Novo álbum de OG Vuino é “uma espécie de Negócio Fechado a solo”

É quase impossível dissociarmos o nome Vui Vui dos Kalibrados, pelo historial do grupo no Hip Hop lusófono. Mas, tanto como produtor, intérprete ou letrista, o músico não tem nada a provar, aliás, por isso é que hoje atende pelo nome OG Vuino.

Seus primeiros trabalhos a solo “Mafia King” e “De Mim Para Vocês” falam por si e, apesar de serem mixtapes, as obras deixam claro sobre a importância que o artista tem no Hip Hop nacional, uma originalidade que será agora detalhada no seu primeiro álbum de estúdio ” Fazer de Novo”, a ser lançado a 24 de Agosto.

O álbum de estreia de OG Vuino traz uma matriz africana, com miscigenação de sons e culturas do Continente e angolana, em particular. A obra reúne participações de nomes de referências na música angolana e africana, além de Kadaff, Dji Tafinha, GM,  Filho do Zua e Rui Orlando

De acordo com o músico “Fazer de Novo” assemelha-se ao emblemático “Negócio Fechado”, a obra de estreia dos Kalibrados, entretanto possui características próprias, tanto na sonoridade, métrica e profundidade dos textos e contará com lançamento físico.

Por que motivo o álbum vai se chamar Fazer de Novo? O que os Kalibrados têm a ver com este álbum? O músico responde a estas e outras perguntas nesta entrevista.

Novo álbum de OG Vuino é “uma espécie de Negócio Fechado a solo”

O título ‘ Fazer de Novo’ remete-nos à ideia de que só agora encontrou espaço para fazer diferente. O que pretende fazer  de novo?

Na verdade, o “Fazer de Novo” remete a uma ponte de ligação entre o Vui Vui e OG Vuino, e este álbum poderia dizer que é uma espécie de “Negócio Fechado”, mas a solo. Foi isso o primeiro factor que levou ao tema “Fazer De Novo”, mas agora a solo. Depois disso, há muitos outros porquês, mas foi isso o motivo inicial.

É um álbum que traduz bem toda a sua experiência na música, particularmente no Rap, devido à profundidade traz nas abordagens. De que temas específicos retrata? 

Este álbum espelha muito a evolução de sonoridade, de flow de métrica e, obviamente, de abordagem. É uma abordagem vasta naquilo que é a minha maneira de estar no Rap, os anos de estrada, a preocupação com o contexto do país. Há temas mais pessoais; há a aminha visão sobre alguns temas pertinentes da vida e do mundo; é um álbum bem completo na abordagem, faz lembrar muito, em termos de abordagem e de feeling, de atmosfera, o “Negócio Fechado”, daí poder dizer que é uma álbum completo de ter um tema para cada pessoa.

Embora seja inegável sua particularidade artística, o nome ‘Vui Vui’ estará sempre associado aos Kalibrados. Em que aspectos o “Fazer de Novo” se aproxima ou distancia dos ” “Miúdos Sem Juízo”

Esta obra tem 50% de um lado Kalibrados e 50% de um lado completamente distante dos Kalibrados. A nível daquilo que é distante dos Kalibrados é a sonoridade, portanto, só o facto de ter uma sonoridade actual e misturas com referências angolanas e africanas faz com que a nível de sonoridade eu tenha ali um produto muito único, motivado por várias mixes que pareciam distantes, mas que casaram bem, então, o produto final, em termos de sonoridade, é um produto distante dos Kalibrados e distante do que se ouve, o comum.

O álbum sai a 24 de Agosto, data do seu aniversário. Qual a possibilidade de termo-lo em formato físico?

Estamos a tentar todos os possíveis de ter alguns números físicos e, portanto, até lá estamos nesta luta para ver se se consegue ter volta de mil ou duas mil unidades físicas. 

É dos nomes mais importantes do Hip Hop no país e, além do legado que deixou com os Kalibrados, terá outras ambições individuais. O que mais se pode esperar desta caminhada a solo? Podemos aguardar por mais álbuns?

Isto vão ter que descobrir no álbum. O álbum fala um pouco sobre isso, vão ter que descobrir no álbum.

O que gostaria de alcançar com este álbum que não foi possível com os Kalibrados?

Impacto na vida das pessoas e músicas que fiquem para sempre.

as cargas mais recentes

Maya Cool: “Fiquei gravemente doente com Covid”

há 7 meses
O músico Maya Cool falou da sua experiência com o vírus da Covid-19, do momento difícil que passou e do que perdeu em 2020 com a chegada da pandemia.

