Reptile: “Considero-me um artista bem-sucedido e sei que muitos se revêm na minha história”

No dia 27 deste mês, o rapper vai colocar mais um álbum no mercado. Intitulado I.C.O.N (Invejosos Continuam a Odiar o Nikka), a obra foi produzida pelo moçambicano Ell Puto e Alleny. Além de Preto Show, Rui Orlando e Tchoboli, reúne importantes artistas da nova geração.

Reptile é um nome à parte no mercado musical angolano. Além de assumir com maior frequência o microfone, participou como produtor em vários CDs e vai disponibilizar, pelo Kisom e plataformas digitais internacionais, o oitavo álbum.  O disco também contará com edições físicas.

O CEO da Piriline explicou o conteúdo da obra e fez uma análise sobre o mercado musical angolano nos últimos cinco anos, além de apresentar novos projectos da sua produtora.

Porquê Icon?
I.C.O.N é uma sigla que significa Invejosos Continuam a Odiar o Nikka. Quanto à data não há uma história, mas há um porquê.

E qual a razão?
O nosso povo está a viver uma fase sensível, eu e o team sentimos que podíamos dar uma lufada de ar fresco aos consumidores dos nossos trabalhos. Este lançamento tinha sido adiado por questões alheias à nossa vontade, portanto sentimos que este era o momento ideal para o fazer.

De que é feito este álbum?
A sonoridade deste projecto é o resultado do casamento entre o moderno e o clássico e um exímio desfile de rimas. Quanto às participações, trago as vozes de Jonathan Puma, Arieth Feijó, Preto Show, Rui Orlando, Crazy Boy, Tchoboli e Kendrah. O álbum também sairá em CDs, mas com um número de cópias limitadas. Infelizmente, o consumo de música digitalmente ainda não é a nossa realidade e o objectivo é abranger o maior número de pessoas.

Primeiro lançou “Acima do Limite”, depois seguiu-se “Estátua Ninguém Se Mexe” e agora “Icon”. De que forma é que os fãs poderão se rever neste álbum?
Não. Primeiro foi “Ficheiros Secretos” ( 2007), “Acima do Limite” ( 2008), “P.I.M.P.”( 2010), “Ficheiros Secretos 2”( 2011), “Estátua Ninguém se Mexe” (2015) ,”A Voz Do Povo” (2018) e “I.C.O.N” (2020).

Considero-me um homem e artista bem-sucedido e sei que muitos se revêm na minha história, no meu posicionamento e nos meus objectivos, acima de tudo o meu propósito é motivar as pessoas a alcançarem os seus sonhos e objectivos, e a darem um contributo positivo no meio em que vivemos.

Apesar de imagética, a arte é o reflexo do contexto. Até que ponto esta nova fase do país influenciou o Icon?
Este projecto foi gravado entre 2017 e 2020, eu e o team decidimos não meter muitas faixas por causa da direcção que pretendemos dar a minha carreira, por causa disso pouco abordei sobre muitos aspectos sociais que vivemos agora, já estou a me preparar para o próximo, onde com certeza, irei tocar neles.

Passaram-se uns quatro anos desde que disse que o Rap angolano estava mal. Continua a pensar assim?
Não sei se posso dizer que melhorou, mas a nova geração veio trazer uma nova dinâmica e mais vida à música Rap. Quando disse que estava mal, referia-me ao número de bons artistas comparados a quantidade de trabalho que chega à rua. Disparidade abismal!

Hoje o número de bons artistas cresceu?
Sempre tivemos bons artistas…precisamos é de mais obras, mais shows, mais palestras, mais entrevistas etc.

É proprietário de uma produtora. Como analisa a produção musical no país?
Acho que temos um mercado fértil e muitos artistas talentosos para mostrar ao mundo. Precisa-se limar algumas coisas, mas acredito que chegamos lá.

Se tivesse de se enquadrar no panorama musical angolano em que posição se colocaria?
O barómetro que uso para medir é pessoal. Atingi o que queria, estou satisfeito com que consegui, só me falta tornar os meus artistas pessoas e músicos de sucesso. Meu propósito é motivar as pessoas, e graças Deus a ferramenta música me permite chegar às pessoas.

A indústria cultural, particularmente a música, é dos que mais sofreram com a crise pandémica. Como é que a sua produtora tem lidado com este fenómeno?
A Piriline está com muita saúde. A pandemia obrigou-nos a mudar a nossa estratégia, mas está a correr tudo bem. No mês passado, lançamos o EP “Renovar” do Samuel Clássico e um vídeo, Este mês sai a ICON e um vídeo também e em Dezembro, sai o EP do Jonathan Puma. A Kendrah está em estúdio e estamos a gravar um projecto da produtora.

as cargas mais recentes

Se Dança Assim: Boyca celebra Dipanda com novo single

há 1 ano
Lançado ontem, no Dia da Independência, Os Boyca pretendem deste modo assinalar a sua própria independência num som explosivo, como primeiro single de uma nova fase, onde as diferenças de flow entre os diversos elementos fazem deste grupo, uma viagem multifacetada no Hip Hop.

