Tribunal e SIC tranquilizam artistas: “Processos sobre pirataria são dos mais céleres”


A alteração do sistema de produção e consumo das obras tem diminuído significativamente o direito de propriedade intelectual. O fenómeno prejudica, de que maneira, a classe artística e os músicos são os mais lesados.

Entretanto, os crimes de pirataria e a contrafacção de obras musicais audiovisuais e fonográficos podem ser resolvidos em apenas dois meses, caso o lesado decida processar o seu autor, cuja pena é convertida em valor pecuniário.

Nos últimos meses, o Tribunal Provincial de Luanda julgou cinco casos de violação de direitos autorais e ao Serviço de Investigação Criminal chegaram quatro participações.

Especialistas angolanos e estrangeiro reuniram responsáveis da Unitel, Zap, Dstv e hiper-mercados, bem como detentores de plataformas de streaming, para um esclarecimento sobre a Implementação e Gestão Prática dos Direitos de Autores e Conexos.

O encontro organizado pela SADIA abriu quinta-feira e terminou ontem no Memorial António Agostinho Neto, Luanda. Mário Santos, do Serviço de investigação Criminal, esclarece nessa entrevista, as principais dúvidas ligadas aos processos de pirataria.

O autor ao ver seus direitos lesados, dentro dos serviços de investigação criminal, onde é que deve se dirigir?
Temos dois aspectos importantes aqui, a primeira coisa é fazer participação ao SIC. Temos a Direccção Nacional de Combate aos Crimes Económicos e Contra a Saúde Pública, é esta que o vai acolher, para os efeitos da defesa dos interesses desde o autor que, de algum modo, vê os seus direitos serem violados.

E a tramitação há-de decorrer, sendo que o autor tem a tutela da obra ou do direito que está a ser violado para poder litigar, porque também não é fácil tratar de um processo que nós não temos a tutela, ou seja, se nós não detivermos a tutela, não podemos litigar, porque, eventualmente, estaremos a ir litigar contra alguém que detém a tutela do direito.

Na sua alocução, fez saber que, durante os 10 meses de actuação da SADIA, o Serviço de Investigação Criminal apenas registou a entrada de quatro participações…
Quero fazer aqui uma ressalva em relação ao que nós apresentámos. Nós estamos a fazer referência desde que entrou em vigor a lei 15/14. Das participações que o SIC tomou conhecimento, ou seja, que o Departamento do Combate ao Crime Contra a Propriedade Intelectual tomou conhecimento, de facto, não quer dizer que seja apenas este no universo nacional do que sejam as participações ou do que aspectos ligados a matéria  que nós temos em tratamento, não.  Aquilo é apenas um aspecto de referência desde que a lei entrou em vigor.

O que isso quer dizer?
Porque elas ( as participações) poderão estar a decorrer noutros fóruns. Há participações que o tribunal tem recebido de forma directa e, conforme mostraram, já há processos que transitaram em julgado, que não são números que nós evidenciámos, portanto, temos que levar em conta esse factor. O SIC pode conhecer e pode instruir esses processos, do mesmo modo que as pessoas podem participar directamente junto da sala competente do Tribunal Provincial de Luanda.

No caso do SIC em particular, que acções concretas pretende fazer para ajudar os artistas em matéria de direitos de autores e conexos? 
Este é um evento próprio. A mensagem que nós aqui deixámos é a mesma que temos levado. É fundamental que o autor de uma obra saiba sobre os seus direitos. Esses crimes tem de, necessariamente, haver uma participação, já que se trata de um crime semi-público.

Isto significa que, se o artista não fizer participação, o SIC não tem como agir?
Tínhamos uma lei coerciva, que não obrigava o autor a fazer uma participação, o interesse público estava a cima de qualquer outro interesse, e nós poderíamos agir. Na legislação actual ( Lei 15/14), torna este tipo de crime semi-público e que depende da participação daquele, cujo direito está a ser violado para então haver litigância, para haver procedimento. Não havendo isso, nós não temos como proceder, porque se nós não tomarmos conhecimento de que um determinado facto está a ocorrer, não teremos como, de per se, fazê-lo.

as cargas mais recentes

Sabia que J. Cole é o único rapper indicado em todas categorias do género no Grammy 2022?

há 10 meses
Desta vez, Cole conseguiu uma façanha incrível, o rapper é o único a ser indicado em todas as categorias envolvendo Rap/Hip-Hop no Grammy de 2022, referente a 64° edição.

Fim-de-semana farto: Kid Cudi quebra o silêncio de 10 anos e Taylor Swift retorna após 5 meses

há 2 anos
Kid Cudi acaba de lançar o último álbum da trilogia `Man on the Moon´, enquanto que Taylor Swift apanhou todos de surpresa com um “ábum-irmão” de Folklore, lançado há cinco meses, ambos projectados para ocupar os primeiros lugares da Billboard.

