Vida de Juliana Kafrique, zungueira morta por um agente da polícia, será retratada em filme

O 12 de Março será sempre lembrado como um dia triste para os angolanoe e de reflexão para a Polícia Nacional. Foi nesta data que Juliana Kafrique, uma zungueira de 28 anos, perdeu a vida pelas mãos de um afectivo da PN. A malograda tornou-se, para muitos, símbolo de resistência no combate à pobreza e será retratada em filme.

O filme autobiográfico é um Drama, tem duração de 40 minutos e será lançado antes do final deste ano. A produção é do realizador Henriques Narciso “Dito” e surgiu repentinamente. O enredo gira em torno da vida de Juliana Kafrique até ser morta por um agente da Polícia Nacional em 2019, que cumpre, neste momento, pena de 16 anos de prisão por homicídio voluntário.

Os trabalhos estão a bom ritmo e prevê-se que até Setembro sejam concluídos para que a média-metragem também possa concorrer à primeira edição do festival de cinema angolano. Quanto ao elenco está sob segredo dos deuses, por questões estratégicas. “Tenho um mês e poucos dias para a produção e finalização do filme”, adiantou Dito. O produtor e realizador conversou ontem com a Carga sobre o filme.

Vida de Juliana Kafrique, zungueira morta por um agente da polícia, será retratada em filme

É uma estória comovente e fez levantar várias vozes, que mensagem quer passar à sociedade com a narrativa?

O objectivo é reavivar a mente dos angoanos; mostrar, mais uma vez, que o homem erra, nós erramos. Há bocadinho fiz a seguinte análise: acho que nem toda a polícia nossa está preparada psicologicamente para ir à rua, fazer trabalho de campo, abordar as zungueiras. Eu sei que as zungueiros são um bocadinho teimosos. Já vi aguns vendedores que tivessem complicação com a polícia. A policia, às vezes, faz chegar a mensagem, tirando-os de um lado e eles vão para o outro. Quer dizer, às vezes, o dialogo e a compreensão falham e temos tido um final muito friste.

Disse que não será dirigida por si, fale-nos um pouco sobre o seu papel na longa?

O filme foi idealizado por mim durante a apresentação do festival de cinema da Unitel, mas as coisas não seriam dirigidas por mim, mas a minha equipa de produção e técnica insistem. Eles dizem que sou um ícone do cinema nacional, então a qualidade e o respeito será outro. Não sei bem, mas estou a pensar  fazer co-realização com o meu filho.

Habituou-nos a emoções hilariantes, ao anuncia isso acaba criando enorme expectativa  em relação ao filme.
Ao assistirem o filme estarão a ver um “Dito” muito crescido, bastante experiente, mais maduro. A fazer um trabalho com cabeça, tronco e membro, ou seja, com régua e esquadro. Vamos cumprir todas as regras cinematográficas, vamos procurar atingir a perfeição nesse filme, respeitando aquilo que tem que ver com a estética cinematográfica.

Recorde-se que é a sua sétima longa- metragem. O que gostaria de conquistar com ” Juliana Kafrique” que ainda não conquistou?

Respondendo à pergunta, pretendo conquistar o respeito, o carinho e, quiçá, vencermos o festival da Unitel. Ou estar entre os primeiros classificados do Festival de Cinema da Unitel. Por outra, existem pessoas que têm trabalhado no cinema sem apoio. A iniciativa é louvável, e vai ajudar muitos produtores e realizadores, mas existem pessoas que já têm trabalhado há bastante tempo sem apoio, pessoas como nós, deviam ser reconhecidos. Invés de concorrermos, a Unitel se calhar devia arranjar alguma coisa para nós que já mostrámos trabalho. Agora concorrermos ao lado dos miúdos não acho isso certo. José Gamboa não iria concorrer num estrelas ao Palco! 

as cargas mais recentes

Software Carnal: Nova obra poética de José Luís Mendonça chega aos leitores dia 30 de Setembro

há 1 ano
Com apresentação crítica de Fátima Fernandes e a palavra da leitora de Conceição Neto, o evento terá como mestre de cerimônia, Djanira Barbosa, e será também palco de poesia e canto dedilhado nas cordas da viola de Wilmar Nakeni, Lala e Pedro Bélgio.