Rui Orlando canta na Casa 70

há 2 anos
O músico Rui Orlando vai reabrir a temporada musical na Casa 70 no dia 14 de Abril, dando sequência nos dias 15 e 16 do mesmo mês, num evento produzido pela LS Republicano.

Don Kikas descreve os “Lamentos de Agora” dos angolanos em novo projecto musical

há 2 anos
O novo single do músico está disponível desde ontem e será sucedido hoje de um outro, ambos farão parte do seu próximo álbum intitulado Livre, a ser lançado brevemente.

Edivaldo Prince lança single ‘H.A.N.E.N’ com a participação de Uami Ndongadas e Lil Drizzy

há 1 ano
O artista está de regresso com músicas e planos para o ano de 2022, sendo que ‘H.A.N.E.N- Hoje a Noite é Nossa’ com a participação de Uami Ndongadas e Lil Drizzy, marca o ponto de partida.

#Personagensnegrxsimportamportugal: O desabafo de Hoji Fortuna

há 3 anos
Numa mensagem no Facebook, o actor mostrou-se agastado com a situação, apontando exemplo de eventos onde a descriminação racial imperou, particularmente a nível da televisão, como foram os casos de algumas premiações.

Após desmentir informações sobre “fim da carreira” Anna Joyce anuncia dois concertos

há 2 anos
Considerada uma das maiores referências da música angolana dos últimos tempos, Anna Joyce estará no palco do Club S, em Luanda, nos dias 17 e 18 para protagonizar os seus primeiros espectáculos desde o início da pandemia.

Começa hoje a contagem decrescente para a final do Estrelas ao Palco

há 2 anos
Faltam apenas três galas, para conhecermos o vencedor da 3ª temporada do Estrelas ao Palco, o maior concurso de imitação musical, de Angola.

Morreu Florian Schneider, um dos pioneiros da música electrónica

há 3 anos
Florian Schneider fundou, em 1970, com seu amigo, a banda Kraftwerk, pioneira da música electrónica. O músico alemão morreu nesta quarta-feira aos 73 anos vítima de cancro.

Nas relembra desentendimento com Tupac

há 1 ano
A música faz parte do álbum “King’s Disease II”, lançado na passada sexta-feira e, já vem sendo considerada a melhor do álbum. Ao contrário do que se pode imaginar ao ler o título do artigo, `Death Row East´ não é uma música insultuosa à memória de Tupac Shakur.

Paulo Amaral apresenta-se na Galeria Tamar Golan com a exposição “100 Kigila”

há 9 meses
O artista angolano Paulo Amaral vai apresentar-se no próximo dia 06 de Maio de 2022, Sexta-feira, pelas 18 horas, na Galeria Tamar Golan, com “100 Kigila”, uma exposição individual que ficará patente ao público até ao dia 27 de Maio de 2022. Podendo ser visitada de Segunda a Sexta-feira, das 9h00 às 17h00, na galeria de arte contemporânea da Fundação Arte e Cultura.

Depois de várias ausências, Edmázia Mayembe aparece e toma de ‘assalto’ Top Best

há 2 anos
Disponibilizada no passado dia 8 de Fevereiro, a faixa da autoria de Edmazia Mayembe está disponível em todas as plataformas digitais e acaba de atingir o número um das televisões e rádios.

Músico pondera deixar de cantar pelo facto do MPLA ganhar as eleições 2022

há 5 meses

WI project apresenta-se em novo formato

há 3 anos

Rihanna é “cancelada” por fãs muçulmanos

há 2 anos
Durante o último desfile de moda Savage X Fenty, que espelhou mais uma vez a diversidade e inclusão de embaixadores da marca, Rihanna foi criticada por uma das músicas tocadas durante o evento, sendo acusada de estar a se apropriar culturalmente do Islã ao tocar uma versão de um hadith.

Guardiões da Galáxia 3 marca fim de ciclo do elenco

há 3 anos
Após afirmar que Guardiões da Galáxia Vol. 3 não será adiado por conta da pandemia do Coronavírus, o director James Gunn revelou que este pode ser o último com o elenco actual.

Universidade Hip Hop Angola: 10 anos a alicerçar os elementos, conceitos e fundamentos da Cultura Hip Hop

há 2 anos
Criada há uma década, mais propriamente aos 6 de Março de 2011, pelo “sexteto” Quartel d’Áfrika, oriundos da Mulemba Waxa Ngola, local onde foi enraizada a catedral do conhecimento do Hip Hop nacional.