Papekas: “Quero mostrar que o Rap pode ser a mistura certa para todo o tipo de género musical”

Papekas é um rapper que ganhou notoriedade nos freestyles da escola e hoje invade os  mercados moçambicano e sul-africano. O artista tem se dedicado ao Rap acústico. A partir de Johannesburg, deixa os primeiros registos de uma proposta inovadora para Rap angolano.

Como é que entra para a música?
Não tenho a certeza devido ao facto que comecei a fazer o meu nome com o freestyle no colégio, depois nas ruas e comecei a entrar em estúdio fazendo participações, mas sei que já lá vão uns 10 e poucos anos.

Quando é que começa a ganhar notoriedade profissional?
A minha primeira música a solo tem 4 anos, daí é o momento que considero pois daí comecei a ter mais notoriedade.

Como é que foi parar na África do Sul?
Vivo na África do Sul há 5 anos, mas nasci em Portugal. Os meus pais São angolanos mas nasci e cresci lá e fui para Angola com 13 ou 12 anos de idade.

Esta a se preparar para apresentar o seu primeiro projecto musical. Conte-nos um pouco sobre isso…
Não é o primeiro. Já apresentei dois Projectos musicais: a mixtape “Bars”, que foi um projecto principiante a nível de produção, consistia em mandar uma faixa toda a sexta-feira do mês de Julho de 2018 e a mixtape “Consumo Obrigatório”, que tem menos de um ano e é um projecto mais completo.

E agora, o que vai apresentar propriamente?
Este é um projecto acústico com mistura de Rap. Acredito que seja algo único em Angola, pelo menos com isso espero levar a música angolana para outros horizontes como muitos têm feito, mas do meu jeito. Quero mostrar que o Rap pode ser a mistura certa para todo o tipo de género musical, daí o formato diferente, a ousadia e até os temas serão bem abrangentes.

Quando é que será publicado?
Planeio fazer isso em Dezembro, publicar em todas as plataformas digitais de fácil acesso.

Que estratégia adoptou para a produção?
Ainda por anunciar mas só gente com talento. Um deles será o “Dj Flaton Fox” que é um dos melhores Dj’s Angolano residente na Africa do Sul.

Qual será o título do EP?
“Eu, uma viola e o Zé Bonitinho”, terá  5 faixas musicais.

Depois disso, o que se segue?
Lançarei algumas tracks, a parte do projecto. Algumas delas, tenciono fazer videoclipes, mas num formato para o YouTube.

A que produtora está associado?
De momento oficialmente a nenhuma.

Como consegue trabalhar desta maneira?
Não é fácil, mas quem corre por gosto não se cansa, acho que o momento chegou para fazer isso ate porque já tive muita preguiça com relação a isso e por outra “campeões sabem que grandes objectivos não se conseguem de forma fácil então gere-se”.

Que artistas angolanos gostaria partilhar uma letra?
Muitos, muitos mesmo. Como a lista é muito grande citarei o Anselmo Ralph.

Que outros projectos  participou?
Surpresas a caminho.

Que palcos se tem apresentado normalmente?
Bares, shows grandes a convite de outros cantores, festas temáticas, outros países de momento só Moçambique.

Quando é que vem a Luanda protagonizar um espectáculo?
Vou fazer um show intimista se Deus quiser ainda esse ano, mas grande show so para quando fizer bigger things.

O que seus seguidores podem esperar de si?
Contem com muito que venho com tudo extra e esquebra.

as cargas mais recentes

Álbum `Luanda, Meu Semba – Instrumental´ está finalmente disponível em digital

há 1 ano
A obra de Né Gonçalves finalmente acerta o passo nas plataformas digitais, podendo-se escutar os três álbuns, editados pelo artista on-line nos serviços de streaming.

Né Gonçalves: uma figura histórica da música angolana que decidiu se reinventar

há 1 ano

Após cerimónia de atribuição dos Grammy Lil Wayne manda um “vai te lixar” à organização

há 1 ano

C4 Pedro é o artista mais ouvido em Angola em 2021

há 5 meses
Feitas as contas nada mais resta, a não ser começar a fazer o balanço para analisar os custos e proveitos do ano 2021. Na classe artística, propriamente na música, C4 Pedro, Paulo Flores, Anselmo Ralp fecham 2021 em grande.

Mediateca de Luanda celebra a semana do Ambiente

há 1 ano
“Bonjour le Monde“ de AnneLise Koelher e Eric Serre, e “Il était une forêt” de Luc Jacquet, são os dois (02) filmes que serão apresentados respetivamente, nos dias 14 e 15 de Abril de 2021 na Mediateca de Luanda em celebração ao Mundial da Terra.

Atletas manifestam-se contra punição de Sha’Carri Richardson das Olimpíadas de Tóquio

há 11 meses
A velocista norte-americana foi suspensa das Olimpíadas, na manhã de sexta-feira, após testar positivo para THC, segundo a Agência Antidoping dos Estado Unidos da América.

Robertinho mostra todo seu potencial no álbum ‘Nguma’, o terceiro da carreira

há 1 ano
O músico Fernando Lucas da Silva “Robertinho” anunciou a gravação do seu terceiro disco, intitulado “Nguma”, com saída prevista para o meio do ano.

Thó Simões constrói mural para referências da música angolana

há 10 meses
Tratam-se de figuras como Carlos Burity, Waldemar Bastos, David Zé, Artur Nunes, Lourdes Van-Dunem, Teta Lando, Bangão,Teta Lágrimas, entre tantos outros que já não fazem parte do mundo dos vivos.

Eva RapDiva: “Dou bons conselhos nas minhas músicas e não vejo a maior parte das jovens a seguirem”

há 1 ano

Tropa Yogaa apresenta último vídeo da saga “Tá Rebolar”

há 2 anos
No próximo sábado, a dupla vai apresentar o último dos três videoclipes do novo projecto “Tá Rebolar”, um projecto em que pretende provar que é muito mais fácil combinar o fisioculturismo à música e à dança.

TANB lança “2020”: O registo sonoro de um ano marcante

há 1 ano
São 12 faixas onde nos conduz numa viagem sonora por acontecimentos marcantes, desde a pandemia ao desconfinamento, da violência policial às eleições americanas, sem esquecer a corrida ao papel higiénico.

Lady Petya apresenta oficialmente o seu álbum de estreia

há 1 ano

Renata Torres leva monólogo ‘Parto Rosa’ ao festival Mindelact

há 6 meses
Numa breve conversa com a Carga Magazine, a autora fala sobre os ganhos deste intercâmbio, bem como os novos caminhos que este projecto vai tomar em breve.

Cantor de 12 anos ganha contrato milionário por fazer a cappella durante protestos

há 2 anos
Keedron Bryant ficou conhecido por se destacar durante os protestos anti-racismo nos Estados Unidos da América. Um dia depois da morte de Floyd, o adolescente fez a cappella no Instagram de uma musica sua e, menos de três semanas, a canção gospel atingiu mais de três milhões de visualizações, obrigando a Warner Record’s a contratá-lo.

Moniz Silva é o novo presidente da FAB

há 1 ano
Com 17 votos, o antigo vice-presidente do 1º de Agosto Moniz Silva venceu as eleições na Federação Angolana de Basquetebol, tornando-se no seu novo presidente.

Kyaku Kyadaff regressa ao Show do Mês

há 1 ano
O show do mês de Abril marca o regresso do músico ao projecto que conhece bem, depois de várias passagens nas temporadas anteriores, com destaque para 2015 em que foi o cabeça de cartaz.