Universidade Hip Hop já conta 11 anos de existência

há 9 meses
Para Celebrar o seu 11.° Aniversário, a UHH organizou no passado dia 6 de Março, um evento híbrido, que juntou presencial e de forma virtual, vários apreciadores e praticantes dos elementos da Kultura Hip Hop, para um brinde e uma roda de conversa cujo tema central foi “O que deseja para o Hip Hop em Angola”.

Henriques Narciso: “Se não tive o Prémio Nacional de Cultura e Artes é porque é dado por indicação política”

há 1 ano
Ao longo da entrevista com a Carga, Dito, como também é conhecido, disse não entender os critérios de atribuição do Prémio Nacional de Cultura e Arte, porque, descreve, pessoas há que receberam o prémio, e se questiona por que razão é que elas recebem.

Músicas de artistas vinculados a Universal Music Group passam a ser ouvidas no Tik Tok

há 2 anos

Amostra virtual ‘SetentaOitenta’ junta fotógrafos angolanos

há 2 anos

Boaventura Cardoso vence 4.ª edição do prémio DstAngola/Camões

há 4 meses

“Prodigia-Te” (Deluxe Moz): 3.° dos 8 álbuns de Prodígio já está disponível

há 8 meses

Cinco rappers recusaram competir com Busta Rhymes na Verzuz

há 1 ano
Recentemente, Fat Joe assumiu publicamente que tem medo de confrontar Busta Rhymes num Verzuz. Agora fica-se a saber que o rapper não é o único. Segundo Crazy Legs, Busta lhe terá revelado, este final de semana, que cinco rappers rejeitaram competir com ele.

Dinheiro “trava” internacionalização de Dodó Miranda

há 2 anos
Em entrevista a Revista Carga, explicou que preparou um disco com 12 temas, variado, com realce para o “world music”, mas que não consegue dar sequência ao projecto.

Sabia que LL Cool J foi nomeado durante seis anos antes da indução no Rock & Roll Hall of Fame?

há 1 ano
Embora elegível desde 2010, LL Cool J entrou no Rock & Roll Hall of Fame apenas este ano, na categoria de excelência musical, porém, já havia sido nomeado outras seis vezes.

Rigoberto Torres reoxigena clássicos do Hip Hop no seu primeiro EP

há 2 anos
Rigoberto Torres é um nome que pode mudar a história do Rap comercial em Angola. Apesar de começar a escrever sua história no ano passado, o cantor de 20 anos se prepara para apresentar esta sexta-feira, o primeiro EP.

Mariza grava álbum em homenagem a Amália Rodrigues

há 2 anos
Com o título “Mariza Canta Amália”, o disco visa homenagear um dos grandes nomes do cancioneiro português, falecida em 1999.

Yunami, a voz do Rap angolano na Hungria, apresenta novo projecto musical

há 2 anos
“Sonhos do Meu Pai” é o terceiro trabalho de Yunami, um rapper angolano que vive na Hungria. A obra resume várias fases do desenvolvimento de um artista em ascensão e é marcada por um novo vídeoclipe.

Autora de “Harry Potter” publica novo livro a título gratuito

há 2 anos
JK Rowling, autora de Harry Potter, disponibilizou para download gratuito um novo livro de aventuras. A edição física será feita em Novembro, os valores das vendas servirão para combater o Covid-19. A escritora pede aos leitores que enviem desenhos para adaptar à obra.

Afrikkanitha apresenta novo álbum

há 2 anos
O novo álbum de Afrikkanitha são músicas da alma patentes na cultura de cada povo e tem como objectivo a conquista do circuito internacional e será apresentado hoje às 19 horas.

Rapper Yunami representa Angola num projecto de unificação dos artistas africanos na Hungria

há 2 anos