Promotor revela que os artistas é que pedem para “piratear” suas obras

Fotografia: João Victor

Para que suas músicas cheguem a zonas suburbanas, muitos artistas angolanos têm de recorrer a serviços de duplicidade, vulgo pirataria. Nesses serviços, o músico paga entre 200 mil a 1 milhão de Kwanzas para a promoção de 4 faixas, durante 45 dias.

Apesar de constituir crime, segundo a lei 15/14, de 31 de Julho, sobre a protecção de direitos de autor e conexos, bem como outras legislações complementares sobre a protecção da propriedade intelectual, Gutinho, que trabalha na área há 21 anos, insiste em dizer que não é, justificando que são os próprios músicos e produtoras que procuram pelos seus trabalhos.

Com medo de perder a credibilidade dos fãs, artistas e produtoras que recorrem aos serviços de Gutinho preferem não ser identificados. Entretanto, facto é que, para que a música atinja públicos de zonas menos desenvolvidas no país depende do processo de “pirataria”, tipificado como crime de contrafacção.

A Carga manteve uma conversa reveladora com Gutinho para saber mais sobre como funciona o processo de “pirataria” de obras musicais.

Promotor revela que os artistas é que pedem para “piratear” suas obras

Há quanto tempo vem a promover músicas no mercado informal?
Na verdade, já há 21 anos, desde 1999 até hoje a fazer promoção. Profissionalmente desde 2006. Já promovi, todo o músico da nossa praça. Todo o músico da nossa praça já passou nas minhas mãos.

O que envolve este tipo de divulgação?
O processo de divulgação passa por  via CD, Internet e pendrive. Tudo quanto é  dispositivo de música.

E como funciona?
O artista contacta-nos, dou o preço, ele faz a transferência e depois executo o trabalho.

Quanto custa uma promoção?
Depende. A promoção que envolve pendrives é mais cara. A mais barata é a do CD. Os preços variam, começando dos 200 mil Kwanzas para cima.

Imagine que apareça um artista com 4 músicas, quanto cobraria?
Estamos a falar de uma EP. Se for Kuduro fica em 200 mil Kwanzas para uma promoção de 45 dias. Se for um outro estilo, podíamos puxar para 500 a 700, a 1 milhão de Kwanzas. Depende da projecção e do tempo de promoção. Também temos pacotes de três meses, seis meses.

Quantos discos consegue reproduzir por dia?
Não digo dia, mas semanalmente uns dois mil CDs saem. Antes saía mais, mas actualmente apenas consigo dois mil CDs por semana.

Como é feita a distribuição?
Os rapazes o fazem. E não só cá, os CDs vão a outras províncias, porque as províncias consomem  mais CDs do que nós. Luanda como está mais evoluída, a maior parte dos CDs vão para outras províncias.

Em que províncias possui distribuidores?
Todas da parte sul, aí conseguimos chegar mais rápido. Mas tem distribuidores em todas as províncias, se não houvesse, o música não batia lá. Temos muitos parceiros, vinte ou 40. Cada província temos dois a três.

Artistas de que estilos é que mais procuram pelos seus serviços?
Já promovi todo o artista da nossa praça. Todo o artista da nossa praça já passou pelas minhas mãos. Respondendo, agora é relativo. Outrora os artistas que têm mais nome não ficavam atrás. O nosso mercado é muito extenso, se o artista optar só para cima, aqui em baixo não tem nada. A promoção de CDs e pendrives atinge até o cidadão da última carteira. A promoção dentro dos guetos. Qualquer pessoa ouve a música. Nem todo o mundo tem acesso à internet, por isso é que nós estamos ali.

Quantos músicos já solicitaram pelo seu trabalho?
Todos os artistas, todas as produtoras. Nós promovemos artistas de todos os estilos de música. A princípio quem mais nos procuravam eram os kuduristas, mas agora todos os estilos. Entretanto, hoje por hoje, artistas do o Ghetto Zouk, Afro, Naija, Afropop são os que mais nos procuram.

Este tipo de negócio constitui crime de contrafacção e viola a lei dos direitos do autor e conexos. Está ciente disso?
Não é um crime. O chamado “pirataria” é duplicar uma obra não autorizada. O que eu faço tem a autorização do cantor. É o próprio cantor que pede a partir do seu disco original. O disco não é pirata. O que torna pirata é copiar sem a devida autorização. Porque se fossem piratas os CDs que veem nas ruas com os miúdos não podiam passar pelas alfândegas. Não há nenhum artista em Angola que não recorre ao serviço de duplicidade, que vocês imprensa chamam de pirataria. Não existe. Todo o artista angolano recorre ao processo de duplicidade para promover sua obra. Todo.

