“Rostos do Rap consciente em Angola entre os 180 artistas do Festival Decolonial”

Promovido por Barras Maning Arretadas, o espectáculo reúne 180 rappers de 27 países e tem como objectivo arranjar mecanismos para a rentabilização dos rappers anónimos, sobretudo os de intervenção social. Durante cinco dias haverá exposições de Beats, concertos e debates científicos com pesquisadores internacionais, como é o caso do sociólogo Boaventura Sousa Santos. Na mesa de debate, Angola estará representada pela Universidade Hip Hop, Eva RapDiva e MCK, enquanto Mamy e mais rappers angolanos vão subir ao palco. Idealizado por Carlos Mossoró, o mentor apresenta o projecto à Carga.

O que é, de concreto, este espectáculo que acontece a 29 deste mês?Trata-se do “Festival Decolonial de Rap: Espaço Lusófono?”, promovido pelo Barras Maning Arretadas e que vai acontecer entre os dias 29 de julho e 02 de Agosto. Será uma série de iniciativas, com cinco mesas de debate e cinco shows colectivos de Rap, além de duas sessões para exposição de Beats. É o Rap de intervenção social que será priorizado nesse evento. O tom de pergunta no título “Espaço Lusófono?” mostra que essa questão da lusofonia ou espaço lusófono nos incomoda. Sempre se pensa em uma ligação lúdica. Não se coloca o processo de colonização em pauta. É uma história triste que nos liga. Por isso, só estão entre as parceiras instituições de países africanos, como a Universidade Hip Hop de Angola e a Bloco 4 Foundation de Moçambique.

O que se pretende com a iniciativa ?
O objectivo é unir forças decoloniais para pensar em uma sociedade justa e igualitária. A ideia foi construir cyphers virtuais com pelo menos três países em cada música. Fizemos outros convites e chegamos ao número de 180 rappers, 27 países e 30 músicas. Um dos objectivos é garantir visibilidade a acções feitas em locais como o interior do Nordeste e países africanos; conseguir meios de direitos do autor, para artistas pobres e invisibilizados que nunca tiveram essa oportunidade.

Como será feita a participação dos artistas ?
O festival acontece online. No primeiro dia haverá uma homenagem da cidade da Beira e também irei mostrar o andamento do projecto musical “Espaço Mossorófono”, uma ligação da cidade de Mossoró com o mundo. No segundo dia, haverá expobeats com todos os beat makers. Logo depois, haverá uma acção do Rap di Mina, um site de rap feminista que existe no Brasil e Portugal, onde se apresentarão 20 rappers feministas, de Angola, Brasil, Bolívia, Moçambique e Portugal. No terceiro dia, vai ser o único dia que vamos dar prioridade a artistas de outros países, fora desse chamado espaço lusófono. No quarto dia, os shows vão ser o cartaz com atracções de peso do rap de intervenção social de Angola, Brasil, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, Cabo Verde e Guiné Bissau.

Que artistas angolanos estarão presentes?
Miguel George Kardinal MC, Ginga, Mammy, PaulMyAc, Mesene Nguxi San Caleia. MCK, como comentarista e vai fazer participação especial. Todos do 15+2 vão fazer actuação artística. Nas mesas de debate, estará Milton, da Universidade Hip Hop e Claudio Bantu e EvaRapDiva.

Como é que será distribuído o tempo?
Cada dia tem seu formato, mas cada artista convidado naquele dia deve ter igualdade de condições em relação aos demais. No dia 29, por exemplo, no Espaço Mossorófono, os artistas terão direito a duas músicas. No dia 30, dentro da programação do Rap di Mina também será dessa forma, já no dia 31, será dedicado ao lançamento de cyphers com 180 rappers e 27 países, com priorização a artistas de países que não foram colonizados por Portugal e fim de semana, teremos shows mais longos.

É um espectáculo de cariz filantrópico. A quem se destinarão os bens ?Não propriamente. É um evento onde se busca pensar em meios para recompensar os artistas por de modos igualitários nessa época de pandemia e os debates girarão em torno disso. Teremos, por exemplo, o sociólogo português Boaventura de Sousa Santos.

Que outros países se esperam?
O evento é prioritariamente focado em Angola, Brasil, Cabo Verde, Portugal, São Tomé e Príncipe, Moçambique, Guiné-Bissau. Entretanto, há participações de Cuba, Bolívia, Chile, Gabão, México e Guiné Equatorial entre as participações artísticas. Os demais países estarão no projecto de cyphers, nos quais podemos citar Bulgária, Roménia, França, Vietname, Nova Zelândia, entre outros.

O que vai diferencia esse dos anteriores anteriores já realizados?
É um evento inédito, com um cartaz dos sonhos na música de intervenção social e que só foi possível por ser todo online. Vamos permitir diálogos impossíveis e shows utópicos.

as cargas mais recentes

Bob da Rage Sense: Na linha da frente dos protestos

há 4 meses
Ao contrário de muitos artistas que se limitam a “protestar” nas redes sociais, o rapper saiu às ruas para também dar voz às palavras de ordem: “Vidas Negras Importam”, “Justiça, justiça, nós queremos justiça” e “Só queria respirar, mas até para isso tenho que suplicar”.