Bonga, a lenda do Semba e símbolo da consciência africana, exaltado pela imprensa internacional

há 2 anos
Uma caminhada de quase meio século, que se traduz em álbuns, espectáculos, bibliografias, viagens e com um único objectivo: despertar a consciência africana por meio do Semba, género que se vai tornando na sua própria antonomazia.

Anna Joyce e C4 Pedro integram lista dos artistas africanos que “todos devem ouvir”

há 2 anos
O site brasileiro Mundo Negro elegeu os oito artistas africanos lusófonos “obrigatórios” nas playlists da actualidade, dos quais figuram os angolanos C4 Pedro e Anna Joyce.

Galeria Tamar Golan apresenta exposição colectiva infantil “Do lápis ao pincel”

há 1 ano
Os prineiros finalistas da turma de artes plásticas, da Fundação Arte e Cultura, vão apresentar-se no próximo dia 20 de Setembro de 2021, pelas 18 horas, na Galeria Tamar Golan com “Do lápis ao pincel”, uma exposição colectiva que ficará patente ao público até ao dia 22 de Setembro de 2021. A exposição poderá ser visitada nos dias 21 e 22, das 9h00 às 17h00.

Promotor revela que os artistas é que pedem para “piratear” suas obras

há 11 meses
Para que suas músicas cheguem a zonas suburbanas, muitos artistas angolanos têm de recorrer a serviços de duplicidade, vulgo pirataria. Nesses serviços, o músico paga entre 200 mil a 1 milhão de Kwanzas para a promoção de 4 faixas, durante 45 dias.

Vanda Mãe Grande lança projecto filantrópico “Tudo a seu tempo”

há 6 meses
“Tudo a seu tempo” é nada mais que um projecto musical com pendor solidário, cujo objectivo principal é o de ajudar o próximo. Nele, segundo explica Vanda Mãe Grande, o convite estende-se a “todas as manas do movimento Rap, com pouca ou nenhuma notoriedade, de maneiras a levantar o Rap feito por mulheres, dando novos rostos promissores ao movimento.”

Estes são os artistas mais ouvidos do mundo em 2021 no Spotify

há 10 meses
Tal como faz habitualmente no final de cada ano, o Spotify disponibilizou, esta quarta-feira “Spotify Wrapped”, uma retrospectiva das músicas e artistas mais escutadas no mundo em 2021. 

Anna Joyce: A mais premiada do Globos de Ouro da Zap

há 2 anos
A cantora foi o destaque da primeira edição do Globos de Ouro da Zap ao levar para casa três prémios em três categorias, numa gala em que concorriam expoentes máximos da música angolana.

Sexta farta: De Alicia Keys a Jacob Desvarieux, confira os lançamentos de hoje

há 10 meses
As sextas-feiras têm sido o dia de eleição de alguns artistas para “liberar” projectos novos, ou apenas faixas para a manutenção da carreira. Como tem sido da praxe, as plataformas de streaming receberão novos trabalhos esta sexta-feira, desta vez com os artistas Alicia Keys, Rick Ross, Jacob Desvarieux e Daniel.

Jackes Di: A continuidade do legado “dos” Paim

há 2 anos
Descendente de uma família artísticamente rica, Emanuel de Carvalho Fernandes da Silva ou simplesmente Jackes Di, dá continuidade ao legado apresentando-se como um artista multifacetado, sendo exímio tocador de guitarra e também canta.

É oficial, Salú Gonçalves é a nova cara do Ecos & Factos e Dog Murras assume o Fala Angola

há 3 anos

Making Of : “É No Pé”-Elástico Nandako ft Power Boyz

há 2 anos
Após ter disponibilizado o seu primeiro single colaborativo no passado mês de Maio, a Carga traz o Making Of do referido vídeo clipe intitulado “É No Pé”, gravado este sábado.

Isis Hembe assina com a produtora Swahili e anuncia novo EP

há 6 meses
Depois dos lançamentos de Prazer, Isis Hembe e “O Escrivão Solar”, o artista voltou a entrar em estúdio para produzir um novo EP, agora com o suporte e selo da Swahili, que reúne nomes como, Verbal Uzula & Ahzazel, Damani VanDuném e Elzo Sénior.

Sabias que “Gerilson Insrael” foi o tema em Angola mais pesquisado no Google em 2021?

há 9 meses
O relatório do Google Trends aponta que o cantor lidera os tópicos de busca, sendo que as províncias da Huíla, Huambo, Benguela e Luanda obtiveram maiores cliques.

Morreu Hal Holbrook, o actor que interpretou Abrahan Lincoln

há 2 anos