This Is Not A White Cube apresenta “Reflectir#2 – Fragmentos, Fragilidades, Memórias”

A exposição estará em exibição no Museu de Arte Africana de Belgrado, a partir de 13 de Abril, e é fruto de uma colaboração entre a instituição e a Galeria de Arte THIS IS NOT A WHITE CUBE.

A mesma constrói-se como exposição através da selecção cuidada de obras de artistas angolanos, representativas daquilo que é, num espectro alargado, a produção artística e a reflexão intelectual de uma geração icónica nascida após a independência de Angola, em 1975, sucedendo à afirmação dos movimentos independentistas, à Guerra Colonial Portuguesa e à deposição do regime ditatorial do Estado Novo, em Portugal.

Com curadoria de Ana Knežević, Emilia Epštajn, Graça Rodrigues e Sónia Ribeiro, a exposição reúne um abrangente panorama desta multifacetada produção, onde se ostentam obras em papel, instalações, performance, pintura, fotografia, têxtil e vídeo de Alida Rodrigues, Ana Silva, Cristiano Mangovo, Francisco Vidal, Januário Jano, Luís Damião, Nelo Teixeira, Osvaldo Ferreira, Pedro Pires e Ery Claver, que no seu todo revelam a forte afinidade à estética e materialidade estratificada do “arquivo” cuja quase inexistência – por negligência ou depauperação endémica – se tem revelado crítica em Angola.

De acordo com a nota explicativa da Galeria, as obras integradas foram concebidas entre 2014 e 2022, período ao longo do qual se têm vindo a maturar naquele território os processos de construção de um discurso e de uma experimentação artística promotora de uma reflexão conceptual de fundo sobre as questões que histórica, política e socialmente, de forma mais gravosa, implicam o desenvolvimento sustentado do país tendo em conta a sua História recente.


O projecto foi concebido propositadamente para a ala de exposições temporárias, que o Museu de Arte Africana de Belgrado dedica à arte contemporânea, e para estabelecer diálogo com a sua coleção permanente onde se integram objetos, artefatos e obras de arte que refletem a cultura material da África Ocidental, em que Angola se insere. É a segunda edição do projeto “Reflect,” dedicado à apresentação de obras de artistas de origem africana. Após a primeira edição, que incidiu sobre reflexões de artistas contemporâneos da Namíbia (2020), Reflectir #2 explora agora os fragmentos, fragilidades e memórias de artistas contemporâneos de Angola.


A colecção do Museu de Arte Africana de Belgrado, foi construída a partir de meados do século XX, no contexto do confronto ideológico Leste-Oeste, de afirmação do “Movimento não alinhado”, por oposição ao colonialismo, ao imperialismo,  ao neocolonialismo e ao fortalecimento das potências coloniais ocidentais e do pensamento de carácter hegemónico.
Apesar deste contexto, a exposição permanente não deixa de refletir, de múltiplas formas, uma representação canonizada da arte ocidental-africana.

A sua releitura, à medida do que sucedeu internacionalmente em muitas outras coleções, tem vindo a ser trabalhada institucionalmente, do ponto de vista interpretativo, científico e curatorial, em prol da descolonização do pensamento e da afirmação dos princípios do multiculturalismo e da diversidade cultural.
A integração de obras de arte contemporânea angolana oferece assim ao público uma nova perspetiva sobre questões museológicas ainda não resolvidas, relativas à apresentação da arte africana.


“Reflectir#2 – FRAGMENTOS, FRAGILIDADES, MEMÓRIAS” alimenta este ímpeto, da descolonização do pensamento, e inclui criações maioritariamente inéditas. Configura por isso uma oportunidade excecional para travar conhecimento com um trabalho que, sendo atravessado por uma percetível e singular linha criativa, é, simultaneamente, do ponto de vista intelectual, material e técnico, profusamente diverso e híbrido.

Como um todo, a mostra explora criticamente os mecanismos de criação de cânones no meio artístico ocidental, privilegiando em número, a apresentação de obras que materialmente e tecnicamente se distanciam dos suportes e dos géneros artísticos mais convencionais, lê-se em nota.

as cargas mais recentes

Jovens do Prenda no Show do Mês online

há 2 anos

Ready or not… Fugees estão de volta à ribalta

há 8 meses
Quer estejamos prontos quer não, Lauryn Hill, Wyclef Jean e Pras Michel voltarão a juntar-se para uma tour mundial que tem início em Novembro, porém, o trio fará uma aparição em concerto já amanhã na cidade de Nova York e tudo deve-se às celebrações dos 25 anos do álbum “The Score”.

