Ney Tavira: um nome para reter, um talento para ovacionar

Numa altura em que os rappers da sua faixa etária limitam-se a cantar músicas “superficiais” e refrões de ostentação, Ney Tavira se apresenta como uma lufada de ar fresco para o movimento que tende a se tornar frívolo com o passar dos tempos. Aos 22 anos e com a veia virada para a intervenção, começou a cantar em 2011, altura em que as rodas de freestyles foram a sua escola, tendo já como maior inspiração a Força Suprema. Após 5 anos de interregno, o jovem rapper aproveitou o momento de “resguardo” para se reintegrar no movimento, com a música “Quarentena”, uma faixa que faz uma incursão pelos acontecimentos e problemas sociopolíticos do mundo com maior destaque para a pandemia do Covid-19, onde nos convida a fazer uma reflexão sobre o mundo à nossa volta. 

A partir de que momento é que a música cruza o seu caminho?
Sempre gostei de música, mais propriamente com os meus 12 anos me senti fortemente atraído pelo estilo Rap. Foi instantâneo desde o momento que senti o instrumental Boom bap foi como se tivesse tido um frisson. Desde muito pequeno me cerquei por pessoas que partilhavam a mesma paixão, no colégio e na rua, o meu meio era o Rap, participava muito em rodas de freestyle, e ao longo desse período devido a convivência ingressei num grupo de Rap chamado SBC MUSIC ( 2011 à 2015), que posteriormente passou a se chamar “Matanga”, foi à partir desse momento que passei a participar literalmente em tracks.

Em que momento decide se profissionalizar?
Passei um tempo priorizando outras coisas, enquanto membro do grupo “Matanga” os nossos objectivos pessoais sobrepunham-se aos objectivos do grupo, então o grupo aos poucos deixou de existir, mas eu nunca deixei de ser Rapper. Tinha inúmeros projectos inacabados, ouvia sempre bom Rap, fiquei quase 5 anos sem lançar músicas, no entanto neste período de quarentena, comecei a rever todos os meus projectos antigos, e a chama se reacendeu e decidi então fazer um vídeo intitulado “ Instrospecção” e teve uma recepção muito boa. Posteriormente lancei um Single ilustrando o nosso panorama actual intitulado “Quarentena“e aconteceu o mesmo e daí eu vi, por quê não? Tentar fazer algo grande?!

O Rap desde sempre foi o seu estilo de eleição?
Nem sempre, teve um período que era muito fã do Bruno M por causa da mensagem que transmitia, mas como disse anteriormente aos 12 anos migrei para o Rap com um bilhete só de ida.

Boom Bap ou trap, onde melhor se enquadra?
Sou um Rapper criativo, consigo me enquadrar nas duas vibes.

Considera um “exercício” simples?
É só saber enquadrar o Flow, mas na verdade eu comecei com o Boom Bap, ao longo do tempo isso mudou, agora consigo fazer Rap até num beat de Kizomba.

O que é mais importante para si, o beat, as linhas ou a métrica?
Acho a métrica mais importante, se for para hierarquizar eu considero a seguinte ordem: Métrica, linhas e o Beat. As linhas até podem ser fracas, mas se enfatizarmos bem a métrica, o ouvinte viaja na wave, juntar o útil ao agradável mesmo é ser bom de métrica e de linhas.

Sendo uma carreira ainda em fase embrionária, considera que tem sido fácil? 
Não tem sido fácil, porque as  pessoas são mais susceptíveis a aceitar a cena de quem já é conhecido por isso preciso criar mais links com outros rappers, mas não é nada que com foco e determinação não se alcance, tenho de estar disposto a “pagar o preço” pois a minha atitude vai determinar a minha altitude.

Quais as maiores dificuldades que tem encontrado para solidificar a carreira?
Na altura que eu era integrante de um grupo o círculo de influência era maior, tinha mais links com rappers, depois desse todo tempo parado esta tem sido a minha maior dificuldade, por isso preciso criar sinergia com outros artistas e produtores por forma a alcançar mais pessoas, juntos somos mais fortes.

Neste momento considera indispensável o intercâmbio de ideias com outros artistas?
Exatamente! Quando há comunicação sinergética alcança-se resultados muito melhores.

Quantas músicas já disponibilizou?
Até ao momento tenho apenas 6 músicas para vos proporcionar conforto auditivo…

Comprove o talento em ascensão

Quais os frutos que têm colhido destes trabalhos já disponibilizados?Até ao momento tenho colhido props, muitas mensagens de encorajamento, pessoas desconhecidas têm se identificado com as linhas, surgiram mais seguidores, pedidos de feats recorrentes… é muito bom saber que a tua cena é impactante, saber que és motivo do sorriso de alguém.

Recentemente disponibilizou a música intitulada `Quarentena´, um retrato da realidade actual, conseguiu um pouco de mais exposição se tratando de um tema pertinente?
Sim! Disponibilizei o single com um lyrics vídeo onde compilei muitas situações que temos vivido actualmente e isto fez com que muita gente apreciasse e refletisse comigo, a música “Quarentena” tem linhas muito fortes para serem ignoradas.

Quais são os artistas em que se inspira e quais as características que o “atraem”?
Gosto muito dos artistas da FS, a forma que eles metem as suas vidas nas rimas me atrai muito, usam com bastante eficácia a tríade Métrica, linhas e beat.

Quais os projectos que tem na forja?
Estou a preparam uma EP que vai contar com 8 tracks, sem previsões ainda, será a minha reintrodução no game, só coisas boas por se esperar.

