ORLEI: Há 10 anos a provar que o Rock em Angola já não morrerá

O movimento nasceu antes da independência e, lentamente, se definha como uma cultura própria solidificada por pequenos e grandes concertos como o ORLEI. Devido sua magnitude, O Rock Lalimwe Eteke Ifa ” O Rock Nunca Mais Morrerá ” confunde-se com as celebrações da fundação da cidade do Huambo. Este ano, o evento assinala o 10° aniversário e a organização reinventou-se e trouxe 10 dias de espectáculos intensos com as principais bandas de Rock nacional.

O festival acontece de 20 a 30 de Setembro, no Huambo, e marca 109° aniversário desta cidade. Qual será o mote para este ano?
Neste ano comemoramos a nossa primeira década, o que constitui para nós um marco histórico, tendo em conta a nossa história de resiliência para chegarmos até aqui. Como marco, celebraremos esta história em 10 dias de muito rock, recordações  e testemunhos.

O festival normalmente se confunde com as celebrações do aniversário da cidade do Huambo.
O festival faz anos no mesmo dia da cidade do Huambo, e isso é propositado em homenagem a esta cidade que nos acolheu. Este ano não será diferente. Realizaremos o festival no mês de Setembro,  só que de forma diferente como se impõe por causa da pandemia.

Diferente das edições anteriores, desta vez os espectáculos não contarão com a presença do público. Como será isso? 
Será tudo por via digital e transmissão televisiva. Vamos assistir ao festival no sofá ou onde quer que estejamos desde que tenhamos um dispositivo ligado a internet.  Isso é triste,  pois gostamos mesmo de festejar todos juntos com muitos abraços mas,  com certeza de que nos divertiremos também. O bom disso é que o mundo inteiro vai poder ver, e acho que será emocionante ter várias pessoas nos quatro cantos do mundo a assistirem ao festival de rock de Angola.

O Rock não é apenas um género musical, é um estilo de vida, cuja característica principal é o psicadelismo. Como acha que os amantes da cultura poderão encarar esta mudança? 
Creio que com muita nostalgia, mas ligados aos diversos grupos de Whatsap, Instagram  e outros, mandando vídeos sobre o que está a acontecer no sítio onde se está, conversando, comentando, tudo por esta via.

Na 9ª edição tivemos Clington Experiment, Tiranuz, Ancestrais, Dor Fantasma, Black Soul, M’vula, Lunna, Kishi, Beside e Dji Tafinha. Como é que previa esta edição, não fosse a pandemia?
Caso não fosse a pandemia, este ano teríamos mais bandas e mais actividades que começariam bem com pelo menos dois meses de antecedência nas diversas províncias e traríamos mais uma banda de fora, pintaríamos o nosso mural no Huambo, homenagearíamos algumas bandas, e faríamos o melhor festival.

Apesar das limitações impostas, continuamos a ter transmissão televisiva. O movimento quer dizer que se venceu a discriminação no país?
Desde 2012 que temos transmissão televisiva. Em 2012 foi no programa flash da tpa e desde 2013 que tem sido a TV zimbo nos seus programas culturais. Nesse aspecto não sinto que haja discriminação, apesar de passarem nas suas grelhas musicais muito pouco rock. Quanto ao resto, socialmente ainda sinto que haja alguma discriminação, mas isso se supera com conhecimento e consumo de boa informação.

Por que  acha que isso acontece ? 
Por falta de cultura, por tabús, por falta de informação, por comodismo.

Desde que começaram a promover a cultura rock, que comparação fazem, em termos de evolução? 
Houve um aumento qualitativo e quantitativo de produções de espectáculos rockers, bandas, subestilos, álbuns gravados, prémios nacionais e internacionais, participação das nossas bandas em festivais fora de Angola, mais províncias a fazerem rock, mais canais de comunicação nacional a falarem disso e o nosso movimento mais coeso.

Luanda, Benguela, Lubango e Huambo, nota-se uma evolução no que respeito ao consumo da música Rock. Que planos têm traçado para convencerem as restantes províncias? 
Há também bandas de rock no Uige e em Cabinda. Nós fazemos o que podemos com muitas dificuldades,  e vamos divulgando o nosso trabalho. Cabe às outras províncias se interessarem e fazerem também,  e nesse caso apoiamos com a nossa experiência e união.

Pela vossa experiência, qual foi o melhor período do movimento e porquê?
O movimento melhora a cada ano. Houve um período  em que realizavamos mais actividades. Benguela tinha o Caribe, o Overdrive,  o Avalanche Metal, o festival do bairro da Luz. Luanda tinha o King’s Club; Huambo, a Casa de Rock; Lubango, o Ar de Rock Café; Catumbela, o Rock no Rio Catumbela, além  de muitas casas que recebiam as bandas em concertos. Os tempos de crise afectaram bastante estas actividades, mas o Rock não morre nunca.

Uma das grandes novidades no ano passado foi a presença de Dji Tafinha e este ano voltam a trazer Kizua Gourgel. O que significa isso? 
Esta é a quarta vez do Kizua, que até com banda já tocou. Isso significa que estamos a cooperar com músicos talentosos, com letras e músicas bem estruturadas, que têm uma vibe que nos apraz, e que têm também o seu público a a ouvir rock e ver a versatilidade do próprio músico.

