ORLEI: Há 10 anos a provar que o Rock em Angola já não morrerá

O movimento nasceu antes da independência e, lentamente, se definha como uma cultura própria solidificada por pequenos e grandes concertos como o ORLEI. Devido sua magnitude, O Rock Lalimwe Eteke Ifa ” O Rock Nunca Mais Morrerá ” confunde-se com as celebrações da fundação da cidade do Huambo. Este ano, o evento assinala o 10° aniversário e a organização reinventou-se e trouxe 10 dias de espectáculos intensos com as principais bandas de Rock nacional.

O festival acontece de 20 a 30 de Setembro, no Huambo, e marca 109° aniversário desta cidade. Qual será o mote para este ano?
Neste ano comemoramos a nossa primeira década, o que constitui para nós um marco histórico, tendo em conta a nossa história de resiliência para chegarmos até aqui. Como marco, celebraremos esta história em 10 dias de muito rock, recordações  e testemunhos.

O festival normalmente se confunde com as celebrações do aniversário da cidade do Huambo.
O festival faz anos no mesmo dia da cidade do Huambo, e isso é propositado em homenagem a esta cidade que nos acolheu. Este ano não será diferente. Realizaremos o festival no mês de Setembro,  só que de forma diferente como se impõe por causa da pandemia.

Diferente das edições anteriores, desta vez os espectáculos não contarão com a presença do público. Como será isso? 
Será tudo por via digital e transmissão televisiva. Vamos assistir ao festival no sofá ou onde quer que estejamos desde que tenhamos um dispositivo ligado a internet.  Isso é triste,  pois gostamos mesmo de festejar todos juntos com muitos abraços mas,  com certeza de que nos divertiremos também. O bom disso é que o mundo inteiro vai poder ver, e acho que será emocionante ter várias pessoas nos quatro cantos do mundo a assistirem ao festival de rock de Angola.

O Rock não é apenas um género musical, é um estilo de vida, cuja característica principal é o psicadelismo. Como acha que os amantes da cultura poderão encarar esta mudança? 
Creio que com muita nostalgia, mas ligados aos diversos grupos de Whatsap, Instagram  e outros, mandando vídeos sobre o que está a acontecer no sítio onde se está, conversando, comentando, tudo por esta via.

Na 9ª edição tivemos Clington Experiment, Tiranuz, Ancestrais, Dor Fantasma, Black Soul, M’vula, Lunna, Kishi, Beside e Dji Tafinha. Como é que previa esta edição, não fosse a pandemia?
Caso não fosse a pandemia, este ano teríamos mais bandas e mais actividades que começariam bem com pelo menos dois meses de antecedência nas diversas províncias e traríamos mais uma banda de fora, pintaríamos o nosso mural no Huambo, homenagearíamos algumas bandas, e faríamos o melhor festival.

Apesar das limitações impostas, continuamos a ter transmissão televisiva. O movimento quer dizer que se venceu a discriminação no país?
Desde 2012 que temos transmissão televisiva. Em 2012 foi no programa flash da tpa e desde 2013 que tem sido a TV zimbo nos seus programas culturais. Nesse aspecto não sinto que haja discriminação, apesar de passarem nas suas grelhas musicais muito pouco rock. Quanto ao resto, socialmente ainda sinto que haja alguma discriminação, mas isso se supera com conhecimento e consumo de boa informação.

Por que  acha que isso acontece ? 
Por falta de cultura, por tabús, por falta de informação, por comodismo.

Desde que começaram a promover a cultura rock, que comparação fazem, em termos de evolução? 
Houve um aumento qualitativo e quantitativo de produções de espectáculos rockers, bandas, subestilos, álbuns gravados, prémios nacionais e internacionais, participação das nossas bandas em festivais fora de Angola, mais províncias a fazerem rock, mais canais de comunicação nacional a falarem disso e o nosso movimento mais coeso.

Luanda, Benguela, Lubango e Huambo, nota-se uma evolução no que respeito ao consumo da música Rock. Que planos têm traçado para convencerem as restantes províncias? 
Há também bandas de rock no Uige e em Cabinda. Nós fazemos o que podemos com muitas dificuldades,  e vamos divulgando o nosso trabalho. Cabe às outras províncias se interessarem e fazerem também,  e nesse caso apoiamos com a nossa experiência e união.

Pela vossa experiência, qual foi o melhor período do movimento e porquê?
O movimento melhora a cada ano. Houve um período  em que realizavamos mais actividades. Benguela tinha o Caribe, o Overdrive,  o Avalanche Metal, o festival do bairro da Luz. Luanda tinha o King’s Club; Huambo, a Casa de Rock; Lubango, o Ar de Rock Café; Catumbela, o Rock no Rio Catumbela, além  de muitas casas que recebiam as bandas em concertos. Os tempos de crise afectaram bastante estas actividades, mas o Rock não morre nunca.

Uma das grandes novidades no ano passado foi a presença de Dji Tafinha e este ano voltam a trazer Kizua Gourgel. O que significa isso? 
Esta é a quarta vez do Kizua, que até com banda já tocou. Isso significa que estamos a cooperar com músicos talentosos, com letras e músicas bem estruturadas, que têm uma vibe que nos apraz, e que têm também o seu público a a ouvir rock e ver a versatilidade do próprio músico.