Kassav desmente manchetes sobre alegada morte de Jacob Desvarieux

há 10 meses
O grupo Kassav reprovou, por meio de um comunicado de imprensa a disseminação de falsas informações sobre Jacob Desvarieux, que até ao momento segue em coma artificial, “um protocolo médico clássico”.

Vencedora do Festival da Canção de Luanda apresenta primeiros projectos

há 2 anos
Além do principal prémio, Heróide dos Prazeres foi considerada a melhor voz do ano do Festival da Canção de Luanda, mas não é só o timbre vocálico que chama atenção, ela também escreve, e foi com a sua própria composição que ultrapassou vozes de referência da música angolana.

Emicida: “socar nazista não é crime, é um dever humanitário”

há 11 meses
A mensagen partilhada pelo rapper parece-se mais a ironia, entretanto, está a gerar interpretações diversas, já que socar é mesmo que dizer bater.

Vozes de Março desfilam no palco do Show do Mês

há 1 ano
Branca Celeste, Bevy Jackson, Alexandra Bento, Diana Kapango e Sandra Solange foram as vozes escolhidas para interpretar as principais referências nacionais e internacionais no palco do Show do Mês.

A Minha Luanda: Artistas plásticos homenageiam a cidade de Luanda na data do seu 446º aniversário 

há 4 meses
No dia em que se celebram os 446 anos de Luanda, e em homenagem à Cidade Capital, foi inaugurada no InterContinental Luanda Miramar, a exposição de arte “A Minha Luanda”.

23 músicas e 4 clipes em 7 dias: Será esta a semana do Rap?

há 2 anos
Em apenas uma semana, foram lançados sete projectos musicais, o equivalente a 3,2 faixas disponibilizadas diariamente. Esta média inclui somente nomes como Kool Klever, Luso, Verbal Uzula, Elenco de Luxo, Uami Ngongadas, sem falar dos anónimos.

Jay Pallmer apresenta-se ao mercado musical com EP `MySelf´

há 1 ano
Contrariando todas adversidades da época pandémica, o 2020 vem se revelando frutífero para muitos artistas e, a EP `MySelf´ é mais uma prova desta teoria.

Painel do ‘Show Piô’ desafia criadores a “repensar” conteúdos infantis

há 12 meses
A relembrar os tempos da sala Piô da Rádio Nacional de Angola, sob a mesa foram postos aspectos de extrema importância, tais como as vantagens da música na educação infantil, na qual, os conteúdos têm pendor significativo tanto no avanço didáctico, como na construção individual do ser a nível social e emotivo.

Corpos de David Zé, Artur Nunes e Urbano de Castro terão sido encontrados

há 2 meses
Os restos mortais dos músicos Artur Nunes, David Zé e Urbano de Castro podem estar entre os dez corpos recuperados, cuja confirmação está a ser feita através da comparação de material genético.

Designer desvenda caracterização de The Weeknd no vídeoclipe ‘Save your tears’

há 1 ano
Lançado há pouco menos de uma semana, “Save Your Tears”, mostra The Weeknd a remover as bandagens que vinha usando durante a era “After Hours”.

Snoop Dogg vai abrir liga de boxe para lutadores profissionais e músicos

há 1 ano
Denominada The Fight Club, a liga vai promover vários eventos por ano e terá Snoop Dogg como anfitrião e locutor.

Apesar dos escândalos sexuais, R. Kelly continua a ser dos músicos mais ouvidos no mundo

há 8 meses
Mesmo depois do lançamento, em 2017, da campanha MuteRKelly, que exigia a retirada das suas músicas de aplicativos de rádio e música e que mais tarde, levou ao cancelamento de várias turnées de concertos do músico, R. Kelly continua a ser dos mais ouvidos.

Aos 81 anos Manuel Rui volta a enriquecer literatura angolana com novo livro

há 4 meses
Como diz o próprio a “velhice está na mente e não na idade”. Após ter lançado dois trabalhos, em Novembro do ano passado, o romance “O Benguelense Boxeur” e o conto “Tio Jorge e outros quês”,  Manuel Rui Monteiro está de volta à União dos Escritores Angolanos com um novo livro.

Luan Santa assina com a Sony Music: “Quero conquistar o mundo”

há 1 ano