O que se pode esperar durante os 10 dias de espectáculos ?
Podem esperar por bandas maduras, subestilos desde o Rock Balada ao Metal, qualidade e capacidade de execução dos músicos , entrevistas engraçadas, 10 dias de festival e maior conhecimento sobre o Rock angolano nas vozes de Kizua Gourgel, Before Crush, Black Soul, Fios Eléctricos, Clington Experiment, Zé Beato, Beside, Ovelha Negra, Kosmik, Tiranuz, Lunna, SoulFree, Pop Show, Sobreviventes e The Dreamers.

as cargas mais recentes

The Game pede batalha the hits com 50 Cent

há 10 meses
Desde os primeiros meses de emissão, Verzuz é, para muitas estrelas, uma boa alternativa para contrapor os encontros com seus fãs, impedidos devido o Covid-19. Depois de vários pedidos, The Game disse que está preparado para um frente a frente com 50 Cent.

Anna Joyce: “Não existe a mínima possibilidade de parar de cantar”

há 1 ano
Após notícias em alguns sites sobre a intenção de pôr fim à sua carreira por motivos de saúde, Anna Joyce tranquiliza os fãs, esclarecendo que, apesar de estar acometida com uma doença do fórum neurológico, “não existe a mínima possibilidade de parar de cantar”.

Netflix lança teaser do documentário sobre Kanye West

há 4 semanas
Seis meses após noticiarmos que um documentário sobre Kanye West vem sendo produzido há duas décadas, a Netflix confirmou o facto com o lançamento do teaser e divulgação do título, Jeen-Yuh.

Sam Smith está a enfrentar problemas mentais

há 1 ano
O cantor reiterou aos fãs que lida com questões de saúde mental no seu dia-a-dia, uma situação que caminha para o mais difícil “serão mais difíceis que os outros dias”, admite.

Sambieventos, Os Lambas, Luandina e BASEL juntos contra a crise e contra a pandemia

há 1 ano

Guardiões da Galáxia 3 marca fim de ciclo do elenco

há 1 ano
Após afirmar que Guardiões da Galáxia Vol. 3 não será adiado por conta da pandemia do Coronavírus, o director James Gunn revelou que este pode ser o último com o elenco actual.

Tributo a Chadwick Boseman chega a Netflix dia 17 e estará disponível por apenas 30 dias

há 6 meses
A Netflix surpreendeu os internautas, ao divulgar sem aviso prévio, o trailer do documentário `Chadwick Boseman- Retrato de um artista´.

Já estão ocupados 1513 lugares para o show das Gingas

há 2 anos
Após finalizada a primeira sessão de venda de ingressos para Gingas, o Reencontro, o coordenador geral do concerto, Figueira Ginga, fez um balanço da adesão de fãs e avaliou que o resultado foi “um grande sucesso”.

Fat Joe e Ja Rule protagonizam o próximo Verzuz battle

há 2 meses
Fat Joe e Ja Rule são os próximos MCs no frente a frente do Verzuz battle, que acontece no próximo dia 14 de Setembro em Nova York.

Dia da Criança Africana é assinalado com tarde cultural na Fundação Arte e Cultura

há 4 meses
Alunos das Escolas de Música e de Arte da Fundação Arte e Cultura protagonizam tarde cultural no Dia da Criança Africana.

A’mosi Just a Label dá concerto em dose dupla

há 6 meses
A’mosi Just a Label em concerto, acontece nos dias 08 de Maio, na Casa das Artes no Talatona, pelas 19:00 e 09 de Maio, na Casa da Juventude, em Viana, às 19:00 horas.

Cardi B vai a julgamento por colocar tatuagem de um homem na capa do seu álbum

há 11 meses
Cardi B usou no projecto Gangsta Bitch Music Vol. 1, lançado em 2016, como capa a imagem de Kevin Brophy Jr., o homem alega que a rapper retratou sua semelhança de “ forma enganosa, ofensiva, humilhante e sexual”.

É oficial, `BomSom TV´ ficará disponível em Angola a partir de 1 de Julho

há 5 meses
Hoje Anselmo fez saber que a BomSom redireccionou o seu Score business e deixa doravante de agenciar artistas, por incompatibilidade com os projectos preconizados. Sobre a BomSom TV, sabe-se já que é um canal democrático que servirá como veículo de cruzamento para a música dos Palop e ao embaixador dos ritmos africanos.

Festival do cinema tunisino arranca em formato digital

há 1 ano
A terceira edição do Festival do Cinema Documentário Mediterrâneo na Tunísia (DocuMed), que arrancou ontem, será realizado em edição digital, devido à crise sanitária mundial da covid-19, indicaram os organizadores.

PLASTICIDADES Anti-Covid-19: Exposição em homenagem a Paulo Jazz pode ser vista até ao dia 31

há 9 meses
A exposição que memora a vida e obra de Paulo Jazz, foi inaugurada no passado dia 4 de Janeiro e insere-se nas celebrações do Dia da Cultura.

2020: Um ano trágico para a música angolana

há 10 meses
Calaram-se as vozes, mas as obras serão sempre lembradas. Exemplo disso, aconteceu sábado no encerramento da VII temporada do Show do Mês. O projecto da Nova Energia colocou Carlos Burity, Kweno Ayonda, Waldemar Bastos, Jivago e Teta Lágrimas nas estrelas.