper “nunca saiu do coma”.

50 Cent está a produzir filme sobre Rainha N’zinga

há 10 meses
Curtis Jackson, mais conhecido por 50 Cent, anunciou, ontem, que está a produzir um drama sobre a rainha N’zinga, em parceria com a rede de televisão por satelite Starz, propriedade da Lionsgate.

Saiba como se formaram as primeiras famílias de músicos angolanos

há 2 anos
Neste 15 de Maio, Dia Internacional da Família, a Carga traz para si uma resenha sobre a formação das primeiras famílias de músicos angolanos. A viagem passa pelos Pinto de Andrade e segue com os Vieira Dias, Mingas, Van-Dúnem, Figueiras da Silva e Torres.

Davido na linha da frente dos protestos na Nigéria

há 2 anos
O músico nigeriano juntou-se este sábado a uma manifestação para exigir o fim da brutalidade policial no seu país. “Não devemos recuar até que as nossas reivindicações sejam atendidas”.

JP da Maika disponibiliza “Um Pouquito Para Cá Por Favor”

há 2 anos
A finalizar os últimos temas do álbum “DaMaika Season”, traz-nos uma versão mais moderna e arrojada da sua kizomba, sensual, urbana e atrevida.

Kanye West responde: “Se não puder me candidatar em 2020, será em 2024”

há 2 anos
Em entrevista à revista Forbes, publicada hoje, o rapper diz que já não apoia Trump e criticou o Partido Democrata, revelando que o desejo de concorrer à presidência nasceu em 2015, por inspiração ao “Michael Jackson” e assinala que, se Donald Trump já não fosse o candidato do Partido Republicano, concorreria como republicano.

Lançado há pouco menos de um ano, “O Sucesso a um Passo” já conquistou leitores internacionais

há 2 anos
Já foi vendido um total de 1.275 exemplares entre Angola, Portugal e Brasil do livro cuja autoria pertence a Januário Guimarães. A publicação de auto ajuda profissional estimula o desenvolvimento de atitudes, habilidades e comportamentos necessários no âmbito profissional.

LIGARTE.COM: Wilmar Nakeni apresenta-se em concerto após vencer o Festival da Canção da Lac

há 11 meses
Wilmar Nakeni volta aos palcos para um concerto intimista e inédito onde se pretende mostrar as diferentes sonoridades artísticas que culminaram no seu projecto já disponibilizado.

Paulo Flores em concerto no dia da Paz

há 3 anos
Quatro de Abril é o dia em que os angolanos festejam a Paz, mas o quatro de Abril de 2020 será diferente dos anteriores, tudo porque o mundo debate-se com a Pandemia do Covid-19.

Elias Dya Kimwezo celebra 85 anos: “Estou feliz por isso”

há 2 anos
Há muito que a data de aniversário de Elias Dya Kimwezo mereceu atenção especial, tal como aconteceu na manhã de hoje na sua residência. Uma comitiva do Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente, encabeçada seu pelo titular, apagou com o artista as 85 velas.

Músicos angolanos passam a ter um “passeio na Baía de Luanda”

há 10 meses