Nucho anuncia o álbum que lhe vai colocar no topo

Nucho é um dos poucos rappers angolanos que conseguiu manter-se puro na última década. Em 2017, estreou-se com o álbum Sou[L] RAP e foi nomeado para o maior prémio da música feita em português. Depois disso, surgiram outras surpresas. À Carga, o músico revelou que tem novo álbum, que traz participações de Walter Ananaz, Totó, Duc, Luso, Ana Semedo, Márcia Antunes, Leonardo Wawuti, Conductor e Brawly Waye. Por ser uma obra mais evoluída, o rapper promete alcançar o que ainda não conseguiu.

Como se dá o seu envolvimento com a música?
Cresci no Miratejo, um bairro considerado o berço do Hip Hop, em Portugal, donde são os Black Company e o gosto começou nas ruas, porque se “respirava” RAP em todo lado, com freestyles, concertos na zona, etc. Iniciei oficialmente em 2006 com um grupo chamado Tripla Aliança (eu, Luso e o Glad Max).

O que lhe fez seguir a carreira profissional?
Depois de ficar cerca de 5 anos sem fazer música, percebi que nasci para isso e que não poderia deixar de criar porque é algo que amo. O meu objectivo é ter impacto positivo na vida de quem me ouve.

Há três anos lançou um álbum. O que está a preparar agora?
Sim, o meu primeiro álbum lancei em 2017, intitulado “Sou[L] RAP”. Recentemente, saiu a música “Celebra a Vida” com a participação do Totó e antes de libertar o álbum “Origens” sairão mais videoclipes.

Quando e em que formato estará disponível?
Com esta situação de pandemia é difícil de prever, mas já está totalmente gravado. Vou lançar em formato físico e digital.

Que participações traz o “Origens”?
Walter Ananaz, Totó, Duc, Luso, Ana Semedo, Márcia Antunes, Leonardo Wawuti,Conductor e Brawly Waye.

Tem tido várias indicações no espaço lusófono. Como descreve a sua carreira em Angola?
Sim, em 2017 fui nomeado para duas categorias dos IPMA – International Portuguese Music Awards, considerados os maiores prémios da música feita em português. A cerimónia foi nos Estados Unidos, com vários ícones da música feita em português a nível mundial como a Daniela Mercury, Olavo Bilac, Boss AC, etc.

Em Angola, considero que a minha carreira tem corrido muito bem, o feedback das músicas tem sido sempre fantástico e sincero. Sinto que há reconhecimento, carinho dos fãs e respeito por parte dos outros músicos. Por exemplo, em 5 anos passei de menos de 1000 seguidores no Facebook para mais de 50.000, isso demonstra bem como tem sido aceite o trabalho.

Que expectativa tem em relação ao próximo álbum?
Essencialmente, que os ouvintes considerem que existe evolução na qualidade musical.

Será desta vez que vai conseguir algum prémio em Angola?
Para mim, o principal prémio que posso receber é tocar almas e que as pessoas se identifiquem com as músicas. Isso acredito que vou conseguir. A nível de reconhecimento da indústria, prémios na nossa terra são sempre bem-vindos mas sinceramente não me preocupo muito com esta questão.

Teve Walter Ananaz, que outros músicos gostaria de ver no seu álbum e não pôde?
Para este álbum, acho que tenho as pessoas ideais. No futuro, sonho cantar com Anselmo Ralph e Paulo Flores.

O que tem faltado?
Estou super-satisfeito com o trabalho, não sinto que a nível musical tenha faltado algo.

Que palcos já se apresentou?
Felizmente já estive em todos grandes palcos de Angola, na Baía de Luanda na Festa da Música da Unitel, nos Coqueiros no Show da Virada, em 2015 na digressão da Team de Sonho no Lobito, Benguela e Huambo, o meu álbum lançei no Miami, já actuei no Lookal, Espaço Bahia, etc.

E que palcos gostaria de estar?
Gostaria de voltar à Baía de Luanda, mas como cabeça de cartaz.

Onde quer ver a sua carreira daqui a cinco anos?
Dentro de 5 anos pretendo actuar frequentemente com banda e para além de Angola, ter actuações regulares nos vários países onde se fala português.

Quando olha para tudo que já viveu, o que mais lhe marca?
Sem dúvida o lançamento do álbum e a nomeação para um prémio internacional. O mais difícil é sempre a divulgação dos trabalhos.

Em que nível se coloca actualmente?
Considero uma boa carreira, sinto que tenho evoluído. Estou satisfeito com a qualidade musical, feedback do público e já tive a honra de colaborar com grandes músicos e pisar os principais palcos. Resumindo, considero que está a caminhar de forma sólida e sustentável, ao ritmo correcto.

as cargas mais recentes

Dr. Dre internado de urgência após sofrer aneurisma cerebral

há 3 meses
O produtor musical e rapper Dr. Dre foi internado esta segunda-feira, após sofrer um aneurisma cerebral. Os médicos estão a tentar descobrir a razão do sangramento e realizam uma série de exames. Mas, o músico está estável e lúcido e deixou uma mensagem.

