Prodígio: “acredito que a arte tem que reflectir a sociedade, a minha vida, a dos meus e dos outros”

Ao reagir às críticas sobre a passividade da classe artísticas perante os problemas sociais e as acções de brutalidade policial, o rapper elogiou e ao mesmo tempo reprovou a atitude, esclarecendo que o músico não é obrigado a defender o povo, mas sublinha, por outro lado, que não respeita a arte de quem não defende a sociedade. 

Durante o longo vídeo nas suas redes sociais, sobre a morte do jovem de 23 anos no Prenda, o músico começou por esclarecer que não pretende defender qualquer artista, entretanto, realçou que é imprudente a sociedade olhar as coisas de um único ponto de vista, porque os músicos também têm liberdade de escolha.

“Não vamos ser maus com os nossos irmãos. São escolhas pessoais. Não quero limpar a cara suja dos bajuladores, é uma escolha que foi sistemática… e muitos manos e manas preferem não reflectir o que se passa no mundo”, analisou.

No seu entender, existem músicos da linha da frente e músicos  bajuladores, e isso são escolhas pessoais. “Nem toda a gente está disposta a passar fome. Vocês não têm noção o que passam os músicos que se levantam por vocês”, disse, exortando, para que as pessoas deixem de ser  juízes do tribunal supremo da vida na Internet. 

Com olhos humedecidos de emoção, o autor de Castelos, disse acreditar, por outro lado, que a arte deve reflectir a vida do povo e dos seus, por isso, não respeita a arte que não espelha a sociedade. ”

“Eu, pessoalmente, acredito que a arte tem que reflectir a sociedade, a minha arte tem que reflectir a minha vida, a vida dos meus e a vida dos outros. Um mano que só quer sustentar e que vai nos kotas… Eu não respeito a arte dele, mas respeito a escolha dele. Não vamos tirar aos outros o direito de decidir. Nós não somos mais pessoas que os outros”, aconselhou.

Para Prodígio, os músicos que optam por tal atitude, fazem-no por falta de opção, pois não há no país indústria da música, o que leva a que os artistas se tornem bajuladores.

“Temos um país sem indústria musical e os kotas acostumaram os meus irmãos a ter que ajoelhar para ter kumbu”, lamentou.

Por outra, o rapper lembrou que não cabe aos músicos defender o povo, pois ao músico cabe somente cantar. “Nós temos que bater a porta da polícia, foi a polícia que matou o José,  não foram os artistas. Eu, pessoalmente, acho que o meu dever está na música”, pontuou.

Questionou ainda por que razão os deputados não repudiam essas acções nas suas redes sociais, uma vez que também têm Instagram e Twitter.

“Quem dá arma a essas pessoas? Não é com os nossos irmãos, que agora com o Covid-19 não têm trabalho. São bajus, mas são nossos e eu os amo. São meus. Eu entendo o incentivo, mas só que tem que ser doutra maneira”, concluiu.

as cargas mais recentes

Máscara Mwana Pwo exibida num filme de Hollywood. Afinal, ela pertence a Angola ou RDC?

há 2 meses
Mwana Pwo simboliza a beleza e a figura da mulher, encarnando a ancestralidade feminina dos lundas-cokwe, e está a ser exibida num filme de Hollywood, transparecendo que a mesma pertence à tribo vizinha dos mbangani, da República Democrática do Congo.

Yuri da Cunha: “Mais do que lançar um disco, quero ajudar a contar a história musical de Angola”

há 3 meses
Com quatro shows programados para os dias 9, 10, 17 de Abril e dia 1 de Maio, Yuri da Cunha acaba de reafirmar o compromisso de ser a “ponte” entre a nova geração e a historiografia da música popular.

Novo álbum de Reptile já está disponível

há 7 meses
O sétimo álbum de Replite intitula-se I.C.O.N (Invejosos Continuam a Odiar o Nikka) e pode ser ouvido a partir do Kisom Unitel, mas também terá edições físicas. Traz, entre outras, vozes de Preto Show, Rui Orlando e Tchoboli.

