Nsingi, uma voz de Portugal que leva a cultura angolana com rítmo

Começou no Hip Hop e, com o passar do tempo, sentiu a necessidade de experimentar outras sonoridades, foi assim que descobriu a sua própria identidade musical, baseada na esteticidade dos beats africanos.

Carlos Nsingi nasceu em Portugal e nunca esteve em Angola, mas mantém fortes ligações com a cultura angolana, desde a música, gastronomia ao modo de ser, estar, falar, incluindo a forma de vestir, porque seus país são angolanos e parte da sua família vive em Angola.

O músico acaba de escrever um novo capítulo da sua carreira ao lançar, esta manhã, um EP inédito com fusões de Pop Urbano, Hip-Hop, R&B, Trap e Afro beats, verdadeiro depósito de experiências individual e colectiva e está disponivél nas plataformas digitais.

Apesar da carreira um tanto quanto emergente, seu talento já suscitou vários interesses. Produziu para Masta (Força Suprema), SP Deville, Frank&Rogg, Gasso e Nuno Abd e prova nesta antrevista à Carga que tem muito mais para oferecer à indústria da música.

Nsingi, uma voz de Portugal que leva a cultura angolana com rítmo

Como é que começa o seu envolvimento com a música?

A música sempre esteve presente na minha vida. Venho de uma familia cristã e os primeiros passos foram dados enquanto baterista na igreja quando ia aos ensaios com o meu pai que cantava no grupo.
Mas em 2007 foi o início enquanto rapper. Comecei a fazer maquetes com um grupo de amigos da minha zona.

Em que circunstâncias sua carreira começa a se tornar mais consistente?

A carreira começa a ganhar forma a partir do momento em que, em conjunto, com o meu amigo de infancia Bernardo Melo criamos a banda Koncept – onde tivemos a oportunidade de fazer vários showcases e aparições no centro e no sul de Portugal. A partir de 2018 foi quando senti uma necessidade de abraçar outro tipo de sonoridades para encontrar a minha estética e identidade.

Nsingi, uma voz de Portugal que leva a cultura angolana com rítmo

Qual é o ponto de situação da sua carreira?

#LOVERDOSE é o início de um novo capítulo enquanto artista – O último original que editamos foi em 2018. Três anos depois lanço-me nesta aventura a solo com o objectivo de solidificar a marca NSINGI e de contribuir com a minha arte na indústria, tanto como cantor e produtor.

Em que aspectos acha que a sua música pode contribuir para a indústria musical?

Tudo isto deve-se ao facto da herança musical que tenho, angola e congo, e de consumir vários generos. Hoje em dia considero que faço Pop Urbano onde fundo o Hip-Hop, R&B, Trap e Afrobeats.

Neste momentos quantos projectos tem a solo?

A solo tenho o álbum de instrumentais – Man In Zouk – e no passado mês de Março lancei o maxi-single “Wowmen” em homenagem ao movimento de empoderamento feminino. Com os Koncept temos em comum o EP “Na Via das Duvidas”.

Descreve o seu novo EP como depósito de das suas memórias. De que tipo de experiências se refere?

Experiências pessoais, relatos de amigos… O que vejo e o que vivo.

Por quê razão decidiu tornar públicas essas experiências?

A verdade é que os últimos meses foram meses de muita incerteza, dor, dúvida, angústia e medos. E este EP explora a alegria e a leveza do amor romântico.

Qual é a essência do EP?

A essência deste EP é o amor. Amor pela arte, amor pelo próximo, respeitar e amar o processo. Vem com uma mensagem de optimismo e sublinha que a vida deve ser vivida com Joie agarrando-nos a quem e ao que nos faz feliz.

Andou por algumas capitais europeias. Até onde essas experiências influenciaram na concepção deste EP?

Adoro viajar, mas é em Portugal que me sinto em casa. Cada cidade tem a sua magia… E ter a oportunidade de conhecer novas pessoas, ouvir outros sons, ver e conhecer outras tradições e culturas inspiram-me. Acredito que é com a mistura que avançamos.

Com que artistas angolanos tem tido mais contactos e porquê?

Ainda nao posso levantar muito o pano, mas dentro de muito pouco tempo poderemos vir a ter uma colaboração com um artista do panamorama angolano.

Que particiações traz nos seus projectos musicais?