Ana Vilela “cancela” conselhos da música Trem Bala e afirma “O mundo é um lugar horrível”

há 4 meses
Atendendo ao ano atípico que se vive, os internautas e seguidores entraram no clima da brincadeira, que virou “meme”, mas ao mesmo tempo, razão para análise íntima e reflexiva sobre o impacto de maus acontecimentos, acumulados num só ano.

Origem e evolução do Kuduro

há 12 meses
Kuduro é um género musical e sobretudo um género de dança originário de Angola, cidade de Luanda, que foi influenciado por outros géneros como Sungura e Rap. O Kuduro surge em finais dos anos 80, primeiro como uma dança e depois como música.

2020: Um ano trágico para a música angolana

há 4 meses
Calaram-se as vozes, mas as obras serão sempre lembradas. Exemplo disso, aconteceu sábado no encerramento da VII temporada do Show do Mês. O projecto da Nova Energia colocou Carlos Burity, Kweno Ayonda, Waldemar Bastos, Jivago e Teta Lágrimas nas estrelas.

C4 Pedro: “Estou muito feliz por ter homenageado a beleza da pele negra”

há 1 mês
Datada de 7 de Julho de 2020, a música que faz ode à pele negra acaba de “ganhar” um videoclipe. Filmado em Moçambique pelas lentes de DJ Marcel, faz juz a beleza da pele negra em toda sua plenitude, quer pelo cenário idílico ou pela diversidade dos traços.

Gilmário Vemba fala do seu futuro no cinema

há 1 ano

Produtora do hit “Comboio” dos Lambas prepara álbum inédito e dois espectáculos

há 7 meses
A Seres Produções é conhecida por lançar o grupo Os Lambas com o CD “Estado Maior do Kuduro”, e o disco “Batida Única” de Bruno M. No próximo dia 25 deste mês, a produtora vai celebrar 20 anos de existência.

Luandina e Nagrelha juntos em nome da população

há 11 meses
Depois do show live no Domingo passado, na Zimbo, que liderou as audiências, com o patrocínio da Luandina, reuniu-se com a equipa de marketing e Administração da Sodiba no sentido de apresentar os diversos projectos que tem em mente para ajudar a melhorar a vida das comunidades em que tem maior influência. Foram debatidas ideias e planeados os próximos passos para transformar sonhos em realidade.

Prodígio: “acredito que a arte tem que reflectir a sociedade, a minha vida, a dos meus e dos outros”

há 9 meses
Durante o longo vídeo nas suas redes sociais, sobre a morte do jovem de 23 anos no Prenda, o músico começou por esclarecer que não pretende defender qualquer artista, entretanto, realçou que é imprudente a sociedade olhar as coisas de um único ponto de vista, porque os músicos também têm liberdade de escolha.

Rihanna é “coroada” a cantora mais rica do Reino Unido

há 11 meses
A artista entra na categoria `Rich Times´ do Sunday Times, ocupando a 3ª posição com uma fortuna equivalente a 326 biliões de Kwanzas, acima de Adele, Ed Sheeran e Mick Jagger.

“Geração de Glória” da música nacional é homenageada no programa ‘Ao Vivo’

há 3 meses
Um show com a actuação de oito artistas consagrados angolanos marcará a estreia, dia 8 de Janeiro, no Canal ZAP Viva, do programa Ao Vivo – Homenagem à Música. Doravante, será assim todas as sextas-feiras à noite

Licenciado Em Conteúdos: um rapper contestatário que não pára de atrair público

há 5 meses
Licenciado Em Conteúdos atrai popularidade desde 2011, por causa da forma subtil com que encadeava, num único verso, vários acontecimentos, e hoje está a se transformar na principal referência do Rap Under do Bairro Huambo, Rocha Padaria, em Luanda.

Conheça Márcia Itchêlika, a nova promessa do Guetho Zouk

há 9 meses
Começou no Kuduro e hoje constrói uma carreira sólida no Guehto Zouk. Já lançou quatro músicas e está neste momento a gravar um videoclipe, enquanto projecta o primeiro EP. ‘Dona de uma voz forte’, Márcia Itchêlika vem de uma família de sembistas, mas assume-se como a esperança feminina do Zouk em Angola e elegeu o mercado internacional para começar suas conquistas.

TOP 10 – LOVE SONGS

há 4 meses

Cerca de 70 mil fãs assinam petição para remover Kylie Jenner do videoclipe Wap

há 8 meses
As razões para a aversão, têm sido relactadas pela imprensa internacional como uma consequência do episódio que aconteceu no princípio deste ano, quando Kylie foi acusada de apropriação cultural.

Festividades do Dia Internacional do Jazz memoram a figura de Waldemar Bastos

há 2 semanas
Foram apresentados pormenores daquela que será a 10ª edição do evento em comemoração a efeméride, que este ano irá reoxigenar a obra de Waldemar Bastos -in memoriam-.