O que se pode esperar durante os 10 dias de espectáculos ?
Podem esperar por bandas maduras, subestilos desde o Rock Balada ao Metal, qualidade e capacidade de execução dos músicos , entrevistas engraçadas, 10 dias de festival e maior conhecimento sobre o Rock angolano nas vozes de Kizua Gourgel, Before Crush, Black Soul, Fios Eléctricos, Clington Experiment, Zé Beato, Beside, Ovelha Negra, Kosmik, Tiranuz, Lunna, SoulFree, Pop Show, Sobreviventes e The Dreamers.

as cargas mais recentes

Alice Julie mostra os frutos da parceria com a Milionário Records

há 2 meses
Desde pequena sonhou em se tornar numa estrela da música, um desejo que será agora materializado pela Milionário Records. A mais recente aposta da produtora já começou a trabalhar para os seus dois primeiros álbuns e esta sexta-feira (27) vai testar o público com o single “Encaixe Perfeito”.

“Mulher Infinita” de Lourenço Mussango chega às bancas esta semana

há 1 mês
O escritor Lourenço Mussango, Prémio Literário António Jacinto 2020, vai autografar na próxima quinta-feira (10), no Memorial António Agostinho Neto, a sua primeira obra literária.

Stela de Carvalho incrementa locução ao seu CV

há 2 meses

Já em contagem decrescente, show dos Versáteis é aguardado com enorme expectativa

há 5 meses
Os Versáteis continuam vivos e sabe-se que vão protagonizar, amanhã uma grande apresentação na televisão pública de Angola.

Toty Sa´Med de quarentena em Portugal

há 10 meses
O músico angolano Toty Sa´Med “viu” cancelados os dois concertos que tinha agendado na Europa, por causa da pandemia Coronavírus.

Música dos Linkin Park ultrapassa 1 bilião de visualizações no YouTube

há 7 meses
‘In the End’, do album “Hybrid Theory”, publicado em 2000, acaba por entrar na história, por ultrapassar, esta semana, mil milhões de visualizações no YouTube. O clássico dos Linkin Park é o segundo da banda a conseguir tal feito.

Man Renas: “Tinha agendada uma tour pela Europa, mas foi tudo cancelado devido o Covid-19”

há 9 meses
Nem mesmo ele consegue explicar o “milagre”. Em apenas dois anos como profissional, Man Renas escreve a sua história. Diferente de outros, o djing foi o mais prejudicado pelo Covid-19. Teve que ver “tudo” cancelado. Mas, ainda assim, está a preparar um projecto invejável.

Bigger Love: Novo álbum de John Legend celebra a música negra

há 7 meses
John Legend tornou pública a capa e a track list do seu novo álbum, a ser lançado dia 19 de Junho, com recurso à riqueza da música negra tradicional, o artista quer levar alegria e esperança ao movimento Black Live Matter.

TEDxLuanda `R:VISITED´ acontece já no próximo domingo

há 1 mês
A organização do TEDxLuanda, fez saber hoje em nota, que regressa para a 6ª edição, num formato on-line gratuito e adaptado às circunstâncias actuais, devido a pandemia da COVID-19.

3ª Aniversário do Património Cultural Mundial de Mbanza Kongo é celebrado com actividades online

há 6 meses
Assinala-se a 8 de Julho de 2020 o 3.º aniversário desde a elevação do centro histórico de Mbanza Kongo, a Património Cultural Mundial. A secular cidade angolana de Mbanza Kongo, na província do Zaire, foi inscrita pelo Governo angolano como Património Cultural da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), sendo a primeira validada no país por aquela Organização.

Tensão entre Anitta e Ludmilla volta a aumentar e dessa vez Snoop Dogg foi o pivó

há 7 meses
O rapper norte-americano comemorou através de uma publicação no Instagram, os 95 milhões de views da música ‘Onda Diferente’ no Youtube. Na mesma publicação, Snoop agradeceu apenas Anitta e Papatinho pela música, que tem participação e foi escrita por Ludmilla, deixando no ar um clima de tensão, que o “obrigou” a fazer uma nova publicação.

UNAC quer aumentar espaços culturais no país

há 8 meses
Segundo o presidente da referida instituição de utilidade pública, José Fernandes, o aproveitamento dos espaços é a prioridade da UNAC, para ajudar a impulsionar o sector artístico, realçando que um melhor aproveitamento dos recintos culturais poderá garantir aos artistas, profissionais e amadores, mais espaços e oportunidades para apresentarem os seus trabalhos.

Tributo a Pitágoras Neto

há 8 meses
O co-fundador da Carga Magazine, Pitágoras Neto completaria 42 anos hoje, 12 de Maio. Relembramos o início da trajectória do jovem empreendedor na publicação que foi fundada há 10 anos e representa a voz de uma geração e o rosto de um movimento, que cada vez mais se afirma através da música.

Afeni e Tupac Shakur documentados em nova série

há 7 meses
Em cinco episódios, `Outlaw: The Saga Of The Shakurs´ traz um retracto íntimo e amplo da dupla mãe e filho, mais inspiradora e perigosa da história americana, cuja mensagem unificada de liberdade, igualdade, perseguição e justiça é mais relevante hoje do que nunca.

“Tá a bater” volta às telas amanhã

há 9 meses
Após um interregno em virtude do actual estado de emergência, o “Tá a barter” estreia, a partir deste fim-de-semana, uma nova temporada que será marcada por duas horas de emissão, em directo, e com novas rubricas.

Michigan aprova proposta de lei de reforma penitenciária de Meek Mill e Jay-Z

há 2 semanas
A Legislatura do Estado de Michigan aprovou, esta segunda-feira, um conjunto de leis que vão remodelar o sistema de liberdade e liberdade condicional. A lei declara, num dos pontos, a redução das sentenças de liberdade condicional de crimes adultos de cinco para três anos.