O negócio é rentável?
É. Quando já se atinge um nome grande, é rentável. Com 21 anos de carreira, as pessoas dão mais credibilidade naquilo que faço. Sou o líder do grupo PMC- Promotores musicais consagrados.

Durante esses 21 anos, que experiências viveu e gostaria de partilhar connosco?
Muita coisa, desde a banalização do nosso serviço. Outrora, fugir da polícia económica. Mas todo o artista em Angola sabe deste processo de promoção. Não há artista que nunca passou por esse processo de duplicação da sua música. Não há.

Quais são seus maiores desafios?
Continuar a fazer o mesmo processo, mas evoluindo. Atingir outras metas.

as cargas mais recentes

Documentário de Tina Turner revela traumas de uma vida amorosa marcada por violência

há 1 ano
Relatos detalhados de “terror”, exaustão, violência e dominação constituem metade do enredo do novo filme não-ficcional homónimo de Tina Turner. A produção exclusiva do HBO, já estreou no norte de América e, foi uma maneira da artista dizer “Obrigada e adeus”, à vida pública.

Kuta: O artista plástico que leva a herança espiritual angolana ao mundo

há 1 ano
Kuta entrou no mundo das artes muito jovem e tornou-se agora o mensageiro da espiritualidade ancestral negra “nkissi”. Está neste momento a preparar uma nova exposição, que inclui esculturas, pinturas e documentário.

Coronavírus adia estreia na música de Orlando dos Tunezas

há 3 anos
A cara é conhecida, mas os dotes musicais nem tanto. Orlando Kikuassa, integrante do grupo de humor Os Tunezas, esteve prestes a apresentar a sua primeira música, mas o acto foi adiado por causa do COVID-19.

Stevie Wonder vai viver no Gana para evitar que sua família sofra de racismo

há 2 anos

Inocenti: Versão oficial da célebre música de Paulo Flores é lançada na voz de Carla Moreno

há 1 ano
Disponível no canal oficial do YouTube da intérprete da vez, a música vem aumentar prestígio à carreira de Carla Moreno, em fase de voo solo. Nesta versão, a respeitada back vocal, reuniu a nível da produção, um team ao nível do palmarés do autor, para reoxigenar este clássico intemporal para o angolano.

Agora já pode pausar na “placa” com o Naná

há 2 anos
O projecto, com finalidade de estimular a dinâmica comercial nos bairros, empregando jovens nas referidas localidades, conta agora com dois restaurantes informais, cuja imagem é o kudurista Nagrelha.

FLASHBACK – Hip Hop VS House Music

há 2 anos

Arianna Grande encoraja Rihanna a lançar novo álbum

há 2 anos
Ariana Grande superou Rihanna, se tornando a artista mais ouvida no Spotify, informou o Chart data. Com mais de 20 biliões de ouvintes, apesar de ser homenageada da vez, Arianna afirmou que espera que Rihanna recupere a “coroa” em breve.

“In Da Club” atinge 1 bilião de views no Youtube

há 2 anos
50 Cent acaba de atingir os 10 dígitos de views. O vídeo datado de 2003, que teve a participação de Eminem e Dr. Dre entrou em “território” lendário.

Carnaval 2021 será em formato digital

há 2 anos
Para evitar que a festa do carnaval, em Luanda, não aconteça este ano, o Ministério da Cultura, Turismo e Ambiente decidiu transportá-la para as plataformas digitas num novo formato e com grupos reduzidos.

Bricia Dias apresenta aos angolanos a nova maneira de cantar o amor

há 2 anos

Cartas ao Pai Natal: Helena Dias publica já amanhã a sua primeira obra literária dedicada ao público infantil

há 10 meses

Yuri da Cunha e Isidro Fortunato prestigiam gala de homenagem a Paulina Chiziane em Moçambique

há 6 meses
O prestigiado músico angolano Yuri da Cunha em parceria com a prestadora de serviços móveis Moçambicana Mcell realizam gala para homenagear a escritora Paulina Chiziane pelo prémio Camões de literatura 2021.

Prevent Online Dating Ghosting

há 8 meses

Carlitos Viera Dias em concerto no `Show do Mês´

há 2 anos
O músico Carlitos Viera Dias, filho do mítico Liceu Viera Dias, vai cantar no Live do Show do Mês, no próximo dia 11 de Julho (sábado).

Burna Boy considera o novo álbum de Davido um “disquete”

há 2 anos
Apesar de reunir referências como Nicki Minaj, Nas, Young Thug e Lil Baby, o novo álbum de Davido não “convenceu” o seu compatriota Burna Boy. O também músico chamou de disquete o “A Better Time”.