Guardiões da Galáxia 3 marca fim de ciclo do elenco

há 4 meses
Após afirmar que Guardiões da Galáxia Vol. 3 não será adiado por conta da pandemia do Coronavírus, o director James Gunn revelou que este pode ser o último com o elenco actual.

Covid-19: Nelson da Luz testa positivo em Portugal

há 1 mês
O V. Guimarães informou esta segunda-feira da existência de um caso positivo à Covid-19 no plantel. Trata-se do angolano Nelson Luz, o mais recente reforço a chegar ao clube vindo do 1°de Agosto.

Ludmilla participa na 2ª temporada da série ‘Arcanjo Renegado’

há 4 meses
Em meio a polémica com Anitta, a cantora Ludmilla foi escalada para interpretar uma polícia Militar. Apesar de receber vários elogios da classe artística com destaque para o apoio de Emicida, a actriz Samantha Schmütz fez uma crítica sobre o assunto, ao qual, foi respondida ao pé da letra.

Katy Perry reage pela primeira vez às acusações de abuso sexual

há 2 meses
A cantora norte-americana vem sendo acusada de má conduta sexual em duas situações. Numa recente entrevista, Katty Perry comentou, primeira vez, sobre os alegados abusos movidos por um homem e uma mulher.

Majoskill, a voz da esperança do Rap das ruas

há 5 meses
Majoskill vem do Morro Bento, em Luanda. O rapper está no movimento há cinco anos e é apontado como o representante da cultura Hip Hop do seu distrito. Tem duas mixtapes publicadas e apresentou à Carga o seu ambicioso projecto musical para os próximos meses.

Carlitos Viera Dias em concerto no `Show do Mês´

há 4 meses
O músico Carlitos Viera Dias, filho do mítico Liceu Viera Dias, vai cantar no Live do Show do Mês, no próximo dia 11 de Julho (sábado).

Lady Gaga acolhe membros da equipa em casa para os proteger do Covid-19

há 1 mês
Lady Gaga concedeu uma longa entrevista à Billboard, na qual comparou, bem humorada, o período de quarentena imposto pela pandemia da Covid-19 à sua própria experiência como estrela pop.

Espectáculo de apresentação do projecto “Esperança – A Bênção & A Maldição” está cancelado

há 4 semanas

LL Cool J junta-se a Swizz Beatz no plano de criar fundos para os ícones do Hip Hop

há 5 meses
Há pouco menos de uma semana,Swizz Beatz partilhou durante um live Beatz’s Zone Radio, que gostaria de arrecadar um milhão de dólares em “impostos” para cada membro fundador do Hip Hop. Mal-interpretada, a ideia do produtor criou um mal-estar entre os mais novos rappers, mas o apoio não tardou a chegar. LL Cool J não só aprovou a ideia, como também se prontificou a dar o seu contributo.

Cristiano Ronaldo eleito o jogador mais influente do mundo

há 5 meses
Cristiano Ronaldo foi eleito pela revista France Football como o jogador mais influente do mundo. Para além de ser o mais influente, o internacional português está entre as três pessoas mais importantes do mundo desportivo.

Snoop Doog celebra 49º aniversário de Tupac

há 4 meses
Um astro, cujo impacto da obra e da carreira pode ainda ser sentido, como se de um artista vivo e no auge da carreira se tratasse. O seu aniversário ainda é pretexto para homenagens e volvidos 24 anos após a sua morte, o Tupac Shakur continua a ser lembrado como o “maior Rapper de todos os tempos”.

Sabia que num dia como hoje uma festa inspirava o surgimento do Hip Hop?

há 2 meses
Tudo aconteceu há 47 anos atrás, no dia 11 de Agosto de 1973, quando o jamaicano, DJ Kool Herc organizou uma festa, no Bronx em Nova Iorque, que mudou para sempre a história da música pop. A festa que foi inicialmente organizada para a celebração do aniversário de Cindy Campbell, irmã do DJ, ganhou outros contornos tendo reunido no mesmo espaço os quatro elementos da kultura Hip hop e desde então, os irmãos passaram a ser considerados os pais do movimento.

Foste Waldemar, mas cantaste livremente no teu país

há 2 meses
A morte do músico Waldemar Bastos foi um duro golpe às nossas emoções, um soco no “estômago” da cultura e quase um K.O técnico aos amantes da música com qualidade.

Preto Show repete proeza e lidera nomeaçõs do Moda Luanda

há 5 meses
Já são conhecidos os nomeados da 23ª Edição do Moda Luanda, onde o também conhecido como Benga Boyz está nomeado para cinco categorias. A repetir a proeza da edição de 2018, é seguido na lista pela dupla Scró Q Cuia e Nerú Americano com quatro indicações e C4 Pedro com três. O evento de premiações que acontece no próximo dia 21 de Junho, terá transmissão em directo em cadeia televisiva.

Rick Baby: Um rapper polivalente que augura um lugar entre os melhores

há 1 mês
Rick Baby é o pseudónimo de Luís Domingos Saviti, rapper e compositor de 27 anos de idade e já canta há 9 anos. Com uma carreira promissora, está associado a produtora CombinaSons, ao lado de nomes como: Enock, Itary, Justin Weely e Junior Zy.