Promotor revela que os artistas é que pedem para “piratear” suas obras

Fotografia: João Victor

Para que suas músicas cheguem a zonas suburbanas, muitos artistas angolanos têm de recorrer a serviços de duplicidade, vulgo pirataria. Nesses serviços, o músico paga entre 200 mil a 1 milhão de Kwanzas para a promoção de 4 faixas, durante 45 dias.

Apesar de constituir crime, segundo a lei 15/14, de 31 de Julho, sobre a protecção de direitos de autor e conexos, bem como outras legislações complementares sobre a protecção da propriedade intelectual, Gutinho, que trabalha na área há 21 anos, insiste em dizer que não é, justificando que são os próprios músicos e produtoras que procuram pelos seus trabalhos.

Com medo de perder a credibilidade dos fãs, artistas e produtoras que recorrem aos serviços de Gutinho preferem não ser identificados. Entretanto, facto é que, para que a música atinja públicos de zonas menos desenvolvidas no país depende do processo de “pirataria”, tipificado como crime de contrafacção.

A Carga manteve uma conversa reveladora com Gutinho para saber mais sobre como funciona o processo de “pirataria” de obras musicais.

Promotor revela que os artistas é que pedem para “piratear” suas obras

Há quanto tempo vem a promover músicas no mercado informal?
Na verdade, já há 21 anos, desde 1999 até hoje a fazer promoção. Profissionalmente desde 2006. Já promovi, todo o músico da nossa praça. Todo o músico da nossa praça já passou nas minhas mãos.

O que envolve este tipo de divulgação?
O processo de divulgação passa por  via CD, Internet e pendrive. Tudo quanto é  dispositivo de música.

E como funciona?
O artista contacta-nos, dou o preço, ele faz a transferência e depois executo o trabalho.

Quanto custa uma promoção?
Depende. A promoção que envolve pendrives é mais cara. A mais barata é a do CD. Os preços variam, começando dos 200 mil Kwanzas para cima.

Imagine que apareça um artista com 4 músicas, quanto cobraria?
Estamos a falar de uma EP. Se for Kuduro fica em 200 mil Kwanzas para uma promoção de 45 dias. Se for um outro estilo, podíamos puxar para 500 a 700, a 1 milhão de Kwanzas. Depende da projecção e do tempo de promoção. Também temos pacotes de três meses, seis meses.

Quantos discos consegue reproduzir por dia?
Não digo dia, mas semanalmente uns dois mil CDs saem. Antes saía mais, mas actualmente apenas consigo dois mil CDs por semana.

Como é feita a distribuição?
Os rapazes o fazem. E não só cá, os CDs vão a outras províncias, porque as províncias consomem  mais CDs do que nós. Luanda como está mais evoluída, a maior parte dos CDs vão para outras províncias.

Em que províncias possui distribuidores?
Todas da parte sul, aí conseguimos chegar mais rápido. Mas tem distribuidores em todas as províncias, se não houvesse, o música não batia lá. Temos muitos parceiros, vinte ou 40. Cada província temos dois a três.

Artistas de que estilos é que mais procuram pelos seus serviços?
Já promovi todo o artista da nossa praça. Todo o artista da nossa praça já passou pelas minhas mãos. Respondendo, agora é relativo. Outrora os artistas que têm mais nome não ficavam atrás. O nosso mercado é muito extenso, se o artista optar só para cima, aqui em baixo não tem nada. A promoção de CDs e pendrives atinge até o cidadão da última carteira. A promoção dentro dos guetos. Qualquer pessoa ouve a música. Nem todo o mundo tem acesso à internet, por isso é que nós estamos ali.

Quantos músicos já solicitaram pelo seu trabalho?
Todos os artistas, todas as produtoras. Nós promovemos artistas de todos os estilos de música. A princípio quem mais nos procuravam eram os kuduristas, mas agora todos os estilos. Entretanto, hoje por hoje, artistas do o Ghetto Zouk, Afro, Naija, Afropop são os que mais nos procuram.

Este tipo de negócio constitui crime de contrafacção e viola a lei dos direitos do autor e conexos. Está ciente disso?
Não é um crime. O chamado “pirataria” é duplicar uma obra não autorizada. O que eu faço tem a autorização do cantor. É o próprio cantor que pede a partir do seu disco original. O disco não é pirata. O que torna pirata é copiar sem a devida autorização. Porque se fossem piratas os CDs que veem nas ruas com os miúdos não podiam passar pelas alfândegas. Não há nenhum artista em Angola que não recorre ao serviço de duplicidade, que vocês imprensa chamam de pirataria. Não existe. Todo o artista angolano recorre ao processo de duplicidade para promover sua obra. Todo.

O negócio é rentável?
É. Quando já se atinge um nome grande, é rentável. Com 21 anos de carreira, as pessoas dão mais credibilidade naquilo que faço. Sou o líder do grupo PMC- Promotores musicais consagrados.