Alicia Keys aceita batalha de piano com John Legend

há 1 ano
No mês passado, Legend disse, durante uma conversa com Nick Cannon, que desejava ter um frente a frente no piano com a cantora Alicia Keys no Live Verzuz. O pedido foi atendido e o encontro está marcado para as 20 horas do dia 19 de Junho no Instagram.

“Fiéis e Infiéis” chega ao Wyza Anfiteatro da Fundação Arte e Cultura com os Jovens da Mulemba

há 4 meses
Abordamos de forma crítica a tendência de associar o pagamento do dízimo e os ofertórios como o principais veículos do estreitamento da relação com Deus, onde os responsáveis vivem no luxo e os fiéis numa autêntica indigência, apesar de serem os principais contribuintes.

Dj Erick Morillo, um dos melhores do mundo no estilo House, encontrado morto

há 1 ano
O DJ e produtor norte-americano Erick Morillo foi encontrado morto na manhã de ontem, em Miami Beach. Conhecido como um dos melhores djs de House do mundo, Morillo já esteve em Angola também já esteve em Angola.

1 de Junho: Filantropia junta artistas em prol da Aldeia de Criança SOS-Lubango

há 5 meses
Em comemoração ao Dia Internacional da Criança, um leque de artistas vai juntar-se amanhã no palco do Miami Beach, para uma live solidária em prol da Aldeia de Criança SOS do Lubango.

Vice-Presidente da República destaca o talento e incentiva autores da coreografia “Jerusalema”

há 11 meses
Durante a audiência, Bornito de Sousa foi informado sobre a boa fase e sobre os projectos e ambições do grupo angolano, cujo talento foi provado e teve reconhecimento mundial.

Galeria Tamar Golan abre portas à `Eclosão´ da visão crítica de Leandro Marques

há 7 meses
Isenta de um tema condutor, a mostra, `Eclosão´, coloca o dedo na ferida de uma multiplicidade de assuntos, questionando desde a masculinidade tóxica aos padrões de beleza impostos pela sociedade.

Aaliyah chega finalmente às plataformas de streaming

há 3 meses
No mês em que completa 20 anos post mortem, o fundador da Blackground Records, Barry Hankerson, confirmou em entrevista à Billboard, que as músicas de Aaliyah estarão disponíveis nas plataformas de streaming a partir do final de Agosto.

Notorious B.I.G, Tupac e Jay-Z excluídos por Snoop Doog da sua lista dos melhores rappers da História

há 1 ano
Após ter enfrentado várias críticas por não considerar Eminem melhor rapper de todos os tempos, Snoop Dogg voltou a surpreender o movimento ao excluir Jay-Z, Nas, Tupac, Biggie Smalls e Kanye West da lista dos seus melhores rappers de todos os tempos.

JLO felicita músicos angolanos

há 1 ano
O Presidente da República, João Lourenço, felicitou, neste domingo, os músicos angolanos por ajudarem a população, com a realização de shows live, a suportar a solitude do confinamento social imposto pela pandemia da covid-19.

Anime sobre o rapper XXXTENTACION poderá ser lançado brevemente

há 12 meses
O lançamento do novo anime foi noticiado por diversas páginas de rap internacionais, mas até ao momento nada foi confirmado oficialmente.

Roley anuncia novo álbum com participações de Masta, Eric Rodrigues entre outros

há 6 meses
Esta não é a primeira vez que o rapper moçambicano traz vozes angolanas nos seu projectos, já no álbum de estreia “Roley”, contou com Rui Orlando e Young Double, e no ano passado, lançou “Pensamentos” e teve participação de Paulelson.

Já está disponível a obra “Ressurreição” de Helena Dias

há 8 meses

Ndaka Yo Wini canta no festival internacional de Montreal

há 4 meses
O músico angolano Ndaka Yo Wini é uma das figuras de cartaz da 35ª edição do Festival Internacional de Montreal/Quebec (Canadá), denominado “Nuits d´Afrique”, que decorre desde o dia 08 de Julho.

Revista Carga traz pesos pesados para o Reportório

há 1 ano
Os dj´s Malvado e Dias Rodrigues, que sexta-feira, a partir das 19 horas, vão exibir os seus maiores sucessos musicais, no chamado “desfile de hits”.

União dos Escritores Angolanos poderá encerrar as portas por falta de dinheiro

há 12 meses
A crise na União dos Escritores angolanos não é de hoje. Muito antes da pandemia, a instituição de carácter pública já se debatia com problemas de ordem financeira, mas as coisas agudizaram ultimamente.