Para além de Koncept, já tive oportunidade de colaborar com o SP Deville,(SP&Wilson/Makongo), produções para Masta (Força Suprema), a Frank&Rogg, Soundskillz – que co-produziu comigo este novo EP – Gasso e Nuno Abdul, de Moçambique.

as cargas mais recentes

Nesr Art Foundation anuncia candidaturas para novo programa de residência artística em Luanda

há 4 meses
Até ao dia 25 de Setembro, artistas angolanos com idade igual ou superior a 18 anos, baseados em Luanda e nas demais províncias do país, são encorajados a participar desta Open Call.

Consultor do ‘Bohemian Rhapsody’ declara-se contra a sequência do filme

há 2 anos
Lançado em 2018, a cinebiografia da estrela do rock Fredy Mercury obteve elogios da crítica e do público e arrecadou 903,7 milhões contra os 55 milhões investidos. Além disso, arrebatou quatro estatuetas do Óscar 2019, incluindo o prêmio de Melhor Actor, mas o amigo do vocalista dos Queen não quer que o filme tenha sequência.

Olivia Rodrigo, BTS e Justin Bieber se destacam no MTV Video Music Awards, mas Lil Nas X leva o prémio principal

há 4 meses
Com apenas uma música, “Montero (Call Me By Your Name)”, Lil Nas X arrebatou o prestigioso prémio de melhor vídeo do ano, as categorias de melhor direcção, melhor direcção de arte e ainda, melhores efeitos visuais.

Produtora do hit “Comboio” dos Lambas prepara álbum inédito e dois espectáculos

há 1 ano
A Seres Produções é conhecida por lançar o grupo Os Lambas com o CD “Estado Maior do Kuduro”, e o disco “Batida Única” de Bruno M. No próximo dia 25 deste mês, a produtora vai celebrar 20 anos de existência.

Daqui para frente Rock angolano passará a estar mais pesado

há 7 meses

MV Bill retrata a própria trajectória em livro

há 2 anos
A Lenda do movimento hip hop brasileiro, MV Bill promete transformar as próprias experiências e pensamentos em livro. Tendo há algum tempo anunciado obra, tudo indica que o rapper está próximo de compartilhá-la com o mundo. A mesma obra vai ainda discorrer sobre figuras como Faustão, Lula, Chorão, “Estilo Vagabundo” e mais

Carlos Morais falha apuramento ao Mundial2022

há 2 meses
O extremo Carlos Morais é a principal baixa na selecção angolana de basquetebol sénior masculina, que vai disputar a primeira janela de qualificação ao Mundial de 2022.

´Emerging Painting Invitational´ para ver on-line até ao dia 19 de Outubro

há 1 ano

Lupe Fiasco afirma ser melhor liricista do que Kendrick Lamar

há 1 ano
Lupe Fiasco afirmou que é mais liricista de melhor do que Kendrick Lamar numa série de tweets. A sequência surgiu após um fã questionar quem dos dois era o melhor. Depois que o tweet ganhou atenção significativa, quando Lupe declarou ser “melhor liricista, mas não melhor artista que Kendrick”.

Spotify lança plataforma que permitirá valorizar o compositor, produtor e editoras

há 12 meses

Orange The World: 16 dias de activismo- Diga não à violência contra as mulheres

há 2 meses
A campanha promovida pela União Europeia em Angola começa dia 25 de Novembro, Dia Internacional para a Eliminação da Violência Contra a Mulher e tem a duração de 16 dias, com encerramento previsto para 10 de Dezembro, Dia dos Direitos Humanos. Ao longo deste período, a União Europeia promoverá actividades de sensibilização com o objectivo de consciencializar a população sobre a necessidade de erradicar a violência contra a mulher.

Manhãs do Rap homenageia Mestre Ngadiama Wacambasonhi e Mestre Nanhi Wanguimono

há 7 meses
“Manhãs de Rap, faz e traz bom Rap!” é o lema do evento que virou marca no movimento Hip Hop, idealizado por Apelação (In Memoriam), T.O, Ti João e Sobrevivente, o mesmo teve início em 2012, no Rocha pinto.

Angolana eleita melhor jogadora da semana nos EUA

há 10 meses

MD e MK assumem agenciamento de Preto Show e vários dj´s

há 2 anos
As produtoras MD e MK Records firmaram uma aliança para agenciamento de artistas angolanos, com destaque para os Disco Jokeys (Dj´s) mais conhecidos da nossa praça.

Old e New School questionam legado depois da morte

há 1 ano
Estará disponível na próxima quinta-feira, dia 8, o clipe oficial da faixa “Se Eu Morrer Amanhã”, em que Kool Klever, Mamy, Duc, Lizzy, Soldier, Luso e Nucho levantam a problemática do legado após a morte.

Gilmário Vemba fala do seu futuro no cinema

há 2 anos