Durante esses 21 anos, que experiências viveu e gostaria de partilhar connosco?
Muita coisa, desde a banalização do nosso serviço. Outrora, fugir da polícia económica. Mas todo o artista em Angola sabe deste processo de promoção. Não há artista que nunca passou por esse processo de duplicação da sua música. Não há.

Quais são seus maiores desafios?
Continuar a fazer o mesmo processo, mas evoluindo. Atingir outras metas.

as cargas mais recentes

BNG ultimam preparativos do álbum de estreia

há 1 ano
BNG é um grupo que, há cinco anos, procura introduzir no Rap angolano um “novo” modelo de rimas baseadas em laços de amizade.

Érica Chissapa aprovada para novela portuguesa

há 10 meses
A actriz angolana Erica Chissapa fará parte do elenco da novela portuguesa “Amar demais”, da TVI.

TOP 10 – LOVE SONGS

há 11 meses

Mobbers representam Hip Hop angolano na 12.ª edição do Sumol Summer Fest

há 1 ano
O evento dedicado ao hip-hop português terá lugar de 2 a 3 de Julho de 2021, no Ericeira Camping, em Portugal. Os angolanos actuarão no primeiro dia, o mesmo em que estarão em palco os músicos Burna Boy, Saint Jhn e Piruka.

Snoop Dogg anuncia ‘From Tha Streets 2 Tha Suites’ o seu novo álbum

há 8 meses

Juninho Bill: Vocalista de sucessos infantis dos anos 80 faz vaquinha para gravar álbum a solo

há 1 ano
Juninho Bill foi um dos vocalistas do Trem da Alegria, grupo infantil brasileiro que tocou e continua a tocar em vários países da lusofonia, principalmente Angola, basta recordar o sucesso “Uni Duni Tê”.

Sabia que J. Cole é o único rapper indicado em todas categorias do género no Grammy 2022?

há 2 dias
Desta vez, Cole conseguiu uma façanha incrível, o rapper é o único a ser indicado em todas as categorias envolvendo Rap/Hip-Hop no Grammy de 2022, referente a 64° edição.

Álbum póstumo de Pop Smoke destrona Michael Jackson do topo da Billboard 200

há 1 ano
A compilação atingiu um total de 248.000 unidades vendidas na semana de estreia, tornando-se a estreia póstuma de álbuns mais vendida depois de `Thriller´ de Michael Jackson. `Shoot For The Stars Aim For The Moon´, tem sido assim considerado como um presente pré-aniversário oportuno para o Pop Smoke que completaria 21 anos no dia 20 de Julho.

As 10 músicas para ouvir na quadra natalícia

há 11 meses
A Revista Carga seleccionou dez canções de natal que apresenta como sugestões para os seus leitores em vésperas do natal, antecipando os seus votos de feliz natal.

MC Cabinda e Ascenção Music prometem deixar Cazenga em “chamas” este domingo

há 2 meses
O concerto está agendado para as 16 horas deste domingo (26) e visa proporcionar a troca de experiência entre o grupo e o consagrado músico MC Cabinda, e acontece numa altura em que se questiona a união entre a Velha e Nova Escola do Rap.

Show do Mês leva angolanos à fonte da música angolana

há 1 ano
A Nova Energia levou este sábado internautas e telespectadores a efectuarem uma viagem obrigatória à verdadeira origem da música angolana, na voz e guitarra de Carlitos Vieira Dias, considerado um dos legados vivos da música angolana.

Dave Bautista diz que The Rock não é um bom actor

há 1 ano
O actor e antigo lutador de Luta Livre, Dave Bautista, astro do filme Guardiões da Galáxia, afirmou que Dwayne Johnson “The Rock” não é um bom actor, apesar do sucesso que faz.

Álbum de Paulo Flores e Prodígio será lançado esta sexta-feira, 6 de Novembro

há 1 ano
O aguardado álbum Bênção e Maldição de Paulo Flores e Prodígio estará disponível a partir desta sexta-feira, 6 de Novembro, anunciaram ontem os músicos.

Após cerimónia de atribuição dos Grammy Lil Wayne manda um “vai te lixar” à organização

há 9 meses

Phathar Mak “pede” socorro

há 2 anos
O vídeo da nova música do rapper Phathar Mak, intitulada “Socorro”, estreia hoje na página do músico no Youtube. A música é um pedido de socorro a Deus, apelando a sua intervenção na salvação da humanidade, além de passar a mensagem de igualdade entre os seres humanos, de forma a deixar de lado o complexo de superioridade.

Dino D’ Santiago anuncia novo álbum em homenagem ao histórico povo “badiu”

há 3 semanas
No seu novo álbum, o músico faz uma homenagem aos “badius”, povo genética e eticamente oriundo da África e formados em Cabo-Verde. Exímios agricultores, este grupo caracterizava-se pela sua pele escura e destacava-se pela sua bravura e rebeldia ante a dominação colonial.