“Rostos do Rap consciente em Angola entre os 180 artistas do Festival Decolonial”

Promovido por Barras Maning Arretadas, o espectáculo reúne 180 rappers de 27 países e tem como objectivo arranjar mecanismos para a rentabilização dos rappers anónimos, sobretudo os de intervenção social. Durante cinco dias haverá exposições de Beats, concertos e debates científicos com pesquisadores internacionais, como é o caso do sociólogo Boaventura Sousa Santos. Na mesa de debate, Angola estará representada pela Universidade Hip Hop, Eva RapDiva e MCK, enquanto Mamy e mais rappers angolanos vão subir ao palco. Idealizado por Carlos Mossoró, o mentor apresenta o projecto à Carga.

O que é, de concreto, este espectáculo que acontece a 29 deste mês?Trata-se do “Festival Decolonial de Rap: Espaço Lusófono?”, promovido pelo Barras Maning Arretadas e que vai acontecer entre os dias 29 de julho e 02 de Agosto. Será uma série de iniciativas, com cinco mesas de debate e cinco shows colectivos de Rap, além de duas sessões para exposição de Beats. É o Rap de intervenção social que será priorizado nesse evento. O tom de pergunta no título “Espaço Lusófono?” mostra que essa questão da lusofonia ou espaço lusófono nos incomoda. Sempre se pensa em uma ligação lúdica. Não se coloca o processo de colonização em pauta. É uma história triste que nos liga. Por isso, só estão entre as parceiras instituições de países africanos, como a Universidade Hip Hop de Angola e a Bloco 4 Foundation de Moçambique.

O que se pretende com a iniciativa ?
O objectivo é unir forças decoloniais para pensar em uma sociedade justa e igualitária. A ideia foi construir cyphers virtuais com pelo menos três países em cada música. Fizemos outros convites e chegamos ao número de 180 rappers, 27 países e 30 músicas. Um dos objectivos é garantir visibilidade a acções feitas em locais como o interior do Nordeste e países africanos; conseguir meios de direitos do autor, para artistas pobres e invisibilizados que nunca tiveram essa oportunidade.

Como será feita a participação dos artistas ?
O festival acontece online. No primeiro dia haverá uma homenagem da cidade da Beira e também irei mostrar o andamento do projecto musical “Espaço Mossorófono”, uma ligação da cidade de Mossoró com o mundo. No segundo dia, haverá expobeats com todos os beat makers. Logo depois, haverá uma acção do Rap di Mina, um site de rap feminista que existe no Brasil e Portugal, onde se apresentarão 20 rappers feministas, de Angola, Brasil, Bolívia, Moçambique e Portugal. No terceiro dia, vai ser o único dia que vamos dar prioridade a artistas de outros países, fora desse chamado espaço lusófono. No quarto dia, os shows vão ser o cartaz com atracções de peso do rap de intervenção social de Angola, Brasil, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe, Cabo Verde e Guiné Bissau.

Que artistas angolanos estarão presentes?
Miguel George Kardinal MC, Ginga, Mammy, PaulMyAc, Mesene Nguxi San Caleia. MCK, como comentarista e vai fazer participação especial. Todos do 15+2 vão fazer actuação artística. Nas mesas de debate, estará Milton, da Universidade Hip Hop e Claudio Bantu e EvaRapDiva.

Como é que será distribuído o tempo?
Cada dia tem seu formato, mas cada artista convidado naquele dia deve ter igualdade de condições em relação aos demais. No dia 29, por exemplo, no Espaço Mossorófono, os artistas terão direito a duas músicas. No dia 30, dentro da programação do Rap di Mina também será dessa forma, já no dia 31, será dedicado ao lançamento de cyphers com 180 rappers e 27 países, com priorização a artistas de países que não foram colonizados por Portugal e fim de semana, teremos shows mais longos.

É um espectáculo de cariz filantrópico. A quem se destinarão os bens ?Não propriamente. É um evento onde se busca pensar em meios para recompensar os artistas por de modos igualitários nessa época de pandemia e os debates girarão em torno disso. Teremos, por exemplo, o sociólogo português Boaventura de Sousa Santos.

Que outros países se esperam?
O evento é prioritariamente focado em Angola, Brasil, Cabo Verde, Portugal, São Tomé e Príncipe, Moçambique, Guiné-Bissau. Entretanto, há participações de Cuba, Bolívia, Chile, Gabão, México e Guiné Equatorial entre as participações artísticas. Os demais países estarão no projecto de cyphers, nos quais podemos citar Bulgária, Roménia, França, Vietname, Nova Zelândia, entre outros.

O que vai diferencia esse dos anteriores anteriores já realizados?
É um evento inédito, com um cartaz dos sonhos na música de intervenção social e que só foi possível por ser todo online. Vamos permitir diálogos impossíveis e shows utópicos.

as cargas mais recentes

SADIA cria Cartão Arte para apoiar associados

há 7 meses
A Sociedade Angolana de Direito do Autor (SADIA) pretende criar um fundo cultural, que terá como principal objectivo apoiar autores e artistas sempre que se justificar, e terá um valor inicial dez milhões de Kwanzas.