Conta com o apoio da família para dar seguimento à música?
Felizmente sim, desde o tempo que só cantava no chuveiro, meus tios, primos e sobrinhos sabem que sou o Rapper da família.

Qual o pseudónimo que vai adoptar para a carreira artística?
“Ney Tavira”, as pessoas mais chegadas a mim me tratam por “Ney” e “Tavira” é o sobrenome do meu pai que infelizmente por algum erro não consta no meu registo, mas na mesma pretendo levar está nome longe.

Aonde pretende chegar com a música?
Pretendo alcançar muito mais pessoas porque trago material construtivo, reflexões complexas, mensagens fortes intrínsecas, mais pessoais tinham de sentir, quero transmitir conhecimento e experiências por meio da minha música.

as cargas mais recentes

FAF e clubes anulam Girabola

há 6 meses

Taylor Swift “afronta” Kanye West com lançamento do novo álbum no mesmo dia que o rapper

há 3 meses
Perante o impasse entre ambos que já dura anos, e porque se sabe que Kanye não deixa passar nenhuma polémica, a questão que se impõe é, será uma feliz ou infeliz coincidência?

ORLEI: Há 10 anos a provar que o Rock em Angola já não morrerá

há 1 mês
Devido sua magnitude, O Rock Lalimwe Eteke Ifa ” O Rock Nunca Mais Morrerá ” confunde-se com as celebrações da fundação da cidade do Huambo. Este ano, o evento assinala o 10° aniversário e a organização reinventou-se e trouxe 10 dias de espectáculos intensos com as principais bandas de Rock nacional.

Selda elogia Pérola publicamente e fãs “agradecem”

há 7 meses
Afinal nem tudo está perdido no mundo da música em Angola, onde as relações entre os artistas não têm sido das melhores. Mesmo sem serem amigas, Selda fez uma dedicatória à Pérola, no seu instagram, e os internautas ficaram deslumbrados.

Gilmário Vemba fala do seu futuro no cinema

há 7 meses

Rei da Kizomba “is back”

há 8 meses
Em Maio vem “bomba”, ou seja mais uma, porque o Marechal, recentemente promovido, assim nos habituou.

Actor de Batman: O Cavaleiro das Trevas chama Coringa de filme ‘nojento’

há 5 meses
Coringa é um dos grandes filmes de 2019 e trouxe uma história diferente e surpreendente para o clássico vilão do Batman. Entretanto, o actor Eric Roberts, conhecido por Batman: O Cavaleiro das Trevas chamou o filme “nojento”.

Sabia que hoje assinala-se o Dia da Música Estranha?

há 2 meses
O Dia Internacional da Música Estranha foi criado por Patrick Grant, um músico e compositor de Nova Iorque que queria colocar as pessoas a ouvirem e a tocarem tipos de música que nunca tinham ouvido e tocado antes.

Lugar de FALA D’ ELA: Primeiro podcast angolano de Spoken Word começa a ser emitido já amanhã

há 3 dias
Idealizado inicialmente para ser um programa 100% online no formato live e com exibição quinzenal e transmitido nas páginas oficiais da Dupla ELA, no formato Spoken Cover Project −músicas na palavra falada−, performances originais da dupla e debates temáticos.

Sexto aniversário do Village underground Lisboa é celebrado hoje no formato broadcast

há 6 meses
Esteja em casa e a partir das 17 horas (horário de Portugal) vista roupa confortável, calce os seus melhores sapatos de dança, e encontre um lugar com espaço na casa e a melhor forma de assistir a um broadcast, que teste e confirme o som das colunas e prepare-se para desfrutar de 7 horas de uma performance artística, no canal Youtube do VU.

Amosi Just A Label e Paulo Flores representam o país no Sons de África

há 4 meses
Descrita como a primeira série regular de concertos ao vivo pan-continental a emergir em África, o espectáculo reúne artistas de 17 países africanos e Angola estará representada por Amosi Just A Label e Paulo Flores.

Nova foto de Avatar 2 “enlouquece” cinéfilos

há 5 meses
A foto, publicada no perfil oficial do filme no Twitter, traz os actores Sam Worthington, Zoe Saldana, Kate Winslet e Cliff Curtis dentro de tanques de água no set de filmagens.

Anna Joyce: “Não existe a mínima possibilidade de parar de cantar”

há 1 mês
Após notícias em alguns sites sobre a intenção de pôr fim à sua carreira por motivos de saúde, Anna Joyce tranquiliza os fãs, esclarecendo que, apesar de estar acometida com uma doença do fórum neurológico, “não existe a mínima possibilidade de parar de cantar”.

“A Dimensão Cultural do Herói Nacional” em debate no Visão actual

há 1 mês
O programa Visão Actual a ser exibido amanhã, quinta-feira dia 17 de Setembro, vai analisar a Dimensão Cultural de António Agostinho Neto, fundador da nação e primeiro presidente de Angola.

Conselho Municipal de Los Angeles abre rua com nome Kobe Bryant

há 2 meses
Sete meses depois do fatídico acidente de helicóptero, que tirou-lhe a sua e a vida de sua filha, Kobe Bryant continua a merecer exaltação pública nos EUA.

Telma Lee assina com a Milionário Records

há 4 meses
Telma Lee é a mais nova integrante da produtora e distribuidora musical Milionário Records. O anúncio sobre a contratação da cantora acabou por ser confirmado por Mi Mosquito, CEO da gravadora.