Espaço online de debates discute sobre “A Criança e o ensino das Artes plásticas”

há 9 meses
O espaço online de debate FALE CONNOSCO traz à discussão nesta sexta-feira, 25 de Setembro de 2020, das 14h às 15h30, o tema “A Criança e o ensino das Artes Plásticas”, e contará com convidados de painel o professor de Artes Plásticas e artista plástico Gilberto Kapitango e a professora de Reciclagem e Decoração, Conceição Manuel, podendo ser transmitida ao vivo na página oficial de facebook da Fundação, numa iniciativa conjunta entre a Fundação Arte e Cultura, Instituto Nacional da Criança, INAC e do Unicef Angola.

“Nenhum de nós tem vaidade, não há egos aqui”

há 1 ano
Okwami ultimam os preparativos para o primeiro grande show, dia 26 de Março.

Nova geração celebra música moçambicana com o EP “Seguir em Frente”

há 8 meses
Um projeto, para ouvir com o volume no máximo, que reúne jovens talentos moçambicanos para celebrarem a música africana, da kizomba ao afro pop, sem esquecer o pandza.

Show do Mês viaja pelos anos dourados da música angolana

há 1 ano
Com objectivo de recriar alguns dos maiores sucessos dos anos 80, o Show do Mês vai juntar alguns dos nomes mais sonantes daquele período para um concerto Live, no dia 27 de Julho (sábado).

Anselmo Ralph cancela venda pública e opta pelo digital

há 1 ano
Dia 20, a partir das 17 horas, os fãs poderão adquirir de forma segura o novo CD, no formato digital, e desfrutar do sétimo trabalho discográfico do autor de Cupido.

Álbum ‘Chromatica’ de Lady Gaga ganha programa de rádio

há 11 meses

Chris Brown não quer batalha de hits com Usher

há 11 meses
Depois do encontro de Snoop Dogg e DMX, na passada quarta-feira e enquanto fãs de R&B estão expectantes por um encontro entre Keyshia Cole e Ashanti no Verzuz, Chris Brown antecipou-se e disse que não pretende competir com ninguém.

Matias Damásio produz novo álbum de Edmazia

há 7 meses
Segundo a cantora, que prestou essa informação, o trabalho encaminha-se para o final e no próximo ano estará disponível para os fãs.

George Floyd ganha estátua de bronze em Nova Jersey

há 6 dias
Um ano depois do seu assassinato aos 46 anos, o homem ganhou uma estátua de bronze com mais de 300 quilos, inaugurada esta quarta-feira em Newark, Nova Jersey, nos EUA.

Trocaram o mundo do crime pela música e se tornaram o fenómeno do Rap nacional

há 5 meses
Antes de se tornarem a febre do momento, os Séketxe estavam metidos no mundo do crime . Este grupo está a introduzir uma nova onda no Rap angolano. Criou o Rap-Cia, um subgénero do Trap que resulta da fusão entre o Kuduro e o Rap. Conquistou o respeito de artistas como MC Cabinda e tem atraído muita popularidade.

Coco Gauff dá cartas em Roland Garros

há 2 semanas
A demonstrar que a idade são apenas números, com a ausência de Naomi Osaka, Coco tem se destacado no torneio francês, graças a boa desenvoltura nas partidas, que a garantira um lugar entre as três mulheres na final do Grand Slam.

DMX revela que é tripolar

há 9 meses
A revelação foi feita durante o “Ruff Ryders Chronicles”, transmitido pelo canal BET. Durante a entrevista de Earl Simmons, nome de registo de DMX, que tomou um rumo mais emocional, por ser confrontado com o assunto das suas múltiplas personalidades.

Show do Mês comunica interregno do conceito `Hospitality´ mas garante continuidade das atracções

há 1 mês
`Hospitality´ consistia em receber público num espaço aberto, obedecendo a todas as medidas de segurança, mas acaba de ser descontinuado, para fazer face ao último decreto do estado de Calamidade.