Cantor nigeriano condenado à morte por causa de uma música

há 5 meses
Yahaya Sharif-Aminu foi condenado por um tribunal superior da Sharia, em Hóquei Hausawa Filin, na Nigéria, à morte por enforcamento, por partilhar uma das suas músicas nos grupos de Whatsapp.

Actor de Batman: O Cavaleiro das Trevas chama Coringa de filme ‘nojento’

há 8 meses
Coringa é um dos grandes filmes de 2019 e trouxe uma história diferente e surpreendente para o clássico vilão do Batman. Entretanto, o actor Eric Roberts, conhecido por Batman: O Cavaleiro das Trevas chamou o filme “nojento”.

Escritor e compositor Aldir Blanc morre aos 73 anos, vítima de covid-19

há 9 meses
Aldir Blanc compôs mais de 600 canções e participou do álbum de Djavan, onde constam as músicas ‘Umbi Umbi’ e ‘N’vula Ieza Kia’, originais de Filipe Mukenga.

19 anos depois Helga Fêty apresenta vídeo de “Entrega Total”

há 7 meses
Dezanove anos depois do lançamento da música “Entrega Total”, tema que dá título ao primeiro álbum de originais publicado em Fevereiro último, a cantora e actriz Helga Fêty apresenta o referido vídeo clipe, que traz participações de Presilha Calei e Loromance.

Porquê que Angola celebra o 8 de Janeiro como Dia da Cultura Nacional?

há 2 semanas
As celebrações abriram no dia 4 e terminam a 31 deste mês. A jornada contempla exposições, concertos, debates e hoje será marcada por um acto central, com outorga de diplomas de mérito personalidades que mais se destacaram no sector cultural no ano passado.

Vírus Inesperado: Filme de produção angolana é premiado em Londres

há 1 semana
O filme “Vírus Inesperado”, uma co-produção entre Henrique Sungo (produtor) e o santomense Felipe Anjos (editor), fala sobre o impacto do novo coronavírus na comunidade Palop no Reino Unido.

Sete anos depois Enock apresenta segunda parte da saga “Mundo Pablo”

há 3 meses
Após testar popularidade com Mundo Pablo 1, na sequência de “Banzelo”, o músico soma e segue com a saga. Esta madrugada, Enock apresentou “Betinho”, mixtape que antecede doze novos projectos para ainda este ano.

Produtores de Afro House mais requisitados da actualidade revelam hegemonia no`Desfile de hits´

há 6 meses
A Carga apresentou ontem os maiores produtores de Afro House do país. Durante o Repertório, ficou-se a saber que Vado Poster e Dj Habias produziram sucessos como “Lhe Traíram” (Os Moikanos), “Tic Taá” (Scro Q Cuia e Nerú Americano), “Wamona” (Nagrelha e Puto Prata), “Kapota” (Noite e Dia) e tantos outros descritos abaixo.

Preto Show dá voz ao novo álbum do Dj brasileiro WC No Beat

há 5 meses
O DJ e produtor brasileiro WC No Beat apresenta esta quinta-feira, 20 de Agosto, o seu novo projecto musical que reúne 33 participações, entre elas está o angolano Preto Show.

Taylor Swift volta a liderar top de álbuns

há 2 semanas
Pela terceira semana, não consecutiva, Taylor Swift voltou a encabeçar o top de álbuns dos EUA. Foram vendidas mais 56 mil cópias do trabalho, sendo 16 mil nos formatos tradicionais. “Whole Lotta Red” de Playboi Carti que, há sete dias, estava no topo, caiu para a quinta posição.

Sexto aniversário do Village underground Lisboa é celebrado hoje no formato broadcast

há 9 meses
Esteja em casa e a partir das 17 horas (horário de Portugal) vista roupa confortável, calce os seus melhores sapatos de dança, e encontre um lugar com espaço na casa e a melhor forma de assistir a um broadcast, que teste e confirme o som das colunas e prepare-se para desfrutar de 7 horas de uma performance artística, no canal Youtube do VU.

Confirmada presença de Prodígio no show sobre o “Reinado” de Yuri da Cunha

há 1 mês
Yuri da Cunha vai exaltar, este final de semana, os hábitos, costumes e tradições dos angolanos com um espectáculo, que marca a trajectória do músico, que decidiu embarcar para uma tournée.

Yanick cancela nove shows e dois contratos

há 10 meses
Por causa do Covid-19, o rapper Yanick Afroman teve que cancelar nove shows e dois contratos com marcas diferentes para publicidade.

Surgimento da Carga Magazine em destaque no “Mambos Hip Hop da Banda”

há 2 semanas
Apresentado por Dino Cross e Cládio Bantu, o espaço especializado em Hip Hop abordou os temas de maior impacto no ano findo, tendo incluído o Magazine da Música como uma boa surpresa, agora num novo formato.

Sambieventos, Os Lambas, Luandina e BASEL juntos contra a crise e contra a pandemia

há 7 meses